História Please don't say you love me. - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Miraculous: Tales of Ladybug & Cat Noir (Miraculous Ladybug)
Personagens Adrien Agreste (Cat Noir), Alya, Chloé Bourgeois, Hawk Moth, Marinette Dupain-Cheng (Ladybug), Nino, Plagg, Tikki
Visualizações 318
Palavras 1.442
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura meus amores <3

Capítulo 9 - Capítulo 7 - O outro lado da Marinette.


Adrien.

 

Nathalie havia convidado Adrien para ir ao shopping durante a parte da tarde, ele achava que era essa umas das maneiras da mulher tê-lo por perto. Quando sua mãe sumiu, foi ela que começou a cuidar dele enquanto seu pai parecia mais interessado no trabalho. Sentia saudades do que ele era antes do desaparecimento dela, pensar nela, o fazia sentir vontade de olhar as fotos de sua mãe e era o que Adrien estava fazendo. Com o indicador, ele passava na tela do celular.

— Você é muito parecido com a sua mãe. —  Plagg disse ao seu lado e Adrien deu um sorriso fraco.

— Eu sei. Sinto saudades dela. — Ele soltou um suspiro baixo e Plagg pareceu entendê-lo. Na mesma proporção que o Kwami conseguia irritá-lo, também conseguia compreendê-lo. Acho que era por isso que Adrien ainda não havia o jogado pela janela quando teve oportunidade.

— Eu sinto muito. — Ele sussurrou. — Ela simplesmente foi embora? — Adrien piscou várias vezes e por fim negou com a cabeça, não era isso que havia acontecido.

— Não. Eu acho que ela nunca me deixaria sabe? Eu e mamãe eramos apegados demais, ela ainda demonstrava amar o papai. Não tinha motivos para ela nos deixar, mas em uma bela manhã, eu acordei e ela não estava mais. — Ele segurou para não acabar chorando, eram coisas que ele não queria ter que relembrar. Guardou o celular e se sentou quando bateram na porta do seu quarto e rapidamente Plagg se escondeu no seu casaco. 

— Vamos indo, Adrien? — Nathalie apareceu e ele assentiu com a cabeça. 

 

***

 

O caminho até o shopping foi em silêncio. Pelo menos para ele, já que Nathalie falava algo no celular. Achava que podia ser o seu pai, já que era sempre daquela forma quando saiam. Era como se sentir vigiado vinte e quatro horas por dia. Adrien entendia os motivos pelo qual ele era assim, mas as vezes se tornava sufocante em ele não deixá-lo viver. Talvez a única coisa legal que havia feito até agora, além de gostar de ser Chat Noir, era ter ido no parque de diversão. E se pegou pensando que não via a hora de segunda-feira chegar e poder ver seus amigos novamente. Quando chegaram, Nathalie entrou na primeira loja e ele acompanhou.

— Essa roupa é perfeita. — Ela disse, entregando ele um terno. Adrien uniu as sobrancelhas, confuso.

— Por que um terno? — Perguntou e Nathalie deu um sorrisinho para ele. Já sabia o que iria vir.

— Seu pai tem uma reunião semana que vem e ele gostaria que você o acompanhasse. —  Ela disse e eu soltou um suspiro baixo. — Isso pode ser algo que os reaproxime, Adrien. Pense nisso. — Deu pequenas batidas no ombro dele e saiu, em busca de alguma roupa que agradasse ela. Quando ele se virou, viu uma cena que achou que nunca viria. Uma Marinette totalmente diferente do que se mostrava na escola ou no parque de diversão. Ela vestia um short skinny que ia até a sua coxa e um top de alcinha da cor preta. Em seu pescoço um echarpe e em seus pés um all star branco. Para cobrir seus olhos, ela usava um óculos da cor vermelha e deixou seus cabelos negros soltos. A menina fazia poses com a manequim enquanto Alya tirava algumas fotos e ria da amiga. Sem ao menos perceber, ele se aproximava aos poucos e com vontade de capturar o momento de uma Marinette totalmente oposta daquilo que ele conhecia, catou seu celular no bolso e apertou no botão para filmar o divertimento da garota com as roupas.

— Adrien, você é tão maravilhoso. Um charme de pessoa. — Ela disse e Alya bateu algumas fotos para gravar o momento. Adrien arregalou os olhos com a menção do seu nome e parou logo a frente dela que foi trazida de volta para a realidade quando o olhou. — A-adrien? — Seu rosto corou tão violentamente quando o avistou e rapidamente, ela passou os braços ao redor do próprio corpo como se quisesse se esconder. O Top que ela usava, não cobria nada do seu corpo. Logo sua expressão mudou quando ela encarou o celular em suas mãos. — O que pensas que está fazendo? — Adrien desligou o play e baixou a mão.

