História Pointe Shoes - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hopemin, Hoseok, Jhope, J-hope, Jihope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjoon, Rap Monster, Seokjin, Suga, Taehyung, Yoongi
Visualizações 41
Palavras 1.671
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoinhas, tudo bom? Bem, eu disse que ia tomar vergonha e iria atualizar a fanfic com mais frequência, pois dito e feito estou aqui três dias depois. Espero conseguir manter esse ritmo, assim vocês também não precisam esperar muito. Não sei se disse no primeiro capítulo, mas a fanfic já estava toda finalizada quando comecei a postar, então a culpa das demoras excessivas é única e exclusiva da minha falta de tempo ): Vou tentar melhorar isso e trazer capítulos mais rápido, mas nada prometido~
Enfim, boa leitura a todos e espero que gostem do capítulo

Capítulo 7 - Emboité


Fanfic / Fanfiction Pointe Shoes - Capítulo 7 - Emboité

“Que vida solitária essa bailarina da caixinha de música tem, existir para encantar os outros, presa no seu próprio encantamento.” – Autor desconhecido

 

 

 

A água do rio ia e vinha tranquilamente, as folhas das poucas árvores do lugar dançavam em conjunto ao vento fraco. O cenário era tranquilo em si, fazendo com que os corações de ambos ali, aos poucos, ficassem um pouco mais livres dos sentimentos ruins que os assombraram há pouco tempo atrás. Hoseok desviou seu olhar para Jimin, vendo esse apoiando o queixo em seus próprios braços, que abraçavam suas pernas. A leve brisa fazia com seu cabelo fosse para frente a para trás, acompanhando-a. Sentiu suas bochechas esquentando de leve quando o olhar de ambos se encontrou por um segundo.

Tinha que admitir que Jimin era muito bonito, suas feições estavam em plena harmonia com seu rosto, que naquele exato momento que tinha parado para observá-lo, parecia um tanto quanto angelical. Se perguntou por um segundo como seria se ele se comportasse de outra maneira, talvez se sorrisse mais... Abaixou a cabeça, tentando parar de pensar nisso e então disfarçar o vermelho que enfeitava seu rosto.

— Você vem de onde? – Jimin disse calmamente, não desviando o olhar do rio.

— Gwangju... – Hoseok respondeu rapidamente, não entendendo o repentino interesse do outro.

— Ah... Ouvi falar sobre... – ele prosseguiu ainda distraído. — Eu não nasci aqui também... Nasci em Busan, mas meus pais vieram pra cá quando ela começou a... É.

— Ela? – deixou escapar a pergunta, logo se arrependendo. — Desculpa, não deveria me meter, né?

— Tudo bem... – Jimin finalmente ele olhou para Hoseok. — Mas não é como se fizesse diferença em algo…

— Ah... – e mais uma vez o silêncio recaiu sobre ambos. Por pouco tempo, até que o mais velho novamente disse algo. — É por causa dela? Aquilo tudo...? – Jimin riu baixinho.

— Em partes... Mas isso não é uma conversa pra agora. Esse lugar é bom demais pra isso. – ele parecia ter sido inundado de tristeza, por um segundo.

— Eu posso te dizer algo? – se ajeitou para levantar-se. — Eu sei que não tenho o direito de dizer isso, e naquele dia você disse que não é da minha conta, mas... Se dê um desconto. Ninguém é de ferro e muito menos merece ser tão crítico consigo mesmo. Independente do porque disso tudo. Isso também vale para se culpar das coisas…

Quando se levantou observou por mais algum tempo o lugar, apreciando aquela visão que precedia o inverno. A brisa do fim de outono o fazia se sentir mais leve, mesmo estando ali, perto de Jimin. E não era como se o garoto fosse um monstro, ou algo do tipo. Finalmente Hoseok havia visto isso. Ele era ridiculamente arrogante, teimoso... Mas ainda tinha alguma coisa doce nele, e no fundo ambos sabiam desse lado do mais novo. Virou-se para ir embora, parando quando escutou o outro se movendo e ficando em pé. Uma vez mais ambos trocaram olhares.

