História Please, save me - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Namjin, Otp, Romance, Taekook, Vkook, Yaoi, Yoonmin
Exibições 270
Palavras 1.932
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Fluffy, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLÁ QUERIDOS

Só queria dizer que essa é minha primeira fic !!!!!!


Me desculpe se tiver muito ruim ou sei lá...


Qualquer erro é só avisar ok ?❤️❤️

Capítulo 1 - O começo



 P.O.V JUNGKOOK 
       

Sabe quando você percebe que toda a sua vida é uma farsa? Quando você descobre que nunca teve liberdade? Quando você percebe que tudo ao seu redor é uma mentira? Ou pior, sempre soube, mas esperançoso tentava se convencer do contrário? Era exatamente assim como eu me sentia. Por que eu tive que nascer sendo Jeon Jungkook? Um ômega inútil, que servia apenas como mais uma marionete para o seu pai ganhar mais dinheiro. Sim, uma verdadeira marionete. Minha opinião e desejos nunca eram ouvidos. Eles eram inúteis, afinal eu já tinha meu futuro decidido. Eu não poderia mudar nada.


        Nem as minhas ações eu podia decidir. Tinha que ser sempre perfeito, sempre submisso, sempre sorrindo, sempre inocente e gentil. Não podia encarar alfas nos olhos, não podia usar roupas curtas ou coladas demais, não podia chorar, não podia rir...eram tantas regras que me cercavam, me impedindo de ser eu mesmo. Por qual motivo eu ainda continuava vivendo? Não, chega de pensamento deprimentes. Eu não posso ceder tão facilmente. Não posso ser tão fraco. Não posso aceitar a morte sem mais ou menos.


        Dei um longo suspiro e olhei através da janela pessoas que caminhavam calmamente pelas ruas. Eu tinha inveja delas. Andando livremente por aí, se aventurando pelos lugares desconhecidos. E eu aqui sendo obrigado a fazer faculdade de administração, quando o que eu mais queria era trabalhar com música. Administração? Que desnecessário. Daqui uns meses provavelmente vou ser obrigado a casar com algum alfa, filho de alguém importante e ele que vai gerenciar tudo mesmo. "Casar", essa palavra ecoava na minha mente, fazendo meu estômago revirar e quase colocar todo o meu almoço para fora.


        Ah, desculpe a grosseria, nem me apresentei. Bom, você já sabe qual é o meu nome e classe. Eu tenho dezessete anos e tenho uma vida bem deprimente. Para a sociedade eu sou o ômega ideal para qualquer alfa, mas nas sombras eu sou apenas um gótico emo das trevas, que queria mandar um grande foda-se para o mundo. E sim, se você acha que nesse exato momento eu estou fazendo aquela cara de enterro, cruzando os meus braços e com as sobrancelhas franzidas você acertou! A verdade é que eu estava muito irritado com toda aquela situação.  E como ninguém estava vendo,  eu poderia ser normal pelo menos por pelo menos algum tempo. Tempo bem curto esse, porque logo percebi que já tínhamos chegado.


         -Está animado? -perguntou o motorista com um largo sorriso, abrindo a porta do carro, para que eu saísse.

          Olha minha cara de feliz, imbecil!


        - Claro, quem não estaria? - queria muito ter respondido com um tom de sarcasmo, mas tive que me controlar - Obrigado por me trazer até aqui, você já pode ir embora.
 
       - Mesmo? Não quer ajuda para levar as malas? Elas estão pesadas. - ele perguntou preocupado. 


        NÃO SOU UMA BONECA DE PORCELANA NÃO. Que vontade de gritar isso para ele, mas não posso... que raiva! Eu ODIAVA quando as pessoas sentiam pena de mim.


        - Não precisa, eu consigo levar sozinho - disse forçando um sorriso.
  
      Ele apenas concordou com a cabeça, ainda com aquele olhar preocupado (o que me fez discretamente revirar os olhos), acenou e foi embora. Peguei as minhas malas e fui logo a caminho da recepção. Queria chegar o mais rápido possível ao meu quarto e tomar um banho quente. Descobri que os dormitórios eram divididos por sexo e "classes". Parece que eu teria um colega de quarto e sinceramente, tomara que ele seja legal. 
   
     Abri a porta do meu quarto e logo me deparei com um luxo totalmente desnecessário. Era de se esperar de uma escola de elite, onde poucos conseguem entrar com bolsas de estudos. Tomei um banho rápido e como eu ainda tinha uma hora até o jantar, resolvi dar uma cochilada.


