História Pink is the Hottest Color - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, VIXX
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Lu Han, Personagens Originais, Ravi, Sehun
Tags Chanbaek, Exo, Hunhan, Kaisoo
Exibições 315
Palavras 3.127
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oii pessoal <3
Decidi vir mais cedo pq queria compensar os últimos atrasos, então preparem os lencinhos ;-;

Boa leitura ♥

Capítulo 8 - Estou apaixonado por ele


Fanfic / Fanfiction Pink is the Hottest Color - Capítulo 8 - Estou apaixonado por ele


Chanyeol estava deprimido e confuso, sua mente era agora um grande labirinto. Ele via várias alternativas sobre o quê ele estava sentindo, mas não achava nenhum caminho seguro a seguir. Com medo de Baekhyun de apaixonar, o maior abraçou seus joelhos e deitou no sofá. Sem perceber, lágrimas finas e mornas começaram a caminhar por suas bochechas e transbordar-lhe os olhos. O único testemunha de suas lágrimas era Yoshi. Park fungou diversas vezes, e quando os soluços escaparam, ele percebeu… 

Baekhyun não era apenas um amigo pra ele. Não era como um irmão. Estava apaixonado por um garoto. 

Era muita informação para um menino simples, que em sua sua vida apenas estudava, lia e também vivia para agradar seus pais. Era confuso para um garoto que namorava uma garota, tempos atrás.

Se sentiu um idiota. Toda sua raiva veio a tona no mesmo momento. Baekhyun foi o impulso de tudo. Ele queria estar estudando gastronômia, não queria ter uma vida chata atrás de uma mesa, não queria seus dias preenchidos por rotinas monótonas. Queria estar por dentro da loucura de uma cozinha de um grande restaurante. Também almejava alguém ao seu lado, alguém de preferência que não fosse aprovado por seus pais. Queria alguém engraçado, impulsivo, insano.

Alguém manhoso, carente, um bebê em forma de adolescente Inconsequênte.

Ele queria aquele sorriso retangular, aquele baixinho que pinta o cabelo da cor que deseja sem se importar com o quê os outros pensarão. 

Alguém que apesar de tudo era forte, enfrentava os malditos obstáculos que a vida propunha.

Alguém que suportava a saudade dos pais, as piadas impiedosas sobre sua sexualidade.

No fundo, Chanyeol queria ser assim também…

No fundo, ou nem tanto, Chanyeol queria ter Byun Baekhyun apenas para si…

- E-Eu… Eu estou apaixonado por ele. - Chanyeol admitiu à si próprio. Mesmo ouvindo o som da própria voz dizendo aquilo, não parecia uma loucura… E sim, impossível. 







~ ♡ ~







Em meio a confusões, lágrimas e uma intensa crise de identidade, Park caiu no sono… Aquele tipo de sono em que você pensa enquanto está adormecido, tem um tipo de consciência que o faz refletir, como se fosse um sonho. Porém, seu breve cochilo foi interrompido por batidas frenéticas na porta. Apesar de estar atordoado pelo sono, levantou com passos lentos para encarar quem atrapalhou sua única forma de não estar sofrendo.

- O quê vocês estão fazendo aqui? - Perguntou após girar a maçaneta e escancarar a porta. 


Eram Luhan e Sehun. 


- Isso é jeito de tratar uma visita!? - O chinês implicou, tratando de atravessar logo o vão e entrar na casa. 

- Chanyeol, cara… - Sehun estava boquiaberto. - Você está horrível. 

E realmente estava. Sua aparência era como a de um figurante de The Walking Dead, um zumbi ali, ao vivo e em cores. Os cabelos que já estavam grandes, quase na nuca, estavam bagunçados e emaranhados como um ninho. Os olhos inchados, assim como o rosto, sem falar das roupas amassadas.

- Obrigada, idiota. - Chanyeol murmurou, fechando a porta.

- De nada. - Luhan provocou mais uma vez. - Agora pare de show. Sua cara me diz: "Estava triste e chorei em posição fetal no sofá", Estou certo?

- N-Não, é qu… 

- Nós sabemos que você não 'tá legal, o Baekhyun mandou uma mensagem dizendo que estava com Ravi e tudo estava maravilhoso…

Ótimo, mais uma informação desnecessária e que Chanyeol não precisava saber. Sentiu uma onda de raiva percorrer seus músculos, suas entranhas se contorceram apenas de ouvir aquele nome. Infelizmente, também se sentiu inútil. 

