História Please, don't leave me - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Original, Romance, Sofrimento, Yaoi
Visualizações 192
Palavras 3.566
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Suicídio
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 3 - False Revenge / Go to Home / Alone II


Fanfic / Fanfiction Please, don't leave me - Capítulo 3 - False Revenge / Go to Home / Alone II

Fui até a cabana principal, peguei meu café e me sentei perto da janela, estava com a cabeça encostada no vidro pensando em tudo que vinha acontecendo.

- Posso me sentar? - Daniel disse segurando uma latinha de refrigerante.

- Pode...- eu disse sem ligar muito.

- Me desculpe por hoje... Não foi legal, devia ter pensado antes de agir...- ele disse dando um gole na Fanta uva.

- Tudo bem... isso não foi nada perto das merdas que acontecem - falei.

- Está tudo bem?, conseguiu achar o John? - ele perguntou quebrando o lacre da latinha.

- Sim, mas ele estava acompanhado então... Ei sabe onde eu posso arranjar um barraca? Eu estava na do Johnatan mas, acho que não vou mais ficar lá...

- Você pode ficar comigo, estou nos chalés aqui do lado, sabe nem todo mundo curte barraca... lá é bem grande e...- Ele percebeu que Johnatan nos observava de longe e estava com um lado do rosto roxo e inchado - Você quer que eu saia, pra vocês conversarem? Eu posso ir se vo...

- Não, tudo bem, ah você podia me mostrar onde é seu chalé, vou levar  minhas coisas se não for te incomodar...- disse me levantando.

- Tudo bem, vamos lá - ele disse jogando a lata de refrigerante vazia no lixo.

Passamos por John, e eu queria ter o abraçado, realmente eu estava com saudades , de ficar perto dele, de sentir seu cheiro e sua pele tocando na minha, também estava com a consciência pesada pelo soco que dei nele, mas eu estava cansado das merdas que ele fazia, toda hora. Peguei minhas coisas e levei para o chalé de Daniel, ele disse que iria para piscina, apesar de estar calor preferi ficar na cama lendo um pouco. A noite fomos para a fogueira, 40 adolescentes contando histórias e bebendo, não foi tão ruim quanto achei, apesar de John me encarar de longe o tempo inteiro, consegui me enturmar com os amigos de Daniel.

- Bom gente, sei que  está cedo mas vou indo, pareço ter 16 anos mas o sono é de 80...- disse me despedindo.

- Ah eu vou com você, falou gente... - Daniel disse se despedindo também.

Tomei banho, coloquei apenas uma bermuda e me deitei. Daniel tirou a camisa e se jogou na cama ao lado apenas de cueca box e meias, ele tinha um corpo definido e era bem forte para nossa idade. Ficamos conversando até que ele teve a brilhante ideia de fazer shots de vodka que ele quardava pra um amigo, ele subiu em minha cama para pegar a garrava que estava na prateleira e a deixou cair em mim, a garrafa não quebrou mas deixou um roxo em meu ombro . Depois de alguns shots fomos dormir, ele era um cara legal apesar de ser meio idiota as vezes.

Logo de manhã alguém bateu na porta, me levantei para atender e era John.

- Caleb... precisamos conversar, por favor? Eu...eu sinto sua falta e...- ele estava triste olhando pro chão.

- Johnatan, eu estou cansado das merda que você faz, eu também sinto sua falta e...- fui interrompido pela voz de Daniel que havia acordado.

- Ah meu Deus, quem é essas horas? Não devíamos ter ficado até tarde ontem, desculpe pelo seu ombro, eu estava bêbado demais para...- Disse Daniel chegando perto de mim só de box e parou de falar quando percebeu que era Johnatan - Mal momento?...

- MAS QUE PORRA É ESSA? - Johnatan se exaltou olhando para meu ombro, e ao entrar viu as camas bagunçadas.

- Ei é melhor você ficar lá fora - Disse Daniel o empurrando levemente para a porta.

- É MELHOR VOCÊ FICAR FORA DISSO - John disse o empurrando para trás, estava prestes a  dar um soco em Daniel quando eu entrei na frente.

Ele me acertou e eu caí no chão, Daniel foi pra cima dele e o derrubou no chão. "Parem com essa porra!" Gritei e tirei Daniel de cima de John.

John se levantou e limpou sua boca suja de sangue com as costas da mão e foi até a porta.

