História Play again? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin
Tags Bangtan Boys, Bts, Hopemin, J-hope, Jihope, Jimin, Jung Hoseok, Park Jimin, Yaoi
Exibições 66
Palavras 3.382
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Annyeong ♡

Sejam bem-vindos (as) à mais uma nova fanfiction minha, na categoria. “Play Again?” é uma fanfiction especialmente dedicada ao meu couple/ship favorito no Bangtan, jihope/hopemin (J-Hope e Jimin) e todos os outros nomes que já esbarrei por aí.

Também é meu primeiro yaoi longfic, então espero que gostem de participar dessa experiência comigo.



Considerações a serem levadas em conta antes de iniciar a leitura dessa fanfiction:

✿ Disclaimer: Bangtan Boys (BTS) e seus respectivos membros não me pertencem, somente a Big Hit Entertainment e seus respectivos responsáveis.

✿ PLÁGIO É CRIME. Direitos autorais reservados pela lei 9.610. Qualquer reprodução deste texto, total ou parcial, sem expressa autorização escrita, é terminantemente proibida.

✿ A fanfiction é focada em Jung Hoseok e Park Jimin e no relacionamento amoroso fantasiado entre os dois, mencionando outros casais como hopekook e taekook. Caso não curta ou se sinta desconfortável com isso, recomendo que não leia a fanfiction.

✿ A autora tem tendências a demorar para atualizar, seja por se envolver em vários projetos de uma vez ou por estar no último ano da faculdade. Perdoem ela, por favor.

✿ Apesar de estar marcado para maiores de dezoito, eu ainda não me decidi a cerca do lemon da história, se será detalhado ou mais simples. Mas por conter insinuações de sexo mais detalhadas, deixei marcado por segurança.



Façam uma ótima leitura!
Nos vemos nas notas finais.

Antes que eu me esqueça, Carol, dedico essa fanfiction a você, minha musa inspiradora ♡

Capítulo 1 - Aplicativos de encontro, amizades e muffins.


Play again?

a bangtan boys fanfiction.

 

CAPÍTULO 1

Aplicativos de encontro, amizades e muffins.

 

 

18.09.2016

11h43

 

Quando as nuvens escuras resolveram se apossar do céu de Seul mais cedo do que o esperado, os jovens que saiam da Yesuldae University já sabiam quais seriam os seus planos pós-aula.

Era comum que os alunos passassem as tardes de estudo na cafeteria em frente ao campus, apenas para tomar o famoso café da região, enquanto trocavam anotações e discutiam assuntos pertinentes às aulas ou ao dia-a-dia. O clima frio convidava os jovens para uma xícara de café ou chocolate quente em meio a apetitosos aperitivos doces. A tempestade nem havia se iniciado, quando grupos de jovens atravessavam a avenida para se encontrarem no estabelecimento à frente.

Aquela rotina não era diferente para os dois amigos que atravessavam o portão da histórica universidade de artes da capital. Ambos estavam distraídos com seus aparelhos celulares e papeavam sobre as últimas e entediantes aulas teóricas de história da arte que Jimin havia tido, dizendo sobre o quanto lutou bravamente consigo mesmo para não dormir em meio aos seus livros empoeirados, enquanto Hoseok apenas ouvia atentamente, rindo sobre os gestos exagerados que o mais novo fazia, tendo em vista que o próprio já havia preenchido aquela carga horária e sabia perfeitamente o quão entediante era aquelas aulas.

— Hyung, eu vou precisar da sua ajuda para passar nessa matéria, já que sozinho eu não vou conseguir — Jimin usou seu habitual tom manhoso para se referir ao seu sunbaenim, enquanto deixavam o campus.

— Quando vai ser a prova final? — Hoseok perguntou, preocupado com as notas do mais novo, tornando o seu semblante mais sério do que o comum.

— Em duas semanas, estou tão nervoso! — o mais novo respondeu fazendo uma careta de desgosto. Ambos estavam parados no semáforo, esperando-o abrir passagem para os pedestres.

