História Photographer - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Kai
Tags Baekai, Baekhyun, Kai, Kaibaek
Exibições 32
Palavras 1.652
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olha eu aqui de novo!
Queria dizer que não revisei o capítulo (preguiça e sono dá nisso), então já quero me desculpar por qualquer erro.

Além disso não achei que esse capítulo ficou muito bom, mas vamos lá.

Capítulo 2 - Capítulo 02


Jongin se sentia feito um adolescente quando a noite finalmente chegou. Riu de si mesmo ao perceber o quão bobo estava sendo, mas não podia evitar... Byun Baekhyun lhe causava esse efeito.

Respirou profundamente em uma tentativa falha de conter os nervos e checou tudo sétima vez nos últimos quinze minutos.

Optou por preparar uma massa naquela noite. Não que tivesse um vasto conhecimento gastronômico – a massa era uma das poucas coisas que realmente sabia cozinhar, mas com aquele tipo de comida era quase impossível ter algum tipo de erro. Os pratos e talheres já estavam sobre a mesa, assim como algumas velas. Havia questionado aquele último item, temendo que o fotógrafo achasse tudo ridículo demais, mas acabou decidindo por manter as velas.

Deu um pulinho quando ouviu a campainha tocar e seu coração disparou. Caminhou até a porta com as pernas um tanto fracas pelo nervosismo e a abriu, um sorriso estranho nos lábios.

- Ual, você parece prestes a ter um ataque cardíaco – provocou o Byun. Ele tinha uma garrafa de vinho na mão e um sorriso enorme nos lábios.

- Engraçadinho – Jongin conseguiu dizer depois de alguns segundos apenas encarando o menor. Ele era tão bonito que nem parecia real. – Entra logo.

O menor concordou com um sorrisinho nos lábios e entrou no apartamento depois de fazer uma breve reverência. Olhou ao redor rapidamente e constatou que apesar de não ser muito grande, o apartamento era muito bonito e espaçoso – devido a organização, o que não existia na casa do menor.

- Belo apartamento – comentou por fim. Estendeu a garrafa de vinho para o modelo e colocou as mãos no bolso.

- Não é tão grande, mas é mais do que o suficiente para mim. – Sorriu timidamente e pegou a garrafa.

Caminhou até a mesa e deixou a garrafa ali. Se virou para Baekhyun pronto para dizer qualquer coisa, mas a reação do menor ao ver a mesa o impediu.

- Velas? Então quer dizer que é um jantar romântico? – O fotógrafo provocou, um sorrisinho divertido nos lábios.

- Eu queria que fosse... Especial. – Abaixou a cabeça um tanto envergonhado e encarou seus pés. – Isso é muito idiota? Eu posso tirar.

- Não! – Baekhyun se aproximou do mais alto e o abraçou timidamente. – Eu adorei, é bom saber que você realmente se importa.

Jongin entrou em conflito naquele instante. Estava contente por ter agradado o outro rapaz, mas ao mesmo tempo sentia sua bochecha formigar pela vergonha que sentia. Não tinha mínima ideia de como reagir.

Baekhyun por sua vez deu uma risadinha e o soltou. Podia ser maldade, mas se divertia vendo o mais novo tento reações daquele tipo.

Trocaram mais algumas palavras e decidiram que era melhor jantarem logo. O modelo fez questão de servir seu convidado e o observava com expectativa quando sua primeira garfada estava prestes a acontecer.

- Jongin? – Chamou ainda de boca cheia. – Isso está ótimo! Desde quando você cozinha?

- Acabei aprendendo algumas coisas quando trabalhava no restaurante. – Deu os ombros. – Que bom que gostou.

Continuaram a comer e logo depois estavam os dois sentados no sofá, cada um com uma taça de vinho em mãos.

- Eu sou fraco para bebidas – confessou o Byun depois da sua segunda taça vinho. – Então caso eu te agarre de repente, culpe o álcool.

O mais alto riu enquanto esvaziava sua taça. Logo tratou de se servir mais uma vez e também serviu Baekhyun, que agitava a taça vazia diante do seu rosto.

- Se você quer me beijar, apenas faça isso de uma vez. – Jongin também era fraco para bebidas, precisava assumir. E agora o álcool já começava a fazer algum efeito, levando para longe o seu pudor. – Não fique arranjando desculpas.

Baekhyun riu escandalosamente depois de ouvir aquilo. Suas bochechas estavam vermelhas e Jongin não sabia dizer se era por ter se envergonhado ou por conta do vinho.

Ficaram se encarando em silêncio por um bom tempo. Vez ou outra um dos dois começava a rir sem motivo algum, e isso era definitivamente culpa do álcool.

Baekhyun suspirou depois de esvaziar mais uma taça e a colocou sobre a mesinha de centro. Já estava ficando um pouco zonzo, era hora de parar. Jongin seguiu seu exemplo e fez o mesmo.

Na verdade a garrafa já estava praticamente vazia, não faria muita diferença.

- Jongin, você gostaria que eu fizesse isso? – perguntou com uma voz manhosa. Mas tudo que conseguiu foi um olhar confuso do rapaz.

- Isso o que, Baek?

O menor bufou irritado com a pergunta, como se tudo fosse muito óbvio. Então se aproximou um pouco mais do modelo, os rostos praticamente colados.

- Que eu te beijasse... Você gostaria?

