História Play With Me - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Rap Monster, Sehun, Suga, Suho, Tao, V, Xiumin
Tags Baekhyun, Bts, Chanyeol, Exo
Exibições 91
Palavras 1.624
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Quando minha net colaborar e eu tiver um tempinho vou editar XD

Capítulo 5 - •05•


Fanfic / Fanfiction Play With Me - Capítulo 5 - •05•

 
  Chanyeol P.O.V

   Depois de deixá-la com Baek peguei sua mochila que ainda estava na van e levei até a biblioteca onde Jaejoong se encontrava a minha espera. Por mais que não demonstrasse eu sabia que ele também estava ansioso para saber a verdade.

 - Está tudo aqui. - Disse colocando o objeto em cima da mesa.

- Bom trabalho. - Ele piscou e abriu a mochila espalhado todo o seu conteúdo na mesa. - Vamos ver o que temos aqui... - Riu pegando a identidade dela. Depois de analisá-la seu semblante ficou sério. - Então ela é realmente filha daquele homem. Não se parecem em nada. - Comentou. - E então, só tem as informações que me passou mais cedo?

- Sim, mas não se preocupe vou mandar Kyungsoo cuidar disso. - Ouvi ele suspirar.

 - Você sabe bem o que Baek pensa sobre essa família. - Passou a mão pelos cabelos. - Por culpa desse homem ele perdeu seu irmão, então não acho que vá pegar leve com ela.

- Tinha me esquecido desse pequeno detalhe.

- Mesmo que o Pai dela pagasse três vezes mais do que realmente deve, Baek não iria mesmo desperdiçar essa chance. Tenho certeza de que essa dívida só foi um pretexto. - Comentou voltando a guardar os pertences de Soomin na mochila.
 
- Ele queria que eu o ajudasse. - Ele parou de guardar e me encarou. - Não, eu não aceitei. - Apoiei as mãos na mesa e suspirei profundamente tentando tirar aquele peso de minhas costas. - Não deveria ter o ajudado. Ela pode falar de mais, mas tenho certeza de que é uma boa pessoa. - O mais velho me lançou um olhar sapeca, o que me fez rir. - Não estou interessado nela. Você sabe de quem eu gosto. - Ele fechou a mochila ainda com aquele sorriso no rosto e se levantou vindo até mim.

- Chanyeol. - Colocou uma mão em meu ombro. - Aquela mulher não te merece e você sabe disso. Por que vocês só gostam do que os fazem sofrer?

- Também queria saber. - Caminhei até a janela e observei aquela gente rica e bajuladora. Baek bebia algo enquanto fingia prestar atenção no que um velho, pude ver que ele olhava atentamente para algo, seguindo seu olhar, em um lado bem afastado de todos pude ver Soomin e Jimin. - Eu acho que seu primo vai ganhar um carrapato. - Jaejoong veio logo ver do que se tratava. - Pela expressão pensativa de Baek ele vai querer que seu primo o ajude.

- Jimin gosta de ajudar, acho que ele vai fazer algo, de um jeito ou de outro. - Riu. - Nunca se sabe. - Olhamos novamente para a janela e não vimos mais SooMin, apenas Jimin e Baek.

- Tramando um complô? - Ouvimos a voz de Chen e o som da porta se fechando.

 - Como sempre fazemos. - Disse piscando.

  - Onde está Jungkook? - Jaejoong perguntou curioso, pois deixou o menino brincando com Jongdae e Minseok.

- Não se preocupe, seu sobrinho está muito bem. Ele esta brincando. - Sorriu.

- O que vocês estão aprontando? - O olhei com desconfiança.
O mesmo apenas riu. - Eu vou dar uma olhada nas coisas.

 - Vai lá. Só não acabe com a brincadeira. - Assenti. Ele deve estar tramando algo, e não parece ser boa coisa.

  
  SooMin P.O.V

  - Não é verdade. - Disse a mim mesma depois que Minseok me trancou no quarto. - Isso deve ser parte do plano, me deixar mais fraca emocionalmente e me fazer ceder. - Respirei fundo e me sentei na cama. - Não posso cair nessa, não há só um Kim Junmyeon na Coreia. - Escutei a porta ser destrancada mas nem me dei ao trabalho de ver quem era. Poderia ser Baek ou algum dos amigos dele e eu não estou nem um pouco afim de vê-los.
  Senti algo me cutucando e assim que me virei pude ver um pequeno ser de cabelos negros me observando. Percebi que ele estava meio receoso, suas mãos seguravam firmemente um boneco do coringa. Estranho, geralmente crianças gostam de super heróis, não de vilões.

- Noona? - Deixei meu mau humor de lado e sorri para o mesmo que logo se aproximou e se sentou ao meu lado na cama.

 - Olá, qual o seu nome? - Passei a mão em seu sedoso cabelo.

- Min Yoongi. - Fiquei sem reação ao ouvir seu nome, não poderia ser ele. Não sabia se ficava feliz com isso ou desconfiava. Depois de um minuto o analisando o puxei para um abraço bem apertado, o menino correspondeu logo em seguida me apertando com toda sua força.

- Você... é mesmo meu irmão? - Meu coração estava disparado com esse primeiro encontro repentino. O ouvi sussurrar um "sim". - Como veio parar aqui? E a mamãe?

