História Pieces - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Selena Gomez, Zayn Malik
Personagens Selena Gomez, Zayn Malik
Tags Conteúdo Adulto, Drama, Marriage, One Direction, Romance, Selena Gomez, Zayn, Zayn Malik
Visualizações 242
Palavras 1.261
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura :)

Capítulo 6 - Capítulo 6 - Retrato.


Fanfic / Fanfiction Pieces - Capítulo 6 - Capítulo 6 - Retrato.


O trânsito era tranquilo, e de onde estava sentada na lanchonete Ariel podia ver os carros ir e vir na rodovia, qual saíam e chegavam na cidade. 
Ao seu lado, Zayn tinha a cabeça encostada no banco, quase dormindo. Ele parecia relaxado e feliz, e tal observação fez bem a ela. O estofado dos bancos, assim como os quadros nas paredes e os vidros nas janelas, ainda era o mesmo. Zayn e Ariel haviam descoberto aquele lugar muitos anos antes, quando a paixão era recente e o lago era a diversão de seus fins de semana. Até o cheiro era o mesmo. Era quase como o cheiro de casa.
— Hambúrgueres e suco — a funcionária chamou a atenção deles ao entregar seus pedidos —, e refrigerante.
— Obrigada — respondeu Ariel enquanto Zayn pegava seu hambúrguer como se visse comida pela primeira vez em dias. 
Ariel sorriu para Zayn que a olhava com carinho e finalmente pôde desfrutar de seu jantar.
Até o gosto ainda era o mesmo. 

Ariel encarou a foto moldurada qual lhe era estendida e com um olhar melancólico, pegou o pequeno quadro. 
— Ele gostava muito de vocês, e amou poder batizar a lanchonete com pelo menos uma história de amor. 
Ariel levou a foto para mais perto do rosto e sorriu.
— Obrigado, cara. Obrigado por isso — respondeu Zayn, dando tapinhas no ombro do garoto. 
Jay, filho do Sr. Ben — dono da lanchonete — havia acabado de dizer a eles sobre o recente falecimento do pai e também os presenteou com uma foto que havia sido tirada naquele estabelecimento pouco mais que onze anos antes, no dia em que Zayn a pediu em namoro de forma muito brega, divertida e romântica. Na Jukebox tocava She Will Be Loved, simplesmente porque era a música favorita de Ariel em 2005 e andando de mesa em mesa, quase pisoteando os pratos de outros clientes, Zayn perfomou a música enquando Ariel ria muito. Riu tanto que sua barriga chegou a doer. Zayn sentiu-se satisfeito com a reação da sua pessoa favorita do mundo todo e então ajoelhou-se, fazendo Ariel arquear as sobrancelhas com a contradição, afinal Zayn adorava resmungar sobre o quão chato era as coisas consideradas bregas, e o quão satisfatório era deixar "a antiguidade" para trás, mas ao longo dos anos mostrou o quão brega e namorado "a moda antiga" poderia ser. Ariel aceitou, claro. Estava apaixonada. Eles se beijaram e substituíram as alianças de Anéis de Cebola — que haviam brincado poucos minutos antes, dizendo que seriam amigos por toda a vida — por alianças de verdade. Sr. Ben sorria e aplaudia com contentamento e orgulho, ele correu pegar sua câmera e pediu para o casal olhar para ele, Zayn sentou-se e passou o braço pelos ombros de Ariel e ela aproximou-se dele, eles sorriram com os olhos brilhantes e Ariel levantou a mão direita, mostrando a aliança e pronto, o momento foi registrado. 
Na foto, seus sorrisos e olhares — assim como o momento — foi congelado, marcando um dia que nunca mais voltaria, mas que certamente trazia certos sentimentos a tona. 
— Você está bem?
Ariel abaixou a foto e direcionou seu olhar a Zayn. 
— Estou — respondeu ela num sussurro e sorriu. 
Zayn coçou a barba que começava a crescer na lateral do rosto e aproximou-se da mão de Ariel, olhando a foto com intensidade.
— Sinto saudades do começo. 
Ela assentiu e tocou a mão dele. 
— Também sinto, mas gosto de pensar nessas coisas como passado, pois construíram o que somos e temos hoje. 
Zayn concordou e levou a mão de Ariel que o tocava até os lábios, depositando ali um beijo suave. 
O celular dela começou a tocar e o nome Oliver aparecia no visor. Ariel olhou para o marido, levemente constrangida. 
— Vamos lá, atenda — pediu ele, com a mão dela ainda próxima aos seus lábios. 
Ariel olhou para Zayn e depois para o celular, quando percebeu já arrastava o dedo para Aceitar Ligação. 
Prefiro pensar que não se arrependeu de minha ilustre companhia da noite anterior e gostaria de convida-la para uma balada. Olá, aliás. 
Ariel olhou para Zayn e desviou rapidamente o olhar, pensando no que responder. 
Estou meio cansada hoje, na verdade.
Logo imaginei que você era velha demais para acompanhar minha disposição. 
Ariel riu e negou com a cabeça.
Estou ciente que isso é pressão psicológica, mas tudo bem, eu aceito. 
Do outro lado da linha, Oliver sorriu e deu a Ariel o endereço de onde podiam se encontrar e a ligação foi finalizada poucos minutos depois. 
— O que você quis dizer com pressão psicológica? 
Ariel voltou-se para Zayn e o olhar dele parecia variar entre raiva e preocupação.
— Ah, foi só uma brincadeira. 
— Uma brincadeira? — questionou ele, desconfiado. 
Ariel revirou os olhos e aproximou-se de Zayn, beijando o canto dos lábios dele.
— Foi só uma brincadeira, não se preocupe.
Zayn estreitou seu olhar para ela, pensando que estava sendo "dobrado" pela esposa.

