História Pitangueiras - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Turma da Mônica, Turma da Mônica Jovem
Personagens Cascão, Cebola, Denise, Do Contra, Magali, Mônica, Penha, Xaveco
Exibições 4
Palavras 2.197
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


(Oie. Voltei as curiosidades! ^_^ vou usar muitos dos personagens deletados como o meu querido NICO DEMO! Ele foi o pior personagem de Mauricio, tanto que teve de ser deletado. O Mauricio preferiu deixar de usar o carinha do que alterar sua personalidade. É Mole? Não! Ta certo! Tem personagem que estraga se ficar “fofo” de mais. E o Nico é com toda certeza um deles. T_T queria tanto que ele aparecesse na versão jovem!)

Capítulo 15 - Pragas!


Fanfic / Fanfiction Pitangueiras - Capítulo 15 - Pragas!

Já era quarta feita.

Tinha conseguido passar dois dias sem que ninguém ao menos suspeitasse de nada, como era simples fazer de conta que era o Negi. Pessoa simples, fácil de ler e de prever.

---- Maninhooo! Caiu da cama de novo? ---- ela me olha curiosa com aquela carinha meiga de criança com os olhinhos brilhantes e inocentes. ---- Ta tendo pesadelos? Nunca vi você levantar tão cedo.

É.

E eu me vangloriando que estava fácil.

Por isso gosto de crianças, elas veem tudo e falam tudo o que veem e pensam.

---- Não é nada de mais só ando sem sono. Coisa que você não vai entender pirralha. ---- tento imita-lo, sabia que não era de tratar a irmã caçula com carinho já tinha visto isto umas mil vezes. Mas pelo lado bom não era de maltrata-la também.

Como não queria chamar a atenção sai logo de casa e fiquei na praça a pensar um pouco na vida. Era tanta coisa na minha cabeça que estava começando a embolar a minha mente... Talvez estas férias no corpo do Negi viessem bem a calhar no final das contas.
 

---- Cebolinhaaa! ---- alguém grita de longe. Seria o benedito? A todo o momento tinha alguém chamando este cara. Seja no celular ou na vida real! Vai ser popular assim na conchinxina viu!!! ---- A galera quer saber se aquele seu projeto sai ou não sai. ---- que galera? Que projeto? É muito difícil dar a informação completa Xaveco?

---- Agora não... ---- me levanto e saio andando mesmo, sabia bem dos modos ou melhor da falta de modos do cara quando estava de ovo virado.

---- Ah! Vai me ignorar de novo? Vai dizer que ainda esta tendo crises? ---- crises? Que crises? Acho que minha cara ficou mais expreciva por que senti que ele lia minha mete. ---- O cascão me contou que você... não anda muito pousado na terra. O que você tem? Ele me contou um lance muito bizarro mas depois não lembrava de mais nada pra conversarmos. O que vocês dois estão aprontando agora?

Cara...

Eu não faço a menor ideia do que você esta falando.
 

Tah... fingir ser outra pessoa ta começando a ficar difícil. Mas ainda sim é umas boas férias pra mim da minha vidinha.

---- Xaveco. ---- falo duro e reto. ---- Sela que podemos falal disso depois? ---- acho que com isso ele entende e vaza da minha vida.

Eu não queria ser groso nem nada.

Só tinha que terminar estes dias sem me meter na vida do dono deste corpo nem descobrir nada dela também; e me afastar e fingir de revoltado como ele mesmo faz e afastar todos como já o vi fazer dezenas de vezes nesta vida era a melhor das minhas opções .

Então: hora de aproveitar as minhas férias.

Que foi? Ser o Do Contra é muito difícil e todos tem seus problemas na vida.

Agora tenta viver em um mundo onde todos a sua volta sempre te contrariam em tudo? Você quer Y o povo todo quer X, ninguém nunca concorda com você em nada na vida e dizem e fazem sempre o oposto de tudo o que você quer. Eu sei que sou eu já que eles são maioria, mas isso não faz o meu gosto pessoal mudar faz?

E se isso já não bastasse ainda tem minha família que no mínimo posso resumir como “diferente” ou “peculiar”.

Quem nunca quis umas férias da própria vida que atire a primeira pedra. Agora pensa ai nos seus motivos e julga com o tempo que este cap vai levar se eu mereço ou se meus motivos são bestas mesmo... se bem que todos os meus segredos vão ser mostrados bem aos poucos por que a escritora ama matar leitor a unha.