- …Então nós pensamos: "Chanyeol deve estar sozinho e sem fazer nada!", e estávamos certos.

- Eu ia assistir um programa… De… Culinária, isso! - Mentiu na cara de pau.

- Você não engana ninguém, meu querido. - Luhan disse. - Agora anda, vai tomar um banho e se vestir com algo descente. 

- Nós vamos curtir a noite! - Sehun gritou, fazendo o namorado dar breves pulinhos de animação. 

E como era impossível discutir com aquela duplinha indomável, o maior decidiu obedecer. Estava precisando espairecer mesmo…






~ ♡ ~






- Eu já vim aqui uma vez! - Chanyeol gritou por conta do barulho. Estava visivelmente eufórico por estar entrando mais uma vez na Purple Village. Da última vez que veio, não teve a chance de se divertir direito pois acabou ficando bêbado. - Com o Baekhyun. 

As luzes estavam mais diversas desta vez, em tons escuros elas dançavam pelo salão. O vermelho e roxo se misturavam aos corpos dançantes, dando um ar mais sensual ao lugar. 

- Antes de qualquer coisa, você vai contar uma pra gente. - Luhan ditou. - Venham, vamos para o bar.

O chinês agarrou os companheiros pelos pulsos e caminhou até o bar, tendo que empurrar algumas pessoas que estavam aglomeradas no meio do salão. Encontraram banquinhos vazios e se sentaram.

- Chanyeol, você está apaixonado pelo Baekhyun? - Sehun perguntou direto. Seu olhar estava sério demais para ser mais alguma implicância. 

- C-Como? - Perguntou assustado. Coçou a nuca em sinal de nervosismo e desviou seu olhar para Luhan mas o mesmo encarava-o em espera de uma resposta. 

- Chanyeol, você deve graças à mim e o Hannie, que percebemos antes do Baekhyun. - Arqueeou uma sobrancelha. - Eu aceito um carro em troca.

- E eu, aceito uma calça de couro! - Luhan disse divertido. - Mas voltando ao assunto, Yeol… Você pode contar pra nós, somos seus amigos. - Voltou a ficar sério. 

Chanyeol pensou em toda a bagunça que o menor havia feito em seu interior. Baekhyun havia colorido os sentimentos de Park, e com certeza foi com rosa. Estava assustado por se apaixonar por um homem, mas não era nenhum homofóbico. Para ele, o problema não era se apaixonar por um homem e sim por Byun Baekhyun. Aquele menino nunca sentiria o mesmo, e Chanyeol aprendeu a se torturar com esses pensamentos. Chanyeol com certeza era alguém especial, não via problemas em um homem se apaixonar por outro, ele via as coisas e as entendia. Seu problema era guardar coisas demais em seu peito, este que já queimava por abrigar demasiadas coisas. Sentia que explodiria se não se abrisse para alguém, e mesmo receoso em com medo, ali era o momento certo para se abrir…

- Eu estou apaixonado por ele. - Chanyeol sorriu triste em meio sua confissão. - Eu estou fodidamente apaixonado por aquele idiota, e eu estou me sentindo estranho… Por causa dele, eu comecei a questionar sobre coisas que eu já tinha aprendido a aceitar. Ele fez uma bagunça dentro de mim. - Finalizou com certa irritação. 

E com razão, enquanto estava sofrendo por um amor impossível, Baekhyun estava em um encontro com com um amor possível. Dando possíveis beijos, abraços e carícias de quem Chanyeol tanto precisava agora. 

- Olha, você sabe que ele está em um encontro agora. - Luhan comentou. - Mas você tem que mostrar que é melhor do que aquele garoto, eu não acho ele tão legal quanto Baekhyun fala. Baekhyun nunca irá acreditar que você está apaixonado por ele. Sabe, a autoestima dele pode ser do tamanho de um arranha-céu mas ela tem algumas falhas, no fundo te acha bom demais para ele.

- Eu demonstro, eu quero sempre o melhor para ele… - Confessou com baixo tom. - Eu tento fazer de tudo para agradá-lô pois ele tornou esses últimos meses os melhores da minha vida, daquele jeitinho animado. Eu sinto que nunca vou precisar de mais ninguém, além dele. 

- Você... - Sehun sorriu incrédulo. - Você o ama.

