História Photograph - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Lay, Lu Han, Sehun, Xiumin
Tags Chanbaek, Hunhan, Kaisoo
Exibições 21
Palavras 1.050
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Slash
Avisos: Homossexualidade, Pansexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que gostem. X

Capítulo 1 - One.


 Abri meus olhos na manhã calma de sábado e quando pensei em resmungar pela dor de cabeça, lembrei que Soo havia dormido na minha casa. Na minha cama. Saí de fininho de seu abraço quentinho e fui até o banheiro, fiz a minha higiene e resolvi tomar um banho rápido. Após sair do banheiro, me deparei com KyungSoo esfregando a palma da pequena mão no olho, se esforçando para não cair no sono novamente.

– Que horas são, JongIn? – Falou baixo, com a voz rouquinha que adquiria toda vez depois de acordar.

KyungSoo tinha um sono pesado. Era difícil de acordá-lo. Ele só acordava se tivesse pesadelo, o que era seguido. Era raro ter uma noite de sono tranquila. Nunca sabia se era porque eu roubava o cobertor, ou se era porque ele tinha pesadelo.

– Nove e meia. – Respondi, logo vendo o pequeno arregalar os olhos e levantar da cama as pressas. – O que foi?

– O que foi?! BaekHyun tem apresentação na escola às 10! Você sabia disso! Por que não me acordou? – Falou chateado, vestindo seu casaco e colocando os sapatos apressado. Eu realmente não entendia a pressa. Não eram nove e meia. Eram oito e vinte.

Soltei uma risada baixa e caminhei até ele, com a toalha na mão. Abracei seu corpo e o vi congelar. Foi aí que ele soube que eu estava brincando.

– Eu vou te matar! – Soo falou emburrado, dando um tapa na minha cabeça.

– Ouch... Foi engraçado! Não me bate. Bom dia. – Beijei sua testa e peguei na sua mão, puxando-o para o andar de baixo. – Mamãe fez panquecas. Ela soube que ia estar aqui e resolveu fazer. Estou pensando em te chamar pra dormir aqui todos os dias. Ela nunca faz panqueca, Soo.

Ouvi a risada baixa de Soo e sorri. Sua risada e seu sorriso eram, provavelmente, as coisas que eu mais gostava de ver.

Desde os 12 anos de idade Soo era apaixonado por fotografia. Eu entrei em sua escola nessa época. Sem amigos, observava o pequeno tirar foto das plantas lindas que haviam no local, comendo algum lanche que mamãe havia feito pra mim. Eu lembro do momento perfeitamente.

·

Soo andava de um lado pro outro com sua Polaroid na mão. Eu, curioso como sempre, terminei meu lanche e fui em sua direção, com um pequeno sorriso estampado no meu rosto. O vi recuar e esconder a Polaroid atrás de suas costas, com medo.

– Eu posso ver as fotos? – Perguntei baixo, vendo o pequeno suspirar baixo, e tirar algumas fotos reveladas da mochila.

– As que eu tirei agora demoram alguns minutos até ficarem prontas... – Falou baixo, mais baixo do que eu havia falado. Segurei as fotos e sorri ao visualizar cada uma. Animais. Bebê. Plantas. Pirulito. Espera... Pirulito?

– Você tem algum motivo para tirar essas fotos? Digo... Tem várias do mesmo bebê. De alguns animais. E de um... Pirulito. São lindas, de verdade. Você tem talento. – Sorri, entregando-lhe as fotos. O vi tossir baixo e ri, voltando a falar. – Estou falando sério.

– O bebê é meu irmão, BaekHyun. Ele é filho do meu padrasto, mas a mãe dele... Sabe. Não o quis. Minha mãe o adotou. E sobre o pirulito... Eu gosto de pirulitos. – Riu baixo, guardando as fotos com cuidado na mochila, juntamente com a câmera. – Quando algo ou alguém me deixa bem e feliz, eu tiro foto. BaekHyun é incrível. É um bebê muito inteligente. E eu não tenho irmãos... Não de sangue. Ele me faz bem. Me sinto vivo perto dele. É bobagem, eu sei.

– Não! Não. Nunca. Isso é incrível, de verdade. Você pretende ser fotógrafo?

– Talvez... Não sei. Meus gostos podem mudar com o tempo.

·

Não mudaram. 10 anos depois, Soo continuava a gostar de fotografia. E a amar BaekHyun. O pequeno, com 11 anos, cantava. Cantava extremamente bem. Inteligente, e amante do trabalho de seu irmão.

Após sair da escola, Soo fez faculdade de fotografia. E eu, de publicidade.

Eu e Soo somos melhores amigos. Eu moro com minha mãe, e Soo, sozinho, em um apartamento gigantesco. Desde pequenos sonhamos em morar juntos. Na faculdade, morávamos no mesmo dormitório. Porém, depois da formatura, Soo ganhou um apartamento dos pais e foi morar sozinho. Diferente dele, eu não consegui um emprego tão rápido. Quase 4 meses depois de ter me formado, ainda não havia conseguido um. Soo sempre conversava comigo sobre ir morar com ele, por se sentir sozinho e por não querer que eu more com minha mãe pelo resto da vida, aparentemente. Mas eu não gostava da idéia de ir pra lá sem ter um centavo sequer para ajudá-lo. Por conta disso, Soo dormia no mínimo duas vezes por semana na minha casa. E eu na sua.

Minha relação com KyungSoo sempre fora meio estranha pras pessoas. Nós parecemos namorados, mas não somos. Nós não temos muitos amigos, então, saímos sempre apenas nós dois. De vez em quando com Luhan e Sehun, mas eles eram um casal, e por conta disso, todo mundo achava que éramos também.

É algo complicado. KyungSoo é minha pessoa favorita no mundo. Conheço ele desde os 12 anos, é meio impossível não sentir algo a mais por aquele serzinho. Mas... Eu não arriscaria nossa amizade assim. É algo realmente importante pra mim. Não sei o que seria sem ele.

– Mas JongIn! – Soo falou, fazendo um bico nos lábios logo em seguida. – Eu não quero usar maquiagem.

– Mas nada. É só um corretivo, bebê. Vai esconder suas olheiras, porque o senhor dormiu tarde de novo.

Estávamos sentados na minha cama, prontos para ir à escola de BaekHyun. Soo era teimoso e se recusava a usar maquiagem, mesmo sabendo que não era nada além de um simples corretivo.

Peguei o mesmo dentro da pequena bolsinha da mamãe e passei levemente nas olheiras de Soo, espalhando com meu dedo lentamente. Após terminar, comecei a acariciar sua bochecha, sorrindo ao vê-lo abrir os olhos devagar. Beijei sua bochecha em seguida e ele sorriu.

– Está pronto, teimoso. Eu disse que era rápido. – Falei, beijando sua testa e levantando da cama, junto com ele.

Depois de 15min, KyungSoo finalmente havia pego tudo o que precisava. Câmera, lente, bolsa. Tudo. Finalmente saímos de casa e fomos até a escola em meu carro. Soo estava nervoso, parecia até que nunca havia visto BaekHyun cantando na escola.

Ele realmente nunca havia visto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...