História Playing with heart - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Drama, Novela, Romance
Exibições 57
Palavras 2.547
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HELLOU HELLOUUUUUUU MEU POVO gente do céu eu tô tão feliz por conseguir postar mais um capitulo sério, espero que realmente gostem nos vemos nas notas finaissss

Boa leitura minhas meninas <3 enjoy

Capítulo 10 - Sick


Fanfic / Fanfiction Playing with heart - Capítulo 10 - Sick

MADELEINE P.O.V 

Acabei adormecendo no quarto dos meninos acordei e puxei o celular de Justin que estava bem ao meu lado e olhei o relógio que marcava 23:00 horas, olhei para o lado e vi Justin suando apesar do ar condicionado estar no máximo de frio, encostei em sua pele e estava fervendo 

- Justin - eu o balancei e nada - Justin vamos acorde você está bem? - ele apenas murmurou algo de olhos fechados e mais uma vez o balancei só que forte fazendo o mesmo abrir os olhos 

- Made tem algo de errado comigo, meu corpo dói - ele disse sem se mexer 

- calma Jay - corri até a mala dele procurando por algum kit de primeiros socorros e nada - espere aqui vou no meu quarto pegar um termômetro -ele apenas assentiu e fui até meu quarto, Giorgia estava assistindo um filme de comédia com Josh e os dois riam 

- o que foi Madeleine, essa cara de assustada? - Giorgia perguntou ainda rindo 

- Justin não está bem, acho que pegou insolação - falei pegando minha bolsinha de remédios 

- Precisa de ajuda com ele? - Joshua perguntou 

- Preciso que vão lá embaixo e pegue coisas pra ele comer, nada de pesado, frituras, massas, de preferência pegue uma salada com frango grelhado e suco de laranja - ele apenas assentiu calçando os chinelos e Giorgia o acompanhou eu voltei pro quarto vendo Justin abaixado do lado da cama vomitando tudo em cesto de lixo corri até ele o ajudando a deitar de novo 

- não deu tempo - ele deu um risinho respirando fundo e se aconchegando na cabeceira estofada da cama 

- tudo bem - falei sorrindo e passando a mão em sua testa suada, abri a bolsa de remédios e procurei pelo termômetro, retirei a tampa e coloquei debaixo do braço dele - Fique quietinho, tudo bem? Só cinco minutos depois pode mexer o braço 

- Parece que eu sou um bebê você falando desse jeito - ele riu e eu revirei os olhos

- mas você é um - eu ri baixo e ele me olhou risonho 

- um bebê que faz bebês - nós rimos, até ardendo de febre esse garoto não para 

- você é tão idiota sabia? Já te falei isso? - eu tentei parecer seria mas queria muito rir 

- só umas quatro vezes - o termômetro apitou e eu retirei olhando o visor marcando quarenta graus de febre 

- meu deus Justin, você precisa ir ao médico - eu o olhei e ele fez uma cara péssima de dor 

- tudo menos hospital Made, você sabe o que fazer, não preciso ir ao hospital - ele me olhou piedoso 

- Justin eu não posso simplesmente te medicar sem saber exatamente o que é, entende? - eu me aproximei passando minha mão em seus cabelos molhados de suor 

- tudo bem Made - ele se rendeu e eu o ajudei levantar da cama e o levei direto para o banheiro ligando o chuveiro no morno para frio

- vou tentar abaixar sua febre um pouco com a água morna, ok? - ele assentiu ficando apenas de cueca preta da Calvin Klein e eu senti minhas bochechas queimarem de vergonha e ele gemeu quando a água bateu na pele 

- tá muito fria - ele bateu os dentes e se abraçou 

- não tá não Jay, está no morno - eu me virei pegando uma toalha - já você se acostuma com a temperatura - escutei a porta abrir era Josh e Giorgia com a comida - fique aqui mais um tempo, e não mude a temperatura da água - sai fechando a porta 

- Made eu trouxe uma salada com frango e torradas e suco de laranja - Giorgia disse colocando a comida na mesa do quarto - como ele está? 

