História Pocky Game - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Girls' Generation
Personagens Taeyeon, Tiffany
Tags Taeny
Visualizações 460
Palavras 3.212
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Essa é a primeira One que estou fazendo. Eu já havia iniciado algumas fanfics tem alguns anos atrás em outra conta, mas após passar um tempo longe do Spirit decidi voltar e iniciar do zero. Foi só uma ideia boba que surgiu na minha cabeça após ver alguns Vines de Pocky Game e não pude deixar de achar tudo muito fofo e relacionar um momento Taeny a isso. ><

Capítulo 1 - O meu doce favorito


Fanfic / Fanfiction Pocky Game - Capítulo 1 - O meu doce favorito

O barulho irritante que anunciava o intervalo entre as aulas ressoou por toda a escola, fazendo o professor interromper seu monólogo sobre o Renascimento Cultural após a Idade Média e os alunos suspirarem de alívio. Eu fui um deles. Apesar de amar as aulas de história, acordei tão atrasada que saí sem o café da manhã, resultando em uma Tiffany faminta e sem humor algum para aturar pessoas falando no meu ouvido.

– Tiffany, vamos…

– Comer primeiro. Falar depois. – Cortei minha melhor amiga, Sunny, que havia se virado em sua carteira para provavelmente me chamar para comprar alguma coisa na cantina. Acontece que eu não tenho o costume de sair da sala para comer – assim como a maioria dos alunos na OkiDoki High School – e como saí atrasada, havia trazido meu café da manhã, ou parte dele, em minha mala. Um singelo sanduíche de patê de tomate seco com peito de peru e leite fermentado. Sunny apenas revirou os olhos, chamando a atenção de outra garota de nosso grupo, Hyoyeon, que estava sentada na carteira da frente de nossa fileira, após o professor da segunda aula solicitar, por ela atrapalhar a aula.

Voltei minha atenção ao meu sanduíche, aproveitando cada mordida como se fosse o alimento mais saboroso do mundo, proveniente da minha fome. Estava terminando meu leite fermentado, quando vejo o retorno de Sunny e Hyoyeon à sala. Quanto tempo eu fiquei comendo mesmo?

Conforme elas se aproximavam, pude ver Sunny mordendo um lanche e Hyoyeon com uma embalagem de Pocky em suas mãos. Nada novo sob o sol, aquela garota já é magra e ainda vive de porcarias. Mas para o meu azar – ou sorte, dependendo do ponto de vista – ela não pretendia ingerir aquilo tudo sozinha. Ela se aproximava de minha carteira com um sorriso malicioso.

– Fany Fany… – Olhinhos pidões. Eu não sei por que eu ainda concordava com as peripécias da Hyo, mas sinto que coisa boa não vai ser.

– Apenas desembuche Hyo, sabe que não gosto de enrolações. – Tudo bem que meu mau humor já havia passado e eu estava fazendo um pouco de drama, mas após ela ter me feito perder uma aposta em que como prenda eu tive que descobrir o nome da minha própria crush da outra sala no segundo ano, resultando no momento mais vergonhoso da minha vida e uma gagueira sem sentido na frente da menina, eu não aceitava fácil todo tipo de brincadeira em que ela queria me meter. Ainda mais agora que por pura coincidência do destino, a dita cuja dona crush caiu na minha sala do terceiro ano. O ano mal havia começado e eu já previa suspiros e palpitações da minha parte. Hyo olhou de lado para Sunny, que apenas deu de ombros.

– Vamos brincar de Pocky Game! – Falou em um sotaque enrolado de dar arrepios.

– Vai fazer algum sentido negar? Sinto que do jeito que você está empolgada, vai acabar enfiando o doce na minha boca na marra. – Revirei os olhos para a loira elétrica.

– Vai ser legal, até a Sunny concordou. Eu também chamei a Yuri e a Sooyoung do 3ºB.

– Alguém falou Pocky Game?! – Como se o nome delas fosse um tipo de invocação maligna, as duas apareceram na sala, causando alarde em alguns alunos que se sentavam na frente.

