História Poemas, poesias, versos, letras e estrofes. - Capítulo 65


Escrita por: ~

Visualizações 16
Palavras 405
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Mistério, Misticismo, Poesias, Romance e Novela, Seinen, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 65 - Masoquista.


Masoquista

 

Eu torturo você

Pegue minha mão entre as chamas

Sou um escravo dos seus jogos

Eu sou apenas um masoquista

Eu quero te acorrentar

Eu quero te amarrar.

 

A galera está tatuada em mim do pescoço aos tornozelos

Pressão do sistema nos fez entrar em rebelião

Nós vamos à guerra, sem falhar

Faço pela família, chego no objetivo

Amor e lealdade, nós lutamos por isso

Alienado pela sociedade, essa pressão me dá ansiedade

Andamos devagar pelo fogo

Quem vai nos enfrentar?

Sentindo o mundo se virar contra nós

Então, colocamos o mundo em nossos ombros.

 

Eu estou na luta com meus parceiros

Não importa, você não me conhece

Estou na parada com os parceiros, somos os mais irados

Estou dirigindo pela cidade com a galera

Acabamos de postar "ficando loucos", viver assim é incrível

Espere e dê um passo atrás quando chegamos, pois eu sei.

 

Somos leais, somos família, você pode confiar em nós

Não vamos hesitar em atingir sua cabeça como concussão

Eu trabalho duro, não há discussões em minha família

Sem hesitar, à distância vejo meu inimigo

Tipo, e aí? Sem problemas, vamos recarregar

Sim, recarrego, sei o que está rolando.

 

Sou um devoto da destruição

Uma dose completa de disfunção prejudicial

Estou morrendo aos poucos, mas o Diabo me apressa

Olha só, sou um bobo, gosto da dor, como um João Bobo

Pode arrancar a cabeça depois de cortar minha garganta

Beijo de língua num tubarão, as vadias no barco têm inveja

Comendo um sanduíche de manteiga e água viva

Se eu for picado, fico louco, posso até engasgar

Como se tivesse engolido um pouco de carvão

Pelado no Pólo Norte

Por isso meu coração é frio, cheio de dor, alma perdida

Só Deus sabe quando chegarei à encruzilhada

Para que eu não tenha medo de nada além do amanhã

E eu sou um masoquista, não há nada além de dor

Você só reclama, não é tão durão como fala

Fique na sua, não mexa comigo

Eu vou pular de um avião, ficar na frente de um trem.

 

Acostumados a fazer o mal, estamos entendendo só agora

Não há outro jeito, começamos temos que terminar

Sem dor, sem vitória

Nunca desistimos, abrimos nosso próprio caminho

Nunca vamos devagar, nós aceleramos o ritmo

Era isso o que queríamos desde muito jovens

Sem emoção, é assim que os negócios são

Que Deus tenha as testemunhas.

 

Mais dor

Me faça implorar

Por mais dor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...