— Quando você chegar do trabalho, vamos começar a repassar a matéria — o mais velho disse, ainda mantendo o seu semblante sério; algo completamente incomum a Jung Hoseok.

— Obrigado hyung! — Jimin agradeceu com um imenso sorriso em seus lábios grossos, quase pulando de alegria em plena avenida repleta de jovens aguardando o sinal verde — Vamos até o café? — apontou para o estabelecimento — Preciso de um tempo antes de ir para o estúdio.

— Sem almoçar, Park Jimin? — Hoseok estreitou os olhos, cruzando os braços. Sua posição de mais velho havia sido tomada com sucesso e Jimin já poderia até ouvir o discurso sobre o quanto se alimentar era importante, tendo em vista das dezenas de vezes que o hyung teve que sair do seu andar, já que trabalhavam no mesmo local, para socorrer o garoto que passava mal devido à ausência de refeições ou má alimentação, obrigando o mais velho a vigiar sempre o que e quando o garoto comia.

— Vou comer lá, hyung — Jimin respondeu usando seu sorriso grande e bonito, deixando seus dentinhos tortos à mostra. O garoto era todo charme, desde o tom de voz cheio de manha aos olhinhos que apertavam quando abria um grande sorriso. Hoseok tinha que se conter para não agarrá-lo e enchê-lo de abraços e carinhos no meio da calçada.

Hoseok e Jimin trabalhavam em um estúdio de dança; Hoseok lecionava algumas aulas de dança para trainees de agências musicais menores — e muitas vezes, servindo como treinador desses jovens —, enquanto Jimin apenas sonhava em ocupar um cargo de grande importância como o seu hyung, sendo apenas o monitor de um grupo de jovens bailarinas. Era comum quando chegavam no estúdio que almoçassem juntos no restaurante presente no lugar; ambos adoravam a comida servida lá, era caseira e saborosa, mas quando chegavam as épocas de provas ou quando a agência fechava um grupo, Hoseok invertia seus horários e não conseguia partilhar das suas refeições com seu amigo.

 — Tudo bem. Um café não fará mal, então — convencido, Hoseok e Jimin atravessaram a avenida assim que o sinal verde piscou, acompanhando um grupo grande de amigos que seguiam para o mesmo lugar.

O lugar era grande o suficiente para acomodar os jovens que ocupavam as cadeiras verdes, colorindo a madeira escura com as dezenas de livros e com as mochilas cheias de penduricalhos, além das canetas coloridas que deslizavam pelas folhas brancas copiando exaustivamente as anotações dos colegas. As vozes e risadas se misturavam a música ambiente, geralmente oriunda de algum grupo ou banda que estava no auge do seu sucesso entre os mais jovens. Jimin e Hoseok estavam atrasados para o horário em que o café se encontrava mais vazio, o que geralmente era segundos após o horário de saída dos alunos, e se pretendiam se acomodar em algum lugar confortável para saborear suas bebidas pelos próximos minutos, seria uma atividade um pouco difícil levando em conta o horário.

Incrivelmente, o lugar estava mais vazio que o habitual. Como as semanas de provas estavam se aproximando, era comum que os estudantes tivessem preferência pelo silêncio da biblioteca ou pelo conforto dos seus lares para estudar. Assim, não foi difícil para Hoseok e Jimin encontrarem um bom lugar para se acomodarem e fazer os seus pedidos. O lugar escolhido era em um canto mais afastado da multidão, próximo a uma imensa janela de vidro que dava para o canteiro de rosas que circundavam o estabelecimento. Aquela mistura perfumada de rosas brancas e vermelhas era uma paisagem imensamente bonita.

Após se acomodarem, uma garçonete surgiu para anotar os pedidos dos rapazes com o catálogo de bebidas, doces e salgados em mãos, envolvida pelos laços e babados do vestido que compunha seu uniforme verde. Ambos demoraram apenas alguns minutos para se decidirem entre as diversas opções saborosas ofertadas pelo lugar o que gerou uma breve discussão sobre os melhores sabores dos muffins que pretendiam pedir. Ao concluir a discussão, ambos optaram pelas suas bebidas habituais e dois muffins de baunilha apenas para acompanhar as bebidas quentes.