- Estava no parquinho e um homem apareceu dizendo ser amigo do seu marido e mostrou uma foto sua. Mamãe começou a chorar e me deixou vir te ver, mas não quis vir também. Ela disse que não tem coragem agora. - Suspirei. Bem típico dela fugir de mim. Mas ainda sim queria vê-la.

 - Ela te deixou vir com um estranho? - Perguntei curiosa, afinal, que mãe deixaria seu filho com um desconhecido? - E se ele estivesse mentindo?

 - Mamãe não anda muito bem da cabeça. - Me olhou e riu.

 - Do que está rindo, mocinho?

 - Noona é engraçada. - Riu.

 - Seu nariz também. - Brinquei vendo ele fazer uma careta.

 - Ao menos eu respiro bem, noona. - Passei a mão em seus cabelos. E só então me toquei do que estava acontecendo.

 - Você sabe o nome do homem que te trouxe?

- Acho que é Jongdae. - Assenti. Tem algo bem estranho aqui. Como Baek achou minha mãe em tão pouco tempo? E ainda por cima sem eu ver. Claro que deveria ser parte do plano pra me fazer confiar nele. Olhei para o garoto ao meu lado que brincava com seu boneco despreocupadamente. Nunca tive chance de vê-lo e só soube de seu nascimento porque ouvi meu pai falando sobre isso. Yoongi me lembra alguém, mas não é minha mãe ou o atual marido dela, Junsu, o qual eu só vi por fotos. Ainda iria me lembrar quem é essa pessoa.

- Estou com fome, podemos ir até a cozinha?

- Ah.. -Baek não iria se importar não é? - Vamos. - Peguei em sua mão e caminhamos até a cozinha e encontramos Luhan.

- Oi, moça. Oi, menino. - Disse sem tirar os olhos de um livro de receitas.

- Oi. - Dissemos juntos, o que fez o chinês rir.

- Não deveria estar na festa? - Perguntei curiosa.

- Eu que deveria te perguntar isso, afinal, a festa é pra você.

- Me trancaram no quarto. - Suspirei. - Apesar de eu ser o motivo da festa não acho que sentirão minha falta.

 - Bem, eles notando sua falta ou não isso é tudo pra você, aproveite. - Apontou pra mesa que continha muitos tipos de comida, doce e salgada. - Se vieram aqui é porque estão com fome, podem comer.

- Obrigada. - Agradeci e fiquei observando Yoongi atacar aquelas deliciosas guloseimas até decidir acompanhá-lo.

 - Luhan você viu o Jungkook? - Me virei para a porta e vi Chanyeol olhando surpreso pra mim e para Yoongi, que tinha se engasgado ao ouvi-lo.

 - Yoongi, você está bem? - Peeguntei ao menino que já havia se recuperado. O menino assentiu e olhou assustado pra Chanyeol.

 - Yoongi? - Perguntou Chanyeol com uma sobrancelha arqueada em tom divertido.

 - Sim, Min Yoongi, meu irmão. - Respondi. - Qual é Chanyeol, sei que foi Baek quem mandou trazê-lo pra cá, deveria saber disso também.

 - É, eu sei. Yoongi. - Riu. Yoongi pegou mais alguns doces e se virou pra mim.

- Acho que vou dormir, noona. Já está tarde. - Assenti e beijei sua testa carinhosamente. Ele sorriu e saiu correndo. Chanyeol continuou na porta de braços cruzados. Olhei em volta e vi que estávamos sozinhos. Pra onde Luhan foi?
 
- Por que não está na festa? - Perguntou ele quebrando o silêncio.

- Me expulsaram de lá. - Dei de ombros. - É melhor assim, ao menos não preciso bater em ninguém.

- Sei. - Seu olhar se direcionou para minha boca. Tentei não demonstrar meu desconforto. - Está sujo ai.

- Não me importo com isso, vou comer mais. - Me virei sem ver o que tinha atrás de mim e acabei escorregando por pisar em um pedaço de bolo que estava no chão. Que desperdício.
Tentei segurar em algo para me equilibrar sem sucesso. Tudo parecia estar em câmera lenta. Fechei os olhos agarrando a primeira coisa que senti e torci para Chanyeol ser que nem aqueles homens dos filmes que segura a mocinha quando ela escorrega. Quando senti meu corpo cair em algo cheiroso e macio apertei mais ainda o que eu 'segurava' e ouvi um grito vindo de Chanyeol embaixo de mim. Abri meus olhos e olhei nos seus que quase choravam. Eu até riria se não tivesse finalmente visto no que eu segurava fortemente. Meu rosto esquentou de uma forma impressionante, achei que minha cara fosse derreter a qualquer instante. Tirei minha mão de seu 'amiguinho' que por minha causa, agora deve estar todo amassado e me levantei. Quando vi a cara de desespero de Chanyeol não aguentei e me desatei a rir sob seu olhar incrédulo e mortal. Sem querer eu me vinguei. É, seria divertido se não fosse trágico.


Notas Finais


Eu sei que está pequeno :(
Se estiver com muito espaço a culpa é do spirit heyeheuhehe sérião


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...