História Platonic - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Harry Styles, One Direction, Romance
Exibições 93
Palavras 2.936
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Ecchi, Escolar, Festa, Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Slash, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá minhas divas 👑

Hoje tem mais cinco capítulos!
Agora só irei postar um porque tenho que revisar para uma prova de mais tarde, então o restante postarei quando chegar da faculdade.

Muito contente pelos leitores novos, comentários, obrigada pelo carinho ❤️

Capítulo 11 - Vingativa? - Parte II


Harry

– Oi Harry – Ela sorriu e eu retribui o gesto e meio que sem querer acabei olhando bem para o corpo dela.

Vestido de mangas compridas.

Largo demais.

Grande demais.

Comprido demais.

Tao comprido que quase chega aos joelhos.

Quem compra essas porcarias 'pra' essa garota?

– Ei! – Seus dedos estalaram em frente ao meu rosto.

– Oi – Respondi afastando o pensamento.

– Entra logo ou vou acabar te dando uns tapas por ficar olhando desse jeito para a minha roupa – Nem liguei muito para o que ouvi, porque evidentemente eu ia falar alguma merda.

– Bom... – Olhei para o grande sofá vermelho bem ao centro da sala sem saber muito o que dizer ou fazer.

Sem aproximações físicas, essa é a regra.

Eu vou te explicar o que fazer, mas bem rapidinho porque as garotas estão lá no meu quarto.

– Então elas sabem que eu estou aqui? – Perguntei.

– É claro que não! Território seguro, lembra? – Concordei e ela proseguiu – Olha, é bem simples, você vai subir e conversar com elas, tudo bem? Te garanto que não vou deixá-las fugir, esse vai ser meu dever.

– Está bem – Percebi que ela começou a se afastar e a chamei o mais rápido que pude – Hannie? – Seu rosto focou o meu rapidamente.

– O que foi?

– E o Liam?

– Estou falando com ele – Ela ergueu o celular e o balançou de leve onde vi uma conversa aberta e deduzi que era por ali que ela falava com ele, então assenti, mas pela segunda vez chamei por seu nome.

– Sabe, eu pensei...pensei que você fosse querer se vingar, porque eu nunca te vi daquele jeito tão...só me desculpe.

– Ei! – Seus braços ergueram-se um pouco a fim de me impedir – Relaxa, eu não quero ficar falando disso o tempo todo, eu já te disse que não quero mais brigar, então, vingança também está fora de cogitação, mesmo você merecendo, ficou claro? – Não gostei muito de ouvir que eu merecia, mas confirmei acenando a cabeça – Agora vem, vamos subir logo.

Nos aproximamos da escada e Hannie foi em minha frente. A cada degrau que ela subia, eu olhava para a bunda dela.

É uma bunda! Eu não sou de ferro, então  tenho que verificar. 

Curvei a minha cabeça um pouco para o lado tentando ver mais, só que não adiantou porra nenhum já que aquilo parecia mais uma bata de padre do que a droga de vestido! Não dá de ver nem a calcinha! Também espero que não seja a mesma daquele primeiro dia que a conheci. Balancei a cabeça tentando afastar a lembrança. Decidi ir me abaixando aos poucos, mas quando eu estava quase de quatro naquela merda de escada e estava quase vendo ela já entrava no corredor.

Mas que caralho!

Continuei a segui-la até pararmos em uma porta de madeira pintada de branca, enquanto insultava de todas as formas o fabricante do vestido.

– Eu disse que ia fazer um lanche, então entra e fica a vontade – Ela sussurrou.

– Tudo bem – Fiz um ‘’legal’’ com mão e voltei a olhar para a porta. Quando toquei na maçaneta curiosamente transparente – deve ser coisa de garota – e abri a porta, Abby e Norah me encararam surpresas.

– O que faz aqui? – Norah perguntou.

– Quem te deixou entrar? – Abby reclamou.

– Eu quero conversar com vocês.

– Sinto muito, mas não queremos – Norah falou e logo depois Abby concordou, enquanto as duas levantavam da cama quase ao mesmo tempo.

– Olha, não precisam falar nada, só me escutem, tudo bem? – Elas se entreolharam por longos segundos – Será que não percebem que se estou aqui tentando falar com vocês é porque são duas das pessoas mais importante que eu tenho? Eu só quero me explicar – Elas sabiam, elas sabiam que eu estava sendo sincero.

– Tudo bem – Norah respondeu pelas duas e logo elas voltaram a se sentar na cama, enquanto eu peguei uma cadeira que estava em frente a uma escrivaninha sentando-me em seguida.

