História Pilot - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Maia Mitchell
Personagens Personagens Originais
Tags Fórmula 1, Piloto
Exibições 353
Palavras 1.345
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Esporte, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá leitoras!

⛽ Fanfic de minha total autoria e criatividade, portanto sem plágios por favor;
🏆 Essa história é inspirada nas corridas de Fórmula 1, pois eu acho elas bem interessantes e até agora não vi nenhuma fanfic onde o Justin seja piloto de F1;
🏁 A história não é necessariamente movida a comentários, mas eles são bem importantes para que eu continue motivada a continuar postando;
⛽ Quero agradecer à Gih (~vanadrew) pela capa maravilhosa e agradecer à Bia (~Only_hope) por me ajudar a decidir algumas coisas para a fic;
🏆 Eu não sei como funciona exatamente uma disputa e os torneios de Fórmula 1, mas vou alterar alguns fatos apenas para a história ficar mais interessante;
🏁 Eu sempre reviso os capítulos antes de postar, mas sempre deixo passar alguns errinhos, então me desculpem desde já;
⛽ Espero que gostem e estou aberta à sugestões.

Boa leitura.

Capítulo 1 - Introdução


Fanfic / Fanfiction Pilot - Capítulo 1 - Introdução

Maya Hernandez

 

Quase todas as pessoas presentes na pista de corrida gritam eufóricas, anciosas para a corrida começar, e a maioria delas está com bonés da cor vermelha e dedos de espuma da mesma cor com a frase #1 Bieber escrito neles, embora consiga se notar uma outra grande parte da multidão com bonés e dedos de espuma pretos, estes com a frase #1 Wilder.

É notável para qualquer um que esteja aqui ou assistindo pela televisão que essa corrida será uma disputa difícil e que deixará a quase todos com os nervos à flor da pele, e bom, eu principalmente.

Não estou torcendo para nenhum corredor, muito menos para os dois preferidos dessa competição, mas sei o quanto ficarei nervosa aqui pelo simples fato de minha irmã, a qual eu tive que vir acompanhar, é louca por Justin Bieber, e eu sei o quanto ela irá gritar loucamente em meu ouvido cada vez que ele passar algum adversário ou ficar para trás, o que é bem improvável.

— Ai meu Deus, eu estou aqui berando ter um ataque do coração e eles não começam com essa corrida logo. — Margot reclama, bufando pesadamente ao meu lado e mostrando sua impaciência.

— Fica calma. Olha lá, os corredores já estão entrando. — Falo assim que vejo duas filas de carros entrando na pista, o que faz o público bater palmas e soltar assovios em comemoração. Minha irmã bate palmas e dá alguns pulinhos com isso enquanto eu apenas me preocupo em tomar o resto do meu refrigerante.

Boa tarde senhoras e senhores. — A voz do locutor soa pelos alto falantes, fazendo algumas pessoas pararem de conversar para prestar atenção. — Hoje acompanharemos a primeira corrida do Grande Prêmio da Fórmula 1, esta que começa aqui em Washington DC.

Mais gritos eufóricos são ouvidos enquanto os telões filmam os carros que continuam a volta de apresentação.

Como devem saber, o Grande Prêmio da Fórmula 1 será disputada entre 100 corredores em 10 corridas, sendo que a cada uma, os 10 piores colocados são eliminados. — O locutor explica, logo dando voz ao outro locutor que também narrará a corrida.

Sim Mark. Essa edição da F1 será literalmente um mata mata, e na corrida final, 10 corredores disputarão o Grande Prêmio e também 10 milhões de dólares. — Ele diz e eu quase cuspo o refrigerante para fora ao ouvir a quantia que o vencedor ganhará.

— Puta merda. Isso é muito dinheiro para uma pessoa só. — Comento com Margot, porém ela nem ao menos me dá atenção. Está concentrada demais vendo os carros pelo telão.

As corridas serão realizadas em diversos estados diferentes dos Estados Unidos, portanto nossos corredores terão a chance de conhecer alguns dos vários estados que temos em nosso país. — O locutor diz novamente e vejo os carros se posicionarem cada um em seus devidos lugares, claro, com um carro vermelho e outro preto liderando a grande fila de automóveis atrás deles.

Mas chega de enrolação e vamos logo ao grande momento de hoje. — Mark diz, assumindo outra vez o microfone. — Liderando na frente na posição 1, está Francis Wilder, o grande atual campeão da Fórmula 1.

Ele grita e as câmeras se voltam para o carro preto parado na frente, fazendo gritos altos preencherem a pista. Parece que o cara tem muitos fãs.

Na posição 2, está o nosso corredor caçula, porém o segundo grande nome da F1 e queridinho de quase todo o público presente aqui hoje, Justin Bieber.

Ele anuncia, e o público explode em gritos e palmas, o que inclui Margot ao meu lado, que grita feito louca como se ele fosse ouví-la de dentro de seu carro. Preciso tapar os ouvidos para não ficar surda.