        Estou correndo no escuro. Corro, corro, mas não chego a lugar algum. Onde estão todos? Não consigo ver nada. Tento tatear algo ao meu redor, porém não encontro nada. Já desciam lágrimas dos meus olhos. Eu estou sozinho, abandonado... para sempre. Eu grito o mais alto que posso, mas não obtenho resposta.  De repente, tropeço, mas antes de dar de cara chão abro meus olhos imediatamente. Foi apenas um pesadelo. Me demoro alguns segundos para me acostumar com a claridade, mas percebo que bem na minha frente, tinha um estranho. O QUE ELE ESTÁ FAZENDO NA MINHA CAMA? SOCORRO, UM PERVERTIDO! Isso fez eu soltar um grito meio agudo, assustando o mesmo, que rolou para fora da cama, caindo de bunda no chão. BEM FEITO!


        - Quem é você?- eu perguntei me escondendo atrás de um travesseiro e pegando o meu celular - Responda! Se não eu vou ligar pra polícia.
  
     - Calma, eu sou seu colega de quarto! - o mesmo disse, meio desesperado.
     
  
      Espera, colega de quarto. Foi aí que percebi seu cheiro. Ele era um ômega também.
   
     - O que você estava fazendo na minha cama? - perguntei com uma das minhas sobrancelhas levantadas.
  
      - Você estava chorando e falando algumas coisas desconexas. Então eu fiquei preocupado e resolvi tentar de acordar.
 
       Chorando? Senti algumas lágrimas secas nas minhas bochechas. Ah que droga, odeio quando os meus pesadelos afetam o meu corpo inconsciente.
  
      - Ah, me desculpe. Achei que você era um pervertido ou algo assim. - eu disse corando e desviando meu olhar.
  
      SIM AQUILO ERA MUITO VERGONHOSO TÁ.


        - Tudo bem. Se eu acordasse eu visse um estranho na minha cama, também acharia isso. - ele disse dando uma risadinha baixinha.
 
       - Qual é o seu nome? Eu me chamo Jeon Jungkook.
    
       - Meu nome é Park Jimin, mas pode me chamar de Chim Chim ou....quantos anos você tem ?


        - Dezessete, mas meu aniversário é semana que vem.

        - Eu tenho dezoito! Então pode me chamar de hyung também.

        Depois disso um silêncio constrangedor se instalou o quarto.

         - Jungkook?
       
         - Sim?

         - Já te disseram que você é muito fofo? Parece um bebezinho! - ele disse com um grande sorriso.

         Ok, já tinham me chamado de fofo, mas de bebê nunca! Isso me fez ficar um pouco irritado. Nem me conhece, quem ele pensa que é? Ele também não tem cara ser um playboy com  alto nível  de testosterona . Mas antes que eu respondesse alguma coisa, Jimin já tinha subido na minha cama de novo e começado apertar as minhas bochechas. 
        
       - Pare hyung, está doendo. - eu falei depois de um tempo com uma voz chorosa. 


       Ele estava apertando MUITO forte! Minhas bochechas estavam quase roxas! Porém assim que eu pedi para ele parar, o mesmo tirou suas mãos no mesmo instante. Estranhei a ação. Será que falei algo errado? Mas a culpa é dele por quase arrancar minhas bochechas!


        - QUE COISA MAIS FOFAAAAAA! ME CHAME DE HYUNG PARA SEMPRE! - ele gritou, me dando um abraço que quase me enforcou.


        Ok, isso me assustou um pouco.


        - Vamos Kookie, já está na hora do jantar - ele disse me puxando pelo pulso. Pera Kookie? Que apelido é esse?


        - Espera eu pegar os meus... 


        É tarde demais. Eu fui arrastado até o refeitório de meias mesmo. Park Jimin. Acho que vamos nos dar bem. No fim das contas foi bom eu ter saído de casa .Pelo menos aqui eu posso ser eu mesmo.