- Eu beijei uma garota e você dormiu com ele - Disse olhando para Daniel - ótima vingança. - com os olhos cheios de lágrimas ele saiu sem olhar para trás.

- Espera o que? - Eu disse, mas ele já estava longe.

- Ele acha que a gente???? Porra, ta esperando o que? Vai atrás dele Caleb! - Daniel disse se recompondo.

Corri até Johnatan segurei seu braço e o virei, ele limpou o rosto e tentou disfarçar mas estava chorando.

- John... não chora - Disse o abraçando.

- Me solta...- ele disse com a voz engasgada e me empurrando fraco.

- John eu não dormi com ele, não aconteceu nada ontem...- disse com as mãos em seu rosto.

- O que aconteceu com seu ombro? E ele disse que vocês ficaram até tarde ontem, ele estava de cueca e eu...- ele disse respirando fundo, lágrimas ainda molhavam seu rosto.

- Nós bebemos, e ele me acertou com a garrafa sem querer... mas não aconteceu nada, eu juro - Disse secando as lágrimas de seu rosto machucado.

- Me desculpe - ele disse se agarrando a mim, me abraçando forte e ainda chorando - Me desculpe...

- Hey, tudo bem... Me desculpe também pelo seu rosto...- eu disse o abraçando também.- porque está chorando? Calma, está tudo bem...

- Eu mereço...- ele olhou para meus olhos - Eu estava bêbado... Ela também estava...- ele soluçava de tanto chorar.- nós fomos para a barraca e...

- O que?...- eu estava sem palavras.

- Caleb... Me desculpe - ele disse com os olhos inchados.

"Todos para seus chalés e barracas, hora da chamada" Ouvimos o professor avisar pelos auto-falantes.

- Precisamos... precisamos ir...- eu disse me virando e indo para o chalé.

Entrei e me joguei na cama com a cara para o travesseiro. Daniel já havia se vestido e sentou ao meu lado.

- Eu fiquei sabendo sobre eles... Eu sinto muito... Olha eu sou hetero, mas se você quiser se vingar eu tenho uns amigos que...

- Não! Meu Deus não! - eu disse quase rindo.

- Ah pelo menos você riu... - Ele disse sorrindo - perdemos a hora do café, mas ainda sobrou vodka...

- Daniel, são 10:00 da manhã... cadê a garrafa?

Estava sentado na cama com Daniel bebendo o que sobrou da vodka direto da garrafa, eu estava completamente bebado quando a campainha tocou, Daniel se levantou e foi abrir a porta, era Lana.

- Daniel, Caleb está aqui? - ela perguntou.

- Digamos que ele não está muito bem para falar agora...- ele disse olhando para mim.

- Preciso falar com ele, que cheiro é esse? - ela entrou e me viu na cama com a garrafa - isso é Vodka? São 10 da manhã vocês não tem...

- Ah vá se foder Lana - Disse a interrompendo - Você fodeu com o garoto que eu amo, ótimo parabéns, não venha foder com minha vodka também. - Eu estava completamente bêbado e dizendo tudo que vinha a cabeça.

- Parabéns Daniel, de mais vodka pra ele - ela disse discutindo com ele.

- Ah Lana, cala boca - ele disse tirando a vodka de minhas mãos.

- Ei, me devolve isso, o que  você está fazendo? - eu disse indignado por ele tirar minha bebida.

- Vai pro chuveiro, você precisa ficar sóbrio. - ele disse me levantando.

- Eu vou, só se você for junto.- eu disse o abraçando e... Eu vomitei em suas costas.

- Meu Deus Caleb...- ele disse me levando para o banheiro.

Depois de me enfiar debaixo da água fria e me dar umas colheres de açúcar, eu estava quase totalmente sóbrio. Já era hora do almoço então fomos para a cabana principal, fui pegar meu almoço e quando voltei John estava sentado na mesa com Daniel.

- Johnatan...- eu disse me sentando.

- Caleb, você não pode me evitar pra sempre... precisamos conversar - ele disse.

- Johnatan você dormiu com a Lana, não temos o que conversar, aconteceu não da da voltar no tempo e...- fui interrompido.

- O que? Você realmente acha que a gente dormiu junto? - Lana disse da mesa do lado.

- Lana eu acordei na sua barraca com nós dois semi-nus, o que podia ter acontece? - John disse exaltado.

