História Plumas Reais - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Drama, Guerras, Morte, Personagens Originais, Política, Reinos, Suspense
Visualizações 11
Palavras 1.011
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Fluffy, Harem, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Bom, essa é uma fanfic original que inicialmente lhe trará várias teorias sobre acontecimentos dramáticos de uma nova era da terra.
Espero que fiquem ate o final. Surpresas virão.

Capítulo 1 - 09.11.119 da Nova Era


Fanfic / Fanfiction Plumas Reais - Capítulo 1 - 09.11.119 da Nova Era

09.11.119 da Nova Era

​Nathaniel

Depois de uma viagem cansativa ao extremo sul da ilha, Stella, o amor da minha vida, estava cansada, afinal carregava o futuro herdeiro das ilhas de Trengover em seu ventre. Estávamos a 4 meses em fuga, pois meus pais não aceitavam nosso casamento. Mas eu tenho certeza que se eles virem que Stella está grávida do herdeiro Underwood, irão mudar de ideia e permitir essa união. Assim cancelariam o casamento arranjado para juntar reinos, e eu não teria que casar com Anne Treeman, até porquê sua arrogância é do tamanho de todos os reinos juntos.

Avisto um casebre perto da estrada 71. Desligo o carro e ajudo Stella a descer.

-Vamos querida. Só mais uma noite. Estamos perto de Vanace. Daqui a poucas horas você vai ser minha rainha.- digo enquanto a ajudo a entrar na casa.

-Meu bem, não estou legal. Preciso de água.- murmura Stella.

Falo que vou buscar depois de colocá-la em um quarto, que incrivelmente estava intacto. Apenas abandonado.

Ela bebe água, se acomoda e dorme. Fico vigiando, pois há rumores de que um grupo de rebeldes pretendendo invadir Vanace atrás de mapas ou qualquer tipo de referência para fazerem uma viagem para Além Mar. Acreditam que há outros povos e a tal liberdade. Eu chego a me sentir atraído por isso. Liberdade.

Amo meus pais, Tanner e Veronica Underwood, mas eles são mais carrascos que meus avós quanto ao cumprimento das leis. Eu sempre me senti preso em um pote. Amo ler livros que falam um pouco sobre a história dos vários continentes e países que existiam antes das várias guerras. Sobre os equipamentos que eles possuíam. Eu ganhei do meu avô, Millow, de aniversário de 16 anos um BIP. Ele dizia que foi a última tecnologia lançada  entre as décadas de 1980 e 1990 da antiga era. Antes das várias guerras. Tudo causado após uma descoberta de um minério que substituía o petróleo e a forma como produziam energia e toda a sua tecnologia. Foi desastroso e horrível. Todos cavavam seus quintais. Famílias brigavam por minério. Até evoluir para guerras civis. Vários países destruídos. Terras devastadas. Populações aos poucos desapareceram. Até uma última guerra que acabou com o que chamavam de América e Ásia. As ilhas de Trengover ficam na antiga França. Que durante uma guerra civil perdeu metade do seu território, formando ilhas junto com uma parte que sobrou da Espanha. Há reinos até onde se encontrava a Romênia. Cada um liderado por um rei. O que há após os extremos dos reinos, chamamos de Além Mar. Nossos antecedentes saíram numa expedição no ano de 56 da nova era, porém só alguns voltaram com vida. Esses que retornaram não apresentavam um estado bom de lucidez, e só diziam que não deveríamos voltar a tentar atravessar o Além Mar. Que não havia nada existente que pudéssemos aproveitar. Todos os trabalhos são divididos em ordens assim como o povo, de acordo com a renda. Desde a ordem S, que é a realeza, até a ordem G que eram os pedintes.

Ouço sirenes do toque de recolher soarem. Meus pais achavam que era uma medida necessária para manter a segurança.

Decido ir dormir um pouco. Apago uma lamparina, e então escuto um barulho como se fossem passos. Vou até a porta e escuto um grito. Quando olho para trás, vejo um homem com uma faca segurando Stella. Decido correr na direção dela e apago.

Sinto um peso na cabeça, tento abrir os olhos e então vejo Stella me olhando assustada com um fita na boca.

Vejo um homem vindo na minha direção.

- Quem são vocês? Onde conseguiram um carro do reino? O que vocês pensam que estão fazendo aqui? - diz um homem de olhos escuros, cabelos claros com uma barba comprida.

-Apaga logo eles. Com certeza ele é um soldado do reino que deve ter sequestrado essa mulher. Você sabe o que esses caras fazem. Se aproveitam dos mais fracos e pobres.- diz um outro homem usando um capuz. A única coisa que identifico é a falta de 3 dedos na mão esquerda.

- Não sou matador. Só quero resolver meus problemas de dinheiro. Minha mulher precisa de mim. Eu tenho que pegar aquele livro e assim podemos viver livre dessa prisão.

- Desse jeito não vamos pegar livro nenhum. Não tenha pena deles. Eles não têm de nós.

Vejo o homem sem dedos ir em direção a uma garrafa de água. Vejo ele colocando algum líquido nos copos. Ele pega um dos copos e dá para a minha mulher. Eu tento gritar e arrancar as fitas, mas não consigo. Tive que ver ele pegando nela a fazendo beber. Ela não tinha forças para rejeitar.

Ele vai em direção ao outro copo e espera seu comparsa voltar da cozinha. E ele oferece um pouco de água a ele.

Devagar consigo tirar as fitas das minhas mãos. Espero eles irem pra parte de fora da casa e me rastejo até Stella. Tiro a fita de sua boca. Ela já está completamente sem forças.

-Meu amor, não me deixa. Eu te amo tanto. Vamos ficar bem. Vem, levanta. Vamos sair daqui.

Quando pego-a no colo eles voltam. O barbudo me empurra e o outro pega minha mulher. Ele desfere dois golpes de faca em Stella.

-Não por favor! Não faça isso. Stellaaaa...- grito com todas as minhas forças e percebo que o barbudo que me segura começa a passar mal, caindo no chão.

Então parto pra cima do filho da mãe sem dedos. Estou com tanto ódio que o derrubo no chão. Dou tantos socos que não lembro por quanto tempo fiz isso. Olho para Stella e vou pega-la. Mas ela não me escuta mais. Stella está morta.

Senti minha alma morrer. Minha respiração falhar. Me sinto sumir. Abraço seu corpo. Só consigo gritar seu nome. Pedindo para que volte pra mim. Me sinto exausto e mais uma vez tudo escurece.

Ela morreu. Meu filho morreu. Eu estou morto também.

Acordo e vejo que estou no meu quarto.

-O que aconteceu?

*****************************

 


Notas Finais


Muito obrigada por chegarem até aqui. Espero que tenham gostado. Se quiserem mais capítulos ou quiserem saber mais sobre os reinos comentem ai.
Beijinhos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...