Já em casa, Ariel olhava-se no espelho, observando com leve admiração a roupa que vestia. O vestido preto lhe caía bem e ela cogitou se andar de salto em uma casa noturna aos trinta anos era uma boa ideia, mas é claro que não abriria mão de um dos seus sapatos favoritos por temer a idade.
O interfone tocou e Ariel avisou o taxista que desceria em um minuto. Ela pegou sua bolsa e despediu-se de Zayn com o um beijo, mas não sem antes observar a expressão do marido, Zayn parecia relaxado deitado na cama e estava quase caindo no sono. No olhar dele não encontrou nenhum vestígio de tristeza ou raiva. Ele simplesmente parecia tranquilo. 
Ariel quis rir quando viu o movimento na rua da casa noturna e finalmente percebeu o que havia topado. Enquanto esperava por Ariel, Oliver estava parado na esquina, um pouco distante da fila de jovens que enchiam a rua. 
Assim que ela deixou o táxi, ele a viu e eles se abraçaram quando Ariel aproximou-se. Oliver pegou a mão dela e a fez dar uma voltinha, assoviando para o que via. 
— Olha só, até que você não é tão velha assim. 
Ariel sorriu e colocou as mãos na cintura. 
— Poderia ser pior. 
— Ah, baby, poderia ser bem pior. 
Abrindo caminho entre os corpos dançantes e tentando enxergar o caminho até o bar com aquelas luzes coloridas no ambiente escuro, Ariel animou-se e Oliver segurava a mão dela, gritando por cima da música o quanto havia gostado dela logo de cara, o que era raro de acontecer. 
No bar, Oliver perguntou para Ariel o que ela queria, a mulher apenas deu de ombros. 
— Não posso, na verdade. 
Oliver franziu o cenho e ela aproximou-se dele, falando em seu ouvido. 
— Antibióticos. 
Ele assentiu e disse algo que ela entender ser como um "tudo bem, então".
Verde. Azul. Laraja. Violeta. As luzes piscavam acima da cabeça de Ariel, qual já sentia suor em praticamente todas as partes deu corpo. Oliver dançava, extremamente animado, extremamente coreografado — mesmo no meio piso qual podiam (tentar) se mover. 
Por um momento Ariel achou que fosse detestar, mas a música que preenchia seus ouvidos a puxava para longe da realidade, e os corpos que se moviam ao seu redor não eram desconfortantes. A música POP a fez sentir saudade de sua adolescência, mas o extase em sua vida adulta parecia muito mais delicioso e intenso. 
Oliver passou os braços pela cintura de Ariel e eles dançaram colados, rindo e cantando — bem, Ariel tentava — juntos. 
— Shopping amanhã? — perguntou ele próximo ao ouvido dela, levantando seu dedo mindinho.
— Shopping amanhã — gritou ela e entrelaçou seu mindinho no dele, fazendo uma promessa.
 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, não deixem de comentar. <3

Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=Vart8AmZcoo
Entre no nosso grupo de leitoras/autoras do WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/5ps6GcaOhGuBmaKJuhpIYa
Meu Twitter: https://twitter.com/rarebabygirl || @rarebabygirl


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...