Agora em falar de coisa complicada que enrolou pra falar... Eu tinha que terminar aquele “assunto” com a Mônica. Mas a real... é que eu tava morrendo de medo. Você não teria? Ok eu não fiz nada de errado, não trai, nem to fantasiando com outra; então não tenho motivos pra temer esta conversa tenho? Mas então... se esta é a lógica porque ainda tenho tanto medo?
Partindo de uma alto análise:

Sempre gostei dela e to morrendo de medo de que qualquer fator da minha vida loca a espante, então ate esta coisa tosca ta me assustando por que pode emendar em algo pior e meu castelinho de cartas vai vir a baixo. Mas no fundo eu quero poder contar tudo a ela. Ter ela nesta minha vidinha...


Ok... perdi umas longas horas pensando nestas coisas. E não tomei atitude alguma.

Eu tinha que voltar logo pra casa, ou melhor pra casa dele. Se bem me lembro aquele nerd passa horas trancado no quarto mexendo em computadores seja os dele ou de amigos e ate vendendo idéias online servindo de guru com seus planos mirabolantes ao problemas de outras pessoas (quem sabe eu nao faça uma conta fake pra me consultar né? Acham uma boa ideia?). Tah não vou negar que era um jeito bem diferente e interessante de ter uma renda extra, e isso ta mais que aprovado.

Arrumar um jeito diferente de fazer aquela mente se manter ocupada era bom para o mundo, afinal sempre achei que ele fosse crescer pra se tornar um super vilão. (risos)

Agora eu estava no quarto olhando a tela daquele troço que pra mim parecia tecnologia alienígena.

Tah o que foi?

Eu nunca fui um grande fã de tecnologias, e só aprendia o que via que era útil pra mim; sempre achei e ainda acho e sei que sempre vou achar IDIOTA as redes sociais. Cara se eu quero conhecer alguém conheço cara a cara e pronto! Se quero falar com alguém vou e falo; estas coisas só fazem separar as pessoas, elas ficam olhando telas e nem conversam mais. “#prontofalei” como diria a Denise.

Beleza se é pra fingir se ele... não podia pagar um mico na aula de informática já que geral pedia ajuda pra ele direto. Ai vida... vo fingir que to doente ou matar aula. É impossível eu chegar no nível dele.

 

Mas pelo jeito não era pra eu estar ali aquele dia por que: bem... você vai ver por que eu vou contar agora.

[---- Ei não fecha a porta! ---- a vozinha meiga da irmãzinha do cara me despertou dos meus pensamentos que já estavam amontoados entre fingir ser ele, o caso da Mônica meus problemas pessoais entre outras coisas da família.]

Ignorei em primeira instancia por que não vi o menor motivo pra não o fazer.

Tentei responder aos recados dele, no celular e no PC também, não que eu seja tão ruim que não consiga ligar mas eu tinha que responder como sendo ele e ser convincente; então perdi alguns minutos fazendo isso e logo senti aquele fominha no meio da tarde, sebe como é né; quem nunca?          Sai e fui ate a cozinha, a geladeira era rica e fiquei feliz em fazer um belo lanche ao “meu estilo” já que não tinha ninguém olhando mesmo; estava comendo todo feliz e voltado ao quarto quando ouvi ruídos e sons que não deviam estar ecoando do quarto daquela menina.

Engoli seco e travei um pouco.

Me neguei a entender o que eram aqueles sons mas infelizmente não era tão burro. Então me tranquei no quarto, não era da minha conta. Não era nem para eu estar ali, eu não tinha que me meter na vida de ninguém.

Juro que tentei por minha cabeça em outra coisa mas não deu! Não deu mesmo!

Fui criado com noções meio... deixa pra la eu só sai abria porta com uma ou duas técnicas de arrombamento que vocês não precisam saber como aprendi (agora) e escancarei a porta. ---- Maninho! ---- ela não sabia se brigava ou se escondia; foi uma mistura de raiva e vergonha e simplesmente e travou no lugar calada.

Ela se cobriu com.. não sei se  era cobertor lençol ou roupas mesmo por que não fiquei olhando a irmãzinha do Negi; só respirei fundo e tentei falar o mais serio e menos intimidador que conseguia. ---- O que esta havendo aqui? ---- não falei como se não soubesse mas como quem espera uma explicação e fiquei o encarando.

Ele me encarava com um pânico profundo no olhar, como se eu fosse mata-lo ali com testemunha e tudo mais; tremia e se afastava de vagar ate esbarrar em um armário, não conseguia ter um foco que não fosse na saída mas eu estava entre ele e a porta. Pude ver que sua respiração estava falha e acelerada. Tudo isso era medo do Negi? Do cebolinha?

