História Poesias - Capítulo 3


Escrita por: ~

Visualizações 4
Palavras 390
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ficção, Poesias, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Suicídio
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Uma carta para minha morte!


Não sei o motivo mas tenho pensado muito, sobre a morte , eu ,não a aceito , para mim ninguém deviria morrer, a vida é maravilhosa , eu não consigo me imaginar sem ela, é que do nada ,PUFF!! Então você já não vê mais quem ama,  não vê as cores, não vê o sol e o mar, o granado nem a chuva, do nada você deixa de sentir o cheiro da sua comida favorita , do perfume que te lembra algo ou alguém, o vento , não sente o sol das 9h da manha na pele, não sente o amor nem o ódio, medo nem alegria , não sente nada , do  nada , é como se nada tivesse acontecido , é como se nem tivesse nascido , do nada , você já não sabe como é rir , chorar, dançar , correr , nem dormir , do nada , você simplesmente deixa de existir, pois não é o corpo nem a matéria , que conta que você simplesmente está ali, você não está , e eu até tento pensar que a morte não é tão ruim assim , que ela trás paz para quem está cansado, um ponto final para quem já cumpriu a sua missão, eu sei que a morte faz bem para algumas pessoas , eu também creio que a dor da perda nunca é superada , apenas aprendemos a lidar com ela, porque uma pessoa nunca é substituível, pois ela é unica ! Eu não entendo a morte , e eu acho que nem 200 anos seriam suficientes para vivermos tudo o que realmente deviríamos viver , ou fazer , vejam como é que a vida é curta , como os momentos são instantâneos, eles apenas se repetem , sinta o oxigênio, respire , isto é a VIDA, e como que alguém sem consciência , possa compreender, que do nada a vida tem um FIM.

Quando eu morrer saiba que eu nunca a compreendi , que eu nunca vivi todo o que eu tinha para viver , pois como eu disse nem 200 anos seriam possíveis , mas, um desejo meu é marcar, algo por onde eu passo , que as pessoas possam lembrar de mim como a menina que sempre estava sorrindo , mesmo quando eu estava chorando!

Do nada, o fim de todos os verbos!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...