História Pictures, Money and Drugs - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~starlightbae

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Namjin, Taeyoonseok
Exibições 33
Palavras 2.373
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Mais um capitulo pra vcsss! YAYYY *bate palminhas super gays*!!! Obregadan pelos 10 favouritos :3 <3! Vamos começar logo ;-;. Bom capitulo T^T!

Capítulo 3 - Terceiro


[...]

{Moment Kim Seokjin}

O som ressoou nos tímpanos de Seokjin. Foi o som de um tiro e apenas sentiu seu corpo ir ao chão. O que parecia pouquíssimos segundos, virou horas para Seokjin, tudo estava em câmera lenta, e aguardava em seguida pela dor. Quando abriu seus olhos, fez uma careta de confusão e olhou para cima. Não havia sangue em volta de si e não sentia nem uma pitada de dor, se sentou e viu que Namjoon estava na sua frente (Au.: O salvador da pátria chegou. / Nj.: Brotei~~. / Jin.: Saí~~./ Kwan: Morri ~~.¬-¬’), apontando uma arma para Kwan que estava ajoelhado que apertava seu ombro esquerdo na tentativa de estancar o sangue que escorria de seu ombro direito. Os olhos de Namjoon eram frios e sua face sem expressão alguma, ainda apontava a arma para Kwan, até que nosso milionário estampou o seu típico sorriso e falou:

– Mesmo que você recolha o corpo, a polícia começará a buscar pistas, e não se preocupe. Estava numa ligação com seu chefe, parece que a prisão já lhe aguarda. É o fim, Kim Kwan. ­­­­­

Finalizando seu momento de filme como o protagonista "fodão", Namjoon apenas abaixou a arma e se ouvi o som de sirenes e as viaturas policiais se aproximando da entrada do porto. Nosso humilde milionário ajudou Seokjin a se levantar, limpou com seus dedos ásperos as lágrimas do rosto do menor, depois sorriu e o abraçou num ato de proteção, sendo recebido rapidamente por Jin, que o abraçou forte escondendo seu rosto no peito do maior.

– Eu tenho de resolver com os policiais sobre Kwan. Eu já volto, okay? – Trêmulo, Seokjin assentiu, se soltando de Namjoon, que sorriu e depositou um selar na testa dele, para depois sair e andar em direção aos policiais.

Seokjin ainda tinha seus olhos marejados, e com sua curiosidade que nunca morria, olhou para os policiais e sentiu as lágrimas voltarem depois de olhar Kwan sorrindo fraco para sua direção, pronunciando um ‘sinto muito’, antes de ser jogado dentro do carro. Não aguentando mais, foi até a beirada do porto, onde lhe permitia a visão do mar azul, e desabou deixando que as lágrimas o consumissem mais uma vez naquele dia, desejando que fosse tudo um sonho ou uma mera ilusão de sua cabeça.

[...]

{Moment Kim Namjoon}

Depois de resolver toda aquela confusão, Namjoon foi à busca de Jin, que depois de procurar o achou com facilidade, observando que, mais uma vez, Seokjin chorava enquanto olhava para o mar azul. Chegou por trás dele e o abraçou pela cintura, depois de cheirar seu pescoço macio. E claro que Seokjin se assustou com o ato repentino.

– Me solta, seu idiota! – Disse Seokjin se soltando de Namjoon.

– Além de língua afiada tem bipolaridade. Você não recusou meu abraço a um tempinho atrás.

– I-Isso... – Seokjin estava corado. – Aquilo foi um momento de fraqueza... Eu estava em choque. – Disse um tanto quanto vermelho, desviando o olhar de Namjoon e enxugando suas lágrimas.

– Hm... Então quer dizer que ontem também foi um momento de fraqueza? – Sorrindo sacana Namjoon se aproximou.

– O que?! VOCÊ ME DROGOU SEU BABACA!

– Mas você aceitou! E tenho certeza que gostou. – Puxou Seokjin pela cintura e depois apalpou sua bunda sem nenhuma delicadeza.

