História Poké Origins. - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pokémon
Exibições 5
Palavras 2.034
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpa a demora por postar, realmente não ando tendo tempo. Como logo vou estar de férias enfim poderei postar com mais controle \o/. Boa leitura.

Capítulo 8 - Perigo na floresta e um novo amigo.


 

— Mas e você?  — Ela entra em desespero.

             — Kimi, isso não é momento pra essas coisas. Vai, AGORA! — Ele grita em desespero.

            O Ursaring olha para Kimi e rugi furiosamente, utilizando o braço martelo para acerta-la, mas Kimi consegue se esquivar e ele acerta o chão, que se parte. Hisei, para chamar a atenção do Ursaring para ele, arremessa em sua direção com força uma pedra que não chega a machucar o enorme pokémon, mas conquista sua atenção, logo sendo caçado pelo próprio.

            — Kimi, é a sua chance. Corra! — Ele grita uma ultima vez enquanto evitava os ataque do pokémon em fúria.

          — Não, de novo não! Você sempre se machuca por minha causa, mas dessa vez não! Totodile, Spritzee, vamos mostrar pra ele que não somos covardes! — Ela diz com um olhar sério e determinado, motivando seus pokémons para batalhar com ela.  — Vamos usar a questão de quanto maior o tamanho, pior é a queda. Totodile, jato d'água no chão! — Totodile avança e molha todo o chão, o tornando escorregadio, fazendo o Ursaring perder o equilíbrio e cair. — Agora Spritzee, beijo doce. — Spritzee se aproxima e solta um beijo que se torna um coração e que vai em direção do Ursaring caido, o acertando e lhe deixando confuso. — Hisei, vem! — Ela corre em sua direção e o puxa pelo braço, para dentro da floresta, com seus pokémons os seguindo.


             E estando confuso e furioso, levantando-se bruscamente do chão, o Ursaring dispara inesperadamente um hiper raio, que por pouco não os atinge, mas destrói algumas arvores a frente, que caem bloqueando o caminho .

            — Kimi, da pra passar por cima. Vamos, eu te dou apoio com as mãos, rápido! — Ele diz em aflição enquanto observava o Ursaring tentar se livrar de sua confusão acertando o chão e as arvores incansavelmente com o braço martelo.

 

— Certo, mas antes guarde seus pokémons. Totodile, Spritzee retornem. — Ela os recolhe e Hisei faz o mesmo com os seus. Logo Hisei a ajuda a subir e ela lhe estende a mão o puxando. — Vamos, antes que ele saia da confusão.

 

— Sim, vamos! — Segurando forte a mão de Kimi os dois correm bastante, chegando à uma área onde parecem estar seguros e fora do alcance do furioso pokémon. — Huff... Finalmente estamos seguros. Está se sentindo bem Kimi? — Ele pergunta ofegante.

 

— Melhor do que nunca! Vamos voltar lá e acabar com ele! — Ela fala fervorosamente animada.

 

— Pra você levar um hiper raio na cara? — Ele diz enquanto recupera o fôlego.


            — Bem... Pensando melhor... — Ela se acalma e lembra do estrago que o Ursaring fez. —Mas mesmo assim eu me diverti, primeira vez que eu ajudei.

 

— Ainda temos que voltar pro acampamento... Sua mochila está lá. Vou recomeçar a catar gravetos...— Ele fala desanimando-se.

 

— Vamos pegar os gravetos logo, a mochila fica para depois. — Ela ri nervosa.

 

— Okay. Antes que me esqueça, por acaso sabe onde estamos? — Ele pergunta olhando ao redor .

 

— Só um instante, deixa eu pegar o mapa na mochila e... Esqueci, não estou com a mochila... — Ela olha para ele sem expressão.

 

— Então... Estamos perdidos. — Ele diz com calma.


              —Espera, o Noibat e a Spritzee podem olhar em volta. — Kimi sugere, e Hisei concorda.

 

— Não me parece uma má ideia. Noibat, preciso da sua ajuda. — Jogando a pokébola para o ar liberando o Noibat, ele explica o que fazer e o menor atende ao comando e voa para ter melhor visão de onde todos estão.

 

— Spritzee você também. — Ela arremessa a pokébola para cima e a Spritzee vai junto do Noibat.


            Eles seguiram andando tranquilamente, até que por um deslize Hisei escorrega e cai uma pequena ladeira, embolando na terra até cair dentro de um pequeno riacho, se levantando completamente encharcado e enlameado.