Como se não fosse o bastante, minha crush suprema – vulgo Taeyeon – entrou na sala ao mesmo tempo. Ela havia escutado o que uma das meninas disseram e senti seus olhos pesando em nossa direção. Só faltava ela nos direcionar a palavra para nos chamar atenção pela brincadeira boba da Hyo. Além de ser linda e roubar toda a beleza do universo em apenas 1,58 cm de altura, ela também era representante da sala, escolhida a dedo pelos professores e consequentemente adorada por todos os alunos, pelo seu jeito responsável e extrovertido de ser. Pocky Game não é lá uma brincadeira muito respeitosa com espaços alheios.

– Eu adoro Pocky, Hyo! – Oh, até mesmo sua voz deixava minhas borboletas no estômago agitadas. Ou era só o leite fermentado fazendo efeito. Espero que seja isso. Mas espera, ela não está pensando…

– Chega mais baixinha, podem vir Yul e Soo, que quanto mais pessoas dentro do jogo, melhor! – A essa altura, Hyo já estava desembrulhando a embalagem e me lançando um olhar malicioso, assim como minha suposta melhor amiga, Sunny, estava fazendo nesse exato momento. Será que o gramado do lado de fora é fundo o suficiente para eu me enterrar e nunca mais sair de lá?

– Oh, eu não sabia que se tratava de um jogo, apenas amo esse doce. Como se joga isso? – Taeyeon se escorou sobre os ombros de Yuri, que apesar de não estarem na mesma sala, provavelmente eram muito amigas, pois eu sempre via as duas andando juntas pela escola.

– Em que mundo você vive que nunca jogou esse jogo Taeyeon? – Yuri questionou.

– Ainda mais sendo você… – Sooyoung completou, compartilhando de alguma piada interna com Yuri.

– Aish, nem todo mundo compartilha desse seu gosto por lábios femininos, Yuri! – Sunny se pronunciou, finalmente alguma alma racional no recinto, até parece que uma garota com cara de anjinho como Taeyeon, se envolve nesse tipo de safadeza.

– Wow, Pocky e lábios femininos? Estou dentro! - MASOQ? Eu não acabei de escutar isso daquela garota com rostinho de bebê! Espera, eu não deveria estar feliz com isso? Talvez o fato de eu idealizar ela como um anjinho inocente, tenha me feito ficar um pouco decepcionada com sua atitude. Mas afinal, ela gosta de lábios femininos, talvez eu tenha uma chance. Sunny se aproximou de mim sorrateiramente.

– Ela não parece mais um anjinho agora né? – Ela cochichou no meu ouvido, soltando uma risada baixa depois. Mereço.

– Engraçadinha.

– Pelo menos agora você tem uma chance de beijar aqueles lábios. Vai que ela se apaixona? - Sunny me direcionou mais uma vez naquele dia um sorriso malicioso. Senti meu rosto quente.

– Nem pense nisso! Se ela for brincar é aí que eu não brinco mesmo! Eu mal consigo falar com ela sem ter tremedeira. – Deus me livre pagar esse mico na frente dela de novo. Ainda mais com seu rosto tão perto do meu. Céus, só de imaginar, eu me sinto ruborizada.

– Hwang, pare de cochichar com Sunny e venha aqui me ajudar a mostrar como é que se joga o Pocky game. – Hyo se pronunciou. Ok, eu consigo lidar em ficar tão perto da Hyo. Já havíamos brincado disso várias vezes. Eu poderia até considerar Hyo meu primeiro beijinho. Me aproximei dela em um suspiro derrotado. – Ok, a brincadeira consiste em você colocar um Pocky em seus lábios e sua parceira de jogo fazer o mesmo com a outra extremidade do Pocky. Você deve mordê-lo até deixar um pedaço mínimo do doce. Quem deixar o menor pedaço, ganha.

Hyo aproximou o Pocky de seus lábios direcionando um olhar de lado para Taeyeon. Me aproximei e segurei a outra extremidade do doce, o levando aos meus próprios lábios. Para minha surpresa, Taeyeon se aproximou e alcançou o doce antes que Hyo o colocasse na boca, consequentemente o puxando da minha boca também e ingerindo o doce. Beijo indireto. Quente.

– Ok, eu já entendi. Iremos sortear os pares ou algo assim? – Ela expressou. Hyo deu uma risadinha.

– Você quer jogar com a Tiffany, Tae? Ela adora essa brincadeira. – Direcionei um olhar mortal para aquela loira aguada. Se eu já participei muito dessas brincadeiras? Sim, mas era tudo culpa dela que era uma safada de primeira e eu tive que aturá-la desde o ensino básico!