- acabei de colocar ele debaixo do chuveiro, tá com quarenta graus, vou ter que levá-lo ao médico se não abaixar depois do banho - entortei a boca e mordo a bochecha 

- espero que ele melhore então - Josh respondeu deitando em sua cama e Giorgia se sentou na beirada, conversamos um pouco e escutei o chuveiro ser desligado pouco tempo depois ele abriu a porta do banheiro e colocou apenas a cabeça pra fora 

- Made, pode por favor pegar uma cueca pra mim? - eu assenti indo até sua mala e pegando uma cueca branca e ele agradeceu 

- Josh lava esse cesto pra mim? Justin vomitou nele - Joshua fez uma cara de nojo e eu ri 

- Seja homem - Giorgia riu, Justin saiu do banheiro apenas de cueca e Giorgia tampou os olhos - Poxa Bieber você poderia usar um shorts né 

- qual é Giorgia me deixe, não To legal - ele deitou no colchão 

- Vem Jay, deixa eu medir de novo - eu disse pegando o termômetro e ele levantou o braço para que eu colocasse e ele encostou na cabeceira 

- eu vou pro quarto, precisa de algo de lá Made? - eu neguei com a cabeça 

- acho que vou passar a noite aqui, caso precise eu te chamo

- Tudo bem - ela saiu com Josh a tira colo que fez um toque com o Justin e eles desejaram melhoras 

- tem comida ali, a hora que sentir fome, coma - eu sorri e ele sorriu de volta 

- obrigada - ele disse quase num sussurro 

- Que isso, nem foi eu quem buscou e ... - ele me cortou 

- não pela comida, mas por tudo que vem fazendo por mim nesse tempo todo, desde que você aceitou ser minha amiga você tem sido a melhor pessoa que eu já conheci em toda minha vida, você faz tudo isso sem ao menos pedir algo em troca, ou esperar algo de mim - eu sorri e me aproximei dele fazendo um carinho em sua bochecha quente e ele fechou os olhos 

- não precisa agradecer Jay, somos amigos, e amigos fazem isso, e eu sei que se fosse comigo você faria o mesmo e até mais, mesmo você achando que não me da nada, você me dá sim, sua presença, seus toques, você consegue me fazer rir até da coisa mais idiota do planeta, e eu te agradeço imensamente por isso - o barulho do termômetro apitou nos interrompendo e eu agradeci mentalmente por isso, não que eu não gostasse desses momentos mas eu tinha medo de falar algumas coisas demais, peguei o termômetro olhando novamente o visor que marcava trinta e oito e meio e eu sorri agradecida 

- o que foi? Abaixou? - ele perguntou 

- Sim, graças a Deus, trinta e oito e meio - ele enrugou o nariz - isso é bom, está abaixando mas eu vou te dar um remédio pra cortar a febre - ele assentiu e eu peguei um Tylenol junto a uma garrafinha d'Água e lhe entreguei 

- Obrigada - ele disse assim que tomou o remédio 

- Você quer comer ou deitar? - ele me olhou e eu já podia saber que ele queria comer- tudo bem vem comer na mesa pra não derrubar na cama 

- você parece minha mãe falando desse jeito - ele riu e eu fiquei seria 

- eu To tentando te ajudar, seu quarto deve ser podre pelo jeito - revirei os olhos e ele me repreendeu - Já vi que está melhor até me repreendendo está - ele riu e me abraçou forte, seus braços envolveram minha cintura e deu um leve aperto me fazendo arfar, eu simplesmente adorava quando ele fazia aquilo - vem vamos sente pra comer - ele sentou e eu fiz o mesmo, Giorgia trouxe comida o bastante pra alimentar Justin e mais umas cinco pessoas 

- salada? - ele enrugou o nariz  - pensei que era um hambúrguer cheio de batatas fritas - olhou decepcionado 

