História Playing With Fire - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Black Pink
Personagens Jennie, Jisoo, Lisa, Personagens Originais, Rosé
Tags Chaennie, Fantasia, Jennie X Rosé, Lisa X Jisoo, Lisoo, Poderes, Realeza
Exibições 84
Palavras 1.647
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, FemmeSlash, Ficção, Ficção Científica, Magia, Mistério, Misticismo, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Cá, estou! O primeiro atraso da fanfic, que maravilha. Desculpa, gente. Mas, para compensar, eu fiz a capa nova da fanfic! Adoraria que vocês opinassem.
Espero que gostem!
-Polly

Capítulo 3 - Suspiros


Eu sinto você no vento frio

E é tão real

Em linha reta através de meus ossos

Eu só posso imaginar

Sua paixão

Ease My Mind - Hayley Kiyoko

Rosé estava com pressa.

Ela tinha perdido o horário, e agora tinha vários vestidos para terminar.  O fato das madames ligarem para ela a cada duas horas para mudar alguma coisa nas roupas não ajudava. Rosé sabia que seu atraso era sua culpa, e que não devia ter começado a ler, sabendo que não ia conseguir parar.

Kimmie Ure é a única pessoa que tiraria a mente de Rosé do mundo da moda. Os livros dela prendem a ruiva de uma maneira inexplicável. O jeito que as coisas são escritas, os personagens, o universo, tudo deixa Rosé apaixonada e ansiosa pelo próximo. O sonho de Rosé é conhecê-la, e talvez, virar amiga dela. Não importa o quanto Jisoo insista nisso, a ruiva não tem uma queda pela escritora. É apenas uma admiração.

Rosé conheceu o trabalho de Kimmie pela primeira vez com quinze anos. Ela pretendia comprar um livro novo sobre tecidos, já que estava no início de sua carreira, quando avistou, praticamente escondido, no canto de uma prateleira um livro, com uma capa marrom simples. Rosé não sabia o que tinha tomado conta de si naquele momento, mas decidiu levar aquela cópia. Quando começou a ler aquilo, ficou imediatamente cativada, passou a noite inteira lendo, algo que nunca tinha feito antes. Depois disso, ela foi em busca de tudo daquela autora, ela era alguém nova, e só tinha mais dois livros publicados, ambos completamente desconhecidos. Rosé acompanhou toda a jornada de Kimmie Ure para a fama, que agora era conhecida por toda Artius e tinha dezenas de livros publicados.

A ruiva tinha muito orgulho dela, mesmo não a conhecendo.

Dando os últimos ajustes no vestido que Jisoo usaria naquela noite, olhou para sua mais nova criação. Satisfeita com o resultado, decidiu levar o vestido o mais rápido possível para Jisoo, já que já tinha se atrasado o suficiente.

Foi para o quarto da outra, com a intenção de deixar o vestido em cima da cama da morena, assim, quando ela voltasse da reunião com os pais, já poderia começar a se arrumar. No entanto, ao chegar lá, não encontrou o quarto vazio, como esperava. Sentada no chão, olhando para o nada, estava Jisoo. Ela parecia muito pensativa, e quase como se estivesse arrependida de algo.

– Ei, você está bem? – falou, depois de alguns segundos encarando a outra.

Com isso, Jisoo levantou os olhos rapidamente, surpresa – Ah, sim, claro. Eu só... Estou com muito na cabeça.

– Quer falar sobre isso? – Rosé perguntou, sentando-se ao lado da morena.

– É que... Bem, meus pais querem que eu me torne rainha.

– Isso é meio óbvio, não é? Além disso, achei que você queria governar.

– É claro que eu quero governar. Mas, eles querem que eu me torne rainha nesse ano. Daqui a dois meses, na verdade. – Isso surpreendeu Rosé.

– Como assim? Você ainda nem tem vinte e um anos! É contra a tradição! O que os levou a tomar essa decisão?

