História Photography and cigarettes. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Pink, EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Jennie, Kai, Personagens Originais
Tags Baekhyun, Blackpink, Chanyeol, Exo, Got7, Hentai, Hot, Imagine, Kpop, Pcy, Sex
Visualizações 25
Palavras 1.146
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Visual Novel
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Heyo.
Se flopar nunca existiu.
Boa leitura 💞

Capítulo 1 - Click and smoke.


“Eu sinto muito.” inclinei meu corpo respeitosamente para a mulher alta na minha frente. Seu corpo coberto por uma saia destacando sua silhueta enquanto o cabelo claro estava devidamente preso no topo de sua cabeça. Ela não manteve seu olhar arrogante na minha face por muito tempo, direcionando a palavra à minha chefe. 

“Na próxima você terá que falar com meu advogado.” ameaçou à SunHee, que permanecia sentada com uma expressão exaurida.

Ambas me fitaram irritadas e eu desviei de seus olhares repreensivos, fingindo estar alheia aos esporros, exatamente como uma criança de cinco anos faria.

Quando a discussão teve fim, a mulher deu as costas ainda resmungando sobre o quão absurdo isso era e algo sobre onde íamos parar.

Eu quis que ela voltasse com mais alguns berros quando me deparei com a expressão mortal de SunHee sobre minha pessoa.

“Eu sinto mui..” mal comecei e já fui interrompida pelo seu indicador erguido pedindo-me silêncio.

Ela entrelaçou as mãos enquanto analisava minha situação estalando os lábios antes de palestrar.

“Você tem ideia do quanto esse tipo de situação pode prejudicar o jornal?” questionou cortante passando os dedos por seu cabelo em frustração.

“E-eu não ia publicar. Eu juro.”

“É claro que não ia. Ninguém se interessa nos relacionamentos proibidos dessa arrogante.” gesticulou exasperada balançando a cabeça em negação. “Essa não é a questão. Eu não posso mais lidar com esses seus clicks compulsivos, é a minha carreira que está em jogo, o nome da minha empresa está atrelado à seus atos.” eu mordi o interior da minha bochecha me sentindo uma idiota. Mais uma vez, desviei de seu olhar fitando a lamparina sobre sua mesa. "Lamento, mas você está demitida."

Precisei de alguns segundos para absorver olhando-a desesperada, quando o fiz, sequer contestei, estava envergonhada demais para tal ato. Apenas concordei agradecendo-a pela oportunidade antes de sair da sala para sustentar os inúmeros olhares curiosos sobre meu corpo. Após ter me despedido dos meus colegas eu recolhi meus pertences e sai tão rápido quanto pude do local, desejando ainda ter alguma dignidade.

Eu mal notei as lágrimas sutis enquanto chutava uma pedrinha no chão obrigando-a a seguir o mesmo caminho que eu.

Ok, eu tinha que concordar que tirar fotos de uma desconhecida as carícias com um homem era no mínimo estranho, mas droga, eu pedi desculpas e sequer tinha conhecimento de que o homem que a beijara era seu amante.

Eu só queria congelar o momento bonito do casal, até lhe ofereceria a fotografia.

Minhas boas intenções não reduziam minha punição e tampouco o sentimento de fracasso que me corroía.

Agradeci por ter sido responsável o bastante para pagar alguns meses adiantados da faculdade.

Sem mencionar a ajuda de custo que meus pais me davam mesmo eu dizendo que não precisava, eu sempre depositava para alguma emergência. Claro, não seria o suficiente para eu me acomodar, mas ao menos me dava algum amparo.

Por hoje, eu tinha a solução para meus problemas, nada que os resolvesse. Porém, o bastante para me fazer desprezá-los.

Um bom porre, daqueles que te fazem esquecer até o porque você existe.

Não que eu soubesse na verdade.

Dane-se.

Disquei o número da amiga com quem eu costumava dividir o dormitório da faculdade. Ela atendeu no terceiro toque com a voz arrastada.

“Jennie, estava dormindo?”

“Desde que nasci.” comprimentou à sua maneira e eu ri imaginando-a coçar os olhos.