— Jimin-ah, pare de babar pela moça — Hoseok advertiu entre risos, após constatar a feição extasiada de seu dongsaeng com a beleza da garçonete.

— Desculpa hyung, mas ela é tão bonita — o mais novo admitiu seguindo a garçonete com o seu olhar doce e quase apaixonado.

A gargalhada de seu hyung o despertou de seus pensamentos e Jimin tentou disfarçar o desconforto de sua admiração pela mulher que os atendeu gentilmente, tirando a sua touca deixando seus cabelos loiros à mostra. A cena que deveria ser cotidiana e trivial, acabou se tornando algo mágico para Hoseok que caia pelos charmes que o garoto tinha sem ao menos perceber que o fitava da mesma forma que o garoto admirou a bela garçonete.

— Hyung! — Jimin chamou a atenção do mais velho — Pode parar de me olhar dessa forma? — a pergunta soou em um tom mais baixo e manhoso do que o normal. Era o Jimin em seu modo tímido ativado apenas pelo olhar admirado — e quase apaixonado — de Hoseok.

E foi quando o mais velho viu Jimin se encolher em sua própria timidez que sua admiração tomou forma e cor dentro de seu coração. A mãozinha pequena cheia de anéis tapava o mais belo sorriso que ele já viu, enquanto o rosto estava voltado para a rua, tentando esconder o desconforto que seu admirador provocava. Aquele modo tímido do garoto era um dos charmes principais nele, o garoto sempre comunicativo e carinhoso, só se sentia acanhado daquela forma na presença de Hoseok. Bastava um olhar mais admirado ou um elogio que ele se encolhia, escondendo seu sorriso com as mãos e desviando qualquer contato visual. Apesar de isso acontecer basicamente com qualquer pessoa, ele se sentia profundamente afetado quando os elogios proviam do hyung.

— Desculpa Jiminie, às vezes, é impossível não cair pelos seus charmes — Hoseok foi completamente sincero em sua resposta, apoiando os cotovelos na mesa e o rosto em suas mãos, tomando uma posição que privilegiava a sua admiração a Jimin que continuava acanhado.

— Não vou falar com você até você parar — Jimin falou sério, enquanto permanecia com o seu rosto virado para a grande janela de vidro, encarando o movimento aleatório na avenida.

Hoseok riu da chantagem feita e decidiu desfazer da sua posição admiradora. Um sorriso bobo não saia de seus lábios, quando ele apanhou o seu aparelho celular do bolso de seus jeans.

— Tudo bem — ele sorriu, vendo o garoto retomar o contato visual novamente curioso pelo que chamava a atenção do seu hyung na tela do aparelho celular — Eu paro, Jiminie — e as suas atenções estavam totalmente voltadas para o aparelho em suas mãos.

Rapidamente, as bebidas e os muffins de baunilha foram entregues pela bela garçonete que trazia na bandeja um odor magnífico. Assim que a simpática garçonete deixou a mesa, Jimin não observou-a novamente, apenas tendo olhos para a sua bebida quente e adocicada e o seu hyung que não desgrudava os olhos do aparelho celular em suas mãos.

Jimin já estava acostumado a ser trocado pelo aparelho, bem como costumeiramente fazia com o amigo. Não que isso o incomodasse, muito pelo contrário, o aparelho era algo importante para os dois, afinal era a única forma de manter contato com os colegas da universidade, com os seus amigos e a família — bom, pelo menos a única parte que se importavam com a existência deles — e Jimin nunca repudiou aquele ato.

Brincando com a ponta do dedo indicador sobre a borda da xícara, ele pensou em como se sentia bem naquele ambiente familiar, contemplando a companhia do hyung que cantarolava alguma música que ele não conseguia entender, enquanto preparava o guardanapo para abocanhar uma parte do muffin.