— N-nada. — Ele disse com vergonha. — Por que estava me comparando com o manequim? — Outra vez a menina parecia ter vontade de sair correndo, e agora tinha razão. Ela olhou por cima do seu ombro como se buscasse ajuda de Alya.

— Porque eu pedi. — Alya respondeu o fazendo olhá-la, é claro que não, ele estava lá desde o momento que começou a brincadeira entre elas ou pelo menos a metade da brincadeira.

— E você quer que eu acredite que não estava fazendo nada com o celular? Me deixa ver. — Seu rosto ainda continuava vermelho, ele só não conseguia decifrar se era de vergonha ou de raiva por ele estar a filmando as escondidas. Ela estendeu a mão para que ele passasse o objeto mas Adrien não se mexeu.

— Por que eu daria meu celular? — Perguntou e uniu as sobrancelhas. — Meu manequim acabou de ser atacado por você. — O comentário fez com que a garota de cabelos negros fechasse a cara e abraçou mais a si mesma.

— O celular, Adrien. — Sua voz saiu mais séria demonstrando o quanto estava zangada. Talvez ele quem tivesse que estar zangado pela brincadeira, mas seu coração, demonstrava o oposto daquilo.

— Opa! — Alya exclamou e praticamente pulou na frente deles. — Não vão se brigar agora não é? Foi uma brincadeira, lidem com isso como adultos. — Alya disse e por cima dos ombros da garota, ele pode ver uma Marinette de olhos marejados.

— Mas não se deve gravar alguém sem permissão. Isso é invasão de privacidade. — A voz de Marinette saiu embargada e isso cortou o coração de Adrien no meio.

— O celular, Adrien. — Alya pediu e ele parecia imóvel.

— Qual o… — Mas não pode terminar de falar algo quando Marinette saiu correndo para dentro do provador. — Eu… eu não queria deixá-la assim. Não foi minha intenção. Eu só achei engraçado a forma que ela estava se divertindo. É a primeira vez que a vejo dessa forma… descontraída. — Alya o encarou em compreensão e soltou um suspiro longo.

— Por que não disse isso a ela ao invés de fazer uma piada de mal gosto? — Alya cruzou os braços e o encarou em reprovação.

— Por que garotos são idiotas? — Ele disse em um sussurro e deixou os ombros caírem, chateado consigo mesmo. Ele estendeu seu celular para a amiga. — Aqui. Apague e diga para Marinette que não tem mais nada dela. — Ele disse quando desbloqueou o celular e Alya mexeu para apagar o vídeo em segurança. Ela devolveu o celular e abriu um sorriso.

— Obrigada, Adrien. — Disse e logo adentrou no provador atrás de Marinette.

— Parabéns, você conseguiu fazer uma garota chorar. Está indo no caminho certo. — Plagg resmungou quando colocou a cabeça para fora do casaco. — Como se sente? — Perguntou.

— Péssimo. — Respondeu e soltou um longo suspiro. — Eu não tinha uma má fé. Não era como se eu fosse fazer algo com o vídeo. — Disse e Plagg pareceu olhá-lo com compreensão.

— Me diga, Adrien. Marinette é apenas uma amiga mesmo? — Perguntou e Adrien assentiu com a cabeça. — Você age como se tivesse sentimentos reprimidos por ela. Olha a sua insistência em conseguir tê-la por perto, sua insistência em ainda mantê-la a vontade quando claramente ela só quer sair correndo. Você pode ter conseguido pontos no parque, mas duvido que ela olhe na sua cara amanhã. — As palavras de Plagg era como trazê-lo de volta a realidade, embora corresse o risco de amanhã ela nem sequer olhar para ele. Ao mesmo tempo, ele sabia que pertencia a sua Lady.

— Eu amo a Ladybug. Gosto da Marinette como amiga, não é somente relacionamentos amorosos que devemos conquistar Plagg. — Ele disse e o Kwami outra vez se escondeu dentro do seu casaco.

— Adrikins. — Chloé gritou a pouco metros de distância mas uma movimentação nos provadores lhe chamou atenção, claramente, Marinette havia chorado. Seus olhos estavam brilhando, mas não era vivido, eram de tristeza. A ponta do seu nariz estava vermelha e suas bochechas estavam mais coradas que o normal. Ela o olhou, com certa decepção e ele não achou que aquele olhar vindo dela acabaria o atingido em cheio, quando Chloé agarrou seu braço e o puxou, Marinette desviou o olhar dele e voltou a falar com Alya. — É tão bom vê-lo aqui. — Chloé disse com um sorriso de ponta a ponta. — Você pode me ajudar nas compras. — A loura disse animadamente e Adrien baixou a cabeça. Tudo que menos queria agora era ter que lidar com alguém como Chloé.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...