História Piratas Ao Mar (HIATO) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jungkook, Personagens Originais, Suga, V
Tags Amor, Drama, Jikook, Kookmin, Piratas, Romance, Vhope, Violencia
Visualizações 95
Palavras 2.425
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ola 👋

Anjos estou com um mais novo capítulo. Agradeço aos favoritos e comentários. Desculpem os erros horríveis ❤ ❤

Capítulo 2 - I.


A noite parecia calma do lado de fora do grande navio pirata, as velas balançavam com o vento gelado do Sul. O navio corria sobre as águas com rapidez, Lord marino foi criterioso ao dizer que colocassem o pesado navio a todo vapor. Logo a marinha Coreana e a família real estariam em seu encalço, isso seria chato e complicado de resolver no calor do sequestro.

O que conformava o jovem capitão era saber que o pequeno príncipe lhe renderia um baú recheado de ouro e jóias, não pensem que Jeogguk entregaria o príncipe de mão beijada. Teria muito ouro nessa jogada.

O barulho de vozes alteradas e risadas embriagadas enchiam o porão do navio, o Lord pirata acabava de depositar o príncipe adolescente no chão em um ato bruto e desinteressado.

Jimin encolheu-se com medo dos olhos maliciosos dos tripulantes ao seu redor, estava no meio de homens mal cheirosos e loucos por sexo. A bebida titulada Rum, era realmente poderosa. Park tentou cobrir seu corpo de todas as formas, estava completamente nu na frente deles e não queria que prestassem atenção nele. Mas era inútil o príncipe tentar tampar suas coxas alvas e roliças ou seu peito magro e sua barriga um pouco definida.

-Vejam só meus amigos, quem está no nosso humilde navio. É ele mesmo, o príncipe Park Jimin da província Coreana. Mostrem a maneira que tratamos realezas em nosso território -

Jeon olhou afiado o jovem desesperado no chão, Park estava com as pequenas mãos em sua intimidade tentando esconder o que não podia ser visto. Seus homens riram e curvaram-se em debocha diante do príncipe.

-Se eu soubesse que esse príncipe fosse tão gostoso assim, já tinha sequestrado ele a tempos -

A risada maliciosa do pirata ao lado de Jungkook foi como um aviso ruim do que poderia acontecer ao pequeno, caso Jeon não intervisse e deixasse bem claro que ninguém poderia tocar no menor. Mas Jungkook colocou a mão embaixo do queixo e mordeu os lábios lentamente, seus olhos negros escorregaram pelo corpo macio, realmente não tinha como discordar.

-NÃO! o-q-ue querem c-om-igo? -

Park gritou nervoso com uma mão áspera e atrevida que passeou pela sua coxa esquerda. O menor estava ofegante e o medo vivo e cruel estava estampado em seus olhos azuis.

Jungkook olhou friamente o homem que tinha assediado o príncipe e caminhou até ele, pegou em sua garganta e o olhou nos olhos.

-Em algum momento eu mandei você tocar nele. Mantenha suas mãos nervosas longe desse garoto, se eu encontrar um arranhão se quer nele, eu mato você ou qualquer outro que ousar me desobedecer -

O homem engoliu em seco e tratou de balançar a cabeça positivamente. Jungkook não era uma homem para brincadeiras.

Hoseok descia até o porão com Taehyung agarrado a sua cintura, o alaranjado enchia o pescoço do médico com mordidas e chupões, estavam planejando transar no porão a noite toda, Kim não tinha visto a chegada de Jungkook e por consequência não sabia que ele estava ali com o resto da tripulação.

Mas para sua sorte, Hoseok era mais observador e precavido que ele, assim que o médico avistou uma movimentação estranha e grande lá em baixo, tratou de acalmar os ânimos de Taehyung e o empurrar para um ponto mais escuro.

-O que foi Hobe?

Taehyung segurou a cintura fina e beijava o pescoço longo com tanta vontade, Hoseok fechou os olhos e puxou os cabelos do maior.