A amizade de Hoseok e Jimin tinha lá os seus altos e baixos, estes sendo fruto das dolorosas experiências que cada um viveu ou da ingenuidade que ainda carregavam em seus corações. Três anos se passaram, mas parecia que ambos se conheciam desde os primórdios de suas vidas. Se felicitavam com a forma que suas irmãs mais velhas haviam se dado bem da mesma forma que eles. Jiwoo era a única parte da família Jung que realmente se importava com Hoseok, enquanto Hyuna era um dos pontos fracos de Jimin. E sem perceber, Hoseok havia se tornado também um ponto fraco para seu dongsaeng.

Mas é claro que Hoseok havia registrado a forma bonita que seu muffin ficou com uma mordida bem desenhada próximo do muffin do mais novo à sua frente. Tudo parecia tão bonito e diferente, praticamente pedindo para ser fotografado. E mais uma fotografia daquele break doce após as extenuantes aulas se misturou as fotos do estúdio, dos seus amigos e do céu de Seul que ele teimava em registrar quase que diariamente. Mas é um segredo entre nós: quando Jimin estava distraído com a sua xícara grande de porcelana, o seu hyung tirou uma foto que parecia até ter sido programada para ser daquela forma, mas que era completamente natural. Jimin e sua beleza era algo que Hoseok registrava sempre que podia.

— Hyung, você conhece o Dash Dating? — Jimin perguntou subitamente, demonstrando certa curiosidade.

— Aquela aplicativo de encontro? — o garoto assentiu — Conheço sim, inclusive estou usando agora — Hoseok respondeu, enquanto deslizava seu indicador pela tela do celular, bebericando o café quentinho da grande xícara de porcelana.

Se Jimin não estivesse tão concentrado na curiosidade sobre o porquê um rapaz tão bonito e desejado quanto seu hyung estava usando um aplicativo de encontro, ele poderia observar aquela cena como se estivesse observando a mais bela obra de arte já que o rapaz a sua frente realmente parecia uma com seus cabelos alaranjados desalinhados e sua gola alta de listras por debaixo de um casaco de couro.

— Você usa? — o garoto questionou subitamente, curioso com a resposta que o Hoseok daria, mas ela veio apenas na forma de um aceno com a cabeça, enquanto o mais velho saboreava o seu muffin.

— Eu acho que você deveria usar — Hoseok terminou seu muffin — É divertido, quando dá certo, claro.

— Sinal que nunca deu certo — Jimin suspirou, brincando com a borda da xícara quase vazia.

— Não é qualquer um que quer experimentar a segunda etapa do jogo — advertiu o mais velho.

— Bom, eu acho que vou tentar usar ele também, apesar das minhas esperanças de encontrar alguém serem quase nulas.

— Até parece, Jiminie — Hoseok riu com a besteira que o outro falou — O que não vai faltar é pretendentes querendo seu número.

Jimin riu com aquele elogio velado.

 

 

O aplicativo de encontros e relacionamentos DASH DATING é um aplicativo que segue os moldes dos aplicativos de encontros mais famosos no mundo, porém inclui pequenos desafios que servem como uma pequena ajuda para conquistar o parceiro escolhido que o confere algumas características de jogo. Outro diferencial do aplicativo é que ele busca sempre incluir todos, independentemente de suas orientações sexuais, sendo um espaço aberto apenas e unicamente para o amor ou para a amizade.

O Dash Dating promove encontro de pessoas que possuam interesses em comum e que estejam dispostas a participar dos desafios. Para isso, o aplicativo cruza as informações disponíveis no perfil com os dados de localização, sugerindo possíveis pretendentes que estejam em uma determinada distância próxima ao perfil cruzado e que tenham interesses em comum.

Quando surgem os pretendentes, o aplicativo mostra na tela inicial todos os perfis cruzados para que a pessoa avalie se deseja “curtir” o perfil ou “recusar”. Para acontecer o “crush” é necessário que a pessoa cujo o perfil tenha sido curtido, curta o perfil de volta para liberar os recursos extras.

Os recursos extras compõem os desafios da parte jogável do aplicativo ou simplesmente um chat privado para troca básicas de informações e marcar encontros pulando a parte divertida do aplicativo. O chat privado também fica disponível para o casal que desejar seguir com os desafios.