– Por mim, tudo bem. – Taeyeon olhou em minha direção. O que eu perdi? Ela queria mesmo fazer isso comigo? – Sinceramente, você e Yuri já beijaram tantas bocas Hyo, que tenho medo de beijar uma de vocês e acordar de lábios inchados. – Ok, essa doeu.

– Ei! Diga isso para Tiffany então que já brincou disso comigo várias vezes… – Dei um tapa na nuca daquela loira safada, antes que ela fizesse minha cova pra minha crush.

– Hyo, por que não faz par com a Yuri, já que vocês duas são as mais pegadoras daqui? Sunny fica com Sooyoung. – Direcionei a palavra ao resto do grupo, que apenas estavam assistindo àquela interação com olhares divertidos.

– Vamos lá Yurão, vamos honrar nossas famas de pegadoras e ganhar esse jogo! O par que ganhar, vai poder pedir o que quiser pro resto do grupo. – Legal, mais uma prenda. Agora eu teria que ganhar isso, porque do jeito que a Sunny e a Hyo estão me olhando, é bem capaz que se uma delas ganharem, elas me peçam pra fazer algo constrangedor na frente de Taeyeon.

As duas se posicionaram para iniciar a brincadeira. Nem morta eu seria a primeira. Sunny levantou o celular para filmar o momento.

– Ok meninas, Pocky Game! – Yuri e Hyo fizeram sinais de paz para a câmera, antes de começarem a morder o doce pelas extremidades.

Por mais que eu já tenha brincado várias vezes disso e consequentemente assistido muitas vezes também, eu não conseguia deixar de me sentir tensa conforme os rostos se aproximavam. As duas mordiam o doce ao mesmo tempo, seus lábios se aproximando cada vez mais rápido. Algumas meninas da sala passaram a assistir o momento, dando pequenos gritinhos conforme elas chegavam cada vez mais perto. Para minha sorte, Hyo fez um movimento errado, fazendo com que parte do doce caísse no chão. Ela suspirou, derrotada e pegou o resto do doce, indo em direção ao lixo e fazendo todas que estavam assistindo rirem da situação.

– Bem feito Hyo, foi com sede demais ao pote, deu nisso. – Sooyoung se pronunciou.

– Tiffany, filme o nosso pra mim. – Sunny me entregou seu celular, o qual direcionei a elas. Sooyoung retirou o Pocky da embalagem, o colocando em sua boca. Sunny fez o mesmo com a outra extremidade.

– Pocky Game! – Proferiram com o doce na boca, gerando risadinhas ao redor.

Elas mordiam o doce lentamente, provavelmente com medo que acontecesse o mesmo que Hyo e Sunny direcionou a palma logo abaixo de seus maxilares, para pegar o doce caso caia. Elas chegavam cada vez mais perto e dessa vez eu não consegui deixar de dar gritinhos também, aquelas duas estavam muito perto. Quando seus lábios se tocaram, Sunny largou o doce rapidamente, deixando o resto na boca de Sooyoung e veio em minha direção com o rosto vermelho feito um pimentão. Escondeu seu rosto em meu ombro, me fazendo dar risada.

– Você me paga, Hwang. Aliás, irá pagar agora, com sua crush. – Céus, por um momento eu havia esquecido disso. Certo Tiffany, respira! Você precisa passar por isso do modo mais princesa possível, para não estragar sua imagem de novo! Foco!

Entreguei o celular a Sunny, que deu uma gargalhada vitoriosa.

– Não cante vitória antes do tempo, Sunkyu. – Eu preciso ganhar delas, então o que seria melhor do que tirar proveito da situação? Eu poderia sentir os lábios de Taeyeon, mesmo que seja só um pouquinho.

Ok, definitivamente minha circulação sanguínea e meus batimentos cardíacos não pensavam assim, pois assim que vi Taeyeon tirar o doce do envólucro, senti meu coração errar uma batida e meu rosto ficar imediatamente corado. Taeyeon se aproximou de mim com toda aquela perfeição e um sorriso nos lábios.

