História Photograph - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dylan O'Brien
Personagens Dylan O'Brien, Personagens Originais
Tags Artes, Photograph, Teenwolfelenco
Exibições 45
Palavras 944
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


SÁBADO AEEEW <3 Eu sei, prometi um hot e aqui está. O problemão desse capítulo é que: Eu não manjo dos hot, sendo que esse é o meu primeiro. Eu tinha uma amiga que era viciada em fazer essas porra de hot para mim, só que ela se mudou e páh. Agora eu tenho que fazer os hots sozinhas, por isso esse ficou uma merdinha.

Até logo <3

Capítulo 23 - 23. Sex and Snow


LEIAM AS NOTAS INICIAIS

Sex and Snow » Sexo e Neve

Chloe Bennett

 

            Eu não sei como havia aguentado por tanto tempo. Ao chegarmos no apartamento, a primeira coisa que fiz foi tirar os saltos e pedir para Dylan me ajudar a tirar o vestido. Podia ouvir sua respiração calma batendo em meu pescoço enquanto ele deixava beijos em minha clavícula e fazia eu soltar leves risos, além de alguns pequenos gemidos.

Lembrete: Agradecer a Elena, Allison e Katherine por não quererem voltar para casa e terem ido dormir na Ingrid.

            Ele deslizou as alças do vestido roxo, que logo caiu no chão. Sua boca se aproximou do meu pescoço, fazendo-me soltar um gemido de antecipação. E, ao sentir seus lábios pousarem no meu pescoço, o mesmo deixou um chupão ali.

Dyl... – Gemi, mandando todo meu autocontrole para o saco. Foda-se, nunca tive alto controle mesmo.

            Suas mãos me viraram para frente, ficando cara a cara com ele. Seu beijo era calmo, porém eu sabia o que estava escondido ali. Estava escondido a mesma coisa que eu escondia também nesse beijo: D-E-S-E-J-O.

            Pouco a pouco, a vergonha foi embora, dando lugar ao beijo feroz e obsceno que queríamos. Suas mãos agarraram as minhas coxas, me puxando para cima e me fazendo entrelaçar as mesmas em sua cintura. Minha bunda era apertada com violência por Dylan, que parecia não ficar 5 segundos sem me beijar. Acredite, eu também não conseguiria.

            Ele começou a andar pelo corredor, até chegar ao meu quarto, onde ele abriu a porta comigo em seu colo. Dyl me colocou na cama, aproximando-se de mim e tirando o top que eu usava. Seus beijos voltaram, começando da minha clavícula, descendo por meu pescoço e seguindo até um pouco abaixo do meu umbigo, fazendo-me soltar um gemido manhoso.

            Seus lábios se aproximaram dos meus seios e deixaram ali um beijo, antes do mesmo se aproximar mais e começar a chapa-los. Admito que meus gemidos saiam escandalosos até demais.

— I-Isso é injusto. – Consegui dizer, mesmo que parecesse apenas um sussurro. Dylan olhou para mim, seus olhos cheios de luxúria, meus olhos com certeza também estavam assim. Sua cara dizia claramente o que ele queria perguntar: O quê? – Senta.

            E me obedecendo, Dylan se sentou, enquanto eu me sentava em seu colo. Comecei a desamarrar a gravata borboleta a jogando puta que pariu. Eu precisava tê-lo dentro de mim, minha intimidade já pulsava com isso, principalmente quando conseguia sentir seu membro bem abaixo de mim.

            Comecei a rebolar, fazendo Dylan soltar gemidos roucos. Arranquei seu paletó, seguindo para começar a desabotoar sua camisa. Deus, eu precisava dele. Dylan também não perdia tempo, enquanto eu retirava sua roupa, seus lábios beijavam cada centímetro da minha pele exposta.  Os gemidos eram as únicas coisas que eu ouvia no quarto.

            Minhas mãos desabotoaram a sua calça, tocando na leve ereção que havia ali. Suas mãos foram para minha nuca, enquanto ele me puxava para outro beijo. Ele segurou minha cintura, me colocando abaixo dele. Era agora.

            Sua calça foi parar do outro lado do quarto e eu nem tive tempo para acompanhar, já que a minha calcinha foi arrancada, assim como a cueca de Dylan. Suas mãos seguraram a minha cintura e seu membro roçou na minha entrada, fazendo-me arquear as costas e soltar um palavrão.

            Os olhos de Dylan, ainda mais escuros, brilhavam de luxúria e ele sorria de canto para mim. Ele era tudo o que eu queria.

— Dylan... – Gemi manhosa, mas toda a minha voz se foi quando ele me penetrou sem aviso.

            Minhas unhas arranhavam suas costas e sua cabeça estava encostada na curvatura do meu pescoço, eu poderia ouvir ele gemer rouco em meu ouvido para o resto da minha vida. Ele estocava com força, fazendo-me revirar os olhos de prazer.

Uma pena que quem mandava ali era eu.

            Espalmei minhas mãos em seu tórax, o empurrando. Dylan me olhou confuso, mas logo saiu. Antes que ele se levantasse por completo, eu o empurrei contra a cama, fazendo-o cair no colchão, enquanto eu subia em cima dele e sentava em seu membro. Ele gemeu quando eu desci lentamente.

            Espalmei minhas mãos em seu tórax e rebolei. Eu subia e descia, fazendo tanto eu quanto Dylan gemermos alto. Era tudo tão surreal. Uma hora estávamos em um baile ridículo de inverno, agora estávamos na minha cama fazendo os vizinhos se incomodarem com os gemidos extravagantes.

            As mãos de Dylan seguraram minha cintura, fazendo eu ir mais rápido. Deitei-me sobre o corpo de Dylan, levantando a cabeça para beijar seu pescoço por completo, deixando alguns chupões ali. Ele era meu e todos precisavam saber disso. Dylan pareceu ter a mesma ideia que eu, já que, antes que eu pudesse perceber, suas mãos afastaram os cabelos e seus lábios começaram a beijar meu pescoço.

            Suas mãos seguraram minha bunda com força, apertando a mesma, fazendo os gemidos saírem mais alto. E então veio a sensação que eu conhecia e não sentia a algum tempo. Meu corpo inteiro se arrepiou e um gemido mais alto saiu pela minha garganta. Dylan gemeu mais alto e rouco, desmanchando-se dentro de mim em seguida.

            Saí de dentro de Dylan, fazendo de tudo para lembrar que amanhã eu deveria tomar a pílula. Foi quase impossível não suspirar ao ver Dylan puxando a coberta para nós cobrir do frio que assolava o quarto. Olhei pela janela, acima de nós, vendo os flocos brancos de neve cobrindo a mesma. Sorri.

Senti tanta a falta de você. – Dylan disse sorrindo, me encarando enquanto eu olhava para a neve do lado de fora. Virei-me para ele e acariciei seu rosto.

Também senti saudades de você.


Notas Finais


Até sexta-feira, meu povo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...