Chanyeol nada disse, apenas abaixou a fronte e corou bruscamente. Esfregou seu rosto com as palmas das mãos com certa força, ainda era tudo tão confuso…

- Fico feliz que você tenha se apaixonado por ele, Baek merece alguém como você. - Luhan sorriu radiante, era maravilhoso saber que finalmente alguém que valia a pena poderia proporcionar felicidade em seu melhor amigo em todo o mundo. - Mas… Como assim "Nunca vai precisar de mais ninguém, além dele"? E nós, seu grosso? O casal do ano não vale nada para você? - Fez um drama.

Chanyeol gargalhou com o jeito idiota do amigo, e se sentiu mais confortável e leve depois das palavras do casal do ano. Eram seus melhores amigos, assim como Baekhyun também era…


Finalmente tinha pessoas que valiam a pena ao seu redor. 


- Vocês são as melhores pessoas. - Chanyeol ergueu-se em seu banco e rodeeou os amigos com seus braços, apertando-os em um abraço cheio de carinho e gratidão. 

- Nós sabemos, agora vamos nos divertir. - Sehun comandou, puxou o namorado e o amigo para o meio do aglomerado, onde de tudo acontecia.

A música que tocava era repleta de batidas lentas e ritmadas, fazendo com que a multidão dancasse ainda mais. Chanyeol conseguia ouvir os corpos de chocando, e lábios estalando após um beijo. Ele se sentia livre, sentia que poderia ser quem era de verdade sem seus amigos o julgarem ou reprovarem suas ações. Luhan e Sehun aconselharam Chanyeol para se soltar, e aproveitar o máximo a noite que ainda estava apenas começando. 























Depois de no mínimo 10 músicas, Chanyeol já estava fora do seu eu reservado. Seu corpo se movia com certa sensualidade, apesar do seu jeitinho desengonçado. É claro que atraiu diversos olhares para si, mas ele estava focado demais em deixar seu corpo ser levado pelo ritmo… Estava focado demais em revelar outro lado seu, sem ser o garotinho quieto e comportado. Seu corpo estava suado, seus fios que foram perfeitamente penteados no inicio da noite estavam grudados na testa. Ele ofegava de olhos fechados, sem se importar com os demais. Pulava animado, sabendo que o casal do ano estava em algum lugar do salão, também deixando serem levados.

Chanyeol estremeceu com um toque inexperado em seu abdômen, ainda mais com a força da pessoa que colou suas cinturas.

Abriu seus olhos lentamente, encontrando aquele ser no mesmo estado que si. Ofegante, enérgico e animado.

Também reconheceu a jaqueta felpuda cor de rosa, e as bochechas salientes.

- Lembra de mim? - A voz sensual questionou com um sorriso malicioso.

- Jo Kwon. - Chanyeol respondeu sem nem mesmo se livrar do aperto. Estava se deixando levar. - Eu lembro de você. 

- Também lembro de você, Park Chanyeol. - Kwon aproximou seu rosto na curvatura do pescoço de Chanyeol. 

O maior sentiu o hálito quente em sua tez e mais uma vez estremeceu.

- …Mas lembro que da última vez, você não estava tão animado assim. - Levou seus lábios até a orelha de Chanyeol, mordiscou a cartilagem e voltou a encara-lô. - Queria te animar mais um pouquinho então. 

Chanyeol estava ainda mais ofegante com os toques de Jo Kwon, e colar seus corpos não foi uma boa idéia. Também não foi uma boa idéia Kwon iniciar aquele beijo, levando seus lábios rosados até o maxilar de Chanyeol, e subindo até encontrar a boca que carregava uma respiração entrecortada. O das bochechas salientes selou os lábios calmamente, como se fosse a coisa mais sensível do mundo. Park arregalou seus olhos, mas também não se soltou. Não sentiu nojo, não odiou. Gostou do contato. Kwon pediu passagem com a língua e aproveitou a lufada de ar que Chanyeol deu para aprofundar o beijo, enquanto suas cinturas ainda estavam coladas uma na outra.

Park colocou uma das mãos no pescoço alvo do menor, enquanto a outra acariciava seus cabelos. Infelizmente para Jo Kwon, não era ele que estava ali.

Chanyeol sentiu seu corpo ser empurrado, com certeza por alguém bêbado que passava por ali. Com os lábios inchados, e com toda a educação e modo singelo que tinha, beijou a testa de Kwon e afastou o corpo novamente. 

