História Plante Um Winwin - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias NCT 127
Personagens Haechan, Jaehyun, Mark, Personagens Originais, Taeil, Taeyong, Winwin, Yuta
Tags Aigooo, Fofura Pura!, Para A Appa
Exibições 24
Palavras 760
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Fluffy, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Confesso que já tinha essa fic em mente há um bom tempo, mas só a finalizei agora por motivos de: "o bloqueio criativo de final de ano está cada vez mais foda".
Pretendo postar poucos capítulo, no máximo 10 e no mínimo 5, mas ainda não sei ao certo.
Enfim, dedico isso à Appa, que consegue ser a melhor Appa do mundo mesmo sendo, na realidade, uma Omma <3.

Capítulo 1 - Uma bela combinação


18 de janeiro de 2017 – 11:14P.M

Exausto.

Essa era a palavra perfeito para defini-lo nos últimos dias.

Dong Sicheng encontrava-se exausto, por mais que ainda fosse capaz de sustentar o peso do próprio corpo.

O grupo multi nacional NCT estava ganhando ainda mais reconhecimento com o passar do tempo e como faltavam poucas semanas para retornarem, os treinos andavam mais duros do que de costume e o peso do nervosismo já marcava presença sobre os ombros do chinês. Por sorte, a prática havia terminado cedo aquele dia e enquanto os demais se dirigiram diretamente ao dormitório, que não ficava muito longe do local de treinamento, o loiro tomou seu rumo a um local diferente. Sabia que já era tarde e por mais que seus olhos pesassem mais do que uma tonelada, seu estômago falava mais alto.

Assim que adentrou a pequena loja de conveniência, sorriu de leve à balconista, junto a uma rápida reverência e um cumprimento murmurado antes de se direcionar as prateleiras, verificando os diferentes tipos de ramyeons enfileirados sobre o objetivo de metal, já com um pequeno recipiente de kimchi em mãos.

– Acho que esse aqui não é tão apimentado – sussurrou a si mesmo, traduzindo as ditas descritas na embalagem enquanto se direcionava ao caixa.

Após pagar, o garoto se direcionou aos eletrodomésticos que se encontravam ao fundo, do lado esquerdo da loja, em seguida preparando sua típica refeição semanal, se acomodando na cadeira disposta em frente ao tabuleiro da madeira próxima à janela para finalmente jantar. Seu olhar se revezada entre o macarrão e a tela do aparelho telefônico, digitando de maneira desengonçada a Yuta que se encontrava num estabelecimento não muito longe do dormitório. Sua atenção foi desviada assim que o leve badalar do sino anunciou a chegada de mais um ser na pequena loja. Não foi capaz de ver as feições do sujeito, mas julgou ser uma garota pelo simples fato do capuz de sua jaqueta ser contornado por pelos em tom bege. Sua curiosidade já predominante fez com que a desconhecida permanecesse em seu campo de visão, a observando preparar seu ramyeon enquanto beliscava um samgak kimbap, finalmente notando seus traços ocidentais. Sem demora, a jovem se sentou ao lado do garoto, pegando um jotgarak para remexer sua refeição instantâneo,a digerindo com certa afobação... Realmente, ela deveria estar com fome.

– Já experimentou misturar o ramyeon com o kimchi? – junto toda sua coragem para direcionar suas palavras à estrangeira enquanto ela apenas o encarava, entrando em um colapso mental momentâneo por não ter conseguido traduzir as palavras do asiático. – É uma bela combinação.

Seus olhos permaneceram conectados até que ela se centrar novamente em seu prato, fazendo com que Sicheng se questionasse se ela era capaz de compreendê-lo.

– Você me entende? – seus olhos negros fizeram a gentileza de se voltarem ao garoto, gesticulando de um lado para o outro com a cabeça. – Você fala mandarim? – desta vez, ele se pronunciou em sua língua nativa, fazendo a brasileira piscar descompassadamente em sinal de desespero por não entender uma palavra que o outro dizia. – Que língua você fala? – ela não teve opção sem ser manter-se em completo silêncio, com a mente ainda em branco.

Tamanha decepção o fez revirar os olhos, ato que não costumava fazer com frequência, mas situações desesperadas pedem medidas desesperadas.

– Está vendo isso aqui? – ele apontou para o recipiente disposto sobre a mesa, pegando uma boa quantidade de kimchi e levando ao macarrão alheio, vendo-a unir as sobrancelhas em confusão quando ele tomou seus talheres ao revirar o conteúdo, logo o devolvendo ao seu destinatário. – Prove. Juro que é bom. – praticamente suplicou e mesmo com seus receios, a garota degustou a mistura feita pelo chinês, se surpreendendo com o sabor que inundava seu paladar, obrigando-a a comer mais um pouco. – Eu disse que era bom. – seu lado brevemente convencido marcou presente em sua fala, causando um breve riso na brasileira, achando graça de sua dita sem mesmo saber do que ele estava falando. – Qual seu nome? – perguntou Sicheng, degustando seu ramyeon com altas expectativas de uma resposta vinda da garota, que agradeceu aos deuses por finalmente ter entendido sua fala.

– Silvana. Silvana Melo. – ela entendeu a mão em sua direção, que logo foi apertada pelo oriental.

– Dong Sicheng. – retribuiu a gentileza com um sorriso tímido, que logo foi correspondido da mesma maneira. – Bom saber que você fala. – não pôde deixar de comentar, arrancando mais gargalhadas da jovem, que voltou sua atenção aos ramyeon com o objetivo de acobertar sua vergonha visivelmente notada pelo chinês por culpa de suas bochechas em tom rosado.


Notas Finais


Quem posta e sai correndo? Eu mesma, Theri Melo.
PAZ, NEGADA!
Saranghae da moça Theri <3!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...