História Platonic - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Harry Styles, One Direction, Romance
Exibições 96
Palavras 2.333
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Ecchi, Escolar, Festa, Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai, Slash, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


E vamos para o último capítulo de hoje minha geeeeeeenteeee 😢😢😢

Não esqueçam que amanhã tem maaaaaaais!

Capítulo 15 - Ajudando o Amiguinho


Harry

Flashback On

– O que ela faz aqui?! – Perguntei furioso enquanto fechava a porta do meu quarto.

– Nós só queremos ajudar cara – Zayn disse.

– Ajudar? Por um acaso estão do lado dela? – Perguntei.

– Não é is... – Louis tentou dizer alguma coisa, mas não o deixei continuar.

– Quando eu tentei me vingar, vocês simplesmente ficaram contra mim e eu nem havia feito tudo o que tinha planejado!

– Mas Harry você é um cara e ela uma garota – Niall tentou explicar alguma coisa.

– E o que tem haver? – Liam perguntou mais confuso do que eu.

– As garotas são mais sensíveis seus burros – Niall concluiu.

– Tão sensíveis que uma entre muitas acabou com a porra da minha reputação! – Exclamei furioso.

– Ele, ele tem razão gente – Abby decidiu abrir a boca, o que me deixou ainda mais puto.

– Agora eu tenho, não é? Mas quando ajudou aquela...aquela lá não pensou nisso! – Pude ver o quanto a deixei sem graça, mas não me importei, porque eu esteja certo.

– Desculpa Harry, mas é que você tinha tocado em algo muito sensível de uma garota – Disse Abby.

– O-o quê? Não me diz que ele tocou na... – Niall dizia surpreso.

– Não! Seu, seu pervertido! Não é isso! – Abby o repreendeu horrorizada.

– Mas eu pensei que fosse sensível lá. – Ele concluiu.

– Eu me referi aos sentimentos! – Ela o interrompeu, prosseguindo – Enfim, chega de discussões e bobagens eu só quero que todos nós fiquemos de bem.

– É o que mais queremos Harry, o que mais queremos, por favor! Nos perdoe! Você sabe o quanto amamos você – Norah soou inquieta próxima a mim e eu não soube bem o que fazer diante das suas palavras e das duas ali tão perto e suplicantes.

Não! Olhos grandes e suplicantes não!

– Eu não estou com cabeça, só quero que vocês duas saiam daqui!

– Cara, escuta elas – Liam pediu e mais uma vez eu as olhei.

– Olha, se não quiser falar comigo de novo eu entendo, mas só quero que saiba que quando percebemos que esse plano doido da Hannie ia longe demais, nós tentamos fazer com que ela mudasse de ideia, eu achei que ela mudaria... – Abby deixou a frase no ar e Norah a completou.

– Por favor, só nos perdoe.

Droga! Talvez eu fosse muito frouxo mesmo.

– Merda! Vocês ainda vão acabar comigo! – Abri os braços com muita raiva por ser tão mole e as duas garotas pularam em cima de mim emocionadas sem o menor cuidado entrelaçando os braços em minha cintura – Suas filhas da mãe chantagistas.

– Não somos chantagistas! – Norah protestou fingindo está emburrada.

– São sim, ficam com essas caras de culpadas e é difícil dizer não – As risadas em seguida me fizeram enfim sorrir enquanto cada uma pulava ainda apoiadas em mim e por pouco não caímos.

– Mas que frescurinha – Ouvi Niall com o famoso tom irônico e apenas ri – Fiquem aí se agarrando porque eu vou procurar a Hannie.

– Aproveita e vê se não sumiu nada aqui de casa – Eu vi o Niall abrir a boca para dizer algo, mas fortes batidas ameaçaram derrubar a minha porta. Afastei cuidadosamente as garotas e caminhei em direção ao barulho irritante.

Flashback Off

– Hazz, sua namorada che...olha! É a garota dos peitos pequenininhos – Minha irmã apontava para Hannie enquanto falava. 

O quê?

Não que eu quisesse ver, mas automaticamente meus olhos caíram sobre os peitos de Hannie, mas como imaginei, nao dava de ver nada com o maldito uniforme. Não sei bem se fiquei olhando demais, mas ela acabou percebendo para onde meus olhos estavam fixos e beliscou o meu braço.

– Ei! – Protestei.

– Gatinha, eu e o seu irmão precisamos conversar – Candice disse para minha irmã enquanto acariciava desajeitadamente a sua cabeça e Gennie pareceu não gostar nem um pouco.

– ‘Tá’ Legal – Ela respondeu não muito sorridente, então olhou para Hannie com curiosidade – Você vai ficar?

– Ela vai ficar gatinha, pode ir – Candice respondeu por ela lançando um sorriso estranho para Gen.

– Você é bem estranha – A pequena disse enquanto olhava para Candice por segundos e atravessava a porta. Ouvi uma risada ao meu lado e não questionei porque eu mesmo queria rir ‘pra’ caramba.

– O que ela faz aqui?! – Candy começou a gritar quando estávamos os três a sós ali.

– Não interessa, aliás, o que você faz aqui? – Perguntei sem paciência.