-Tae... P-ara tem algo estranho acontecendo, vamos ouvir... Tae para -

O maior já colocava a mão dentro da calça do médico e apertava o pênis um pouco desperto. Taehyung bufou e empurrou Hoseok contra a parede.

-O que dessa vez Hoseok, não quer transar comigo. Podemos procurar outro lugar e... -

Hobe colocou o dedo nos lábios carnudos do maior. Pedindo silêncio.

-Você ainda não percebeu Tae, Jungkook esta aqui com o resto da tripulação. Pensei que tivesse visto ele chegar -

-Não amor, não vi o Lord chegar. Para ele está aqui deve ser algo importante. -

Os dois ficaram quietos no canto escuro ouvindo a voz potente de Jungkook varrer o lugar com autoridade. Hoseok arregalou os olhos quando ouviu um nome bastante familiar sair dos líbios frios do capitão.

-Quero que cuidem do príncipe Park, e de maneira alguma tem permissão para tocá-lo, apalpa-ló, fazer gracinhas ou tentar algo mais grave. Se fizerem algo assim, vocês já sabem do que sou capaz. -

Jimin estava com os olhos grudados no chão. Sentia um medo absurdo de tudo aquilo, estava no meio do oceano em um navio repletos de homens terríveis e homicidas. Seus pais ficariam loucos quando soubessem do seu sequestro. Em quando pensava, os olhos negros agacharam até ficarem da sua altura, Jeon segurou seu queixo com as pontas dos dedos e o obrigou o olhar em seus olhos.

-Não tente nenhuma gracinha principezinho, ou eu posso mudar de ideia e entregar você a essas homens famintos por um corpinho mais, digamos, feminino -

Jimin mantinha seu olhar em Jungkook, queria gravar bem o rosto do pirata que estava lhe submetendo uma situação tão assustadora. Jungkook escorregou as costas dos dedos pelo rosto delicado e macio, um carinho singelo que não consentia com a áurea que envolvia aquele homem.

Jeon levantou e olhou seus homens firmemente. Deixando bem claro a sua posição ali. Era o capitão, o que ele falava era lei, o que fazia virava mito.

-Aonde está Hoseok e Taehyung? -

-Nos não sabemos senhor, talvez estejam no quarto deles.

-Chamem eles para mim. E peça que Hoseok vá até minha sala agora mesmo - 

 - Sim senhor. -

O pirata saiu em disparada. Jeon olhou uma última vez o menor e com um gesto de cabeça ordenou que todos saíssem.

Por último foi ele.

Hoseok engoliu em seco quando todos saíram restando ele é Taehyung ali, escondidos.

-Você ouviu, eles estão nos procurando. Vem, temos que sair daqui.

-Mas e o príncipe? -

Hoseok encarou aflito o loirinho arrastar-se até um canto sujo do porão e colocar os joelhos juntos e a cabeça no meio deles.

-Você ouviu o Lord. Deixe ele aí, por que está preocupado com o príncipe? -

Taehyung olhou o rosto do amante em desconfiança. Hobe sorriu nervoso e deixou um beijo estalado nos lábios rosados de Taehyung.

-Não estou preocupado. Vem, vamos. -

Os dois saíram o mais silenciosos possíveis.

***

-Por que demorou para chegar?

Hoseok sentou na cadeira que ficava de frente a mesa de Jungkook. O capitão sustentava um olhar agressivo e frio.

-E-eu estava cuidando de uma queimadura que surgiu no Taehyung... Desculpe -

Jung sentiu-se mais nervoso que o normal na presença do jovem capitão. Deste que tinha entrado ali pela primeira vez com Taehyung ao seu lado, era sempre a mesma coisa. Um calafrio subia pela sua coluna e não conseguia encarar por muito tempo os olhos tenebrosos de Jungkook.

-hun sei. Bom, quero que pegue umas roupas suas e leve até um prisioneiro no porão do navio. Não converse com ele e, leve Taehyung com você -

-E quem seria o prisioneiro?