O aplicativo vem sendo largamente utilizado no mundo inteiro, tendo sido originalmente criado por um casal de amigos espanhóis que tinham como objetivo “variar na conquista, tornando-a mais divertida e com significado” ao contrário dos aplicativos de encontro comuns.

 

 

— Então, conseguiu baixar? — Hoseok perguntou, curioso ao ver que havia se passado dez minutos desde que Jimin anunciou que estava fazendo download do aplicativo de encontros.

— Sim, eu já estou criando meu perfil — Jimin respondeu, compenetrado naquilo que fazia, enquanto Hoseok pode assistir as três tentativas de selca de Jimin, que tentava encontrar o melhor ângulo que pudesse mostrar todo o charme do garoto de Busan — Pronto, meu perfil já está criado! — advertiu, alegre.

— Agora é só randomizar e encontrar seu pretendente perfeito! — Hoseok respondeu a todo sorrisos, voltando suas atenções para o aplicativo em seu próprio celular, terminado com o conteúdo em sua xícara.

Alguns minutos se passaram desde que Jimin terminou de criar o seu perfil, apesar da dica do hyung ter sido simples e clara, ele se atrapalhou para encontrar o lugar em que deveria randomizar para encontrar os perfis compatíveis com o seu. Alguns perfis não tinham nada a ver com o que o garoto realmente desejava em um pretendente, independente do gênero, mas um em especial chamou muito a sua atenção, diga-se de passagem, inclusive fazendo-o engasgar ao vê-lo.

— Hyung! — o garoto praticamente gritou em meio as tossidas — Olha isso! — Jimin se debruçou na mesa, mostrando seu aparelho celular para o mais velho.

Hoseok se engasgou com a sua própria saliva quando viu a sua própria foto de perfil no aplicativo de encontros na tela do celular de Jimin, classificado como par ideal próximo nível cinco estrelas.

— Somos tão compatíveis assim? — Jimin, que continuava debruçado na mesa, fez uma pergunta retórica em meio a risos, observando as reações de surpresa que seu hyung fazia.

E depois da surpresa, veio o divertimento. Hoseok riu, mas não era qualquer gargalhada, era a gargalhada típica de Jung Hoseok. Escandalosa e repleta de palmas e batidas na mesa, chamando a atenção de qualquer ser humano nas proximidades — e eles escolheram bem se sentar afastado do grande público, assim podiam se expressar daquela forma. Jimin riu junto, tanto pela coincidência, tanto porque ver seu hyung rir o fazia rir também, era contagiante.

— Olha Jimin, eu duvido você conseguir passar de todas as fases do jogo — Hoseok observou o garoto próximo a si, de forma completamente desafiadora.

Jimin conhecia aquele tom de voz grave que ele usou, era aquele tom que ele usava quando flertava — ou quando tentava cantar alguma música, já que o ponto forte de Hoseok era o rap — era o tom de voz que mexia com o baixo ventre de Jimin de uma forma ao qual ele nunca admitiria.

— Isso é um desafio, hyung? — um sorriso perverso brincou nos lábios do rapaz, dotado de uma coragem que vinha do fato de ele não gostar de ser desafiado.

— Talvez — o mais velho desviou o olhar, voltando para o aparelho em suas mãos.

Ainda debruçado na mesa, Jimin deu um “curtir” no perfil do amigo. Quando Hoseok percebeu, havia recebido uma notificação de que seu perfil havia sido curtido por alguém.

— Jiminie — ele praticamente sussurrou tentando convencer o amigo de que aquilo seria uma loucura.

— Vamos hyung, curte de volta — o garoto mordeu o lábio inferior antes de dizer — Eu quero vencer — Jimin deu uma piscadela, balançando na mesa como uma criança.

— Tudo bem — Hoseok, então, “curtiu” o perfil do mais novo.

 — “Crush”! — Jimin disse, entusiasmado, enfim, voltando ao seu lugar.         

Quase que simultaneamente, Jimin e Hoseok leram as regras que o aplicativo de encontros ditava sobre o próximo passo, a conquista.