– Gatinho... – Ela comçou e ouvi um suspiro ao meu lado e eu sabia que vinha de Hannie, a olhei por um segundo e a vi revirar os olhos – Olha, por mais que você goste de...han...garotos, eu ainda sinto saudades! Ninguém é tão quente quanto você.

– Caramba, eu não sei porque estou aqui ouvindo essas coisas! – Hannie falou de repente me assustando um pouco.

– Ah, me desculpe querida, havia esquecido que tinha alguém aqui – Candy a respondeu irônica e eu comecei a ficar um pouco apreensivo com as duas no mesmo ambiente.

– Vai se foder garota! – Hannie se sobressaltou e não demorou para que ela saísse dali quase quebrando a porta.

– Que estressadinha – A loira a minha frente balbuciou balançando a cabeça negativamente – Então... – Ela focou bem os seus olhos negros em mim prosseguindo – Sei que você gosta de mim...  

Quê? 

– E sei que gosta de brincar comigo. 

É, até pode ser verdade. 

Seu corpo se moveu para mais perto de mim. 

– Enfim, nós podemos continuar trocando...necessidades – Seu rosto estava a um milímetro do meu e eu podia sentir sua boca bem próxima a minha – Você mata a minha vontade – Ela roçou de leve seus seios em meu peitoral já que ela era poucos centímetros menor que eu. Meus olhos ficaram fixos em seu decote e eu quis mergulhar minha boca nessa tentação grande e macia – E eu mato a sua – Ela concluiu e eu não aguentei mais um segundo, pus minhas mãos em sua cintura e a empurrei para cima da minha cama.

Hannie

Esse filho da...mãe! Arh que raiva! Aquele cretino! Espanador humano! Desgraçaaaaaaado!

Meus pés batiam com força a cada degrau que eu pisava enquanto eu insultava de várias formas aquele sem vergonha cara de pau. Aposto que deve estar com a boca grudada naquela nojenta oferecida.

– Querida? – A voz da senhora Styles soou próxima, até que ergui os olhos e a vi caminhando em minha direção com um singelo sorriso. Pude ver um pouco atrás os demais observando a cena a sua frente com muita curiosidade. Que Bisbilhoteiros! – Desculpe! Eu não sabia que você e o meu Hazz eram apenas amigos, achei que estavam querendo fazer as pazes pela briga que tiveram na porta – Ela estava tão envergonhada e achei tão gracioso que senti vontade de abraçá-la, mas apenas sorri demonstrando que estava tudo bem e dei de ombros.

– Apenas briga de colegas, somos apenas isso – Respondi e vi seu cenho franzir em confusão.

– Bom...eu realmente gostei de vo... – Dona Amy nem conseguiu terminar o que pretendia me dizer já que Liam gritou um Chega mais Hae!

– Vá lá querida que ainda vou lá em cima ver se Harry está se comportando – Ela disse entre risos e eu quase a alertei para guardar essa alegria toda já que não iria ver nada de muito decente no quarto do seu filho.

– Tudo bem! – Respondi sorridente já que estava feliz por não ser amiga de Harold, porque se não sou amiga dele, não tenho o direito de me intrometer e dizer para a sua mãe não subir e ver a safadeza que ele está fazendo.

Quando dona Amy subiu as escadas, eu foquei a minha atenção nos fofoqueiros esparramados no sofá – Eu vou bater em cada um! – Ameacei caminhando até eles.

– Qual é? Foi engraçado – Louis disse entre risinhos.

– Muito engraçado – Ironizei – Vocês me fizeram passar a maior vergonha lá em cima.

– Calma mulher, pelo menos tudo deu certo? – Niall perguntou.

– Olha...

– MEU SENHOR! OH SENHOR! SAIA DE CIMA DO MEU FILHO! – Ops! Era dona Amy.

– O que foi isso? – Zayn perguntou surpreso enquanto os outros estavam completamente assustados e curiosos.

– Talvez ela tenha visto algo – Eu disse como quem não quer nada. 

Ah como estou rindo por dentro!

– Você aprontou alguma, não foi? – Norah perguntou perplexa.

– Eu? – Me fiz de desentendida.

– Com certeza ela aprontou – Louis afirmou e no mesmo instante Candice descia as escadas praticamente correndo enquanto ajeitava a sua minúscula saia. Ela passou por nós sem ao menos dar uma olhadinha ou dizer algo. Que mal educada!

– VISTA JÁ ESSA CALÇA GAROTO! – Mais uma vez ouvimos a mãe de Harold e não contemos as risadas.

– Acho melhor nós irmos galera – Niall disse.

– Com certeza! – Zayn concordou.

– Por quê? – Perguntei fazendo a melhor cara de sofrimento, mas Louis apertou as minhas bochechas acabando com a minha cena – Tudo bem! Vamos logo que vai rolar cintada – Exclamei feliz ao pensar na possibilidade e saímos dali aos risos – Gente! – Parei no meio da calçada ao me lembrar do motivo de eu está ali – Eu preciso ficar.

– Não acho que seja uma boa ideia – Niall disse um pouco preocupado.

