História Play Date - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Undertale
Tags Alphyne, Frisk, Papyton, Sans, Sans X Frisk, Undertale
Exibições 309
Palavras 1.957
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Cabum.
Gente, eu só queria dizer que a fanfic não está em uma ordem certa, ok? Tipo, os capítulos podem voltar no passado para contar um fato ocorrido.
Isso AINDA não aconteceu! Mas quando acontecer eu irei avisar. Beijos :D
AHH E DESCULPEM COLOCAR PERSONAGENS AGORA, EU HAVIA ESQUECIDO COMPLETAMENTE DA EXISTÊNCIA DE ALGUNS, SORRY~
Ah e mais uma coisa, o nome ''FLAVIA'' Dessa fanfic não tem acento. Então tanto faz se você colocar Flávia ou Flavia, dá no mesmo :D
Eu ainda vou trocar de capa... Me aguardem

Capítulo 16 - Pity Party


Fanfic / Fanfiction Play Date - Capítulo 16 - Pity Party

— Hey Paps, quanto tempo você acha que uma flor pode demorar para crescer?

— Oras, depende da flor… — O albino mais novo logo o olhou confuso. — Pera aí, não é nenhum trocadilho? Se for, eu não vou responder!

Sans suspira e tenta encará-lo com uma face séria, porém, propositalmente esboçou mais um de seus famosos sorrisos sádicos.

— Talvez… — O rapaz parou um pouco, sorriu e começou a desviar o olhar. — Bro, pode parecer que estou querendo fazer alguma piada, mas não, eu juro!

Papyrus o olhou desconfiado e logo abriu a boca para falar:

— Talvez eu, o Grande Papyrus, te ajude com essa dúvida. Nyeh heh heh… — Riu ele. Sans apenas negou com a cabeça de forma sorridente. — Mas… Porque a pergunta?

 

Um mês depois…

 

Frisk observava pela segunda vez a cozinha, sem nada para fazer em uma tarde de sábado — Bastante quente, inclusive. Resolveu deitar-se no chão da cozinha para observar o teto branco de sua casa. Suas vestimentas eram apenas uma regata e um shorts largo curto. Olhava para os lados na tentativa de se mexer um pouco. Após alguns minutos pensativa, Frisk se lembrou que Hoje era o dia.

Rapidamente levantou-se do chão e correu para o seu calendário com alguns corações presos no mesmo.

— É hoje! — Deu alguns pulinhos de alegria.

Mas afinal, o que era tão especial assim? Oras, era o seu aniversário e o de seu irmão mais velho, Chara. Hoje mesmo estariam completando quinze anos — o que pra eles e pra sua família, essa é a idade em que a pessoa deixa de ser criança. Mesmo que, de acordo com algumas fontes, a pessoa deixa de ser criança a partir dos dez anos de idade. Mesmo Frisk sendo a mais nova, ela ainda era considerada uma criança na família.

A garota estava sozinha em casa, algo bastante incomum.

— Tenho que contar ao Sans que a partir das três e meia da tarde, não serei mais aquela garotinha que ele cuida desde o mês retrasado!

Ainda aproveitando que estava em seu quarto, resolveu fazer uma visitinha aos seus amigos, Paps e Sans. Foi até o guarda-roupa e tirou de lá um vestido de cor neutra com mangas curtas, foi até o banheiro e tomou um banho rápido, mesmo querendo ficar lá por conta da água que estava na temperatura ideal para um dia quente, e se arrumou. Saiu de casa e a trancou na chave, fui rumo à casa dos irmãos.

Passou por Muffet, Bratty e Catty, que lhe deram alguns petiscos por se lembrarem do aniversário da pequena, menos Burgerpants, quando a mesma passou por lá ele fingiu dormir, porém ela não ligou e passou direto por ele, e depois de mais alguns minutos de caminhada finalmente chegou. Bateu duas vezes na porta e foi atendida por ninguém mais que Flavia.

— Oh, é você… — Falou ela com desgosto ao encarar Frisk. A mesma a fitou com um enorme ponto de interrogação na face. — Sans! Aquela garota está aqui!

Ela se escorou na porta e esperou que o rapaz fosse falar com a garota que estava do lado de fora, loira nem sequer pediu para a morena adentrar a casa, enquanto ele não chegava, Flavia encarava a menor com um olhar de desdém. Até que finalmente ele chegou.

— Hey, Kiddo. Eu não esperava você por aqui  — Sorriu ele. — Então, o que te trás aqui?