“Oque acha de sairmos hoje?” sugeri mantendo minha demissão oculta.

Nós marcamos às 22:00, seria uma das festas que seu namorado dava na casa de fraternidade onde morava. Eu tentei ligar para Jong-dae à fim de convidá-lo, porém fui respondida com a voz robótica da caixa postal, então apenas deixei uma mensagem e me preparei para a festa.

***

Estar com a Jennie era sempre incrível, ela era divertida e sabia deixar as situações confortáveis. Nós estávamos largadas no sofá vermelho no centro da sala com alguns amigos rindo e se divertindo como à tempos não fazíamos. 

Após algumas bebidas e brincadeiras eu me sentia leve e espontânea, o suficiente para soltar o que eu me dispus a esconder.

“Eu fui demitida.” contei a uma Jennie sorridente e bêbada tentando sem sucesso beber seu licor sem fazer careta.

“Oque?” 

Eu ri de sua expressão, me esforçando para que minha voz superasse a música envolvente que ecoava.

“Eu fui demitida. Sabe, meu emprego, eu perdi.” eu simbolizei um click com minhas mãos em frente ao rosto para que ela entendesse.

Ela deu um tapa em Baekhyun quando ele tentara tirar sua bebida de si e voltou a me olhar, dessa vez mais séria do que a situação pedia.

Nós conversamos e ela me ofereceu o dormitório caso eu tivesse problemas com o apartamento, me apoiando como sempre fez desde que éramos amigas.

“Jennie. Venha aqui.” chamou Jong-in acenando para a namorada.

“Está tudo bem?” perguntou e eu concordei, dizendo que já estava tarde e que meu namorado estava me esperando.

Era mentira, óbvio. Jong-Dae era ocupado demais para responder minhas mensagens, que dirá me esperar após festas. Porém, se eu não dissesse aquilo ela jamais iria me abandonar.

Eu cambaleei bêbada até o jardim daquela casa gigante sorrindo sozinha em resposta ao álcool dançando no meu interior, tropecei em alguns corpos, em mim mesma, e até no chão antes de finalmente sentir a brisa fresca do quintal.

Foi quando o vi pela primeira vez.

Dentre os inúmeros corpos, o dele parecia se destacar.

Talvez por sua altura superior à maioria das pessoas ali presentes. Ou talvez, pelo fato de que ele era o único que estava sozinho, imerso em seus próprios pensamentos enquanto olhava para o céu e presenteava as estrelas com as lufadas cinzas de seu cigarro.

Ele estava encostado em um veículo negro. Seu cabelo escuro formando cachos suaves sobre sua testa.

O homem vestia um suéter escarlate com gola alta sob um sobretudo escuro, observei hipnotizada quando ele levou à mão até o rosto, puxando mais fumaça e me permitindo ver a tatuagem que por pouco contornava seus dedos. 

Eu quis me aproximar e perguntar seu nome, ao invés disso, retirei meu celular da bolsa e apontei para o rapaz congelando aquela imagem na minha galeria, as pessoas à minha volta bêbadas demais para notar meu ato.

Eu o fitei por tempo o suficiente até seu corpo sentir minha análise e seu olhar cair sobre o meu.

Foi quando lembrei o que eu pretendia fazer, disfarcei o máximo que a bebida me permitia e chamei um táxi pra casa demorando tempo demais apenas para lembrar o nome da rua em que morava.

Me joguei na cama sem ter certeza de nada à minha volta. Removi o aparelho do bolso digitando a senha no ecrã luminoso para observar a fotografia recém roubada.

Sorri da má resolução da foto, estava tremida e com os usuais pontinhos de quando se fotografa à noite, mesmo estando fora dos padrões de uma boa foto, eu gostava dela. Diferente das outras, quanto mais eu olhava mais eu apreciava. Eu guardei os detalhes do rapaz o máximo que pude até ser dominada pelo sono.

Aquela noite, sonhei com cachos e fumaça.



Notas Finais


E aí?
Merece continuação?
Dêem sugestões e opiniões :)
Eu pretendo postá-la no Wattped
Se houver alguém que queira, eu mando o link :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...