 

— Mas gente... Picolé de chocolate com baunilha. — Kimi ironiza rindo e desce a ladeira com cuidado.

 

— Há há há, muito engraçado. — Ele bufa irritado e pega suas pokébolas que agora estavam emporcalhadas com lama. — Tenho que limpar elas.

 

— Eu posso ajudar. — Ela tira um paninho do bolso e pega as pokébolas, se senta, e segura uma e coloca as outras duas no chão. — Vou deixar brilhando. — Ela diz com um sorriso no rosto.

                — Cino.

            — Hum? — Ela olha para o lado e um Minccino aparece do nada, limpando as pokébolas. — Mas o que? — Ela olha para ele confusa, o pokémon a olha mas a ignora, voltando a limpar as pokébolas.

 

— Ohh, vejo que ganhou uma ajudinha inesperada. — Hisei diz alegremente.

 

— É... — Ela o observa, pega uma pokébola, encosta no Minccino e sem nenhum esforço o captura.

 

— Wow... Essa foi rápida. — Hisei olha surpreso pela captura inesperada.

 

— Hisei... — Ela olha para ele extremamente confusa e sem entender nada. — Que droga foi essa? O que é que tá acontecendo? — Ela olha para pokébola com cara de erro no sistema.

 

— Eu também não faço ideia, só sei que está frio, e minha roupa está molhada.— Ele diz com uma cara de desinteresse.

 

— Mano... Como assim? Eu simplesmente capturei ele? — Ela segura a pokébola com as duas mãos e entra em um tipo de crise mental, ignorando Hisei.

 

— Sim, capturou. — Ele começa a abrir o ziper de sua jaqueta, e despir-se dela, ficando apenas com uma simples camisa preta. — Bom, essa foi a captura mais inesperada que eu já vi.

 

— Eu sei, por isso ainda não consigo acreditar nela. — Ela pisca os olhos repetidamente por um tempo. — Cadê o Noibat e a Spritzee? Será que eles também se perderam?

 

— Provavelmente só não conseguiram nos encontrar ainda. Dê um tempo a eles.— Ele continua a se despir, tirando agora sua blusa.

 

— Você não vai ficar pelado não né? — Ela vira o rosto com vergonha.

 

— Pelado? Você é doida é? Claro que não,  só vou tirar a blusa, ou vou morrer de frio, não vou tirar as calças, relaxe. — Ele diz enquanto torcia as roupas para se livrar do excesso de água.

 

— Ótimo... — Ela se vira para o lado contrário ao dele, para não olhá-lo. — Minccino, me ajude a limpar as pokébolas. — Ela o solta e entrega as pokébolas.

 

— Kimi... Está com vergonha? — Ele pergunta com ironia na voz.

 

— Não, só quero colocar minha cabeça em um buraco. — Ela pega uma pokébola e fica limpando.

 

— Sei.— Ele diz rindo, então se aproxima e senta-se junto a ela.

 

— Se você encostar em mim já pode pegar seu atestado de óbito.

 

— Hum? Eu? Não vou fazer nada. Porque acha isso? — Ele sorri malicioso.

 

— Eu te conheço, você é trapaceiro. — Ela o olha desconfiada. — Sei que você gosta de pregar uma peça em mim quando possível.

 

— Mas não nesse tipo de situação. Não sou disso. Tá mais pra você tentar me atacar.

 

— Sonha. — Ela bufa emburrada.

 

— Você vai me matar se eu te abraçar assim não vai? — Ele ri brincando.

 

— Vou. — Ela resmunga fazendo bico.

 

— Certo então... Abraço molhado! — Para provocar a loira, ele a abraça mesmo molhado e frio, rindo bastante no processo. — Não seja tão chata! — Ele dizia enquanto sorria.


             Ela fica extremamente vermelha e se solta do abraço, segura Hisei pelos braços e o joga de volta para o rio. — Saaai!


           Hisei se levanta ainda mais molhado que antes e fica sentado, observando Kimi através da franja ensopada que cobria seus olhos quase que completamente.

             — Não precisava disso tudo, agora estou com ainda mais frio, e minhas calças absurdamente molhadas.

 

— E-Eu posso resolver isso. — Ela pega a pokébola do Cyndaquil que estava com o Minccino e a joga. — Ele pode te aquecer.

 

— E como vou secar minhas calças por acaso? — Ele pergunta com uma cara neutra.

 

— Use o brasas. — Ela diz como se fosse a coisa mais óbvia do mundo.

 

— Você não cansa de tentar me matar?