– A Hannie já deve ter contado a vocês que agora estamos...de boa. Então... olha, ela já me perdoou pelo o que eu fiz e eu queria que vocês também pudessem fazer o mesmo, porque eu sei o quanto vocês gostam dela, mas eu as conheço há muito mais tempo, principalmente você Abby, eu te conheço há anos, não quero que nossa amizade acabe por causa de uma merda que fiz e Norah, você também é muito importante ‘pra’ mim e bom... vocês sabem que não sou bom em pedir desculpas e não consigo pensar em nada mais útil e convincente para falar agora – E assim eu calei a boca enquanto elas ficaram ali me olhando, olhando, olhando, olhando e...olhando – Eu vou me esforçar 'pra' parar de fazer essas merdas, não só por vocês, mas também por Hannie.

– Harry... – Norah começou – O que você fez foi uma crueldade, a Hae estava tão feliz.

– É seu idiota, ela até achou que o admirador fosse vo...

– Hey! E então?! Já se acertaram?! – Hannie entrou de repente meio ofegante me assustando um pouco.

– Me mata mais de susto! – Norah reclamou enquanto respirava sem controle com a mão sobre o peito...hm...e que peitos.

– Desculpa, eu só...queria vê se estava tudo bem, então, está? – Hannie perguntou dando de ombros.

– Eu não sei, está? – Tirei os olhos da perdição e olhei com súplica para Abby e Norah, as duas se entreolharam rápido e logo abriram um grande sorriso, até que elas gritaram um ‘Sim’ e se jogaram em cima de mim. Foi um grande abraço.

É isso aí porra! Eu consegui!

Podia ver alguém ali ainda, foquei na garota sorridente um pouco atrás e sussurrei ‘obrigado’. Hannie sorriu ainda mais e saiu do quarto.

– Ei! o Liam ainda está com raiva de mim – Disse quando nos afastamos.

– Relaxa Hazz, logo, logo ele vai está falando contigo de novo – Abby afirmou e Norah concordou.

– Ei, cadê a Hannie? – Abby perguntou.

– Não sei – Dei de ombros e continuei – Ela saiu ainda pouco – As duas se entreolharam novamente, mas de uma forma estranha dessa vez.

– Vem aqui Harry, me conta como estão as coisas – Norah disse enquanto ela e Abby se jogavam na cama e eu acabei fazendo o mesmo, até ficarmos sentados.

– Nada importante, além da Candy me encher o saco como sempre.

– O que essa piranha queria dessa vez? – Abby perguntou furiosa enquanto Norah começou a mexer em seu celular.

– Vão falando aí que estou conversando com o Luke – Ela respondeu com o aparelho praticamente na testa.

– Deixa ela ‘pra’ lá! Enfim, me conta essa história com a Candice.

– O de sempre.

– Essa garota só pensa em sexo, pelo amor de Deus! – Ela captou a mensagem bem rápido.

– Ei isso não é ruim, aliás, ela queria me dar no banheiro, mas... nem isso me animou porque droga, eu me senti um lixo enquanto vocês estavam com raiva de mim.

– Para tudo! – Abby soltou uma risada e eu sabia bem o que ela ia dizer. Ah mas que porra... – Harry Styles não recusa sexo, então pelo visto nós te deixamos broxa – As duas filhas da mãe ficaram rindo e não sei que graça isso tinha.

– Broxa o caralho!

– Calma broxinha! Só estava brincando, aliás, não sei por que ainda se queima com essa vadia.

– Porque ela é gostosa – Dei de ombros sem me importar com o ''broxinha" porque levar a sério tudo que a Abby tira sarro é perca de tempo.

– Credo! – Ela fez uma careta e até que achei engraçado – Mas me diz uma coisa, ela...ela é boa naquilo? – Nem fiquei surpreso pela pergunta já que essa loira é como uma irmã pra mim.

– Demais! Ela dá que é uma beleza – Afirmei enquanto as garotas fingiam que estavam vomitando.

– Seu nojento!

– Ei Abby! Conta aquilo ‘pra’ ele – Norah decidiu abrir a boca do nada cutucando o braço de Abby.

– Contar o quê? – Perguntei.

– Lembra do Jamie Butler? – Concordei e Abby prosseguiu – Ele está dando uns pegas na ‘sua’ Kate.

Kate? A ruiva do outro dia?

– Minha? ‘Tá’ maluca? Problema dela se ela dá ‘pra’ ele.

– Então ela é uma baita da sortuda porque o Jamie é muito gostoso!

– Jamie Butler é muito gostoso! Com certeza – Ironizei – Ficou cega?

– Óbvio que não! Ele é muito gostoso sim, não é Norah? – Ela concordou rapidamente.

– Gostoso sou eu! – Exclamei.

– Você é um gay, isso sim – Abby provocou.

– Claro! Sou um puta gay, até o último fio de cabelo – As duas começaram a rir diante da minha ironia, até que Hannie apareceu e disse que os caras estavam me esperando, inclusive o Liam e eu sai dali em um pulo totalmente surpreso.

