História Pleasure Thief (Boku No Hero Academia) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia), Fausto Silva (Faustão)
Personagens Personagens Originais, Uraraka Ochako
Tags Boku No Hero Academia, Hentai
Visualizações 105
Palavras 1.450
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Hentai, Magia, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Não me orgulho de nada disso :P

Capítulo 4 - Surpresa indesejada


Fanfic / Fanfiction Pleasure Thief (Boku No Hero Academia) - Capítulo 4 - Surpresa indesejada

Era três da tarde, Kurata, vestindo sua roupa mais formal possível, espera sua "amiga", Uraraka Ochako para ir a um cinema perto da escola onde estudam. É sábado. Ele espera encostado num poste perto de uma sorveteria, onde marcaram se encontrar. O impostor contava os minutos em seu telefone para o começo da etapa final de sua missão, com prazo até aquele dia.

- Oooi!! Kurata-kun!! - A animada voz a distância que chegava aos ouvidos do jovem, era a da garota que esperava a alguns minutos, era a Uraraka. Ela acenava com um sorriso no rosto que foi correspondido por Kurata. Vestindo um short jeans e uma camiseta preta, ela se aproxima dele:

- Hehe, desculpe o atraso

- Não tem problema - O jovem responde, simplesmente. 

- O que houve? Parece sério - Uraraka notou ao encara o jovem com seus grandes olhos castanhos

- ... Não é nada, me acompanha? - Ele insiste

- Claro! - A simpatia da garota não faz falta. Kurata sabia o que estava para realizar, e esperava aquilo com muito gosto e naturalidade, ele não era quem mostrava ser. Assim como o mais pacifíco tipo de animal pode conter veneno, as pessoas projetam suas personas como máscaras todos os dias. Mas isso não merece repreensão, afinal, isso faz parte da natureza vacilante do homem.

- Aonde vai? - Ela pergunta enquanto o segue

- ... Ali, apenas - Os dois se afastam da sorveteria

- Hm, está procurando alguma coisa ou alguém? - Ele toma conta da rua com seus olhos, para ter certeza de que nada vai atrapalhá-lo. E então, seguindo o jovem, ela para de frente a um encontro entre dois prédios, onde há um beco. Uraraka olha ao redor, curiosa para ver o que o garoto procura, e é surpreendida com algo a encostando nas costas.

- Hein? - Ela vê que seu amigo aponta pra ela uma arma, uma arma de fogo - O-O que está fazendo?! Kurata-kun?? - Perto o suficiente da boca do beco, ele empurra contra ela a arma, fazendo-a chegar mais fundo no lugar escuro. Os dois caminham até o fundo do lugar, onde existem somente eles e três paredes altas os cercando.

- K-Kurata-kun, isso é-é brincadeira né? - Ela disse com um sorriso levantando as mãos, simulando ser vitma de um assalto

- ... Uraraka, eu não sou quem você pensa que eu sou,  realmente estou com uma pistola carregada. Agora vira pra mim... - Ele comando. Vagarozamente ela gira seu corpo e dá de cara com um completo estranho, como se Kurata tivesse sido substituído por alguém ali do nada.

- Q-Quem é você?? - Ela pergunta pro homem adulto

- Ainda não entendeu? Eu te sacaneei até agora, não existe Kurata, eu não sou um estudante de dezesseis anos, eu tenho vinte e três - Ele esclaresse

- E-Eu não estou...- Uraraka continua boba, embora pálida e surpresa, sorridente como quem não sabe reagir

- Ochako, vira de costas - O impostor comanda enquanto destrava a arma com seu dedão. E assim ela fez 

- O-O que você vai fazer?? - Uraraka começa a entrar em desespero. Seu coração está batendo rápido e seu suor gelado escorre pelo pescoço. Vale acrescentar que aquele era um dia quente

- Não quero que você fale, não abra a boca até eu mandar entendeu? - Ela acentiu duas vezes. A jovem finalmente começa a se perguntar como aquilo foi acontecer, por que com ela, e que coisas poderiam acontecer. Ela pensou nos pais.

- Agora tira o seu short, fica de calcinha pra mim - O homem armado comandou

"Isso não pode ser sério"

A garota pensou consigo. Hesitante, ela abaixa seu short até a altura dos pés, expondo sua calcinha azul listrada. O homem malicioso ri da situação da garota que continuava com os braços levantados.

- Joga a sua bolsa no chão - Ele comandou mais uma vez. E ela fez. O homem armado encarou as pernas carnudas da garota que tremiam involuntariamente. Uraraka não era uma garota gorda, mas também não tinha um corpo fino e esbelto. 