– Vamos ganhar delas, ok? Apenas me deixe fazer os movimentos, assim tem mais chances do doce não cair. – Taeyeon pronunciou baixinho, só para mim. Certo, bem pensado da parte dela, mas isso não diminui meu nervosismo.

– C-certo então. – Não passar vergonha na frente da crush, não passar vergonha na frente da crush. Tiffany, você consegue.

– Pocky Game! – Direcionamos sorrisos nervosos para a câmera e nos posicionamos, levando o doce a boca.

Imediatamente ouvi as garotas dando gritinhos entusiasmados e alguns até histéricos em nossa direção. Eu não estava surpresa, se Taeyeon é minha crush, acredite, isso não é exclusividade só minha. Essa garota arranca suspiros de muitos caras e muitas garotas. E nesse exato momento, eu estou vendo ela de pertinho, direcionando seus olhos aos meus, com o rosto levemente corado. Eu nem sabia que ela corava, ela era sempre tão confiante. Nessa hora me perdi, desde quando ela podia ficar mais linda? Isso não estava ficando mais fácil.

Assim como ela havia me pedido, permaneci parada, apenas esperando que ela fizesse o movimento.

 

Uma mordida.

 

Céus, seus lábios fazendo um biquinho em volta do doce era a coisa mais fofa que eu já havia presenciado. Ela tentava olhar o doce nesse momento, ficando ligeiramente um pouco mais vesguinha do que já era. Nada que tirasse seu estado permanente de perfeição, apenas a deixava com o rosto mais de bebê ainda.

 

Duas mordidas.

 

Ela estava muito perto. Dessa vez ela direcionou seu olhar a mim e eu não conseguia desviar. Estranhamente, ao olhá-la nos olhos, passei a me sentir tranquila. Ela transmitia isso a mim. Fique calma. Como eu queria me perder naqueles olhos…

 

Três mordidas.

 

O doce já media uns 5 cm. 5 cm me distanciavam dos lábios de Taeyeon. Eu nunca cheguei tão perto do paraíso. Sua respiração em minha face estava me fazendo perder o fôlego. Mas eu não podia recuar, não era apenas o doce que me mantinha ali.

 

A última mordida.

 

Nesse momento eu não pude mais escutar as pessoas ao nosso redor. Seus lábios estavam nos meus. Eles não estavam apenas encostados nos meus, ela os pressionava contra os meus, seus olhos estavam fechados. Eu ainda conseguia sentir o pedacinho milimétrico do doce em nossos lábios. Fechei meus olhos apenas para encarar a realidade e aproveitar o momento. Eu podia sentir seu gloss de menta. Pelo menos o gostinho dele irá me provar que foi real. Em meus devaneios, nem notei que estávamos já a vários segundos com nossos lábios colados. Era quase um pecado desfazer aquele contato, mas eu tinha um jogo para vencer. Direcionei minha palma abaixo de nossos maxilares e quebrei nossos selares lentamente. Ela sentiu que eu iria me afastar e se afastou também, fazendo com que o doce caísse na palma da minha mão. Pude ver que mal havia sobrado doce. A ideia dela foi boa, afinal. Nesse momento eu já podia ouvir os gritinhos das garotas novamente. Nunca me senti tão quente. Para minha surpresa, Taeyeon também estava absurdamente corada.

– Wow, tem certeza que nunca brincou disso Tae? - Hyo deu tapinhas nas costas dela, fazendo a mesma soltar uma gargalhada gostosa. Aproveitei esse momento para correr até Sunny e enterrar minha cara naqueles peitos enormes. Eu podia ter ganhado, mas é claro que eu seria zoada pelo resto da vida.

– Eu nem acredito que eu filmei isso! Você tem que ver Fany, foi tão fofo! Eu terei que postar esse vídeo, com certeza irá viralizar e todos vão shippar vocês! – Ela tinha que dizer isso alto. Todas as meninas que assistiram ao momento concordaram em voz alta, fazendo eu me enterrar mais ainda naqueles peitos.

– Sunny, se eu não estivesse tão vermelha agora, eu te mataria de uma forma bem dolorosa. – Falei no tom mais ameaçador possível, porém ela me ignorou, passando os braços ao meu redor.