- não dessa vez, babe - eu sorri vitoriosa e ele fez cara feia - vamos coma, não é tão ruim assim, tem até um franguinho - eu realmente tava parecendo uma mãe com o bebê, que péssimo, ele começou a comer 

- nossa isso tá muito bom - falou de boca cheia e eu ri 

- eu te avisei que era bom - disse dando uma garfada na salada 

Depois de nos alimentarmos, fomos pra cama e medi mais uma vez a febre dele que felizmente já tinha cessado, passei mais uma vez o pós sol em suas costas e nos deitamos vendo um filme qualquer 

- Made - ele me chamou enquanto fazia um cafuné em mim 

- Oi Jay - respondi sonolenta 

- Olhe aqui pra mim - ele disse me fazendo arrastar meu olhar até o dele e ele se aproximou mais de mim, eu despertei rapidamente, meu corpo inteiro entrou em alerta e ele depositou um beijo longo em minha bochecha 

- boa noite princesa - e sorriu  passando o polegar em minha bochecha

- boa noite Jay - frustrada era esse o meu sentimento, eu não consigo entender a porra da cabeça do Justin, ele diversas vezes aparentava que queria ter algo comigo e de repente ele me mostra que somos apenas bons amigos, adormeci em meio aos meus pensamentos 


JUSTIN P.O.V 

Eu não sabia como agradecer Madeleine por tudo o que ela estava fazendo, estávamos deitados assistindo um filme qualquer, eu estava mais aproveitando ela ali em meus braços do que prestando atenção naquela porcaria de filme, a chamei que já estava quase dormindo 

- Made 

- Oi Jay - ela disse sonolenta com a voz cansada 

- Boa noite princesa - beijei sua bochecha por um tempo, querendo mesmo beija-lá, e dizer o quanto eu gosto de tê-la por perto, mesmo já tendo dito isso hoje mas eu queria relembrar quantas vezes fosse possível, mas infelizmente não posso simplesmente beijar ela e deixar por estar, eu tenho medo de tudo isso, de todo esse sentimento acarretado eu soube que ela me enlouqueceria desde quando coloquei meus olhos nela naquele voo, eu não me lembro de ter me deixado ser invadido por esse sentimento consumista Meu Deus eu acho que não sinto isso desde os meus sete anos de idade quando tive minha primeira paixão, adormeci com meus dedos enfiados em seus cabelos e entorpecido pelo cheiro doce de seu perfume já fraco 

DOMINGO 12:00 

Acordei com o sol forte batendo nas frestas das cortinas e meu corpo ainda dolorido por conta da queimadura em todo meu corpo, Madeleine já não estava mais do meu lado o que eu achei estranho, normalmente eu quem acordo primeiro que ela, me espreguicei e fui até o banheiro fazer minhas necessidades e higiene pessoal, depois de ter escovado os dentes tirei minha cueca e entrei na ducha fria fazendo todos os meus pelos se arrepiarem e meu corpo sentir o baque da água fria, não demorei muito até já estar vestido com uma roupa leve e confortável para viajar, uma bermuda fina com estampa é uma camiseta branca que marcava meus braços, coloquei um chapéu bege e nos pés estava calçado com um vans branco, conferi se estava tudo certo dentro da mala e a porta abriu e vi Josh entrar todo molhado no quarto 

- E aí mano - fizemos um toque - fui tomar um banho no mar 

- nem me fale em mar, sol, só de ouvir a palavra sol meu corpo arde inteiro - fiz careta 

- acontece - disse rindo - mas você está melhor? Tem certeza de que dá pra aguentar três horas no carro? 