– Bom, vou lhe contar algo. Mas isso não pode deixar esse quarto.  – Rosé fez uma saudação, como um juramento de escoteiro – Os Fogos decidiram se revoltar. Eles já atacaram o centro de Imber. Meus pais acham que haverá mais ataques. Eles disseram que eu já posso ser considerada uma guerreira e governante nata.

– Você sabe o que parece que está acontecendo, não sabe?

– Suponho que não.

– Eles estão passando toda a responsabilidade para você! Eles não sabem lidar com uma revolta, e preferem que você cuide disso.

– Bom, não tem nada que eu possa fazer, eles são o Rei e a Rainha. A palavra deles é lei. – Jisoo suspirou e encarou o vestido nas mãos de Rosé – O que é isso?

– Ah. – Rosé se levantou, animada – Esse é o vestido que você usará hoje à noite. Você sabe. Para conhecer seu noivo.

– Rosé, ele é lindo. Melhor eu colocá-lo logo e me arrumar. O noivo chega em apenas algumas horas.

– Quer ajuda?

– Se você puder fazer meu cabelo e maquiagem... Deus sabe que eu não consigo fazer essas coisas sem parecer uma louca desleixada.

Rosé riu e foi em direção a penteadeira, separando os produtos que usaria em Jisoo, enquanto a morena desaparecia para dentro do banheiro com o vestido.

Alguns minutos depois, Jisoo surgiu dali de dentro, vestida, mas a ruiva pode perceber que o zíper não estava completamente fechado.

– Você pode fechar pra mim? Você sabe que eu sou inútil com esse tipo de coisa.

– Senhor, Jisoo, você ao menos sabe amarrar o sapato? – Rosé reclamou, mas foi ajudar do mesmo jeito – Sinceramente o que seria de você sem mim?

– Eu teria meus vestidos prontos no horário certo.

– Golpe baixo.

Depois de quase duas horas das duas se arrumando, tentando derrubar uma a outra e se xingando, uma servente apareceu na porta.

– Vossa Alteza Real, Vossa Majestade a chama. Seu noivo acaba de chegar.

– Obrigada – disse Jisoo, enquanto Rosé dava alguns retoques em sua maquiagem – Já estamos indo. – A serviçal fez uma reverência e saiu.

– Você não acha meio irônico que você vai se casar com esse cara daqui a apenas alguns meses e você não sabe nem o nome dele, nem de onde ele é? – perguntou Rosé, finalmente satisfeita com o resultado da maquiagem de Jisoo.

– Vantagens de ser da família real. – suspirou Jisoo sarcástica – Mas, não posso reclamar. Meus pais o escolheram, tenho certeza que ele é de muito bom caráter.

– Bom, estou feliz que não tenho que passar por isso. Bom, Vossa Alteza Real, você está pronta. Vá encontrar o amor de sua vida. Logo vou para lá também. Só preciso terminar meu cabelo.

– Você não quer que eu te espere?

– Você está enrolando, Kim Jisoo?

– Claro que não! – respondeu Jisoo rapidamente, e Rosé a encarou, com um sorriso de canto nos lábios. – Talvez um pouco. – a morena cedeu. – Eu só não quero ir sozinha.

– Tá bom. Então espere um pouco. – E com leveza e rapidez, Rosé fez um coque bagunçado, mas bonito, com seus cabelos. – Vamos.

As duas então partiram em direção ao salão principal. Ao chegarem lá, Rosé viu o Rei e a Rainha darem um olhar duro para Jisoo, já que a mesma tinha se atrasado alguns minutos. A morena foi rapidamente para o lado deles enquanto Rosé se posicionava ao lado de um general.

– Senhoras e senhores, a Duquesa Julieta e seu filho, Ubel, de Kólasi, Imber. – anunciou um guarda, tocando uma trombeta logo em seguida.