— Obrigado. – o tom monótono nunca saia de sua voz, mas seus olhos... Finalmente ele parecia sincero com algo.

 

 

 

Eu vou atrasar um pouco. Pode ir na frente que logo eu chego.

A mensagem com o nome de Jungkook piscou na tela do celular de Hoseok, que suspirou alto. Havia combinado que iriam juntos visitar Taehyung, já que tinha vergonha de ir até a casa do garoto sozinho e Jungkook. Bem, o mais novo tinha uma vergonha extrema de falar com o outro. Tinha quase certeza que ele tinha alguma paixãozinha pelo outro, somente pelo jeito que ele gaguejava e ficava vermelho quando falava dele, ou com ele. De qualquer maneira, Hoseok somente riu e mandou uma resposta qualquer para o menino.

“Se não for eu conto pro Taehyung que você gosta dele. Te espero lá.”

Finalmente se direcionou para o endereço que lhe foi passado, provavelmente por Taehyung que estava em casa, em repouso. Já haviam se passado alguns dias desde que ele havia quebrado a perna e rompido alguns tendões, e finalmente tinha tomado alta do hospital que estava. O garoto aos poucos parecia se acalmar diante da cirurgia que teve que fazer, e agora parecia aceitar melhor o processo para sua melhora. Não voltaria tão cedo para o ballet e muito menos para os palcos, mas, no momento, não seria bom falar sobre isso com ele. De jeito ou maneira.

Aproximou-se da casa simples e bonita, que pelo que o GPS indicava seria o endereço do mais novo. Tocou a campainha, sentindo as bochechas esquentarem rapidamente. Odiava ter que fazer isso, o simples fato de ter que entrar num lugar desconhecido, acompanhado por alguém que não conhecia o deixava nervoso demais, sempre. Sentiu-se um pouco mais aliviado quando a senhora que veio o receber, sorria de um jeito largo. Ele fez uma reverência a cumprimentando.

— Jung Hoseok. Eu vim visitar o…

— Taehyung? Eu imaginava. – ela tinha um ar simpático e doce. — Pode entrar, fique a vontade. O quarto dele fica no segundo andar.

— Obrigado! – fez mais uma reverência, sendo acompanhado por ela ao entrar na casa.

 

 

 

— Bem, todo mundo tem experiência ruim no currículo não é? – Taehyung riu alto. Ele parecia bem mais aliviado contanto a tudo.

— Com certeza... E logo você está de volta no ballet. – Hoseok sorria, feliz em ver que o garoto se sentia melhor.

— Quando eu voltar... – ele pausou, fazendo uma expressão séria. — Eu vou pegar a primeira sapatilha de ponta que eu ver e vou tacar na cabeça de um deles. – então riu uma vez mais. — Babacas... Deixa eles comigo.

— Você está bem com isso? – Hoseok perguntou e Taehyung afirmou com um movimento da cabeça.

— Não é como se fosse a primeira vez que eles deram risada de quando eu caí... – ele abaixou a cabeça de leve. — Eu nem deveria me magoar mais, não? É que... Sei lá.

— Não deveria se magoar porque eles não merecem. – Hoseok bagunçou o cabelo do mais novo, que logo riu. — Mas tem o direito de ficar chateado…

— Eles são bem filhos da puta. Eu vou parar de ligar pra eles. – o sorriso quadrado voltou a seu rosto. — Vai ver, vou me tornar o terceiro melhor da turma.

— Terceiro? – Hoseok subiu sua sobrancelha, encarando o outro que somente respondeu rindo.

Não sabia explicar muito bem, mas a presença de Taehyung era bem tranquila e gostosa de estar por perto. Ainda mais agora, que ele parecia estar longe de qualquer coisa problemática para si. Enquanto ambos riam, a porta do quarto foi aberta lentamente, para que um Jungkook já vermelho dos pés a cabeça. Ele parecia tremer um pouco, mas ainda assim entrou ali.

— E... Eu... – ele tentava falar, mas nenhuma palavra saía.

