História Poderia ter sido uma manhã comum - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, V
Tags Vhope
Exibições 33
Palavras 592
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Slash
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Trouxe mais uma oneshotezinha (essa palavra existe? :"D) pra vocês 'u'

Realmente espero que gostem e me desculpem por todo e qualquer erro, vejo vocês nas notas finais ;)

Boa leitura ♡

Capítulo 1 - Único -


E essa poderia ter sido uma manhã comum, um dia como todos os outros. Taehyung poderia ter se sentado, vestido seu capuz preto e conectado seus fones ao celular, dando play na primeira música depressiva entre todas as outras.
Poderia ter seguido seu caminho normalmente, com a cabeça recostada no vidro do metrô.

   Se não fosse por uma cabeleira escura saltitando pela estação. O rapaz coincidentemente entrou no mesmo metrô, porém, com destino diferente. Aquele garoto cheio de vida e energia sentou-se no banco ao seu lado, relaxou a cabeça sobre o encosto e ali ficou, brincando com um chaveiro de sua mochila.
   Taehyung o olhou de relance, mas analisando atentamente cada parte do corpo do outro. Fixou seu olhar no sorriso do rapaz, o sorriso mais lindo e verdadeiro que já vira. Os lábios finos, estes que cantarolavam uma melodia calma, fazendo os pequenos e escuros olhos do menino se fecharem.

   E por falar em seus olhos, eles eram simplesmente encantadores. Escuros como uma noite sem lua, profundos como um oceano gélido. Fechados delicadamente.

   Desceu mais sua análise pelo corpo do outro e fitou-lhe as mãos, por mais estranho que seu pensamento fosse, aquelas mãos branquinhas e grandes eram lindas, para Taehyung. Estava apaixonado pelas mãos de um estranho. Curioso.

   Taehyung não era nada discreto, e logo, o tal moço que estava sendo admirado, notou o olhar do mais novo sobre si. O encarou curioso, como se o perguntasse o motivo de tanto olhá-lo. Sorriu.

   Sentiu suas pernas bambearem e o coração acelerar com aqueles dentes perfeitos, sem reação, Taehyung o sorriu de canto, explicitando sua timidez.

   Se arriscou a perguntar o nome do menino sentado ao seu lado, — Qual seu nome? — usou de sua voz grave e calma.
   — Hoseok! — fez uma pausa para um sorriso largo. — Jung Hoseok! — abaixou a cabeça, tentando fugir do olhar intimidante de Taehyung. — E o seu?

   Com maior nervosismo ainda, Taehyung o respondeu, tentando não gaguejar. — Taehyung... — mordeu o cantinho dos lábios finos.

   Hoseok vestia uma camisa comum, seus cabelos penteados em um perfeito corte tigelinha e os tênis pretos totalmente desamarrados, um clichê dos adolescentes modernos. Seus jeans escuros rasgados nos joelhos, deixavam o rapaz com uma áurea rebelde, exalando juventude.
Parecia um qualquer, um garoto aleatório, dentro de um metrô aleatório, com um destino aleatório. Mas, para Taehyung, ele era mais do quê isso.

   Hoseok aparentava ter o interior colorido, flores na alma. Suas expressões faciais deixavam bem claro o quão feliz aquele menino era. Feliz, isso o descreveria bem.
Quando sorria, uma explosão de cores vibrantes se espalhava pelo ar. Contagiava todos ao seu redor com sua energia positiva e sua maneira doce de ver o mundo.
Tinha uma leveza inexplicável, como uma pluma dançando pelos ares. Parecia lindo, por dentro e por fora.

   Então, em uma ação repentina, levantou-se e caminhou a passos rápidos até a porta do metrô, esta que se abrira em uma estação do centro, saiu.
   Usou um breve sorriso como despedida, colocou a mochila nas costas e saltou para fora, deixando o rastro de seu perfume para trás.

   Percebendo algo cintilar ao cair no chão, Taehyung curvou-se para procurar tal objeto que fizera o som metálico, notou ser o chaveiro que Hoseok tanto brincava entre os dedos.       O recolheu rapidamente, encaixando ao molho de chaves que carregava no bolso de seu moletom preto. Seria sua única lembrança do garoto do metrô, o garoto colorido.

 E essa poderia ter sido uma manhã comum, se Hoseok não entrasse naquele metrô. 


Notas Finais


Vhope é lindo, né, minha gente? *u*

Então foi isso, obrigada a quem chegou até aqui ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...