História PlayBoy - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags 2ne1, Amo, Bigbang, Bts, Drama, Elloo, Exo, Gay, Got7, Hentai, Ikon, Jpop, Kpop, leiam, Originais, Original, Playboy, Porque, Romance, Seventeen, Snsd, Twicee, Vocês, Winner, Yaoi
Exibições 104
Palavras 1.057
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Voltei! Tudo bem com vocês?
Bom, espero que estejam gostando ⌒.⌒
Boa leitura♡

Capítulo 2 - Capítulo 2


Fanfic / Fanfiction PlayBoy - Capítulo 2 - Capítulo 2

Jonathan, Charles, Matheus, Bruno e Danny, os cinco tinham acabado de chegar em uma minivan roxa-ameixa de segunda mão. O carro era feio, mas pela felicidade do motorista, dava pra ver que Bruno amava a minivan.
Danny estava com uma camisa vermelha lisa de mangas longas, uma calça preta,  um sapato preto e usava uma touca caída branca.
Jonathan estava com uma camisa rosa chiclete e uma calça branca e um sapato preto com laterais  brancas, seu cabelo estava solto em um cacheado armado.
Charles estava com uma jaqueta preta de couro com uma regata salmão, uma calça jeans folgada e um sapato branco. Seu cabelo preto caracolado estava preso e alguns fios caim em seu rosto, deixando seus olhos verdes aparente.
Matheus estava com uma calça folgada jeans escura, uma camisa regata colorida, estava com uma sandália rasteira preta e seu cabelo caracolado que batia no seus ombros, estava preso em um rabo de cavalo.
Bruno... Bruno estava elegante. Apesar do carro feio. Seu cabelo preto liso caía em seu rosto, mas ele o colocava para trás, usava uma camisa preta de mangas curtas, um pouco colada em seu tórax, sua calça jeans azul marinho colada e  rasgada em ambos os joelhos e coxas, o davam um ar sexy, e usava sapatos amarelos de cano alto.
Os cinco estavam bonitos.
Eles brincavam e riam em frente ao carro feio de Bruno.
O estacionamento estava ficando cheio e varias garotas que passavam por eles mexiam ou soltava uns risinhos uma com as outras.
- Querida, Amber! O que devo a honra de te ter perto da minivan  de um simples camponeses como o Sr.Bruno? - Jonathan falava fazendo uma reverencia para mim.
- Para de palhaçada, Jonathan! E, Bruno - ele me olhou - suas coxas estão deixando as garotas excitadas - falei rindo de sua reação.
- Esse é o propósito, Amber - ele falava jogando seu cabelo para trás - Amber, você não viu o Léo por ai? - Perguntou e vi quando Danny revirou os olhos.
- Ele ainda não chegou - falei olhando para Danny, que agora tirava a touca branca e deixando seus cabelos molhados amostra - Cadê seu gel?
- Acabou - ele falava desamarrando o cabelo e jogando alguns fios ondulados para trás - A proposito, Amber - ele me olhava agora e suas mãos ainda estavam em seus cabelos - Jonathan disse o caminho todo que você  e ele iram ficar  hoje - ele falava com um sorriso no rosto e falava olhando para Jonathan.
- Eu te mato - Jonathan falava apontando para Danny.
- Ah... Mas e o lance de me amar que você disse lá em casa? Esqueceu ou eu vou ter que falar no rádio da escola? - Danny ameaçava Jonathan.
- Você é mal, Danny - Bruno falava. Ele estava encostados no capo de seu carro e piscava para algumas garotas que passavam e mandavam um pequeno tchau - Poderia ser mal assim com Leo na cama - agora ele ria junto aos garotos.
- Eu não sou gay! Que inferno... - Danny falava colocando as mão no rosto e falando mais alguma coisa inaudível.
- Quem não é gay? - Leo falava ao meu lado - Oi, gente!
- Oi! - respondemos em coro.
Leo estava bonito como todos os dias.
Seu cabelo estava amarrado para trás com dois fios longos caídos em frente ao seu rosto. Usava uma camisa branca com uma estampa qualquer, uma calça jeans preta colada, um sapato vermelho com laterais brancas e seus olhos azuis feito céu, olhavam para nós todos ali, principalmente para Danny, pois esperava a sua resposta.
- Ele gosta de você, Léo - Jonathan falava, e Danny? Bom, Danny estava completamente vermelho e não sabia pra onde olhar entre sua mãos. Ele se encolhia e voltava ao normal muitas vezes.
Léo o encarava com um semblante sério.
- Isso é novo - Léo disse por fim. Olhei para Danny, que agora olhava para o chão  e ele estava muito corado. Jonathan e Bruno riam e Matheus e Charles apenas ficavam em seus celulares.
- Danny? - O chamei, mas ele não levantou a cabeça - Quer ir tomar um suco? Sei que não tomou café da manhã hoje - falei olhando para Jonathan que agora me encarava com um sorriso travesso no rosto.
- Okay... - Danny começou a caminha em direção a escola, passando perto de Léo e o pedindo desculpas em sussurros.
Léo, por outro lado, apenas riu.
- Danny, espera!

[...]

- Eu vou capar o JONATHAN! Ele nunca mais vai ter um pinto na vida pra comer ninguém! - Danny gritava na quadra de basquete.
- Danny...
- Cala a boca, Amber! - ele falava, sua respiração  estava acelerada e isso fazia seu peito subir e descer rapidamente.
- OLHA! - gritei -  SÓ PORQUÊ O FILHO DA PUTA DO JONATHAN FOI UM BOSTA CONTIGO, NÃO SIGNIFICA QUE TU TEM O DIREITO DE EXPLODIR COMIGO, JUSTO EU QUE VIM TE AJUDAR! - eu gritava e ele apenas andava para um lado e para outro.
- Que se foda, Amber... - suas mãos bagunçavam seus cabelos húmidos e ele não parava de andar em círculos.
- Danny! O que você tá sentindo? - perguntei para ele que agora se encolhia em modo fetal em meio a quadra de basquete.
- Raiva, tristeza, vergonha, confusão e mais outras coisas que eu não  sei explicar - me aproximei dele e me sentei ao seu lado.
- confusão? - perguntei.
- Sim. - ele respondeu ainda deitado em modo fetal.
- Como?
- Eu sei que eu não sou gay, mas eu sinto uma atração pelo Léo, e isso mexe comigo, eu penso em coisas e eu quero coisas, mas isso me faria ser gay e eu não  sou gay... Eu não sei o que fazer, Amber. Eu estou confuso e estou a ponto de enlouquecer de verdade.
Ele falava agora colocando sua cabeça em cima das minhas pernas.
Danny tinha 1.80 de altura, era bonito, simpático, cuidadoso, legal e acima de tudo companheiro.
E eu estou vendo esse meu amigo ir embora por uma confusão imensa.
- Eu tô aqui, Danny... Eu tô aqui.
Ele se aconchegou mais em minhas pernas e apertou uma de minhas mãos.
- Obrigada, Amber.
- De nada.


Notas Finais


Obrigada por ler!
Comentem, porquê eu amo ler comentários, favoritem se quiserem.
Obrigada, até mais ⌒.⌒


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...