– Me solta! – Seokjin se debateu já corado outra vez socando de leve o peito de Namjoon e se afastando. – Eu te odeio! Você vai pagar pelo que fez comigo! AHHHH! Eu queria fazer picadinho de você! Apenas me aguarde Kim Namjoon! – Depois de seu leve ataque de raiva. Namjoon não suportando começou a rir. – Ei! Não ria! Argh, seu infantil!

– Opa! O infantil aqui é você. Kim Seokjin é um belo menininho.

– É claro... E você também deve ser tão velho para caçoar de mim assim!

– Apenas um maravilhoso homem de 31 anos!

– Então você é na verdade um vovô?

– Um vovô que é ótimo na cama, como você já deve saber. – Seokjin corou mais uma vez e se calou (Au.: Namjoon 1 x Seokjin 0).

– Que seja seu maldito! Eu vou fazer picadinho de você quando te encontrar novamente!

– E eu irei aguardar você... Não me importo muito de estar na sua mira depois de tudo. – Depois de dar uma piscadela, Namjoon se despediu acenando com a mão e foi embora do porto, deixando um Seokjin com raiva que voltou para seu apartamento a pé, enquanto amaldiçoava Namjoon mentalmente no caminho.

[...]

*3 Weeks Later*

{Moment Kim Seokjin}

Bastaram algumas semanas para que nosso jovem e animado jornalista se recuperasse da "perda" de Kwan. Agora seu trabalho estava mais ávido, pois sempre conseguia informações com Kwan, mas nada o que Seokjin não resolvesse. Kwan era o braço esquerdo do dono das companhias de armas que era produzido na Coreia do Sul, já que as mesmas eram necessárias para o trabalho. O sujeito não era só dono das companhias de armas, mas como de várias empresas do mundo, era outro milionário conhecido da Coreia. Mesmo que fosse um amigo de Kwan, a palavra "milionário" o fazia estremecer e ficar com o sangue fervendo, imagino que já sabem quem é o culpado por isso. Seu nome era Min Yoongi, apesar de já ter ouvido seu padrinho conversar com o sujeito pelo telefone nunca havia o visto antes, e descobriu que graças ao tal Min, Kwan descobriu todas aquelas coisas de Namjoon, que era um velho amigo do outro milionário. Temia o sujeito ser como Namjoon, mas estava parado há muito tempo — pois seus chefes souberam da noticia e decidiram que Seokjin devia esfriar a cabeça —, tomou a decisão de voltar ao trabalho o mais rápido que pudesse, e por seu trabalho faria tudo, não importava como seria Min Yoongi, ele conseguiria as informações para o jornal. Bom, retomando o verdadeiro foco, Jin não teve a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente, pois lhe foi dito que Min Yoongi era um homem ocupado e não teria tempo para uma reunião ‘particular’, então apenas apelou para as mensagens, explicou tudo e lhe pediu a devida ajuda. Yoongi disse que com muito prazer o ajudaria, pois era afilhado de Kwan , e não se importaria em ajudar a ‘família’ de seu ex-braço esquerdo. Trocavam mensagens breves, sem muito papo, apenas algo profissional, e por fim Seokjin tinha sua nova fonte de informações, já era um peso a menos na lista. Parece que agora os furos jornalísticos que envolviam festas de ricos o puxavam. Lá estava o Kim, vestido de garçom em uma festa de uma organização política, já que as eleições estavam próximas e muitos candidatos se desesperavam para conseguir doações. E com sua postura perfeita de garçom, passeava com a bandeja de taças de champanhes pelo grande salão iluminado ondes os convidados fofocavam e apanhavam as taças de sua bandeja, outro fato era que onde o jornalista passava atraía olhares nada castos de homens e mulheres, seus trajes eram justos, esculpindo seu corpo, a calça social colava nas coxas fartas, os ombros largos eram notáveis pela parte de cima, e seu cabelo arrumado num estilo ‘lambido’ mas que não o agradava, sendo que o deixou um pouco despojado na franja. Como um braço era utilizado para segurar a bandeja à outra, colocava o pano perfeitamente dobrado e alinhado, e no interior da manga comprida, guardava uma de suas câmeras portáteis que filmava tudo de um ângulo nítido e perfeito.