Jongin estava prestes a entrar em pânico. Podia sentir o hálito quente do outro batendo em seu rosto – nem mesmo se importava com o cheiro de álcool – e não sabia como responder. Sim, queria que ele o beijasse, mas por que não conseguia dizer isso?

- Sabe, – começou o Byun, os dedos bagunçando o cabelo do outro. – dizem que quem cala consente.

Baekhyun o beijou antes que ele tivesse a chance de responder. Suas bocas pareciam se encaixar perfeitamente enquanto Jongin retribuía o beijo na mesma intensidade. Naquele momento o modelo seria capaz de jurar que aquele era o melhor beijo de toda a sua vida.

Sem nem mesmo pensar no que fazia ele se jogou no colo do mais alto. Tinha as pernas ao redor do seu corpo e os joelhos apoiados no sofá. Sentiu todo o seu corpo se arrepiar quando mãos fortes seguraram sua cintura com força.

Involuntariamente o fotógrafo mexia seu quadril no colo do rapaz, só se dando conta de que o fazia ao sentir um volume se formando na calça de Jongin. Sentiu seu rosto queimar pela vergonha, mas não conseguia parar – e o modelo não parecia se importar muito.

Cada toque parecia ficar cada vez mais intenso e nenhum dos dois sabia muito bem como reagir aquilo, então apenas continuaram.

Bem, até que o estômago de Baekhyun começou a revirar por conta da bebida. Por que é que foi beber tanto.

- Merda! – bufou irritado.

Tombou o corpo para o lado e caiu no sofá de forma desajeitada.

- O que foi? – O modelo o encarava um tanto confuso.

- Não estou me sentindo bem. – Fez uma careta. – Eu disse que sou fraco para bebidas.

- Porra, justo agora? Você me deixou em uma situação complicada. – Apontou para o volume em sua calça e fez uma careta.

O menor gargalhou com aquilo. Não porque achava a situação engraçada, – até porque estava na mesma – mas o álcool deixava sua mente confusa.

- Me desculpa. – Se aproximou do mais novo e apoiou sua cabeça no ombro dele. – Mas eu realmente não me sinto bem, acho melhor ir embora.

- Está tudo bem, Baek. – Deu um sorrisinho e entrelaçou seus dedos. – Mas você não vai embora, não vou deixar você dirigir assim.

Baekhyun teria sorrido por achar aquilo fofo se seu estômago não tivesse dado uma cambalhota.

[...]

- Jongin? – o fotógrafo chamou.

Estavam deitados na cama do modelo agora. Braços fortes rodeavam a cintura de Baekhyun, abraçando-o de maneira protetora.

- Hm?

- Eu estraguei tudo, não é?

- Quer fazer o favor de parar com isso? Não importa se a noite vai terminar com a gente se agarrando ou não, foi tudo incrível... Agora tente dormir, ok?

Baekhyun concordou e se obrigou a fechar os olhos. Pensava em tantas coisas naquele momento que ele achou que levaria uma eternidade para que conseguisse cair no sono, mas estava tão cansado que adormeceu quase que instantaneamente.

[...]

Quando Jongin acordou no outro dia não encontrou Baekhyun na cama. Suspirou um tanto frustrado e se levantou, a cabeça latejando por conta álcool ingerido na noite anterior – ele era realmente fraco para bebida.

Procurou o menor pela casa, mas como era de se esperar não o encontrou. Aparentemente ele tinha fugido do modelo. Tentou ligar para ele algumas vezes, mas a ligação ia direto para a caixa de mensagens.

- Ele deve estar no trabalho – murmurou quando se deu conta de que já era tarde.             

Depois de um banho demorado ele se arrumou e foi até a agencia. Não tinha nenhuma sessão naquele dia, mas queria falar com Baekhyun, saber como ele estava.

Cerca de 20 minutos depois estava no estacionamento do edifício. Uma careta se formou em seu rosto quando ele olhou ao redor e não encontrou o carro do fotógrafo. Ele tinha realmente fugido dele? Ou ainda estava se sentindo mal?

Ignorando todas as perguntas que estavam sua mente ele foi até o andar principal.

- Ei, será que eu posso falar com o Sr. Byun? – pediu assim que parou diante da secretária dele.

- Ele não apareceu por aqui hoje. – A jovem de cabelos escuros ergueu o rosto para que pudesse encarar o rapaz. – Não acho que ele vá aparecer por aqui hoje depois do que aconteceu.

- O q-que aconteceu? – gaguejou se sentindo subitamente nervoso.

Ele definitivamente não tinha um bom pressentimento sobre aquilo.

- Você não soube? – O rapaz negou com a cabeça e a moça suspirou. – O pai dele foi internado às pressas mais uma vez, parece que o coração não anda muito bem.

Jongin se lembrou de como Baekhyun estava tenso por conta do pai no dia anterior e sentiu seu coração disparar.

Além disso ele próprio tinha grande carinho e respeito pelo velho. Afinal, se não fosse por ele ainda trabalharia como garçom naquele restaurante.

- Merda! Você sabe em qual hospital ele está?

A assistente o encarou um tanto desconfiada mas não disse nada, apenas transcreveu o endereço em um pedacinho de papel e o estendeu para o rapaz.

- Obrigado.

Correu para fora do prédio e logo estava em seu carro mais uma vez. Deu partida no veículo e dirigiu na direção do hospital.

Não queria deixar Baekhyun sozinho.


Notas Finais


Obrigada por chegar até aqui <3
Eu sei que esse capítulo realmente não ficou dos melhores, mas vou me esforçar mais no próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...