P.O.V JIMIN
        Eu estava tão feliz! O meu companheiro de quarto era o ômega mais fofo que eu já vi na vida! Eu tive medo que seria algum riquinho, mimado e chato. Mas agora vejo que me preocupei a toa. Tenho que apresentar ele para o Sugar! Sim, eu não vim para essa faculdade sozinho. O meu melhor amigo veio também! Bom... nós éramos melhores amigos, porque agora estamos em uma relação meio confusa, tipo... amigos com benefícios. Mas isso não interfere na nossa amizade, então acho que não tem problema. Voltando ao Jungkook, ainda estou surpreso que ele é apenas alguns meses mais novo que eu. Para mim ele pode ser meu irmão mais novo ou até mesmo meu filho! Seria tão fofo se ele fosse meu filho, eu iria abraçá-lo o dia inteiro ...eu iria mima-lo o máximo possível... Eu sei que são pensamentos estranhos tá? Mas é o meu instinto materno falando mais alto!


       - Hyung, que cara de pedófilo é essa? - Jungkook disse, me despertando do meu transe.

       - Kookie, não chame seu hyung de pedófilo! Tenha mais respeito! 


       Eu admito que devia ter feito expressões estranhas quando estava pensando nas minhas fantasias de ser mãe do Kookie, mas isso não o dava o direito de me chamar de pedófilo! 


       Depois de um tempo chegamos no refeitório. Meu deus! Ele estava lotado! Tínhamos que achar uma mesa, antes de pegar a comida. Olhei para os lados, tentando reconhecer uma cabeleira loira no meio da multidão. Mas nada. Onde que ele se meteu? Foi então que eu senti uma mão em meu ombro esquerdo.


       - Procurando uma mesa, gracinhas? Podem sentar na nossa! - alguns alfas disseram na nossa direção. O olhar deles estava repleto de luxuria. 


       Senti vontade de cuspir na cara deles com aquele convite. Como eu fosse sentar com lixos como vocês, foi o que pensei. Senti, Kookie se encolher e se aproximar ainda mais de mim. E nuca deixaria minha cria no meio desses brutamontes, completei meu pensamento. Mas antes de poder responder alguma coisa senti meu pulso sendo puxado.


        - Ah desculpe. Esses daqui já tem companhia. - reconheci a voz na hora e soltei um risinho. MIN YOONGI MELHOR PESSOA!


        - Achei que ia ser estrupado! Obrigado hyung! - eu disse meio aliviado


        - O que você pensa que estava fazendo? Devia ter me mandado uma mensagem dizendo que já tinha vindo para o refeitório! - ele disse todo irritado - quem é esse atrás de você ? 


        - Jeon Jungkook, meu novo colega de quarto! Ele não é uma gracinha? - eu disse todo sorridente apertando suas bochechas. 


        - Eu me chamo Min Yoongi, mas pode me chamar de Sugar. Só posso rezar por você. Tomara que aproveite essas bochechas, enquanto ainda tem elas.


        Jungkook apenas acenou positivamente.


        - Que malvado! Você fala como seu eu fosse um verdadeiro psicopata! - eu disse fingindo estar irritado 


        - Você vai ficar aí de papo Sugar? - perguntou um alfa que estava sentado em uma mesa não muito distante de nós.


        - Ah Taehyung, era aí que você estava. 


        Sentamos naquela mesa e logo começaram as apresentações.


       - Bom, esse é o Kim Taehyung meu novo colega de quarto e aquele do seu lado é seu primo Jung Hoseok ou simplesmente J-hope.


         - Meu nome é Park Jimin e esse do meu lado é o Jeon Jungkook. 


        Todos acenaram positivamente e começamos a jantar. Foi bem divertido, ficamos rindo das piadas sem graça do J-hope e contando histórias constrangedoras da nossa vida. O que fez nos aproximarmos muito e depois de meia hora já conversávamos como se fossemos velhos amigos. Vocês acreditam que o Kookie quando criança foi obrigado a se vestir de menina para uma propaganda infantil? Eu sei que ele é minha cria e tals, mas foi muito engraçado! Nós não parávamos de rir e sério, tadinho! Ele se envergonhou todo e estava mais vermelho que um pimentão!
  
       - Você fica tão fofo corado... - Taehyung disse depois de finalmente pararmos de rir.


        O que fez Kookie corar mais ainda. OPA, TO SENTINDO UM CLIMINHA AQUI... NEM CONHEÇO MAS JÁ SHIPPO! E não sou o único não viu? Porque J-hope e Sugar também  sorriam maliciosamente. NOVO OTP CONFIRMADO!!!!

        
          




        
          
   
       
         
 


Notas Finais


Bom e foi isso!!! Espero que tenham gostado ❤️❤️❤️ Talvez eu demore um pouco para postar o próximo cap mas tento ser rápida


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...