Nesse momento, uma mulher de cabelos loiros, usando um vestido longo vermelho com um casaco de pelos preto, adentrou o recinto, a mulher tinha uma beleza inacreditável, mas o mundo parou para Rosé ao ver o homem que a acompanhava. Ele parecia ter uns vinte e cinco anos, com cabelos pretos e olhos azuis penetrantes. Um suspiro coletivo foi escutado pela população feminina (e alguns garotos) no salão. Rosé mesmo teve que se controlar para não babar ali mesmo. Olhou para Jisoo e viu a mesma com um brilho no olhar e teve que se conter para não dar um sorriso malicioso para ela.

– Vossa Alteza Real – Ubel começou, se dirigindo a Jisoo, e sua voz era tão aveludada que Rosé não se conteve dessa vez e suspirou – É um prazer conhecê-la.

– Igualmente. – Respondeu Jisoo, estendendo a mão, que Ubel segurou e levou aos lábios para beijar. Rosé não sabia como Jisoo não tinha desmaiado naquele momento. Mas, a morena se virou, com um rosto impassivo, para Duquesa Julieta, que por um momento estava completamente esquecida. – Duquesa. É sempre muito agradável recebê-la.

 – Estou sempre ansiosa por nossos encontros, querida. – Duquesa Julieta disse, dando um beijo no rosto de Jisoo.

– Bom, deixando essas formalidades de lado – interrompeu a Rainha – temos algo para discutir sobre o casamento.

– Sim, sim – falou a duquesa animada. – Eu recebi seu telegrama. O que deseja discutir, que nos trouxe com tanta pressa?

– Como sabem, a Nação sob ameaça de ataque dos Fogos. Acreditamos que Jisoo e Ubel serão ótimos governantes, e já estão prontos para lidar com um problema de verdade. Queremos adiantar o casamento para daqui dois meses.

Ubel e a Duquesa se entreolharam, e o homem foi o primeiro a se manifestar. – Se é assim... Não tenho nenhuma objeção. Só espero não causar problema para ninguém.

– Não é problema algum. O baile de noivado de vocês já está marcado para o fim dessa semana. Tudo já está praticamente pronto.

Rosé pode ver a surpresa surgir nos olhos de Jisoo por um momento, até ser substituída pela face impassiva mais uma vez. A ruiva não tinha nenhum conhecimento sobre esse baile, e pelo visto, Jisoo também não. Mas a morena sempre foi melhor em esconder seus sentimentos, e Rosé encarou a Rainha de boca aberta por alguns segundos.

Ubel olhou para Jisoo, com um carinho que Rosé achava que seria impossível sentir por alguém que mal conhecia, mas era tão verdadeiro no belo rosto do homem. – Então, acho melhor eu e Vossa Alteza Real começarmos a nos conhecer, não é mesmo? Se não se importam, que acha de um passeio nos jardins?

– É uma idéia agradável – respondeu Jisoo, e segurou a mão que Ubel estava oferecendo.

– Que bom. – sorriu Ubel com ternura e ele e a morena partiram em direção à saída, não sem antes olhar seus pais, que apenas fizeram um gesto de permissão.

– Bom, melhor irmos discutir esse casamento em privado, não é mesmo? – a Duquesa disse se virando para o Rei e a Rainha.

– Concordo. Todos vocês estão dispensados. Rosé – chamou a rainha, fazendo a ruiva se virar para ela – Preciso do vestido de noivado de Jisoo para essa quinta. Logo eu mando uma servente lhe entregar os modelos que quero.

Rosé assentiu e deixou os aposentos, sentindo que esse baile traria muita dor de cabeça para si.

 


Notas Finais


Então, o que acharam? Críticas são sempre bem vindas.
O pov da Rosé foi provavelmente o mais difícil para eu fazer, já que eu tinha que escrever o encontro com Ubel, de um jeito que o pov não parecesse da Jisoo. Se isso aconteceu, me desculpem.
Mais uma coisa que eu preciso discutir com vocês. Eu estou pensando em tornar a fanfic +18 e adicionar umas cenas hot entre os dois casais. (Talvez não chaennie, mas lisoo com certeza). O que vocês acham?
Até o próximo capítulo!
-Polly


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...