- Você foi pra minha barraca porque estava bêbado demais, eu sempre durmo daquele jeito, e você eu não sei porque, mas não rolou nada, de manhã ainda estávamos meio drogados e nos beijamos, mas não rolou mais nada. Fala sério você é gay até bêbado...- ela disse se levantando e indo.

- Eu acho que temos algo pra conversar - Eu  disse olhando para John.

- Eu acho que devíamos conversar no banheiro - ele disse com uma cara maliciosa.

- Ah, vocês são nojentos, vão logo antes que eu vomite - Daniel disse rindo.

Achei que íamos nos pegar ou qualquer coisa do tipo. Mas não, John entrou logo atrás de mim, trancou a porta e me abraçou, ficou com a cabeça em meu pescoço, seu cheiro, sua pele, tudo nele era acalmante. Ele se sentia seguro comigo, e eu sentia que podia protege-lo de tudo. Depois de algum tempo colamos nossas testas por alguns instantes.

- Caleb... você não precisa responder... mas eu acho... eu acho que te amo...- ele fechou os olhos e me beijou.

Alguém bateu na porta, parecia ser o professor, abrimos e ele estava apenas apertado para ir ao banheiro. A noite arrumamos nossas coisas e fomos para o ônibus, iríamos para casa.

O ônibus iria deixar cada um em sua casa, a viagem não foi muito longa, eu dormi a maior parte. Chegamos a casa de John, ele me abraçou e eu beijei sua testa, "eu te amo" sussurrei em seu ouvido. Ele sorriu para mim e seu sorriso foi tudo, dormi pensando nele e no jeito que mexia comigo. Eram mais ou menos 00:30 quando ele me mandou mensagens.

"Caleb, amanhã é o primeiro dia das férias de verão, podemos passar juntos?"

Respondi que sim, e pretendia passar as férias inteiras ao lado dele. Logo de manhã fomos tomar café juntos na cafeteria perto de sua casa, como sempre pedi meu achocolatado e ele seu caputino, dividimos um pedaço de bolo e depois fomos para minha casa. Fomos para meu quarto, abri a janela que a meses não passava luz e me joguei na cama.

- Hey o que acha de encontrarmos Daniel no clube depois do almoço? - ele perguntou se sentando ao meu lado.

- Claro... onde você quer almoçar hoje? - perguntei.

Fomos a uma lanchonete perto do clube, ele comeu cachorro quente e eu hambúrguer com fritas. Logo depois encontramos Daniel, fui até o vestiário me trocar, coloquei o calção e fiquei em frente o espelho observando minha cicatriz causada pelo tiro. John me abraçou por trás e me beijou, fomos para a piscina e ficamos a tarde inteira na água. Eram quase 18:30 e ele me chamou para ir em uma festa, fomos para minha casa nos arrumamos e saímos. A festa não era nada demais, só adolescentes bêbados e drogados dançando música eletrônica com luzes piscando. Ele foi buscar bebida em quanto eu fui no banheiro, abri a porta e... tinha um casal... bem acho que você já sabe o que eles estavam fazendo.

Demorei uns dez minutos para acha-lo, ele veio em minha direção com um cigarro na boca e um copo de vodka. As luzes psicodélicas resaltavam seu rosto, ele me puxou "Vamos dançar" falou em meu ouvido, a música alta, a fumaça, tudo começou a enlouquecer quando coloquei o cigarro em minha boca, risadas, sorrisos, drogas, é vou me lembrar da próxima vez. Pegamos um uber que o deixou na casa dele primeiro, ele tirou o cabelo de meu rosto, me beijou e saiu do carro, fui para casa e não pude evitar fazer barulho quando entrei, mas não tinha ninguém em casa.

Acordei era 13:00, peguei meu celular e não tinha mensagem alguma, fui até a cozinha e havia um bilhete de minha mãe.

" Caleb, sua avó sofreu um ataque cardíaco, fomos para a casa dela na Califórnia, ela passa bem e não sabemos até quando teremos que ficar, te amamos, se cuide.

Mãe e Pai"

Fui até a casa de John, bati na porta várias vezes e ninguém atendeu. Estava descendo as escadas quando encontrei a mãe dele.

- Sra. Sivan, onde John está? - perguntei. 

- Ah... ele não te contou?

- Contou o que? - Eu disse preocupado.

- Ele vai passar o verão na reabilitação... Um lugar afastado daqui, fui leva-lo na rodoviária... perdoe ele, não gosta muito de despedidas...- ela disse subindo as escadas.