- Uraraka, abaixa a sua calcinha - Aquilo era pedir demais pra garota que estava com o rosto corado de vergonha. Ela não fez, apenas negou com a cabeça - Eu não quero ter que tirar a sua vida aqui e agora - Uma ameaça. Ochako se sentiu sem opções, não esperava que alguém pudesse salvá-la, e qualquer tentativa de resistência poderia trazer o fim da sua vida. 

Com as mãos trêmulas, a garota obedece, e começa a abaixar a última peça do que escondia seu corpo. Agora "tudo" estava aparecendo

- Fi Fiuu~ - O homem a provoca - Agora fica de joelhos pra mim! Vamos! 

- Ghu... - Uraraka se coloca de joelhos, ainda debaixo do controle do estuprador. Ela sabia aonde isso daria, e temia fortemente. Sendo uma garota, ela leu muitos relatos e estudou como se defender, mas nada daquilo importava agora. A garota ficou de quatro no chão, enquanto o homem rendido aos desejos, examinava sua bunda com as mãos. 

Ela fecha os olhos enquanto começa a chorar. 

- Uau "Urara-chan" você tem uma bela bunda! - Disse isso provocando um tapa nas carnes cheias. Ele massageia as coxas volumosas da garota apertando com seus dedos, até chegar na vagina. Uraraka segura seus gemidos quando o homem parte para o meio de suas lábias com seus dedos, ele está dedando com vontade na área privada, forçando a garota a se contorcer. Isso segurando os gemidos.

- Hehe, você ficou bem molhada... *slurp* - O molestador colocou os dedos molhados de sucos femininos na boca fazendo um barulho nojento. Uraraka respirava ofegante embora contra sua vontade, era sinal de que algum prazer ela estava sentindo.

- Agora... Vamos pro prato principal... - A garota de quatro no chão, não quis olhar o que estava para acontecer, permanecendo na sua posição. Enquanto isso, o estuprador liberta ao abrir o zíper de sua calça, seu pênis ereto de vinte centímetros

- Fiu ~ Você me deixou com bastante vontade hein? Uraraka-chan~ - Ela lembrou do primeiro dia de aula do aluno novo. O homem posicionou a glande de seu órgão sobre as lábias brancas da garota, esfregando-a nos sucos melosos. Sabendo do que a aguarda, a garota tenta fugir, andando de quatro em frente:

- N-Não! Não!! Socorr-- O homem a interrompe se jogando sobre seu corpo. Agora ela está com seus braços fortemente fixados no chão pelo apoio que o estuprador fazia sobre ela, enquanto esfrega seu pênis por entre as nádegas da garota

- Uhuhu, o corpo gostoso da "Urara-chan" parece estar pedindo por um pouco de porra! - Dizendo isso, o homem coloca uma de suas mãos sobre a boca da jovem, e então penetra sua vagina até o final com seu pau ereto. Ele expande forçadamente todo o orifício quente e apertado, desbravando a sexualidade da jovem. Os olhos virados de Uraraka, revelam o seu estado mental de esforço submetido.

- Huaaaaa, "Urara-chan" é tão quente por dentro! - Ele diz enquanto mete de pouco em pouco 

- Guh... Uhh...! - A garota babulceia enquanto saliva. Ela pode sentir, a tora rígida e tortuosa ocupando um espaço dentro dela como se uma luva tomasse forma numa mão que nela não cabe.

- Hehehe, vou te mostrar como é! - Ele retirou um pouco e meteu de novo, fundo dentro da garota em suas mãos. Ele meteu no corpo pequeno dela, chocando seu corpo sobre a bunda e coxas da jovem, que suadas, faziam um som prazeroso. A cade metida, a jovem despertava um gemido que era amenizado pelo mão do homem que tampava seus lábios. Ele continuou ali, enfiando por minutos, talvez dez, talvez quinze.

Tomado de prazer, o homem ejacula dentro da garota seu esperma, que flui como leite em excesso para fora da vagina

- Aaaaahhh, depois você precisa me apresentar para os seus pais certo? "Urara-chan" - Ele liberta o orifício da garota de seu pênis que mesmo depois de murchar, continua a ejacular. A garota exausta, respirava com dificuldade sobre aquele chão. Seus olhos pareciam sem vida

- Aahh... Kur...ra... - A garota procurava falar alguma coisa

- He... O que foi? Quer mais uma rodada? - Antes que o homem pudesse se erguer mais uma vez, um velho invade o local, era Hanamura.

- Já está bom, Kurata-kun - Disse o velho de jaleco colocando a mão sobre o homem fatigado - Deixe que eu termino... - O velho coloca uma de suas mãos sobre a cabeça da jovem jogada no chão, e olhando em seus olhos, faz surgir um repentino clarão



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...