— Eu amo você Justin. Você vai ganhar essa corrida e vai fazer Francis Wilder comer poeira. — Minha irmã berra e eu a encaro com uma careta. Gostaria de entender como uma pessoa pode gostar tanto de alguém que corre na Fórmula 1 sendo que Margot nunca foi fã de esportes. Essa garota é de lua.

Conforme o tempo vai passando, Mark apresenta todos os 100 corredores de hoje, até que tudo fica finalmente pronto e a contagem para o início da corrida é autorizada.

— Ah meu Deus, vai começar. Maya, vai começar. — Margot grita desesperada enquanto aperta meu braço. Faço uma cara feia para ela.

— Pelo amor de Deus, se acalma. — Peço, porém novamente ela não me dá atenção, e então a contagem é iniciada.

3, 2, 1.

Os faróis da largada ficam verdes, autorizando o começo da corrida, e tudo o que consigo ouvir são os barulhos dos pneus no asfalto.

 

Justin Bieber

 

Olhos fechados, mãos no volante e pés no acelerador. Respiro fundo e tento manter o foco, me concentrando apenas na corrida que terei que enfrentar daqui alguns segundos.

O GP desse ano é a minha grande chance para mostrar que eu sou capaz de muito mais. Não quero ganhar esse prêmio para mostrar que sou melhor que os outros corredores ou melhor do que Wilder, mas sim para mostrar que tenho mais a oferecer, que posso superar cada vez mais a mim mesmo. E principalmente, ganhar pela minha mãe, para enchê-la ainda mais de orgulho de mim.

Abro os olhos bem a tempo de ver a contagem sendo iniciada. Me preparo para arrancar com o carro assim que o sinal ficar verde e assim que este o faz, piso fundo, não olhando para carro nenhum ao meu redor. Mas ao invés de já acelerar e tentar correr na frente de todo mundo logo de cara, mantenho um ritmo estável e confortável para mim, não ficando nem em primeiro ou segundo, mas também tomando o cuidado para não ser ultrapassado facilmente. Meu técnico me ensinou que o truque é guardar a melhor mágica para o final, e é isso o que vou fazer.

Wilder parece usar a mesma técnica que eu, pois durante as primeiras voltas nos mantemos os dois em terceiro e quarto lugar, não fazendo esforços para ultrapassar os outros carros.

E a corrida se seguiu assim durante algum tempo, mas a partir da volta 51 começo a acelerar e a pegar o ritmo, retomando minha posição em segundo lugar. Não me preocupo em procurar o carro de Wilder, que pode estar na minha cola ou não, apenas continuo correndo, e como parei no Pit Stop para ajustar o carro duas voltas atrás, fico tranquilo por saber que agora ele aguentará até a volta final.

Na volta 56, consigo ultrapassar o carro da primeira posição em uma curva, passando a liderar. Consigo ouvir gritos empolgados do público quando faço isso.

Isso Justin, muito bem. Continue assim. — Ouço Marcus, meu técnico, falando através do rádio comunicador.

Me sinto bem com as palavras de incentivo dele e das pessoas na pista, mas continuo focado na corrida, sentindo meu coração dar uma leve acelerada ao pensar que faltam apenas 3 voltas para acabar, apesar de eu saber que por enquanto, nas primeiras corridas, o importante é apenas ter um bom resultado, e não chegar necessariamente em 1°.

Assim que entramos na penúltima curva, vejo um carro preto se aproximando do meu e dividindo a pista comigo. Piso no acelerador e tento ultrapassá-lo, mas a disputa é complicada, pois nenhum consegue fazer o outro ficar para trás. Eu tenho que admitir, Francis é um piloto e tanto. Seus anos a mais de experiência do que eu no ramo, contribuem e muito para isso.

Sinto meus músculos ficarem tensos a medida que vamos nos aproximando da linha de chegada, e eu mantenho meus olhos fixos nela, não querendo saber o quão perto Wilder está de mim.

Em questão de segundos, ambos encerramos a corrida, bem no momento em que ele me ultrapassa. Solto um suspiro frustrado com isso, mas não sinto raiva nem nada do tipo, afinal, eu cheguei em 2° lugar com uma vantagem muito grande do 3° corredor.

Os gritos eufóricos da torcida vibram a pista de corrida loucamente, e eu me sinto extremamente bem vendo a maioria das pessoas ali vestidas de vermelho.

A cor de Justin Bieber.


Notas Finais


E então, o que acharam?
Espero de coração que tenham gostado e que comecem a acompanhar Pilot, vão me deixar muito felizes heuheu.
Lembrando que aqui na fic, cada equipe possui uma cor de carro, por exemplo, todos os carros da equipe de Francis são pretos, todos os carros da equipe do Justin são vermelhos e assim por diante, para melhor distinção ok?
Beijos amores e até o próximo capítulo. ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...