História Play With Me - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, Tao, V, Xiumin
Tags Baekhyun, Bts, Chanyeol, Exo
Exibições 45
Palavras 1.645
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - Dez



- Me desculpe, de verdade. - Me curvei em sua direção. Ele ainda olhava para o teto enquanto eu me segurava pra não rir de sua situação atual. Vou tentar me lembrar de nunca me machucar perto desses caras. O amigo está todo machucado e os caras não tem nem o bom senso de lhe colocar em uma cama melhor e maior. Parte de suas pernas estão pra fora por não caberem na cama. Não acho que a cama seja pequena, pelo contrário, mas é uma sacanagem. Ele com toda certeza caberia na de Chanyeol.

- Não se preocupe muito, sra. Byun. - Doutor Kim interviu colocando gentilmente a mão em meu ombro. - Ele já passou por coisa pior e além do mais já está bem.

- Muito bem.. - Kris bufou cruzando os braços em sinal de insatisfação. Teria que encontrar um jeito de ajudá-lo logo.

- Não exagere, Kris. Você é um dos mais fortes desse lugar.

- Ela quase me matou! - Rosnou olhando pra mim. Tive uma ideia brilhante.

- Doutor, todos vocês são tipo amigos, não é? - Ele me respondeu com um aceno. - Tem o número do Chanyeol? - Com um olhar duvidoso respondeu:

- Sim, eu tenho. - Fiz um biquinho tentando ser fofa e apontei com a cabeça para Kris, o doutor bonitão logo entendeu o que eu queria dizer e me entregou seu telefone no contato de Chanyeol. Digitei uma mensagem bem tranquila e enviei. Corri até Kris e me curvei.

- Me desculpe por isso, mas você irá me agradecer depois. - Disse tentando convencer mais a mim do que a ele. O mesmo estava com um olhar confuso e desconfiado. Soltei um longo suspiro. É agora, não há mais tempo. - Foi mal, cara. Não é nada pessoal. - Ergui a mão fechada em punho e lhe dei um soco no peito, o mesmo gritou e se contorceu no mesmo instante. Segundos depois um Chanyeol preocupado e levemente desesperado adentrou o quarto junto de Kyungsoo e Zitao.

  - Vamos levá-lo para o meu quarto! - Praticamente ordenou. - Obrigado pelo aviso, Jin. - Doutor sorriu educadamente.

  - É o meu trabalho, sr. Park. - Logo Chanyeol e os outros saíram carregando Kris. Mordi o lábio, talvez tenha exagerado.

- Eu exagerei? Só queria compensá-lo. - Ele sorriu cúmplice. - Kris não parecia muito confortável aqui.

- Seja como for eu me diverti. - Riu. - Ele é mais forte do que parece, sra. Byun. A propósito, não sabia que Baek tinha se casado. Na verdade nunca achei que ele se casaria algum dia.

- Ah... - Eu sou casada. Com todos esses problemas tinha até me esquecido. Não é como se fosse um casamento real. Ele cruzou os braços e se aproximou com uma expressão pensativa.

- Por que me parece que a senhora não queria estar casada? - Indagou. - Baekhyun não me parece um homem casado... Mas isso não é da minha conta, não é? - Mudou de assunto. - Sou Seokjin.

- Pode me chamar de Soomin. - Ele ficou sério por um instante mas logo se recompôs. - O que foi? Está se sentindo bem? - Que irônico perguntar isso a um médico.

- Sim, eu só me lembrei de algo. Nada de mais. Foi bom conhecê-la, Soomin. - Sorriu. Seu sorriso me lembrou o de meu pai em suas fotos de quando era jovem e só então notei a gritante semelhança entre eles. Meus olhos lacrimejaram com lembrança de meu pai.

- Sim. - Desviei o olhar para não demonstrar que estava prestes a chorar. - Foi um prazer. - Senti ele pegar minha mão e lá depositar dois cartões de visita. Notei que um era dele. - Kim Namjoon?

- É o melhor psicólogo do país.

- Mas... Por que me deu isso? - Perguntei confusa.

- Não se pode prever o futuro, não é? Se algum dia precisar já sabe. - Mesmo não o olhando sabia que ele estava com uma expressão preocupada. Parecia um daqueles irmãos mais velhos protetores, de certa forma isso me confortou. - Se você se sentir triste e desmotivada, ele é a pessoa certa pra conversar. Seu marido também o conhece e tenho certeza de que ele concordará comigo.

- Tudo bem, obrigada. - Sorri agradecida.

- Bom, acho melhor ir ver se meu paciente está bem. - Colocou uma mão em meu ombro. - Você está pálida, vá comer alguma coisa antes de ir falar com Kris. - Com a mão livre bagunçou meu cabelo fazendo-me rir. 

- Sim, capitão! - Ri ainda mais com meu ato e nos dirigimos aos nossos destinos. Não faria muito sentido dormir agora que já amanheceu então corri logo para a cozinha, meu estômago já se encontrava em estado de calamidade.
Depois que Luhan me encheu de comida fui relutante ao quarto de Chanyeol. Dei uma espiada e o vi rir com algo que Chanyeol havia dito.