Como assim? Ele foi sem ao menos se despedir... Achei que não sentiria tanto sua falta, mas 5 dias se passaram e eu tenho que ficar chapado o tempo todo para tentar esquece-lo. Sozinho, fumando 5 cigarros por dia, vodka já faz parte da minha corrente sanguínea, eu não sei mais quanto isso irá durar...

Duas semanas se passaram, meus pais ainda não haviam voltado e eu ainda estava sozinho. Eram 10 da manhã quando alguém tocou a campainha, vesti a blusa chadrez amassada e suja que John esquecerá uma vez em casa, e fui atender a porta. Sim, era Johnatan, pouco clichê ele me abandonar e logo depois bater em minha porta.

- Caleb? - ele disse cerrando os olhos.

- Johnatan. - Eu disse não muito surpreso.

- Eu... posso entrar? - ele pediu.

Dei de ombros e virei as costas, ele entrou  e fechou a porta, fomos até a cozinha onde peguei um copo de whisky pela metade e deu alguns goles.

- Você está... péssimo - ele disse vindo em minha direção devagar.

- É assim que se fica, quando se esta sozinho. - Disse quase terminando o copo quando ele tirou de minhas mãos.

- O que é isso? - ele disse cheirando e logo depois dando uma golada - Caleb whisky? Sério? São dez da manhã...- ele disse cuspindo de volta no copo.

- Ah é a vida né - disse.

Estava indo em direção a geladeira quando tropecei em um tênis que estava jogado pela casa, iria cair de cara no chão quando John me segurou.

- Você está bêbado? -  perguntou.

- Na maior parte do tempo.-  disse continuando meu caminho.

- Hey, vamos pra algum lugar? Você não pode ficar aqui, sozinho... se matando aos poucos. - ele disse olhando para mim.

- Isso é a única coisa que me mantém vivo depois que você sumiu.-  eu disse pegando uma garrafa de cerveja na geladeira e virando em minha boca - mas tudo bem, vamos lá.

Fui até meu quarto e peguei uma toalha, entrei no banheiro para passar uma água no corpo, só para não sair fedendo a bebida. Quando sai John tinha recolhido as garrafas vazias deixadas pela casa e dado uma ajeitada na coisas. Foi zé droguinha e voltou a dona de casa exemplar... Coloquei meu moletom e meus jeans velhos, peguei meu cantil de bolso e fui para sala onde John me esperava.

- Pra onde vamos? - Disse colocando um cigarro na boca.

- Vou te levar no aquário da cidade, aposto que nunca foi lá - ele disse tirando o cigarro de minha boca, jogando no chão e pisando.

- Vamos ver peixes? Sabe tem uma feira aqui perto cheia deles... só estão mortos...- eu disse sem me animar muito.

- Vamos logo - ele disse me puxando para porta.

Estávamos no carro da mãe dele, ele estava dirigindo em quanto ouvíamos rádio. Chegamos e começamos a andar.

- Então... você parou com tudo? Assim rápido? - Eu disse me referindo as bebidas e drogas.

- É, eu tive uma recuperação muito boa... consegui que me liberassem antes. - disse pegando um folheto sobre golfinhos.

- John... por que você não me falou? Estávamos tão felizes e do nada você some, sem deixar nada, nem nos depedirmos... - Disse pebebendo um gole de vodka do cantil.

- Porque... não iria embora para sempre, se nos despedissimos seria como se eu fosse voltar sendo outro, mas eu ainda sou o mesmo... claro sem o vício. - ele disse tirando o cantil de minhas mãos e colocando em sua mochila.

- Você parece outro. - Eu disse.

- É difícil reconhecer as pessoas quando se está chapado o tempo inteiro.- ele disse me dando um bombom que tirara de sua mochila.

Depois de um tempo eu estava quase sóbrio, voltamos para minha casa, tirei meu moletom e esbarrei em John na porta de meu quarto, ele tentou me segurar para que eu não caisse mas acabamos caindo no chão. Seu rosto perto do meu, seu cheiro... Tive que beija-lo. Seus beijos eram como copos de vodka, depois do terceiro você não tem mais controle. Ele agarrara meu cabelo em quanto ele devorava meu pescoço, não sei o que era pior, sentir raiva ou amor por ele.

Escutei o barulho da porta, John saiu de cima de mim assustado, estávamos suados e sem camisa, engoli seco, meus pais não poderiam ser...


- Caleb? - era meu irmão mais velho.