Jungkook olhou Hoseok sem emoção.

-Você sempre pergunta demais Jung Hoseok. Sorte sua estar de romance  com o Tae, ou talvez sua estadia aqui já estivesse no prazo de validade. Sem perguntas e mais trabalho -

O menor respirou fundo. Não gostava nem um pouco da arrogância do Lord, não precisava de tudo aquilo para ser respeitado. Mas Hoseok não entendia que no meio da pirataria ser bonzinho não era aceitável, ou você matava ou morria. Infelizmente Jungkook deve que aprender isso cedo demais.

***

Jimin continuava encolhido no canto do porão, o mal cheiro e o chão mal lavado que grudava em sua pele nua, era um desespero ao menor. Veja bem, o príncipe Park sempre foi coberto de mimos e regalias, seus pais eram verdadeiros leões ferozes que defendiam e escondiam Jimin embaixo de suas saias para nada acontecer ao seu pequenino. Rei Sehun talvez tenha sido o mais atingido pela partida obrigatória do filho, ter o menor tão longe e tão indefeso lhe era agonizante. E o que dizer da "rainha" Luhan que quase ficou um mês inteiro chorando e sem comer por culpa da separação. Na província de Suel era normal o casamento homossexual, a maioria dos reis e rainhas eram compostos por dois homens vivendo em união. Sehun não podia reclamar de nada, amava seu esposo e o fruto dessa união.

Jimin deixou algumas lagrimas molharem seu rosto ao lembrar do rosto tão amável e bonito de sua "omma". O menor levantou-se do chão com um pouco de cuidado, suas pernas estavam sujas de poeira e sua bunda doia pela força usada ao jogar seu corpo no chão.

Aquele homem que se intitulava o capitão do navio era um ser grotesco e sem respeito algum. Park já o odiava, o loirinho conseguiu ficar de pé e com um suspiro cansado e exausto olhou ao redor. Do que adiantaria estar ali, ele não tinha serventia nenhuma aquele homem, só esperava que as coisas não piorassem mais do que estavam.

De repente a porta rangeu e passos pesados desciam as escadas acompanhados de cochichos baixos e uma risada rouca.

Park deu um  passo para trás e bateu na parede, estava encurralado, a mercê de quem quer que estivesse ali.

Em instantes dois homens entraram em seu campo de visão, um era baixo e tinha bochechas salientes e um olhar acolhedor, o outro era alto e tinha cabelos laranjas e seu olhar era praticamente igual ao do homem cruel que tinha lhe colocado naquele lugar imundo. O primeiro rapaz curvou-se diante dele, Jimin viu um pequeno bufar sair dos lábios do pirata. O jovem de cabelos negros andou dois passos até si e depositou um montinho de roupas aos seus pés.

Sem dizer uma palavra os dois homens deram de ombros e saíram dali.

Assim que a porta se fechou Jimin pode respirar melhor. Com o pé o loirinho cutucou as roupas e deduziu que eram para ele usar. Já que não tinha o que fazer com aquela situação, Park pegou um blusão um pouco largo e colocou em seu corpo, logo depois uma calça também um pouco larga, um colete e botas negras um pouco gastas.

-Pelo menos não estou mais a mercê de um estupro coletivo. Meu Deus me ajude... -

Jimin voltava a ficar triste e apavorado.

***

O sol nascia novamente no oceano. Alguns pássaros sobrevoavam o navio e isso indicava terra a vista. Estavam a dois dias navegando o mais rápido que o barco poderia aguentar, e mesmo assim Jungkook sentia a marinha real tão perto. Nesse momento o temido capitão estava na proa do navio, olhando o sol tomar forma em meio às nuvens.

Seus olhos negros vez ou outra caiam sobre o ser loiro de quadro sobre o assoalho do navio, bufando e tentando esfregar o chão do jeito que sabia.