- Não vai contar pra eles sobre o plano? - Kris se agarrou em um travesseiro.

- É melhor deixar como está. - Chanyeol se levantou e foi logo atingido por um travesseiro enquanto eu me segurava pra não rir.

- Você é um inútil, cara. - Ouvi um rosnado.

- Não mais que você. - Ao se virar pra porta e me ver, Chanyeol deu um sorriso e saiu às pressas me deixando sozinha com Kris.

- O que você quer aqui? - Suspirei e me sentei perto dele. Fiquei feliz por velo confortável.

- Sei que a culpa foi minha por você estar aqui, mas não precisa ficar me olhando com essa cara feia. - Comecei. Ele apenas olhou para o outo lado do quarto cruzando os braços. Vai ser difícil. - Está mais confortável aqui ou meu plano não deu certo?

- Se pensa que vai conseguir me fazer gostar de você como fez com os outros, desista. Não preciso de sua companhia pra nada.

- Está parecendo uma criança mimada. Eu só tentei te ajudar, tudo bem que foi algo impensado, mas eu só queria que você se sentisse mais confortável. - Me levantei, não iria dar minha cara para os outros baterem. - Já que está bem vou me retirar.

  - Já vai tarde. - Me segurei pra não socar a cara dele e sai do quarto.

- Não ligue pra ele. - Coloquei a mão no peito. Por que ele sempre aparece do nada nos lugares? - Kris só está estressado. Ele é do tipo de pessoa que desconta nos outros, mas é um cara legal.

- Tão legal quanto você? - Zombei.

- Claro que não, Byun Baekhyun é único. - Sorriu. - Quero te mostrar uma coisa. - Segurou minha mão e me puxou pra biblioteca. Assim que vi aquele quadro o abracei sorrindo.

- Chanyeol insistiu para que você também tivesse o seu. - Agora eu também teria um número. Dei pulinhos.

- Mas porquê o número 100. - Ele passou a mão nos cabelos tentando parecer sexy.

- Porque 100 é baek(100). - Não iria rir dele agora, estava feliz por termos nos acertado.

- Você é quem manda. Eu sou 100sacional(N.A: não aguentei rsrsrs) - Foi a vez de Baek rir. Seu olhar começou a me analisar.

- E pensar que eu queria acabar com você. - Colocou uma mão em meu ombro.

- Idem, amigo.

- Baek, precisamos de ajuda. - Olhei para a porta e vi Chanyeol com uma expressão preocupada. Senti meu coração apertar. Baek me lançou um meio sorriso e foi até Chanyeol. Tentei me distrair com o meu quadro enquanto os dois conversavam. Quando notei estava sozinha. O que poderia ter acontecido?
Nem sabia mais quantas horas eram, estava totalmente perdida ali. Já que perdi meu celular nem sei mais de nada.
  Sem perceber me peguei pensando em Jaejoong. Senti minhas bochechas esquentarem na hora.

- Eu queria vê-lo novamente.. - Apoiei a cabeça na parede.

- Quem você quer ver?- Dei um pulo derrubando alguns livros enquanto Chanyeol ria.

- Ninguém, Chanyeol. - Me abaixei pra recolher os livros. Ele fez uma expressão pensativa e depois deu um meio sorriso. 

- Jaejoong? - Deixei os livros caírem de novo e corei. - Ahh, está tudo explicado agora. - Riu. - Pra sua sorte ele virá aqui hoje. Temos algumas coisas pra conversar.

- S-sério? - Ele assentiu.

- Você... Gosta dele?

- Claro que não, imagina. - Coloquei os livros em seus devidos lugares.

- Por favor, tome cuidado. - Franzi o senho. - Sr. Byun está por ai e a qualquer momento pode chegar até você.

- Eu estou bem, Chan. Confio em vocês e sei que aqui estou segura. Me virei e percebi que Chanyeol se aproximava. Dei um passo para trás batendo da mesa. - O que pensa que está fazendo? - Ele apoiou as mãos na mesa, uma em cada lado de meu corpo. Estremeci quando ele aproximou seu rosto do meu. - Se você não me deixar ir eu vou..

- Vai o quê? - Sussurrou em meu ouvido me fazendo engolir em seco. - Então, Soomin. O que vai fazer?

- Eu vou... Eu vou... - Não conseguia formular uma frase, essa proximidade era extremamente estranha. Sua boca estava muito próxima. - Eu...

- Você...? - Ele parecia hipnotizado, seu olhar transbordava um desejo que eu jamais havia visto. - Você é linda. - Eu deveria me afastar? Ou melhor, eu queria me afastar? Uma de suas mãos foram para meu rosto e acariciou o lugar. Não sabia o que aconteceria, estava com medo, mas a curiosidade me preenchia. Estava quase sentindo seus lábios. Fechei os olhos já sentindo sua respiração em meu rosto.

Eu queria isso, mas não com ele. Apesar de que no momento parece o mais certo a se fazer...


Notas Finais


Será que vai??? (moon face)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...