História Please - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Abo, Chanbaek, Hunhan, Kaisoo, Sulay, Taoris, Xiuchen
Visualizações 292
Palavras 1.060
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, Luta, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 15 - Yeol Daseot


2 Anos Depois

Chanyeol On

Desde que minha vida virou de cabeça para baixo eu não era mais o mesmo. Infelizmente Baekhyun continuava em coma durante todo esse ano, não apresentava pioras e nem melhoras. Luhan e Kyungsoo sempre cuidavam dele por mim e também coloquei Sehun como meu braço direito, desde então ele cuida muito do vilarejo por mim.

Baekhyun continuava lindo, imóvel. Nossos filhotes tinham nascido perfeitos, ambos ômegas. Taehyung e Daehyun eram exatamente como Baekhyun, seu sorriso, seus olhos. Eu ficava feliz por ver aqueles pequenos dando os primeiros passos e palavras. Momentos com eles eram os únicos que me faziam esquecer a dor por alguns segundos ao ver aqueles sorrisos gengivais.

Eles eram idênticos e muito diferentes ao mesmo tempo. Daehyun era mais quieto, calmo e também mais emburrado, vivia dormindo pelos cantos e em qualquer lugar. Taehyung era totalmente o contrário, agitado demais, acabava acordando o irmão na maioria das vezes, fazia muitas artes mas era extremamente feliz, gargalhava o tempo inteiro. A única coisa que ambos puxaram de Baekhyun era o ciúme, viviam me mordendo quando alguma moradora oferecida vinha falar comigo.

-Appa... -Daehyun vinha andando cambaleando apenas de frauda, sorri e o peguei no como enchendo de cócegas.

-O quê foi meu amor?

-Tae mal... -Ele se emburrou.

-Ele te acordou de novo meu príncipe? -Daehyun assentiu. -Pode dormir no colo do appa então.

Daehyun rapidamente se aconchegou. Não nego que era muito difícil conciliar essa vida, mas eu nunca abandonaria meus filhotes mesmo com o processo complicado de ficar sem Baekhyun. Eles precisavam de cuidados, carinhos e também, sabem da existência do Baek, gostam de ficar no quarto dele, de algum modo o cheiro os acalma, talvez reconheçam sua omma facilmente.

-Chanyeol? -Kyungsoo chamou.

-Hn?

-Eu sinto tanta falta dele. Queria aquele sorriso de volta, meu irmão. Eu não pude viver nada com ele nesse meio tempo, criar novas histórias. Me sinto culpado de não ter falado a verdade desde o dia em que chegamos aqui.

-Não é culpa sua Kyung. Sabemos como Baekhyun é impulsivo, talvez se ele soubesse antes iria atrás do líder, começaria uma guerra e sem o nosso casamento eu não poderia ajudar do modo correto. Desejei tantas vezes contar tudo o que eu sabia, odiava vê-lo tendo pesadelos que não imaginava serem reais.

-A nossa vida muda muito não é? Jongin tenta me manter focado no nosso filhote, minha gravidez tem sido baseada em nervosismo, ansiedade, pode acabar fazendo mal ao bebê.

-Apenas descanse um pouco. Baekhyun sabe que estamos aqui embora esteja dormindo. Gosto de pensar otimista como Luhan de que um dia ele vai acordar, seremos felizes. Eu não vim até essa matilha para acreditar no fim de uma história triste.

-Obrigado por estar aqui. Baekhyun precisa muito de você, todos os dias. Ele escolheu a pessoa certa para amar hyung. -Sorri para Kyungsoo. Eu nunca desistiria de Baekhyun, nem que me matassem.

Meu ômega era a pessoa mais importante para mim. No passado, eu não acreditava muito que poderia ser feliz dessa maneira, ainda mais sendo um casamento por contrato. Sabia que meu dever era proteger Baekhyun, eu devia isso à seu appa verdadeiro, pelo amor interrompido deles. Cresci entendendo isso, nunca questionei que seria usado apenas para proteger alguém.

-Hoje eu entendo o que diziam sobre o amor. Ele domina nossos pensamentos, me fez enxergar tantas coisas de um modo diferente, me sinto realizado quando vejo tudo aquilo que conquistei ao seu lado.

-Eu também penso isso com Jongin. Ele é mais novo que eu, um pouco infantil às vezes e me dá nos nervos quando faz bagunça com Yongguk em casa, mas eu jamais o abandonaria, não conseguiria me separar dele. Entendi o que era amor facilmente, mesmo eu que sempre neguei essa vida. Achava que quase todos os alfas se sentiam superiores, não queria alguém para me dominar e decidir as coisas por mim. Acho que a vida sabe o que faz e quem ela coloca em nossas vidas.

-Você está certo. A vida sempre sabe que tipo de pessoas precisamos para curar nossas feridas mais profundas. Baekhyun pode não saber, mas ele me salvou de muitas coisas do passado. -Sorri pensando o quanto aquele baixinho mudou minha vida. Ele era sem dúvida alguma o mais precioso do mundo. -Ele me deu os maiores presentes do mundo e eu sou feliz dessa maneira, com meus pequenos príncipes.

-Eles são exatamente como Baekhyun. Eu fico impressionado pela maneira como agem perto de você, todos ciumentos, mandões. Me dá vontade de rir quando ficam possessivos.

-Eu gosto, mostra que se importam bastante. Seu filhote só não é assim por ser alfa, mas geralmente os ômegas são desse tipo. Meus filhos são do jeito que sonhei, sempre quis que eles fossem como Baekhyun e terem seu sorriso foi maravilhoso.

-Eu imagino que se sinta dessa maneira. Bom, eu vou dar uma volta. Quer que eu leve Daehyun? Sei que Tae não o deixa em paz então ele pode ficar em minha casa.

-Perto do Guk? Acho melhor não.

-Larga de ser um appa ciumento. Nós já sabemos que eles são almas gêmeas e além do mais, meu filhote é muito respeitador. Eu o ensinei a maneira certa de tratar um ômega.

-Eu sei Soo, são só meus instintos gritando contra isso. Daehyun é meu pequeno filhote e eu não gosto muito. Sei que não tem como lutar contra algo assim e até fico feliz por ser com alguém que eu conheça e tenha contato.

-Vou te deixar sozinho agora. -Ele saiu levando Daehyun no colo. Me aproximei do corpo de Baekhyun e selei nossos lábios, senti seu cheiro e sorri ao perceber que nada tinha mudado em sua fragrância. Baekhyun tinha uma boa genética e mesmo em coma sua face continuava brilhando.

-Ah Baek, como sinto sua falta meu amor. Queria que estivesse aqui comigo, passando por esses momentos. Os meninos vivem aqui, admirando sua beleza assim como eu faço sempre. É difícil ser o líder e appa ao mesmo tempo, mesmo os meninos me ajudando eles precisam de você. Sei que em alguma parte da sua cabeça você me escuta, então por favor, faça um pequeno esforço para voltar, por nós. Eu não sou nada sem você e sinceramente? Só continuo aqui porque nossos filhos me fazem forte para suportar, mas eu não sou nada sem você. Nunca serei. Eu te amo.

Depois de todos esses anos, de todas as minhas lágrimas. Baekhyun abriu os olhos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...