História Playing with lifes - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Drama, Romance
Visualizações 14
Palavras 979
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoas, espero que tenham uma boa leitura e que gostem, peço desculpas por qualquer coisa ou algum erro perdido por aí. Até o próximo, e beijos <3 ^^

Capítulo 4 - I can not forgive you


Fanfic / Fanfiction Playing with lifes - Capítulo 4 - I can not forgive you

_Setor dos jogos_

_Ala 5_

Como dorme em paz, seus fios negros caíam sobre seus olhos, a pele pálida parecia brilhar com a luz da luminária que refletia sobre ele, estava ajoelhado com os braços levantandos e presos por correntes, em seus pulsos marcas vermelhas e até algumas gotas de sangue respingavam devido a vontade excessiva de se soltar.

Já eu estava sentada a sua frente, meus olhos lacrimejavam ameaçando derrubar lágrimas, mas meu orgulho não permite eu fazer isso. Toquei seu rosto, pensando em como ele parecia um anjo, diferente daquele garoto que perdeu o controle à uns dias atrás.

*Flashback On*

*5 Dias atrás*

_21:12_

_Corredor G_

-Coisa feia Jeon, o que fez ontem... –Digo com sarcasmo me aproximando do garoto.

-Eu só queria respostas e você me deixou inconsciente. –Ele disse apertando os punhos, demonstrando sua aparente raiva.

-Odeio ver gente perdendo o controle. –Falo ficando na sua frente.

-Por que contou pra mim que iria sumir? Quem estava vindo deixar comida? Você é mesmo a Melanie Stewart? O que acontece aqui...

Essas perguntas me pertubavam e esfaquiavam meu coração, odeio ouvir isso e não ter autorização de mim mesma para responder. Mordi o lábio inferior na busca de acalmar os nervos, enquanto escutava o enorme questionário de Jeon Jungkook.

-Eu não posso te responder, apenas confiei em você a informação de que eu iria sumir por um tempo! –Praticamente gritei sem paciência, fazendo-o calar.

-Nem tenta...eu nunca vou ter algum sentimento por você, que não seja nojo e raiva. –Ele cuspiu as palavras.

Respirei fundo e senti meus olhos lacrimejarem, não tiro sua razão para ter nojo e raiva de mim, afinal não sou uma vitíma aqui. Sei que é impossível de acreditar, mas de alguma maneira machuca ouvir esse tipo de coisa de qualquer um deles.

Quando movida pela raiva, resolvi falar...

-Nojo eu que tenho de você, Jeon Jungkook. Maltratava pessoas naquele orfanato, abusava das meninas mais novas de uma maneira horrível, sempre se achou melhor do que todos... –Me aproximei ainda mais do garoto, que ficou estático.

-Como...

-É uma pessoa tão suja e ruim quanto eu. Deve ter sido por esse seu jeito monstruoso que seus pais te jogaram fora, como um lixo inútil.

Um som estridente se ecoou pelo quarto, e uma ardência dominou o meu rosto, Jungkook acabara de me dar um tapa...

*Flashback Of*

 

Ele começou a acordar, e ao me ver forçou os pulsos para tentar se soltar, falhando lindamente em seguida. Me mantive em meu lugar, apenas o encarando sem emoção alguma.

-Por quanto tempo vai me manter aqui? –Perguntou ele com a voz fraca.

-Você me bateu, seu eu quisesse já estaria morto.

Me aproximo de seu rosto, deixando assim uma distância miníma entre nós, até nossas respirações se colidiam e o som de seus batimentos acelerados consegui ouvir. Momentos do passado rondaram minha mente e senti a raiva dominar cada pedaço do meu coração. Por um impulso, me afastei e dei um tapa em seu rosto, deixando-o de cabeça baixa, e assim permiti que as lágrimas se livrassem de mim.

-Você vai sair desse lugar, em breve.

Me levanto e ele permaneceu de cabeça baixa, caminhei até a porta de saída mas sua voz me parou no meio do caminho.

-Sabe...Não gosto de pensar que eles me jogaram fora, imagino qualquer coisa pra não chegar a essa teoria de que não passei de um lixo para os meus próprios pais. –Eu não queria ouvir, esse assunto é meu ponto fraco e sempre será.

-Talvez fosse a falta de dinheiro, ou qualquer coisa do tipo. Mas eles devem ter tido algum motivo pra me deixar na porta daquele orfanato.

Me virei para o garoto, que me olhava com os olhos marejados. Confesso que estou impressionada com o fato dele estar se abrindo comigo, assim do nada.

-Eu nunca vi o rosto da minha mãe ou do meu pai, não sei se tenho irmãos, avós, primos e tios, nunca tive uma família, nunca tive quem me amasse ou quem me desse carinho. Acho que meus pais me abandonaram porque já previam quem eu seria, ou porque talvez nunca me amaram de verdade.

Andei até ele e me sentei na sua frente, sentindo vontade de ouvir mais e mais, mesmo com a dor que sinto ao ver ele falando assim e derrubando lágrimas, Jungkook parecia estar se livrando de um peso me contando essas coisas, e aparentou esquecer seu lado revoltado.

-Quando completei a idade para sair daquele lugar, prometi pra mim mesmo que iria achar meus pais e entender o que aconteceu, idealizei que eu seria feliz novamente com a minha família e quem sabe esquecer o meu passado deplorável, que eu maltratava os outros. –Ele deu uma pausa e olhou em meus olhos, sim, estou escondida atrás de uma máscara, como sempre.

-Quando você apareceu e tirou qualquer chance de eu continuar minha vida, no momento em que dirigiu a palavra a mim. Mas pensando bem, meus pais nunca me aceitariam de volta, afinal me jogaram na frente de um orfanato. –Ele abriu um sorriso fraco, mas sei qual sentimento se esconde atrás de um sorriso desse, ou melhor dizendo, a dor.

-Por pior que seja, mereço tudo que faz comigo e até mais. Fiz pessoas sofrerem, crianças... Eu fui um monstro, principalmente com aquela garota dos olhos mágicos, eu fiz coisas horríveis com ela e queria ter a chance de pedir perdão.

Me levantei e com lágrimas ameaçando cair, tirei as correntes dos suportes que ficavam nas paredes, libertando-o de tamanha dor e fazendo com que ele me olhasse intrigado e até espantado. Jungkook veio em passos lentos até mim, e como se entedesse o que estava acontecendo, tirou lentamente minha máscara assim revelando minha identidade, o segundo que vê quem eu sou de verdade.

-Melanie Stewart...

-Não posso te perdoar, Jeon Jungkook.

....



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...