- CHANYEOL! - Ouviu um grito de Luhan, sua figura estava se aproximando. - Já está tarde, vamos!

- Você tem que ir. - Kwon sorriu. - Vá.

Nenhum dos dois havia se apegado um ao outro por conta de apenas um beijo. Foi ficada de uma noite, apesar de ser a primeira vez de Chanyeol beijando alguém do mesmo sexo. Aquilo nunca mais aconteceria, não daqui pra frente. 

Mas a diferença é que Jo Kwon estava beijando Park Chanyeol, mas Park beijava quem estava em sua mente e pairava sobre ela. Ele imaginou Byun Baekhyun ali. 







~ ♡ ~






- COMO ASSIM VOCÊ BEIJOU O KWON? - Luhan gritou, totalmente desacreditado. 

Já estavam na entrada do prédio de Baekhyun, Chanyeol havia contado o que acontecera momentos atrás para os dois amigos, como quem esperasse alguma reprovação, abaixou a cabeça e ouviu os comentários. 

- Fala baixo, Luhan! - Sehun advertiu. - M-Mas Chanyeol, ele que te beijou, certo? - Perguntou e Chanyeol assentiu, suspirando contra o ar gelado. - Você gostou?

- Gostei. - Admitiu. - Mas porque imaginei o Baekhyun no lugar dele. Agora vamos esquecer isso.

Sem esperar uma respostas dos dois amigos surpresos, apenas beijou suas bochechas e rumou até o hall do prédio, para entrar no elevador e ir até o andar do apartamento. 

Caminhou imerso em seus próprios pensamentos, até abrir a porta da casa e ouvir um soluço alto vindo do quarto.

Fechou a porta com pressa e correu, encontrando seu pequeno Byun encolhido na cama, com o rosto delicado enxarcados de lágrimas que desciam cada vez mais. Sentiu seu peito apertar de uma forma tão brusca, aquela imagem doeu tanto que sentiu que também iria chorar. 

- Meu Baekkie… - Chanyeol andou apressado, sem hesitar deitou ao lado do seu melhor amigo em todo o mundo a abraçou seu pequeno corpo por trás, querendo transmitir todo o carinho e paixão que tinha guardado somente para o menor. - O que aconteceu com você?! - Perguntou após perceber que o tecido da camisa de Baekhyun estava rasgado na altura do ombro. 

- V-Você tinha razão. - Soluçou alto, como uma criança. A este ponto Chanyeol já fervia por dentro, desde a primeira vez sentiu algo ruim em Kim Wonsik. Seus instintos apaixonados lhe avisaram.



Porém, ninguém adivinharia que Ravi era tão maldoso assim.







"Baekhyun


- …Baekhyun, namora comigo? 

Sem saber o que fazer, permaneci mudo durante alguns segundos. Fiquei confuso e com medo de responder, até que os olhos de Ravi me encararam de forma fria.

O primeiro pensamento que tive foi Chanyeol, me dando todos aqueles avisos, sendo ciumento… Cuidando de mim, me dando apoio e fazendo companhia

Algo em mim dizia para não aceitar, e foi o que eu fiz. Segui algo que meu coração dizia.

- E-Eu não posso, Ravi. - Sorri triste. - Você não acha muito cedo para isso?

- E quando você acha que vai ser a hora? - Seu tom de voz aumentou. - Depois de quinze jantares como este!?

- Como!?

Finalmente aquele lado foi mostrado. Eu sabia que ninguém era perfeito, e a máscara de Wonsik caiu. Aquele Ravi doce e paciente foi jogado de lado naquela hora,me deixando com medo e assustado. Por que várias pessoas que se aproximam de mim acabam me machucando, me ferindo das formas que podem? Pensei que não teria que aguentar mais pessoas como meus antigos colegas de quarto, que depois de entregar meu corpo, agiam feito babacas… Pensei que não me entregando tão facilmente para alguém, encontraria um namorado descendente…

Mas era exatamente o que Ravi não poderia ser, pois consigo ver em seus olhos que me encaram friamente agora. 

- Vamos para o carro. - Ditou, fazendo com que eu tremesse na cadeira por conta do susto. 

Antes de poder recusar, deixou uma quantia de dinheiro em cima da mesa, levantou e me puxou pelo pulso atraindo olhares de várias pessoas. 

- Ravi, me solta! - Gritei já fora do restaurante. - Por favor, Wonsik! 