- tenho Josh, tô tranquilo hoje, só estou um pouco dolorido por conta das queimaduras mas já tá bem melhor 

- de boa então, vou tomar uma ducha e vamos descer almoçar com as meninas pra gente ir embora 

- ok - eu disse fechando a mala e ele entrou no banheiro, deitei na cama checando algumas mensagens no celular, pra variar algumas mensagens indecentes de garotas que eu já transei, algumas da louca da Chloé que por sorte já tinha ido embora por conta do ocorrido da madrugada de sexta para sábado, e eu agradeci muito por isso, bloqueei o celular assim que Josh saiu do banheiro já vestido 

- vamos? - eu falei já me levantando 

- sim, depois voltamos buscar as malas - assenti e fomos até o quartos das meninas que já estavam com a porta aberta, Madeleine me viu e abriu um sorriso meigo, meu coração palpitou forte 

- está tudo bem? - ela disse se enganchando no meu pescoço um tanto delicada, apenas assenti fungando em seu pescoço a apertando mais no abraço e enfiando meus dedos em seus cabelos castanhos 

(...) 

Já estávamos na estrada voltando pra Louisiana, todos na mesma posição em que viemos, Madeleine falava o tempo todo que eu deveria tar mais água pra hidratar e eu já estava maluco com isso 

- Se você falar mais uma vez que eu devo me hidratar eu não vou ser tão educado assim Madeleine - disse irritado pelo fato dela repetir essa mesma frase umas quinhentas vezes 

- seu grosso - ela fechou a cara cruzando os braços debaixo dos seios fazendo-os saltarem da blusa decotada, apertei meu pau discretamente, caralho ela me excita tanto, depois de um tempinho me aconcheguei em seu ombro e ela me olhou de canto de olho 

- Ei bravinha - provoquei 

- eu deixei você deitar no meu ombro? Ainda estou brava - ela disse e eu ri baixo - não estou vendo Graça 

- mas eu sim - provoquei mais uma vez, ela ficava louca - eu to brincando, tira esse bico vai, da um sorrisinho pro Bieber que ama ver você sorrir - ela revirou os olhos não contendo o sorriso o resto do caminho até chegar em Luisiana foi silencioso, apenas as musicas do Bluetooth do celular de Josh tocavam, vez ou outra engatávamos em algum assunto 

(...) 

Chegamos em frente ao Bennington e ajudei as meninas com as malas, Madeleine espreguiçava as costas reclamando de dor, isso que ficamos apenas três horas e toda hora Giorgia precisava parar mijar ou comer alguma coisa 

- é aqui que a princesa fica - eu disse me apoiando no carro e ela me olhou 

- sabia que você ficou lindo com esse chapéu? Se fosse você usaria mais vezes - ela sorriu 

- com você sorrindo desse jeito, eu usaria até dormindo se fosse possível - ela corou instantaneamente e eu ri brincalhão 

- você me mata ainda - ela riu envergonhada e eu a puxei para um abraço me despedindo 

- até amanhã pimentão - beijei sua testa e ela me olhou desacreditada 

- Eu que sou o pimentão né? Já se olhou no espelho hoje fofinho - falou debochada e riu - Até amanhã camarão - ela beijou minha bochecha por alguns instantes e eu desejei que fosse em minha boca aqueles lábios carnudos é tão convidativos, ela virou de costas e dei um tampinha em sua bunda fazendo-a olhar pra trás com uma cara de brava e eu ri, me despedi de Giorgia e entrei no carro de Josh e indo direto pra casa. Amanhã o dia iria ser longo. 

CONTINUA...


Notas Finais


Tantantaaaaan, e aí meninas? Gostaram? Pelo amor de Deus digam que sim hahaha gente eu acho que esse capítulo ficou grandinho para compensar, espero que não tenha ficado cansativo, me digam a história tá muito monótona? Preciso muito saber às vezes eu leio e penso "porra porque não enfio logo esses dois se beijando" mas é que gente, essa não é a minha primeira fanfic, aliás no spirit sim, mas eu já escrevia antes e sempre era tudo muito rápido e tal e virava meio que uma rotina então eu queria demorar um pouquinho mas PROMETO que não vai demorar esse beijo de Jeleine, em nome de JC (Jesus Cristo) hahaha, então é isso não esqueçam de favoritar e comentar ok? Beijokinhas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...