— Jungkook! – Taehyung quase gritou, sorrindo para o outro. — Você veio, fico feliz! – Hoseok olhou para o mais novo, que parecia estar no ponto de cair morto.

— Senta aqui, Kook. – Hoseok se levantou, deixando o espaço vazio ao lado de Taehyung para o outro, que praticamente o sufocou com o olhar. — Fica a vontade.

 

 

 

Acabou de se despedir do mais novo, que seguiu um caminho totalmente oposto do seu para voltar para casa. Hoseok enfiou as mãos nos bolsos de seu casaco, tremendo com o frio. Finalmente o inverno começava a aparecer, fazendo com que as noites ficassem cada vez mais geladas. Andou a passos largos para conseguir se aquecer. Escutou ao longe a conversa de alguém, que mais parecia brigar com outra pessoa do que qualquer outra coisa. Acabou se apressando, estava escuro e Seul conseguia ser bem perigosa durante a noite.

Quando chegou em seu apartamento, arfava, cansado da quase corrida para casa. Chegou a tempo de se despedir de Yoongi, que iria sair com Namjoon naquela noite. Não sabia explicar, mas ambos estavam bem grudados nos últimos dias... Não questionava, até achava bom que Yoongi saísse com alguém além de si mesmo. Largou suas coisas em qualquer lugar e tomou um banho quente, tentando se livrar do frio que parecia ter se abraçado contra seu corpo.

Jogou-se em sua cama, sentindo suas pernas latejando. Podia jurar que derreteria ali mesmo, sem mais nem menos. Viu o celular vibrar, anunciando uma mensagem qualquer que havia chego em seu celular. O pegou, preguiçoso, e ao desbloquear viu as pequenas letras na brilhante tela o deixando um pouco tonto.

"Hoseok... Eu posso te encontrar?"

Retorceu o nariz e verificou o número, que no momento não estava salvo em seus contatos. Suspirou alto e digitou algo de volta.

"E quem seria você?"

A resposta demorou um pouco pra vir, mais do que normalmente uma pessoa deixaria a outra esperando. Pensou que talvez fosse um engano, mas a pessoa saber seu nome não o convenceu muito da ideia. Até que a resposta chegou.

"Jimin..."

Sentiu seu coração se acelerar, e seu sangue pareceu estar num fluxo mais rápido para suas bochechas. Queria saber como que ele tinha arranjado seu número... Digitou a resposta o mais rápido possível e logo jogou o celular para longe, com vergonha do que poderia ser a resposta.

"Eu estava quase dormindo... Se quiser vir até meu apartamento o endereço está em anexo.”

Abraçou seu travesseiro, apertando os olhos tentando se livrar de qualquer que fosse aquela vergonha que estava sentindo. Escutou o vibrar do celular de longe, sentindo seu coração acelerar. Não se levantou para olhar, muito menos quis saber a resposta rude que poderia ter tomado do outro, então ficou ali, esperando cair no sono para então poder dar uma desculpa qualquer no dia seguinte. Minutos depois acabou tendo seu plano arruinado pelo soar do interfone pela casa.

Praticamente se arrastou até a cozinha, para que pudesse dizer ao porteiro que podia mandar subir quem quer que estivesse lá. Ele tinha quase certeza que só podia ser Namjoon, vindo atrás de Yoongi para algo, se esquecendo que ambos haviam saído juntos há poucas horas atrás. Deitou-se no sofá, esperando a campainha tocar, e quando o fez, levantou-se um tanto quanto preguiçoso para abrir a porta, surpreendendo-se por quem estava ali, na sua frente.

— Jimin? – a voz do mais velho era sonolenta, levemente mais rouca por causa disso. — Você...?


Notas Finais


A gente termina capítulo nessas horas mesmo porque a gente gosta de ver o mundo pegar fogo *corre das pedradas* Claro, não podemos esquecer de comentar esse VKook bem de leve que não faz diferença na vida de ninguém, mas to ligada que vocês adoram :V
Enfim galera, espero que prossigam gostando~
Vejo vocês no próximo capítulo (que espero ser logo)
Até o próximo <33


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...