Seus passos eram firmes e ele não fazia nenhuma menção em me soltar. Fiquei cada vez mais assustado e tentava em vão, me soltar do aperto. Já estava chorando quando chegamos ao carro, com medo do quê aconteceria. Fui jogado no banco de trás com agressividade, ele também entrou e fechou a porta.

- Por quê seria tão difícil aceitar, hm? - Possessivamente gritou. Tentei esquivar mas seu rosto chegava cada vez mais perto. Suas mãos estavam espalmadas no vidro e seus braços me impediam de sair. - EU GASTEI MEU DINHEIRO NESSE RESTAURANTE E NEM UMA FODA VOCÊ ME DEU!

- Me deixa ir, por favor… - Murmurei na esperança que ele me deixasse.

- Eu ia no café apenas por ir, mas você me seduziu. Vi em você uma presa fácil, mas depois de te conhecer mais eu vi que transar com você não seria tão mole assim. - Riu sem humor. - Eu queria apenas uma transa de uma noite, mas você me instigou, não foi fácil do jeito que eu queria. Fui paciente, então tive a idéia desse jantar e um pedido de namoro, te levaria em um hotel e depois dava um jeito de te despachar. Eu consegui ser tudo que nunca fui, com você, fui doce e gentil mas mesmo assim você me recusou lá dentro, Baekhyun. 

- Desculpa! - Gritei, faria de tudo para que ele me soltasse mas pareceu que minhas lágrimas apenas o irritaram ainda mais. - Me perdoa, mas por favor me solta

- Soltar!? - Questionou incrédulo, depois suas unhas rasgaram minha camisa e sua expressão me fez tremer mais uma vez. - Vamos terminar o quê você começou, Baekhyun. Não vou te deixar sair sem ao menos me beijar! - Gritou

- Seu monstro! - Esbravejei. - Nunca mais venha atrás de mim!

Tirei forças da onde não havia empurrei seu tronco com um chute forte e certeiro. Ele poderia me puxar novamente, poderia não ter dado certo e eu acabar encurralado de novo mas eu não pensei nisso. Pensei nos meus amigos, e em como não poderia ser fraco. Destranquei a porta e desci do carro, correndo o máximo que podia, e mesmo com os olhos cheios de lágrimas, avistei um taxi e consegui me tirar daquela situação. "












- Baekhyun... - Chanyeol abraçou mais forte o corpo do pequeno. 

Já se encontrava aos prantos diante daquele relato, e em seu peito residia uma mistura de raiva e tristeza. Como alguém poderia ser tão monstruoso com seu pequeno Baekhyun? Como alguém poderia maltratar um ser tão doce? Era mesmo algo horrendo, Kim Wonsik era um duas caras nojento e repulsivo. 

Ver aquela pessoa sorridente estar tão fragilizada e assustada doía. Doía como o inferno.

- Não diga que me avisou, Chanyeol. Apenas me abraça.

- Eu não diria isso, nunca. - Seus braços apertou mais o pequeno corpo. Chanyeol aproximou os lábios da orelha de Baekhyun e procurou consola-lô de todas as formas. - Eu vou cuidar de você daqui pra frente, e você vai perceber… O quão é especial pra mim.

Ainda em meio ao choro que não cessava, Baekhyun conseguiu sorrir. Se sentir protegido, em um abraço que seria seu lar mais frequentado daqui pra frente. 

- Obrigada, Chanyeol... Eu te amo muito. 










CONTINUA. 




Notas Finais


E ai, precisaram dos lencinhos? <|3

Pra quem pensou que o ravi não fosse do lado dos bonzinhos, parabéns hausuaus
O que o Baekhyun passou foi horrível, o Ravi também é um idiota gigantesco como vcs conseguiram ver

E sobre o beijo que o Jo Kwon deu no Chanyeol, como dito antes, coisinha de uma noite hauzjaijs mas saibam que isso ajudou muito o Chanyeol, mesmo ele imaginando o Baek na hora...

E olha que maravilha, Chanyeol admitiu pra si mesmo e para o casal do ano (amo chamar eles assim kkkk -q) que está apaixonado pelo baek :3

Essa foi a entrada da nova fase, a partir daqui não teremos nenhum ravi atrapalhando as interações
fiquem animados pois tudo vai ficar mais meloso hausyausua

Se vocês comentarem o que acharam eu ia amar, adoro receber as opiniões dos leitores ♥♥♥ me ajuda muito!

Até o próximo!

beijos ~xx


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...