— Amanhã nós começamos — Hoseok disse, após certificar do horário. Ele se ergueu, apanhando a mochila e a colocando nas costas enquanto continuava — E eu só quero saber o que eu ganho no final — sorriu vitorioso.

— Ah hyung… — se o hyung soubesse o que passou na mente do aparente inocente Jimin, talvez iria querer ganhar o mais rápido possível — Que tal, quem ganhar escolhe o seu prêmio? — Jimin colocou os cotovelos na mesa, apoiando seu rosto nas mãos — Pode ser qualquer, eu repito, qualquer coisa — a piscadela estava de volta, acompanhada de um sorriso absurdamente perverso.

Hoseok se sentiu desafiado de uma forma absurda, como nunca havia sentido, nem quando participava das competições de dança em Gwangju com o grupo de dança em que fazia parte. Ele não sabia qual “prêmio” iria escolher, em caso obter pontos suficientes para ganhar do garoto, mas sabia que seu pedido tinha que ser especial e pensado com muito carinho.

 

▴▴▴

 

Mais tarde, quando Jimin estava sozinho na sala de dança do estúdio, em mais uma de suas pausas, ele pensou no desafio que propôs ao seu hyung.

Ele queria ganhar a todo custo e não era apenas para satisfazer o seu ego — bom, pelo menos não em boa parte disso —, mas sim para fazer algo que ele queria fazer há muito tempo. Desde que Hoseok terminou o namoro com um dos seus colegas em comum, Jeon Jeongguk, o rapaz não tem dado muita sorte em se reerguer e se apaixonar novamente. Tudo parecia girar em torno do garoto de dezenove anos que parecia ter uma espécie de feitiço que faz todos se apaixonarem por ele, mas que não tratou o hyung da forma como ele merecia. Uma traição bastou para tudo se despedaçar e Jimin ser o amigo-psicólogo que Hoseok precisava, mas se reerguer depois de um término daquilo que seria o romance açucarado de suas vidas, não é fácil e Jimin bem sabia como era vivenciar aquilo.

E se ele conseguisse vencer, era um claro sinal de que seus charmes seriam eficazes em apagar definitivamente o garoto da mente de Hoseok. E talvez, Hoseok pudesse sentir um pouquinho do amor que Jimin guardava silenciosamente em seu coração desde muito antes de Jeongguk chegar e desfazer o seu amor em mil pedacinhos não correspondidos.

Hobi, como Hoseok era carinhosamente chamado pelos seus amigos, merecia alguém que verdadeiramente valorizasse a sua presença, que o cobrisse de carinhos até que ele se sufocasse, afinal, Jimin era tão grudento e carente quanto o hyung aparentava ser com Jeongguk, que sempre se demonstrava mais frio e distante. Jimin o odiava por isso, “tinha a oportunidade, mas não sabia aproveitar”.

E nem que fosse apenas algo temporário, Jimin estava obstinado a fazer Hoseok esquecer aquele garoto que havia partido o coração de seu amado hyung, usando o seu amor.

 

 

It’s a melancholy time,

But together we’ll be fine.

 

Till the sun won’t shine

Till the end of time.¹


Notas Finais


► Hurricanes and Suns¹ — Tokio Hotel | https://www.youtube.com/watch?v=yNBFkANEd5M

► Tradução de Hurricanes and Suns | https://www.vagalume.com.br/tokio-hotel/hurricanes-and-suns-traducao.html

► Inspiração para a fanfiction | https://www.youtube.com/watch?v=pcjBgLb0Occ



► Caso não tenha ficado claro, nessa fanfiction Hoseok é homossexual e Jimin bissexual. A história de ambos será melhor detalhada no próximo capítulo, principalmente, a de Hoseok.

► Comentem, favoritem e divulguem a fanfiction e venham amar jihope e venham dar muito amor a esse couple e essa fanfiction ♡

► Caso alguém queira bater um papinho ou só cobrar novos capítulos, meu twitter é annexhoseok.

Beijos e até logo ★~(◡‿◡✿)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...