Antes que a situação ficasse mais embaraçosa ainda, o sinal tocou, fazendo com que todos voltassem aos seus lugares. Direcionei o olhar a Taeyeon que se sentava á duas fileiras de mim á esquerda só que á uma carteira á frente. Ela também olhava em minha direção. Antes que o professor iniciasse a aula e eu desviasse o olhar envergonhada, pude ver um sorriso doce em seus lábios.

 

(...)

 

Mais um dia de aula, dessa vez eu cheguei adiantada pois havia pegado carona com meu irmão. Decidi esperar o sinal tocar à sombra de uma árvore que ficava um pouco afastada da entrada, porém ainda visível a todos. Abri minha bolsa a procura de alguma besteirinha pra comer que minha mãe sempre colocava lá quando preparava meu sanduíche e estranhamente encontrei uma embalagem de Pocky. Aquele era o destino brincando com a minha cara mais uma vez. Se não fosse tão trágico, eu estaria dando risada. Diferente do da brincadeira, que era de chocolate, o que minha mãe havia colocado era de morango, meu sabor preferido. Direcionei um a boca e guardei o resto. Nesse momento, levantei o olhar e vi Taeyeon vindo em minha direção. O que diabos ela poderia querer comigo depois do dia mais constrangedor da minha vida? Será que ela pediria desculpas? Iria me culpar? Iria elogiar o beijo? Aish Tiffany, foco na crush vindo em sua direção! Assim que chegou perto de mim, ela agachou para ficar a minha altura e se aproximou. Seu rosto estava perto, muito perto.

– Pocky…? – Ela perguntou, eu podia sentir o cheiro de seu gloss de menta daquela pouca distância. Quase esqueci que estava com o doce na boca. Direcionei minha mão para pegar a embalagem do Pocky na bolsa, mas ela não deixou. Tirou o Pocky que estava na minha boca e colou seus lábios nos meus.

Eu não pude raciocinar naquele momento, apenas deixei minha bolsa cair ao lado e levei minhas mãos àquele maxilar que eu secretamente sempre quis tocar. O contato foi encerrado rapidamente devido a má posição em que ela se encontrava. Ela me puxou pra cima e me encurralou contra a árvore, levando suas mãos a minha cintura enquanto colava seus lábios nos meus mais uma vez. Eu mal pude acreditar que em menos de 24 horas eu havia beijado Taeyeon 3 vezes. Como as coisas puderam acontecer tão rápido? Ela queria aquilo tanto quanto eu? Isso parecia loucura da minha mente. Levei minhas mãos à sua nuca, apenas para sentir que aquele momento era real.

Não só era real, como ela levou aquilo como um incentivo para aprofundar o beijo. Sua língua contornou meu lábio superior suavemente, pedindo passagem. Não pude deixar de primeiro aproveitar o gostinho de menta daqueles lábios, os prendendo contra minha boca e fazendo um leve movimento de sucção contra seu lábio inferior. Eu deveria estar muito corada agora, mas quem se importa? Eu estava beijando a menina mais linda que eu já tinha visto e agora eu percebo, com os lábios mais deliciosos que eu já havia provado também. Nossas línguas se encontraram e eu nunca me senti tão mole como naquele momento. Sua língua explorava a minha com devoção, ela empurrava seu músculo com suavidade em minha boca como se fosse dela por direito, enquanto suas mãos apertavam minha cintura. Certo, eu não esperava que aquilo ficaria tão intenso, então antes que eu mesma pudesse acabar fazendo alguma besteira além de arranhar sua nuca, encerrei lentamente aquele contato, dando leves selinhos em seus lábios rosadinhos pelo beijo.

 

– Sinto que esse é meu doce favorito agora, Fany. – Ela falou roucamente, encostando sua testa na minha enquanto seus dedos faziam leves movimentos em minha face.

– Se está falando do seu gloss de menta, eu concordo Tae. – Não consegui deixar de sorrir, fazendo com que ela sorrisse também.

– Como isso pôde acontecer? Em um momento, você era minha crush e agora nós nos beijamos. – Espera, como ela pôde ler meus pensamentos? Como eu sou boba, eu deveria ter procurado falar com ela depois daquele momento vergonhoso ano passado em que eu perguntei seu nome. Talvez, poderíamos ter ficado antes. Ou as coisas aconteceram da forma que tinham que acontecer, quem sabe?

 

– Deve ser o Pocky.


Notas Finais


Eu sou gay.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...