Hannie

Quando deixei o cabelo de ninho com as garotas, era óbvio que fiquei escutando atrás da porta e não me arrependo nenhum pouco já que Abby estava abrindo a boca novamente sobre eu achar que ele era meu admirador e eu não ia deixar que ele escutasse isso de novo para ficar se achando e ainda me estapeio internamente todos os dias por ter pensando em um absurdo desse.

Como eu pretendia fazer com que ele confiasse ainda mais em mim, aproveitei que ele estava distraído com as garotas e resolvi chamar o restante da ‘nossa’ turma e era óbvio que eles não sabiam da minha vingança, já que seriam apenas uma distração para o Harold e também seria favorável ele ficar de bem com Liam, por mais cruel que eu esteja sendo e sei disso, não posso e nem quero afastá-lo dele, são amigos há anos e não quero acabar por arruinar uma amizade.

– Tudo certo? – Perguntei quando o...o...que droga! É inútil chama-lo pelo apelido, eu não consigo, eu não posso, simplesmente não posso! – Quando ELE passou por mim as pressas, esperei uns segundos até verificar se o corredor estava vazio e fechei a porta atrás de mim.

– Filmaram? 

– Sim – As garotas responderam em uníssono entristecidas.

– Eu acho melhor não fazermos isso Hae, ele foi tão sincero! – Abby insistiu.

– Ela tem razão, olha, ele disse coisas tão fofas e ficou tão empolgado, ele...ele vai sofrer naquela escola.

– Pensasse nisso antes de aprontar aquilo comigo – Expliquei começando a ficar enfurecida ao me lembrar daquele dia.

– Mas... – Norah tentou intervir, mas impedi.

– Me passa o vídeo.

– Hannie...

– Me passa Norah!

– Mas...

– Passa logo essa droga! – Abby exclamou irritada – Vamos acabar logo com isso!

Enquanto Norah mexia em seu celular, Abby se calou e eu podia ver o quanto as duas estavam irritadas, mas eu não podia parar, tinha que ir até o fim.

– Ele percebeu alguma coisa? – Eu perguntei.

– Não, a Norah fingiu que estava trocando mensagem com o Luke.

– Ótimo.

Após pegar o vídeo, descemos e encontramos os garotos na sala, eles riam, pulavam e faziam todas aquelas coisas malucas de adolescentes e por um momento eu parei e avaliei com cuidado aquela cena e isso me fez sorrir sentindo um nó em minha barriga.

– Cheguem mais gatas! Só faltavam vocês! – Harold falava feito um bêbado e eu anotei em minha mente em ir verificar a geladeira depois e vê se não faltava alguma cerveja do meu pai. Quando afastei a nota mental, senti um aroma leve e marcante que não irritava o meu nariz como a maioria dos perfumes masculinos dos garotos da minha idade e quando dei por mim, meus olhos estavam presos nos pequenos riscos que se podiam ver através da camisa branca de tecido fino bem a minha frente. Era o Styles – Ei! – Ouvi a sua voz e ergui a cabeça encontrando o seu rosto bem próximo do meu – Obrigado. Obrigado de verdade – O sorriso fechado que ele lançou me fez notar as suas covinhas e eu quase engasguei. Nunca achei atraente em garotos, achava feminino demais, mas nele, mas nesse garoto ficava extremamente... bonito. Como eu não notei isso antes? – E estou feliz por agora estarmos de boa, porque pode parecer estranho, mas estou começando a gostar de ter você por perto – E assim ele deu as costas sem mais nem menos e saiu de perto de mim.

Caramba! O que esse idiota acabou de dizer?

Atordoada pelo o que acabara de ouvir, não me dei conta de que Abby me olhava um pouco distante, seu rosto atribuiu uma expressão dura enquanto balançava a cabeça negativamente.

– Ei galera! Vamos tomar sorvete? – Todos nós concordamos, eu principalmente.

Havia uma sorveteria perto de casa ao qual eu ia quase todos os dias. Ao chegar lá, nós juntamos duas mesas e pedimos o que queriamos, só que o estranho foi vê que o Styles fez questão de se sentar ao meu lado e por mais que eu quisesse evitá-lo, ele me incluia em quase tudo o que falava ou apenas olhava pra mim e sorria, mas eu só pensava que deveria seguir em frente com o plano, apesar de comecar a sentir que não era certo.

...

