História Pleasure - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink
Personagens Jennie, J-hope, Jimin, Jin, Jisoo, Jungkook, Lisa, Rap Monster, Rosé, Suga, V
Visualizações 3
Palavras 834
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Finalmente postei essa fanfic no Spirit *-*

Ela não será muito longa e nem muito curta,será algo mediano para não virar monótono de certa forma. Aliás,é a primeira fanfic que posto e que não pretendo excluí-la como fiz com as anteriores,que eram boas mas não exatamente do meu gosto...infelizmente,tenho uma mania de querer apenas agradar aos outros,e não a mim mesma,e isso dificulta muito no meu processo de aprendizagem e idéias para escrever. Insegurança é uma merda. Em fim,aproveitem bem a leitura minhas cerejinhas ❀

Qualquer erro,me avisem,qualquer curiosidade ou pergunta sobre a fanfic,é só deixarem nos comentários!

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Pleasure - Capítulo 1 - Prólogo

✘ N e w   Z e a l a n d  ✘

15 anos antes...

Um grande Zenvo ST1 preto estacionava sem pressa em frente ás grades prateadas,as quais cercavam a mansão do CEO,Park Kwang,um homem esbelto cujo os negócios sempre andaram promissores e indispensáveis desde os seus primeiros escritórios em Busan,Coréia do Sul.

O sorriso bem avantajado foi direcionado ás janelas límpidas com tamanha ironia e as mãos jeitosas tocando a textura europeia da grande porta principal. Aquela cena era digna de adentrar os passatempos do clássico "Psicose", obviamente era incomum. Um olhar que mergulhava entre as paredes escuras da ambição e astúcia.

Uma herança de família? Quem sabe...

Desde o início dos tempos,os pecadores costumam nascer com uma marca memorável em si,onde nela existe os maiores defeitos e prazeres daquela identidade. Deus às julgava com uma extrema sabedoria lendária,que somente os anjos mais puros eram capazes de contemplar. O olhar era abominável para os céus,considerada uma das piores marcas e a mais impura dentre elas . A luxúria se entregava entre ancestrais e faziam as virgens o conhecê-lo de maneira natural ou violenta. Os Jeons a possuíam,e não havia pureza que pudesse ajudá-los ou combater contra. Era inevitável não sentir a natureza perversa e intimidadora.

— Senhor Jeon? — A jovem babá dos irmãos Park, Yoona ,piscava incrédula ao rever o homem de cabelos castanhos e olhar cafajeste — Não há ninguém aqui este horário,estão em uma reunião comercial e não....

— Não estou aqui por Sun e Kwang,minha querida — Sorriu momentaneamente,aproximando-se cautelosamente da morena uniformizada e indefesa diante de sua alma avermelhada.

— Mas então,o senhor não tem nada a fazer por aqui,não há ninguém de seu interesse

— Interesse em você é o que não me falta,mas vejamos o seguinte...

— Vá embora de uma vez!

Jeon Sungjin a segurou pelos braços rapidamente,cravando suas unhas curtas na pele sensível e bem cuidada,assustando Yoona com a ação repentina.

— Yoona,soube que Park Sun Hee deu a luz há algumas semanas atrás — Suspirou satisfeito e pressionou mais as suas unhas — Espero ansiosamente que esta notícia seja a mais verdadeira entre os boatos.

Yoona suspirou preocupada,as notícias infelizmente se espalhavam rapidamente em Busan e Seul. Ela imaginava o quão as ligações entre famílias seria prejudicial para a pequena Park,que mantinha-se adormecida no berço prateado e espaçoso,no terceiro andar da Mansão.

— Senhor Jeon — Livrou seus pulsos das mãos ásperas — Desculpe-me,mas eu não tenho qualquer autorização para deixá-lo ver Park Chaeyoung e nem mesmo saber sobre o seu nascimento....

— Eu estou pouco me fodendo para a sua autorização de merda,apenas diga-me onde ela está e ninguém sairá prejudicado!

— Não repetirei,o senhor não é surdo e muito menos idiota pra não ter entendido! — Cuspiu entre palavras, cansada do vocabulário infortúnio e o comportamento de Sungjin. Não era a primeira vez que presenciou a teimosia do mesmo.

— Sua voz me deixa louco,Yoona...- Ele pressionou o indicador nos lábio rosados e finos da babá, olhando atrevidamente em seus olhos amedrontados - Onde está a minha pequena Chaeyoung? Se não disser, eu mesmo a tirarei do meu caminho. Você com vida ou não...

(...)

— És tão bela para futuramente possuir o meu sobrenome....cresca rápido minha princesa — Sungjin beijou os poucos fios negros e mácios da garotinha,que agora acordada,gargalhava ao tocar com os dedinhos rosados o grande nariz do Jeon.

— Gracinha esperta,esse nariz é meu charme,okay? -Resmungava em meios as investidas contra o seu rosto bem marcado.

Enquanto havia a interação entre os futuros familiares,paços eram direcionados a contra gosto até à porta. O barulho agudo chamou a atenção do Jeon, que não segurou o sorriso cafajeste nos lábios carnudos e avermelhados.

Ele entendia o ódio e a tamanha implicância com o Park,mas entendia que precisava esquecer o passado e investir no possível laços entre suas famílias. Assim,casando os herdeiros legítimos e proferindo o esquecimento das intrigas passadas,além de unir as empresas e formar uma grande potência na Coréia .

— Entre Kwang,quero agradecê-lo por ter feito a minha menina tão bem...Guk aproveitará sem delongas o humor que essa menina herdou de Sun....

— Onde está Taeyeon?

O Park rangeu os dentes ao observar a filha divertindo-se nos braços de outro,com quem não compartilhava o mínimo de seus sorrisos.

— Em um lugar melhor que este,isso posso garantir — Suspirou controlando-se para não moldar o rosto gratificante da mulher em sua mente como nos últimos dias — É incrível como ela conseguiu me suportar por tanto tempo,por tantos dias no cativeiro chamado sedução. Alguém tão puro e inocente não merecia essa vida,não Taeyeon...

— Que o meu filho esteja feliz por ter se livrado das catástrofes do mundo...Eu teria o amado tanto quanto a mãe,ou mais,se possível.

O que ele não sabia....era o que o seu filho estava vivo

Vermelho: significa paixão, energia e excitação. É uma cor quente. Está associada ao poder, à guerra, ao perigo e à violência. O vermelho é a cor do elemento fogo, do sangue e do coração humano. Simboliza a chama que mantém vivo o desejo, a excitação sexual e representa os sentimentos de amor e paixão.

..........❦



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...