História Point of No Return - Interativa - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~bIiss

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Gangue, Interativa, Máfia, Originais
Visualizações 269
Palavras 884
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Hellouuu
ent gente, isso aqui é um mini cap pra vocês terem uma visão de como é a máfia, já que no prólogo foi só a gangue
é bem curtinho, mas acho que dá de ter uma ideia
LEIAM AS NOTAS FINAIS OK VLW FLW

Capítulo 2 - The Mafia


Fanfic / Fanfiction Point of No Return - Interativa - Capítulo 2 - The Mafia

O som de saltos altos contra o piso de mármore ecoava pelos corredores da mansão, os passos firmes de alguém acostumada a usar tais sapatos eram evidentes, e postura carregada pela mulher que os calçava confiante.

Os passos pararam em frente a uma porta dupla de madeira escura, e uma de suas mão formou um punho que bateu exatas três vezes na madeira, logo recebendo como resposta um convite para entrar, assim fazendo. Do outro lado, um belo escritório encontrava-se, uma janela ampla no fundo do cômodo com uma bela vista para o mar que banhava a cidade litorânea de Mônaco, e uma mesa a frente dela, onde sentado em uma elaborada poltrona de couro escuro, Lev Sokoloff estava sentado.

Morgana analisou o irmão, as olheiras que adornavam seus olhos eram evidentes, e havia certo cansaço em sua postura, o que era consequência de várias noites mal dormidas, graças ao alvoroço que havia sido causado pela notícia que ele dera dias mais cedo: eles estariam se aliando com a notória gangue Reapers. Tal indisposição de seu irmão era inaceitável, demonstrar fraqueza era algo que nem poderia ser cogitado, o que o fez se enfurnar em seu escritório, deixando com que sua irmã resolvesse os assuntos mais urgentes, enquanto ele resolvia os detalhes da aliança.

—  Como está a situação? — ele perguntou, sem ter de articular muito para que Morgana soubesse exatamente o que ele queria saber.

— A grande maioria já aceitou a ideia, mesmo que de mal grado. — ela sentou-se em uma das duas poltronas posicionadas à frente da mesa de Lev. — Um ou outro ainda estão querendo argumentar seu caso de porque é uma péssima ideia, mas eles tem duas opções, ou calam a boca e aceitam, ou eles irão para casa.

A expressão “ir para casa”, era o jeito preferido de Morgana de dizer que alguém iria ser morto. Ela omitia algumas palavrinhas essenciais para o entendimento completo da frase: em um caixão.

Lev simplesmente balançou a cabeça, ele sabia que a ideia não seria aceita de bom grado, afinal, desde que eles haviam chegado em Mônaco os Reapers havia sido seu inimigo número um. Mas algo que as pessoas não estavam realizando, é que muitas vezes, temos de fazer coisas que não nos agradam para que possamos sobreviver, e se havia algo estava ameaçando-os, esse algo era Malin.

A mulher nem mesmo tinha um sobrenome, e isso era devido à Malin não ser seu nome verdadeiro. A verdade era que ninguém conhecia sua verdadeira identidade, somente o lugar amaldiçoado de onde a vadia havia vindo. Ela mesmo escolheu a maldita alcunha, e infelizmente Lev tinha de concordar que era apropriado: Malin significava maligno na língua francesa, e se havia algo que aquela mulher era, esse algo é maligna.

— E quando iremos conhecer o tão infame líder dos Reapers? — o sorriso de Morgana indicava que ela estava ansiosa para tal encontro, ela adoraria saber quem exatamente é o responsável por liderar a maior gangue de Mônaco, sem contar que ela queria analisá-lo para saber se ele poderia ser um de seus brinquedinhos.

— Não irá demorar, nós só estamos a procura de um local para o encontro, já que eu me recuso a ir até uma localidade de domínio deles, e Adrian se recusa a vir até aqui.

O motivo, mais do que óbvio, nenhum dos dois queria estar vulnerável, mas não é como se eles estivessem facilitando a situação um para o outro.

A verdade era que Lev não estava nem um pouco satisfeito com a maneira que havia arranjado de acabar com a vadia italiana, mas ele já estava aguentando-a há tempo demais, e o último ataque que sofreram nas mãos dela foi a gota d'água. Não é como se eles não tivessem sofrido perdas antes, a vida naquele ramo não era fácil e sua vida sempre está em risco, mas Alexei era diferente, jovem demais para ter perdido sua vida, e nem Lev nem Morgana aguentariam continuar do jeito que estavam, sem pelo menos tentar se vingar.

— Ele ficaria feliz em saber que estamos arquitetando uma vingança. — a voz de sua irmã tirou Lev de seus pensamentos, e ele visualizou que ela estava encarando o retrato sob sua mesa, o único naquele cômodo que tinha uma foto pessoal dele, ou mais especificamente, dele, de Morgana e do irmão mais novo deles, Alexei.

Lev sorriu com a fala da irmã, e ao olhar novamente em sua direção, o olhar sofrido que ela guardava dentro de si era possível de se ver, mesmo que pouco. Morgana não era acostumada com demonstrar emoções que poderiam ser associadas com fraqueza, mas ninguém é feito de ferro, nem mesmo ela. Ela logo se recompôs, levantando da cadeira em que estava sentada e indo em direção a saída, virando-se um última vez para Lev.

— Eu espero que vocês dois deixem de frescuras e encontrem-se logo, quanto mais rápido essa aliança acontecer, mais rápido nos livramos de Malin. — a mulher loira sorriu, lançando um olhar divertido para o irmão.

Ela logo deixou o local, o som de seus saltos podendo ser ouvidos à distância, e Lev foi deixado a sós com seus pensamentos. Essa situação tem tudo para tornar-se um grande desastre, e tudo o que Lev conseguia pensar, era em como evitar que aquilo acabasse em caos.


Notas Finais


Gente, nós recebemos uma dúvida por MP que eu e a Alícia achamos que pode ser importante para vocês saberem, e talvez alguns de vocês tenham ficado em dúvida sobre isso também, então aqui vai uma mini explicação sobre a gangue:

_______

Os personagens de vocês não precisam ser novatos em tal grupo, na verdade, é permitido que estejam há anos já. Além disso, Adrian e Katrina lideram a gangue há 4 anos, mas ela existe há uns 7 anos, sendo liderada antigamente por uma pessoa que os atuais líderes acabaram passando por cima. Os dois não concordavam com o modo que a gangue era e pouco a pouco acabaram dominando-a, tornando Adrian o líder oficial e Katrina o braço direito dele, ou seja, uma vice líder.

E quanto a máfia, ela existe a décadas, tendo sido criada pelo avô do Lev e da Morgana, e passada de geração em geração, o mais recente sendo o Lev, após a morte do pai dele alguns anos antes. Eles ainda tem uma família na Rússia, o resto dos Sokoloff, como a mãe deles, que comanda a máfia de lá enquanto Lev está em Mônaco.

Eu espero que isso tenha esclarecido as coisas, qualquer dúvida que vocês tiverem podem ser esclarecidas naquele comentário ou na nossa MP/Timeline, ok?
________

Por favor nos digam nos comentários o que acharam desse mini capítulo, nós apreciamos muito as opiniões de vocês <33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...