Pedi que Johnatan esperasse no quarto para que eu pudesse falar com ele com calma, coloquei meu moletom rapidamente e fui falar com ele.


- Gabriel? - Disse aparecendo na sala - não sabia que você ainda tinha as chaves daqui...


- Então é isso? Nossos pais te deixam sozinho por algumas semanas e você vira um bêbado zé droguinha? - ele disse já me atacando - você continua o mesmo merda de sempre.


- Ah então eu sou o merda? - disse chegando perto dele - você nos deixou quando a mamãe ficou doente, não ligou no Natal, nem no ano novo, só aparece quando precisa de algo, o que você quer desta vez?


- Ah cala boca. - Ele disse me empurrando fazendo com que eu tropeçasse em uma garrafa e caísse no chão.


-Encosta um dedo nele de novo, e vai se arrepender de ter voltado - John surgiu na sala apenas de jeans e empurrou Gabriel contra a parede.


- Olha Só, não sabia que tínhamos um novo cão de guarda. - Gabriel disse rindo.


- O que foi que você disse? - John falou indo para cima de Gabriel. 


- Chega dessa porra, já deu né? - Disse entrando no meio dos dois e os separando. - Gabriel fala logo o que você quer...


- Eu... eu não tenho mais nada, estou morando no meu carro...- ele disse coçando a cabeça.- queria saber se posso ficar aqui um tempo...


- Você pode ficar até eles voltarem, e tem que parar de arranjar confusão...- disse respirando fundo.


Johnatan me olhou meu bravo.


- Não vai me apresentar pro seu amigo? - ele disse se recompondo.


- John, esse é meu irmão mais velho... Gabriel. Gabriel, esse é meu... - pensei por um momento no que ia dizer-  esse é meu namorado Johnatan. 


- Ah meus Deus, você finalmente perdeu o b.v. - ele disse me dando uma chave de braço e bagunçando meu cabelo.


Johnatan deu um sorriso de canto, em quanto eu e ele arrumavamos a casa, Gabriel cozinhava algo para comermos. Só em meu quarto haviam 8 latas de cerveja, juntamos tudo e fomos para a cozinha. Comemos miojo, que era a única coisa que havia no armário, dei cobertas e um travesseiro para Gabriel que foi para seu antigo quarto, agora era quarto de visitas. John tomou banho primeiro, e logo depois eu tomei, entrei no quarto me vesti e sentei na cama ao lado dele.


- Por que você nunca me disse que tinha um irmão? - ele me perguntou. 


- Ah... É que a gente não o considera muito da família... É complicado - expliquei.


No outro dia desci para colocar o lixo para fora. Um dos sacos rasgou, percebi algo estranho, havia uma seringa usada, com agulha e um resto de líquido. Não... não poderia ser do John... eu não queria acreditar que havia grandes chances de ser. Peguei a seringa, coloquei no bolso e subi as escadas, entrei em casa e fui para cozinha onde John e Gabriel estavam discutindo


- O que está acontecendo? - perguntei bravo.

-  Fui arrumar o quarto e achei isso nas coisas dele! - John disse muito exaltado jogando um revólver na mesa.


- Gabriel que porra é essa? - gritei.- Achei isso no lixo, espero a verdade aqui! - disse jogando a seringa na mesa.


- Onde achou isso? - John perguntou nervoso.


- Isso, isso não é meu! - Gabriel disse.


- Estava na droga do lixo tem que ser de alguém, e não é meu.


- Caleb eu estou limpo a semanas, isso não é meu - John disse.


- Duvido... Ele já esteve metido com isso antes não é mesmo? Deve ser dele - Gabriel disse apontando para John.


- Cala boca, você não me conhece - John disse dando um tapa na mão de Gabriel.


- Não encosta em mim filho da puta! - Gabriel disse empurrando John.


Eles começaram a brigar, tentei me meter no meio mas acabei levando um soco de Gabriel, e caí no chão. Me levantei, e vi que John estava dando uma surra em Gabriel, resolvi deixar, ele não ia mata-lo. Até que vi Gabriel pegar uma faca na pia, sem pesar me virei peguei a arma e puxei o gatilho, acertei meu irmão 2 vezes na perna, ele caiu gritando no chão. 


- Caleb... eu...- Johnatan e virou com as mãos no abdômen.


 Ele caiu praticamente em cima de Gabriel, olhou para suas mãos sujas de sangue e desmaiou.


*Continua*














Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...