— Eu quis fazer uma visita, estava sozinha em casa. — Ela fez uma pequena pausa e percebeu que ele não estava com o seu casaco azul felpudo, mas assim, apenas uma blusa branca e uma calça preta listrada — Não muito diferente da que ele usa no dia a dia.

— A casa está muito bagunçada, pirralha! Sans não se ofereceu para arrumar! — Gritou Undyne da cozinha. Era de se esperar, já que aos sábados ela tinha uma aula com Papyrus. O rapaz apenas sorriu e suspirou, dando passagem para Frisk entrar.

— Não esperávamos uma visita sua! — Falou Papyrus ao sair da cozinha com um avental escrito: Cool dude. — Seja bem-vinda!

Frisk apenas sorriu e foi fuzilada por Flavia, talvez pelo fato de não a tratarem assim quando ela está fazendo uma visita aos amigos do namorado?

Talvez.

A Morena acabou sendo presa por Papyrus e Undyne na cozinha, enquanto Sans e Flavia estavam na sala.

— No começo essa garota era legal! Agora não passa de uma esnobe do cara—

— Uh-uhm… — Gemeu Papyrus, com um ar de repreendedor, interrompendo Undyne de seu palavrão.

— Eu entendo, quando eu a conheci, ela me tratou super bem. Me chamou até de fofa!

— É só não ligar, eu acho… — Falou Undyne, descascando algumas batatas.

Ao mesmo tempo que conversavam, Frisk se sentia um pouco triste por não se lembrarem de seu aniversário, com exceção de Papyrus, já que a mesma o conhecia faz um tempo, mas ela não culpava ninguém, além de ter conhecido metade de seus amigos mês retrasado.

~~

Did my invitations disappear?

Why'd I put my heart on every cursive letter?

Tell me why the hell no one is here

Tell me what to do to make it all feel better

Frisk se jogou na cama e ficou de cabeça para baixo em sua cama, enquanto balança os pés no ar e piscava inúmeras vezes. Agora eram quatro e meia da tarde, o sol forte batia em sua janela e voltava mais forte na beira de sua cama.

A mesma ouviu no andar de baixo a porta se abrir e fechar, logo vindo de risadas e as vozes de Toriel e Asgore, ela resolveu descer e se deparou com um grande bolo confeitado sobre a mesa.

Maybe it's a cruel joke on me

Whatever, whatever

Just means there's way more cake for me

Forever, forever

— Hey! Parabéns para nós, Frisk! — Chara disse, indo em direção à irmã e dando um abraço nela.

— Oh minha criança! Nos desculpe por ter lhe deixado sozinha hoje! — Falou Toriel, indo abraçá-la. — E meus parabéns. — Deu um beijo em sua bochecha. Ela e seu irmão logo foram recebidos com beijos e bochechas sendo apertadas por mãos de mãe.

It's my party and I'll cry if I want to

Cry if I want to (cry, cry, cry)

I'll cry until the candles burn down this place

I'll cry until my pity party's in flames

Enquanto estavam sentados no sofá assistindo um pouco de tv, foram descontraídos por conta do bater na porta, podia-se ouvir alguns sussurros de várias pessoas atrás da mesma. Toriel olhou confusa para o marido e os filhos, mas logo teve a audácia de antender. E foram surpreendidos com umas sete pessoas paradas em frente à Toriel, todos segurando balões e algumas caixas de presentes.

— Oh… Entrem. — Falou ela, dando espaço para todos entrarem.

— Eu não acredito que… — Frisk não tinha palavras para descrever isto.

— Oh, querida! Papzinho nos contou sobre o aniversário dos gêmeos. — Sorriu Mettaton.  

Frisk olhou para o albino menor e sorriu em forma de agradecimento, mas para ela um sorriso não estava bom, correu até o mesmo e deu-lhe um abraço forte.

Maybe if I knew all of them well

I wouldn't have been trapped inside this hell that holds me

Maybe if I casted out a spell

Or told them decorations were in pastel ribbons

Quando se afastou de Papyrus, a mesma começou a olhar em volta, estavam todos os seus amigos, Undyne, Alphys, Mettaton, Papyrus, Napstablook, Muffet e Michael… Mas onde ele estava? Ela estava com um pouco de vergonha para perguntar a Papyrus onde seu irmão mais velho estava. Muffet lhe perguntava várias vezes o que estava faltando, já que ela estava um pouco triste.

— Frisk? Queridinha? Tem certeza que está tudo bem? — Perguntou a garota obcecada por aranhas.

— Claro. — Forçou um sorriso.