-Acha proveitoso colocar o príncipe para lavar o convés. Olha só o jeito que ele está fazendo, parece mais uma barata tonta -

Jeon não tirava a razão de Taehyung, o pequeno garoto não era jeitoso para aquele ti de trabalho, mas queria fazê-lo experimentar coisas novas, saber o real valor de um bom trabalho braçal e claro, tortura-ló um pouco.

-Não questione minhas escolhas Taehyung. O príncipe vai aprender algumas coisas ao nosso lado -

Jungkook quase deixou um sorriso divertido tomar conta do seu rosto, Jimin tinha escorregado na própria posa de sabão e água no chão e caido de bunda.

-Argh... Eu não aguento mais... Eu vou morrer -

Jimin lamentava-se massageando o bumbum dolorido.

-Ora, pare de reclamar delicia. Lord está sendo bem bonzinho com você -

O homem que estava observando Jimin se pronunciou pela primeira vez. Jimin enxugou o suor da testa e o olhou irritadiço.

-E o que poderia ser pior do que isso?

O homem sorriu malicioso.

-Ter você como escrevo sexual. Acredite príncipe, não seria sacrifício nenhum para qualquer um de nós ter você de quadro a nossa inteira disposição -

Jimin olhou o homem assustado, todos ali eram loucos.

Com os passos que deu para trás, voltou a escorregar no sabão, mas dessa vez foi amparado por braços fortes que o seguraram pela cintura e o prenderam com força por trás. Jimin ofegou assustado novamente.

-Tome mais cuidado da próxima vez príncipe Park -

A voz rouca sussurrada a sua orelha, o hálito quente do capitão lhe deixaram de pernas bombas.

"O que é isso Jimin. Você está noivo e além do mais, ele é o responsável por tudo de ruim que está acontecendo em sua vida "

O loiro foi solto aos poucos por Jeon.

Jimin cheio de uma coragem e determinação desconhecidas. Virou para o homem imponente e apontou o dedo em seu peito.

-Nunca mais toque em mim -

Jungkook olhou os olhos azuis, ele realmente estava ouvindo aquilo... Estava sendo contrariado por um garoto que se achava o tal só por ser a porcaria de um príncipe.

Jungkook segurou o dedo de Jimin e apertou com certa força.

-Está achando que é quem pra meter o dedo no meu peito e dizer o que posso ou não fazer. Eu sou a lei por aqui Park, nem você e todos os seus soldados reias de bosta podem dizer ao contrário. E se eu quiser tocar em você, eu toco, se eu quiser bater em você eu bato, e se eu quiser jogar você nesse mar agora, eu jogo -

Jimin tremeu na base encarando os frios olhos de Jungkook.

-Só por causa dessa petulância, não vai ter almoço ou janta pra você hoje e amanhã príncipe -

Jeon passou pelo menor e esbarrou em seu ombro delicado. Jimin segurou as lágrimas de ódio.

Estava oficialmente odiando com todas as suas forças Lord marino.

-Nunca vi ninguém te deixar tão irritado. O príncipe é uma bonequinha de porcelana, você sabe -

Taehyung acompanhou o homem furioso até a sala do mesmo. Jungkook sentou em sua cadeira e puxou os cabelos com certa força.

-Maldito príncipe fresco. Me controlei bastante para não quebrar o lindo pescoço do infeliz. Kim, leve e navio para o leste. Preciso beber e aniquilar essa maldita tensão.

-Como quiser Capitão -

Taehyung saiu pela porta todo animado. Festa e farra era com ele mesmo.

Jungkook levantou da cadeira e andou até a janela, ali ele poderia ver Park limpando o resto do convés. Seus olhos passavam pelo corpo pequeno e o olhar assustado.

-É só ignorar Jeon. Só ignorar.

Repetia a si mesmo.


Notas Finais


Ola *-*

Obrigado por lerem.
Sehun e Luhan são os pais do Jimin *_*

Vocês tem alguma ideia do por que do Jungkook se irritar tanto com Jimin?
Leiam minha outra história Jikook
Rivals (ABO)

https://spiritfanfics.com/historia/rivals-abo-9297592

Beijocas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...