---- A mãe ou o pai sabe que vocês estão namolando? ---- tentei ser justo, falar com ela como falava com o meu irmão, mas... me chama de machista se quiser mas não é a mesma coisa os meus papos com o meu irmão sobre o que pensamos e fazemos com relação as garotas e este caso... ---- É a plimeila vez que vocês ficam sozinhos assim? ---- tentei ser justo juro. Tirar o machismo da cabeça e agir corretamente, se ele agisse como eu faço com a Mônica estaria tudo bem.         Né?

Mas eles não me respondiam.

Ficaram parados e calados me encarando como se eu fosse a imagem do demônio na frente deles.

---- Vem. ---- ordenei abrindo a porta e saindo junto dele encarando a menina claramente dizendo um: “se vista que já falo com você também”.

Sai do quarto e fui para o do Negi e o fiz sentar na cama.

                                 E ai ele desembestou a chorar.

---- Por favor! Cebolinha... Negi. Eu.. eu não fiz nada só estávamos nos beijando juro que nunca fui alem disso! Por favor! ---- ele chorava um pranto sentido, mal dava pra entender o que ele dizia. Respirei fundo encostei na porta e deixei que continuasse implorando ate conseguir se acalmar.

---- Vocês são as duas plagas da minha vida sabia.... ---- a voz saiu mais irritada do que eu queria, mas pelo menos lembrei de usar o termo certo. ---- Gosta dela? Ta levando isso a selio? ---- questionei e ele me olhou com os olhos já encharcados de lagrimas.

Não consegui entender o por que de tanto pânico, sim foi um flagra e tanto mas eu não iria matar o moleque.

Sentei do seu lado e ele se encolheu como um tatu.

Queria poder falar com ele como sendo eu mesmo, mas assim ele iria me reconhecer fácil e já era. Gostava deste pestinha; serio de verdade gostada dele, mas nunca tinha imaginado isso. Uma vez ele me perguntou como eu sabia que gostava da Mônica mesmo ou se era só por que ela era gata, outras vezes me perguntou coisas como: como chegar em uma garota, beijar entre outras coisas que os outros garotos se incomodavam em falar, mas lógico que eu não.

Sabia que o ruivinho gostava dela, mas o Negi não sabia de nada e ela era a irmãzinha dele né.

---- Olha vai pla casa antes que... Eu faça algo que me alependa. Vou pensar bem no que fazel e vou te ploculal ok. ---- me levantei e abri a porta o deixando sair, e ele passou por mim como um gato acuado. ---- A convelsa não acabou em.

---- S-sim. ---- falou afoito e sumiu rua a fora, e então segui em direção ao quarto já me deparando com a garota parada no corredor me olhando seria.

---- O que fez com ele?

---- Nada. Disse que vou convelsal com ele depois de me acalmal, e falal com você. Pelguntei se estão namolando selio; mas ele não paleceu capais de lespondel nada.

---- Mandou ele ficar longe de mim? ---- a vozinha dela saiu ate chorosa e seu corpinho tremia todo.

---- Não não disse nada. O que eu disse com ele foi isso. ---- fui em sua direção e desta vez parei na frente do quarto dela. ---- Nossa convelsa selá um pouco mais longa.
 

Ela tremeu e entrou.

Chorou um pouco implorando pra eu não contar a nossos pais. Depois confessou que já faziam isso a um tempo e que esta era a terceira vez que tiravam a roupa, mas que não tinham ido alem por que ela ainda tinha muito medo de... fazer.

Ouvi calado, seria cinismo meu falar algo como: você é muito jovem, afinal o Negi podia ser virgem mas eu não e a um bom tempo. Mas a adverti sobre certos cuidados, não só com seu corpo mas também para não acabar mal falada. Aconselhei a eles assumirem o namoro aos poucos e disse que manteria segredo mas só se eles só se encontrassem com um adulto por perto ou quando ou permitisse, afinal ainda ia falar com ele.

Eu não podia me meter.

Não tinha este direito.
 

[--- Alo? ---- ouvir minha própria voz no telefone era estranho de mais.]

---- Podemos convelsal? ---- falei rapido e direto. Eu tinha que contar pra ele né. Afinal era a vida dele não a minha.

Ass:David Cleber Hiromashi Fagundes Takeda


Notas Finais


(Priorizo os personagens da traminha original mesmo que eles sejem de ediçoes especiais ou coisa assim, Yasmim é de uma edição que fala sobre maltratos a criança etc, estes especiais da turminha. Os.. desculpe a demora T_T foi tudo culpa da facu. Qm estuda e trabalha entende... T_T n da pra ter vida... estes malditos tem uma mania linda de por as provas e apresentações de trabalhos tudo na mesma semana.)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...