– Eu quero uma taça. – Uma convidada chamou Seokjin.

– Ah... Sim senhora, aqui está. – Entregou a taça cheia para a convidada que lhe lançou um sorriso malicioso e saiu.

– Eu aceito uma também. – E percebendo que uma taça foi apanhada, Seokjin virou para trás e viu Namjoon indo na sua direção, mas apenas passou por ele com um sorriso. – Então teve de arrumar um emprego de meio-período para se sustentar, Kim Seokjin?

Seokjin apenas fez sua carranca, e o viu se aproximando de um grupo onde um senhor gorducho o cumprimentou. “Aquele babaca! Aposto que estava tirando com a minha cara! Ainda irei tirar fotos dele para ferrá-lo! Idiota...”.

– Ei! Seokjin!! Você poderia fazer o favor de levar o lixo para fora? – Disse um dos chefs que servia a nova bandeja de comida na grande mesa.

– Sim senhor!

[...]

Seokjin já carregava as duas sacolas de lixos, cantarolava uma melodia qualquer enquanto direcionava seu corpo para a saída de emergência do local, como um bom sedentário, seus braços já mostravam as primeiras câimbras por carregar o peso do lixo. Faltavam alguns metros para chegar à porta.

– Sai da frente!  – um grande baque contra seu corpo o levou ao chão liso e duro, junto com as sacolas que carregava. 

– Olhem por onde andam! Aish... bando de arregaçados. – Seokjiu bufou. – AH! MINHA CÂMERA! Está tudo bem com você???!– Disse Seokjin desesperado olhando se sua câmera, que até agora estava no chão, estava intacta. Olhou e viu que eram três homens que corriam depois de esbarrar nele.

Levantou-se correndo e agora um pouco mais próximo deles, parou e disparou os flashs da câmera fazendo os homens tamparem suas visões. “Ainda bem que peguei a câmera com flash” pensou Seokjin. Viu que os policiais chegando e gritou por eles indicando onde estavam. Mas apesar de muitas coisas, Seokjin era alguém que se preocupava com os outros, pois viu que um dos homens sangrava pela barriga. Aproximou-se dele e agachou-se.

 

– Ei senhor... Você está bem? – Recebendo depois de sua pergunta apenas uma tosse com sangue mesclado. Seokjin gritou para os policiais chamarem uma ambulância também. – Não se preocupe senhor, os médicos estão a caminho!

– Ugh... Por favor... L-leve isto para o Namjoon no clube noturno Shion... Cof cof! Ele deveria ter dado sinal hoje... Mas não o encontramos na festa. – E depois o homem desmaiou nos braços de Seokjin que estava com alguma espécie HD externo em suas mãos.

[...]

*BREAK TIME*

[...]

Deitado em sua cama, Jin olhava para o HD externo em cima do móvel ao lado de sua cama.

“Namjoon, hm... Quando ele está envolvido, nada de bom tem no meio da história... Conseguiram pegar os caras antes de avistarem o Namjoon... Mas eu não contei a polícia sobre esse HD... Ahhhh! Porque sempre acabo me envolvendo com esse estrume maldito?” Seokjin bagunçou seus cabelos nervosos e bufou.

– E agora? Que porra eu faço, ein?!

[...]

Depois de refletir sobre o que faria, decidiu tomar coragem e ir até o clube noturno Shion. Sabia onde ficava este clube, pois alguns de seus amigos do trabalho passavam lá e na loja, que também se chamava Shion, que era ao lado do clube. Nunca foi lá, apenas acompanhou seus amigos até a entrada de ambas. Nunca se deu bem com festas, e muito menos com Sex Shops — que no caso era a loja Shion —. Deu uma boa respirada, puxando o máximo de ar que seus pulmões suportavam e depois soltou o ar. Caminhou até a entrada da boate onde tinha um típico guarda na entrada que sempre tinha uns dois metros de altura e você sempre se sentia uma formiguinha enquanto o par de óculos escuros e cara carrancuda lhe encaravam. Jin pigarreou para que o homem o olhasse e por fim tomou coragem de falar.