– Mas é preciso, não me acertei direito com ele, eu quase consegui e não vai ser agora que vou desistir.

– Mas não é uma boa hora, ele deve está levando o maior sermão – Liam tentou me convencer.

– Não faz mal, eu espero, eu vou esperar não se preocupem.

– Hannie... – Norah tentou intervir, mas não permiti.

– Por favor! – Supliquei.

– Mas está ficando tarde – Louis disse.

– Eu vou ligar para os meus pais e avisar, é sério, preciso que entendam! Não quero ficar mais com essa culpa. Por favor! – Todos entreolharam entre si buscando saber o que deveriam fazer, então mais uma vez supliquei e eles decidiram aceitar a minha decisão. Um pouco ansiosa me despedi deles e caminhei a uma boa, mas não tão longa distância e me sentei na beira da calçada e assim esperei. Meia hora se passou e nesse tempo já havia ligado para os meus pais inventando uma desculpa qualquer sobre ainda ficar na escola resolvendo um trabalho, troquei mensagens com umas velhas amigas da antiga escola e também com Abby, a única que ainda permanecia me distraindo.

Será que ele está com tanta raiva assim de mim Abby?

Raiva? Raiva é pouco! Ainda mais que amanhã é a seleção para o campeonato de final de ano e ele não vai poder participar porque está suspenso.

Caramba! Comecei a digitar enlouquecida uma resposta para Abby, mas o som próximo de uma porta sendo aberta me fez parar e erguer o rosto encontrando o Styles saindo da casa dele. Rapidamente guardei o celular na mochila que estava em cima das minhas pernas e levantei o mais depressa que pude e corri até ele.

– Ei! – O chamei o mais alto que consegui.

Harry

Depois de quase ter levado uns bons tapas da minha mãe por ser pego quase transando, meu quarto foi interditado para garotas e ainda estou sendo obrigado a pegar uns filmes na locadora que nem um empregado.

Merda! Eu só me ferro!

Quando saí ainda mais puto de raiva, uma voz conhecida me fez parar e olhar para o lado. Era Hannie.

– Anda me perseguindo? – Perguntei irritado. Era só o que faltava, eu já não estava com paciência para mais nada e vem mais uma encher o meu saco.

– Calma garoto! Eu estava apenas te esperando – Olhei de relance para o seu corpo e vi que ainda estava de uniforme.

– O que quer? – Perguntei impaciente.

– Que me desculpe – Ouvi bem a sua última palavra e foquei bem no seu rosto. Só podia ser brincadeira.

– Por que você acha que eu devo te perdoar? O que fez simplesmente não tem perdão.

– E-eu sei, eu sei que extrapolei, mas eu estou tão cansada de repetir isso o tempo todo, apenas quero que saiba o quanto isso está me matando! E-e tudo o que eu disse lá no seu quarto é verdade. Acredita em mim! – O que eu poderia achar? Ela estava ali pela segunda vez tentando se desculpar e chegou até a implorar, mas...isso não é o bastante e por mais que Hannie implorasse agora, eu não conseguia me concentrar em nada, não conseguia pensar em nada agora, eu estou tão irado que só quero ficar em paz, sem ninguém me enchendo a cabeça.

– Eu não acredito em você – Está aí uma meia verdade, porque eu acreditava nela, mas não completamente. Hannie era como uma cobra sorrateira e eu não podia dar mole de novo – Não adianta! Olha, eu preciso ir...

– Se não acredita, então... por que me abraçou, hein? – Aaaah o abraço. Porra! É eu a abracei! E agora? Se nem eu sei por que a abracei – Diz logo! Por que me abraçou se nem ao menos gosta de ficar perto de mim?

– Como você pode dizer uma merda dessas? Eu estava perto de você, mas advinha só quem estragou tudo? – Hannie nem se quer abriu a boca para dizer algo, apenas ficou ali me observando fixamente sem qualquer reação – E sabe por que eu te abracei? Porque eu queria que calasse a porra da boca!

– Eu não acredito nisso seu idiota! – Ela esbravejou.

– Ah! Agora eu me tornei um idiota, não é? Por favor, você realmente acha que eu ia te abraçar do nada? Por livre e espontânea vontade?!

– Não sei, eu...

– Isso! Você não sabe e pode ter certeza que foi algo que eu não quis fazer e me arrependo de ter feito, eu só queria calar a droga dessa tua boca e que se foda com essas desculpas! Vai embora! – Eu nem pude e nem queria mais ficar ali, nem ao menos esperei qualquer resposta, virei as costas e comecei a segui o caminho que eu já deveria está fazendo a horas.

– Eu posso te ajudar – Novamente a escutei, mas sua voz estava tão baixa que não sei como consegui ouvir. Cessei os passos, mas permaneci de costas esperando ela continuar – Eu posso te ajudar a fazer o teste amanhã.

O quê? Que droga ela está falando?

– Não fala besteira garota.

– Amanhã... – Ela ignorou as minhas palavras e prosseguiu – Eu passo aqui as seis, então esteja pronto.

– Mas o que... – Quando enfim me virei para olhá-la, vi apenas as suas costas enquanto seus passos a levavam para o lado oposto.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...