— Pela sua cara não está… Mas já que se sente melhor não contando, eu entendo. — Suspirou Muffet, segurando as mãos da morena.

— Obrigado por entender. — A morena sorriu,  a garota apenas correspondeu e enfiou um donut com recheio na boca de Frisk e foi embora rindo. A mesma o tirou da boca e começou a comer o que ainda não havia descido por sua garganta. A festa estava muito simples, não haviam luzes como nas festas que Mettaton costuma fazer, mas a casa dos Dreemurr é do tamanho ideal para isso.

I'm laughing, I'm crying

It feels like I'm dying

I'm laughing, I'm crying

Caminhava pela cozinha à procura de Undyne e Alphys, provavelmente elas estariam no banheiro ou quem sabe no quintal. Resolveu não atrapalhar, foi até Mett e Napsta, o outro estava tentando animar seu primo.

— Oh, querido! Assim não tem como te ajudar! — Mettaton acabou falando alto demais.

— Eu sei… — Napsta falou com um ar tristonho. Estes nem pareciam primos. — Desculpe por gastar seu tempo, Mett…

— Querido, eu nunca diria que perdi tempo tentando de ajudar. — Mett falou, colocando a mão sobre o ombro do menor, dando um sorriso aconchegante.

— Mettaton! — Chamou Papyrus. — Você… Quer dançar a próxima música? — Mett apenas esboçou um sorriso e corou.

— Claro, querido!

It feels like I'm dying

I'm laughing, I'm crying

Não eram apenas eles que estavam dançando no meio da sala, Toriel e Asgore estavam fazendo uma dança delicada, Undyne e Alphys era um pouco mais animada e continha alguns passos de Hip Hop, já Papyrus e Mettaton era uma mistura de valsa com tango. Resumidamente, todos que estavam ali dançavam bem.

— Então, Frisk? Que tal dançarmos também? — Perguntou Michael, retirando as mãos do bolso do casaco e entregando para a garota. Ela apenas deceu e logo foram parar junto dos mais velhos.

It feels like I'm dying

I'm dying, I'm dying...

A festa infelizmente acabou e todos os convidados foram embora. Frisk sorriu e agradeceu mais uma vez para todos.

9 de outubro de 2016.

❝Eu pensei que ninguém fosse se importar com o dia de hoje, que, para eles hoje seria mais um dia normal de suas vidas. Mas parece que eu realmente me enganei! Não foi bem uma festa surpresa como eu queria, mas pelo menos teve festa e eles se lembraram do meu aniversário, não é? Pior seria se eu tivesse comemorado sozinha com o meu irmão mais velho, Chara.

Mas…

Acho que hoje teria sido um dia bem melhor se ele tivesse vindo, mas eu não sei se isso daria muito certo, já que provavelmente a namorada dele viria junto e não me daria tanta atenção. Mas de alguma forma, eu realmente espero que ele se lembre amanhã no dia da peça. Ele me convidou para ver a peça em primeira mão, não que eu esteja me achando, mas eu sei tudo o que vai acontecer, Hehe…Eu também espero que Margot seja uma boa Alice, pelo que meus irmãos dizem, ela está se saindo bem nos ensaios. Ainda bem que eu não sou mais a Alice, porque eu teria que ver Sans com uma espécie de roupa de gato, e ficaria difícil de esquecer disso. (Ouve-se risadinhas baixas)❞

Enquanto isso…

 

— Bem, você está pronto para ser entregue. — Sorriu o rapaz albino ao encarar a planta que estava à sua frente. — Espero que ela goste de você tanto quanto ela gostava da outra.

Ela vai gostar, afinal, é a Frisk.

— Sans! O que estava fazendo lá fora? — Perguntou Papyrus o parando no meio da sala. — Por acaso aquilo é… — O mesmo foi interrompido pelo mais velho.

— Não se atreva a contar, é meio que uma surpresa, Bro. — Sorriu de canto. — Para a Pivete...

— Oh! Tenho certeza que ela irá amar!

— Com certeza… — Sans fechou os olhos pensativos e esboçou um sorriso bobo nos lábios. Ele sabia o quanto ela ficara triste pela perda de um ‘’amigo’’ que ela cultivou e cuidou desde que era uma sementinha. Pode até não lembrar Flowey, mas com certeza pode preencher aquele vazio que ficou nela.


Notas Finais


~Destaco comentários desde agora~
Música: https://www.youtube.com/watch?v=6bAPlojfgO0

HEY VOCES VIRAM QUE LANÇOU UNTIL DAWN RASH OF BLOOD? MDDSDSDSDS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...