– Eu gostaria de falar... errr... Com o Namjoon... – Disse Seokjin tímido e coçando sua nuca. O homem apenas o ignorou e voltou a olhar para cima e cruzou os braços.

– Ele não se encontra no momento.

– Mas são assuntos importantes!

– O que um tampinha como você falaria com Kim Namjoon?

– EI! Vá à merda seu poste orelhudo! Eu disse que são assuntos importantes. Se seu cérebro de uva não compreende então apenas saia da minha frente ou me diga onde ele está. – Disse Seokjin extremamente irritado com a forma rude do guarda e depois cruzou os braços também, não ousando desviar seu olhar do homem.

O guarda apenas o encarou e depois o virou bruscamente de costas e o carregou pela camiseta que usava. Fazendo o Kim resmungar e o direcionar vários xingamentos e depois foi jogado na calçada.

– Isso não é lugar pra criancinhas, vá embora. – O guarda saiu logo depois.

– Ah, mas que droga! – Seokjin já caminhava pela calçada indo pelo caminho que o levaria até em casa. Resmungava toda hora com mal-humor e caminhava rapidamente. – Quer saber?! Vou pegar aquela merda de volta do correio e espatifar! – Seokjin parou um pouco em uma praça e se sentou em um banco. – Argh... Ainda bem que mandei para Namjoon por correio, já que cogitei a ideia de não o encontrar pessoalmente... Seja o que for aquele HD maldito, que Namjoon se ferre. Isso só caiu nas minhas mãos por acaso de qualquer forma... – Falou o Kim sussurrando a última parte. Depois disso, levantou e voltou a caminhar para casa. “Ainda bem que aquele idiota é famoso e divulgam o endereço de onde ele fica... Se não teria de o ver mais uma vez ¬-¬”.

– Ei Kim Seokjin!

Seokjin virou para trás procurando a voz desconhecida. Viu um homem de idade média sair de um carro caro.

– Nós estivemos procurando por você. Aquele dia meus colegas não foram gentis com você em seu primeiro encontro com o chefe. O chefe Namjoon nos aguarda, entre no carro por gentileza. – Seokjin apenas o olhou e arqueou uma sobrancelha. Como ele sabia de como Hoseok e Jon não o trataram bem? Nunca havia o visto. Aquilo cheirava mal para Seokjin.

– Obrigado, mas não irei me envolver mais com estes assuntos. Até logo. – Então Seokjin voltou a caminhar.

O homem franziu o cenho e estalou a língua, e apenas ouviu a voz vinda de seu tímpano esquerdo.

“– Você sabe oque fazer neste caso Kiru.”

“– Sim senhor...”

E depois apressou o passo e segurou o braço de Seokjin, que arregalou os olhos e encarou o homem enfurecido.

– Me solte idiota! – O homem sorriu.

– Oh meu deus! Senhor Seokjin você está bem mesmo? Parece-me com febre! – disse o homem como se o olhasse com preocupação.

– Mas oq... – E antes que Jin terminasse de falar o homem o puxou e colocou um lenço em suas narinas. “AH, MAS QUE DROGA. MAIS UMA VEZ NÃO!” Pensou o pobre jornalista, enquanto já sentia que apagaria. Parece que drogar e capturar Seokjin eram um novo hobby para os mafiosos.

[...]


Notas Finais


Tankyyu por ler ^¨^!! Discurpa qualquer erro aê ;u;! Apenas queria anunciar... 2016 ANO CHEIO DE DESGRAÇA VIU! VAI PRA PQP! Sobre 2ne1... *rios de lágrimas* tô sofrendo T^T! BUUUUT! CARALHOW SHOW DOS NOSSOS MENINOS @-@! Feliz/Triste estou :v. Enfim, até o próximo capitulo U.U! BYEEEEE szszszsz!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...