No meio do caminho enquanto voltávamos para casa, passamos por uma loja e ali bem atrás da vitrine havia um cachorrinho de pelúcia mais fofo do universo e eu surtei totalmente, porque ele era perfeito! Tinha uns 12 centímetros de altura, era todo marrom e tinha uma coleirinha vermelha com um pingente em forma de ossinho. Eu simplesmente queria assaltar aquela loja só para pegar aquela coisinha fofa e os garotos, assim com as meninas, começaram a brincar com a minha cara, mas eu nem me importei, porque eu simplesmente amava bichinhos de pelúcia. Quando enfim paramos em frente a minha casa, nos despedimos com breves abraços, menos eu e Harold, apenas demos um rápido aperto de mão, ainda era estranho e era melhor evitar uma proximidade tão íntima que não aconteceria ainda mais depois do que eu fizesse o que planejava.

Á noite, depois do jantar, assisti ao vídeo algumas vezes. Harold parecia tão...feliz, ele era espontâneo, irônico, debochado e sorria daquela forma tão...não sei, eu só não havia percebido muitas coisas que agora estão me deixando imensamente confusa. Respirei fundo algumas vezes e quando apertei o play a fim de ver aquele vídeo pela décima vez, eu desisti, eu não podia, eu simplesmente não podia fazer isso com ele. A tarde que passei com todo mundo, inclusive com ele, o modo como me tatrou foi...carinhoso.

Não Hannie, não faça isso, essa não é você.

Senti uma breve ansiedade quando voltei ao menu do meu celular a fim de esquecer o vídeo.

Eu preciso avisar as garotas!

Isso. Abri a caixa de mensagens e deslizei o polegar até achar a minha conversa com Norah, mas outro nome bem abaixo chamou a minha atenção, era o número do suposto admirador, eu ainda não havia apagado a mensagem, eu nem ao menos me lembrei sobre isso e por mais que eu não quisesse fazer o que por um momento eu sabia que seria devastador, eu fiz, eu não ouvi a minha razão e abri as mensagens e reli tudo.

Pela terceira vez que li aquela porcaria toda, eu peguei o cabo USB e conectei o meu celular ao computador e comecei a fazer o que tinha acabado de decidir.

Harry

Hannie é incrível. Hannie é mesmo incrível. Hannie é incrível ‘pra’ porra!

Essa garota me surpreendeu, me surpreendeu mesmo. Tive que aturar os caras tirando sarro com a minha cara depois que saímos de lá dizendo que nós dois éramos namorados e eu nem me importei, não que eu queira namorar com ela, eu nem ao menos penso nela com essas intenções, apenas estava feliz demais para me irritar com qualquer brincadeira e a única coisa que eu conseguia pensar era que eu tinha que recompensá-la. Quando vi aqueles grandes olhos brilhando de uma forma tão intensa quando ficou de frente com aquela porcaria de pedaço de pelúcia, eu achei a coisa mais ingênua e bacana que eu já havia notado nela e eu percebi que queria vê-la dessa forma mais vezes e eu tinha que fazer o que estava pensando, por mais que no fundo eu achasse bem idiota.

O urso de pelúcia já estava na minha mochila, bem embalado com aquele papel brilhoso e aquelas fitas escandalosas coloridas, pelo menos minha mãe fez o trabalho de embrulhar porque por mim eu ia dar sem qualquer frescura por cima, mas pelo menos Hannie ia se amarrar e abrir um sorrisão quando o visse.

...

Quando passei pelos corredores da escola, eu me sentia muito estranho. Muito mesmo.

Que droga eu só queria ver a Stevens e dar isso para ela!

Eu precisava ver a sua cara quando visse o meu presente. Eu até podia está parecendo um idiota sorrindo para o nada, mas sei lá, eu só estava ansioso, só que tudo começou a ficar estranho de repente, eu nunca me incomodei quando as pessoas me olhavam, mas a forma como me avaliavam agora me deixou meio que...puto.

– Seu nojento! – Franzi o cenho ao escutar aquela voz familiar atrás de mim. Girei meu corpo para trás e confirmei. Candice – Não acredito que pude transar com você! – E então a sua mão acertou em cheio a lateral do meu rosto sem que eu pudesse fazer nada. Ela apenas se virou em seguida e foi embora enquanto eu estava ali sem entender o que caralho estava acontecendo. Eu olhei em volta meio atordoado e percebi risinhos me acompanharem enquanto eu comecei a caminhar, até ver Zayn se aproximando de mim como um foguete enquanto olhava abismado para o seu celular pelo canto dos olhos. Ele estava a um passo de mim e logo ergueu o aparelho bem em frente ao meu rosto.

– Harry, olha só o que espalharam para todo mundo na escola – Ele apertou no centro da tela e aquilo me assustou logo de inicio. Era eu...era eu naquele vídeo! ERA EU NAQUELA PORRA DE VÍDEO!

Sou um puta gay, até o último fio de cabelo! E Jamie Thompson é muito gostoso e dá que é uma beleza! Sabia que ele queria me dar no banheiro e isso me animou demais.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...