 

— Não precisa tocar fogo nas roupas, só secar com o calor das brasas. Entendeu?

 

— Você quer é me cozinhar vivo... — Ele diz se levantando e saindo do rio.

 

— Se quisesse já teria tocado fogo em você faz tempo.

 

— Não duvido. — Então ele começa a espremer as calças ainda no corpo para tirar o excesso de água. — Cyndaquil, pode me dar uma ajudinha?

              — Cind! — O pequeno pokémon acende o fogo de suas costas.

           — Obrigado Cyndaquil. — Ele estendeu suas roupas ao lado de Cyndaquil, para que o calor as seca-se. — Até minha cueca tá molhada. — Ele faz uma engraçada cara de desconforto.

 

— Eu vou sair daqui, por que já estou prevendo um strip-tease. — Ela se levanta e sai dali com o Minccino. — Suas pokébolas já estão limpas, agradeça ao Minccino. E quando terminar de se secar eu vou estar aqui esperando. — Ela sobe a ladeira e entra na floresta.


             Passou-se um tempo, e Noibat havia retornado para Hisei, que já estava com as roupas enxutas e estava indo em direção a Kimi.

 

—Kimi, Noibat encontrou o caminho! — Ele disse alto para assusta-la.

 

—Eu sei, a Spritzee já me disse. — Ela o olha sem nenhum sinal de susto. — Vamos?

 

— Então pegue quantos gravetos puder, e vamos lá! — Ele diz alegre.

 

— Eu já peguei. Vamos logo, quero minha mochila de volta. — A loira pega os gravetos que recolheu e segue a Spritzee.


          Não demorou muito para eles voltarem. O caminho até foi calmo, mas ainda assim eles estavam com medo de acabar encontrando novamente o Ursaring, coisa que por sorte não ocorreu. Quando chegaram fizeram uma fogueira, comeram e depois foram dormir.

           Na manhã seguinte eles arrumaram seus pertences e seguiram para o caminho da cidade Violeta. Demorou no máximo de uma hora para chegarem até lá. Assim que chegaram encontraram Ling, próximo ao centro pokémon de lá, e resolveram falar com ele.

 

— Ling! você já desafiou o ginásio? — Hisei pergunta curioso ao se aproximar.


            — Oh... Olá Hisei, Kimi. — O moreno sorri para eles. — Eu estava indo para lá agora. A propósito onde vocês estavam ?


            — Perdidos em uma floresta e fugindo de um Ursaring. — Kimi diz suspirando.
 

— E eu estava encharcado e com a cueca molhada. — Hisei completa com a cara neutra.


             —  E-er... — Ling os olha sem saber o que dizer, então pergunta a primeira coisa que lhe vem a mente. —  Como vocês sobreviveram ao ataque do Ursaring?

 

— Sobrevivemos graças ao Totodile e a Spritzee... E a Kimi também. — Ele a olha e sorri.


             — Me senti mal agora. — Ela o olha com uma falsa cara de desprezo.
 

— Se sentir mal por que? Tá bom, vou dizer isso, mas só uma vez. Se não fosse por você eu não teria conseguido escapar, obrigado Kimi. — Ele diz corando de leve.


            — Ai Hisei, obrigada! — Ela fica feliz e o abraça forte.

 

— D-De nada. — Ele responde duro e meio sem jeito.

             — Estou feliz por estarem bem. — Ling sorri em relação a cena de afeto dos dois. — Você vai para o ginásio agora Hisei?

 

— Ainda não. Você sabe qual o tipo de pokémon que esse ginásio usa nas batalhas? —Hisei pergunta curioso.


            —  Sim, eu sei. O líder de lá é especializado em tipo voador. Eu tenho uma certa desvantagem, mas você não, eu acho.

 

— Hum... Então acho que eu deveria capturar um tipo pedra. Acredito que na caverna  aqui perto deve ter alguns, talvez eu treine por lá também. — Ele diz apoiando a mão no queixo.

 

— Acho que vou batalhar no ginásio. — Kimi diz pensativa.

 

— Vai batalhar também? — Hisei pergunta surpreso.

 

— É... Por que? — Ela o encara sem entender a surpresa.

 

— Nada demais, apenas não esperava, boa sorte. Eu vou para caverna agora, ficar treinado por lá. Te vejo mais tarde? — Ele pergunta sorrindo.

 

— Mas eu queria que você fosse comigo. E também, assim você saberia como é o estilo de luta do líder de lá.

 

— Mas antes preciso fortalecer meus próprios pokémon, ainda acho que falta muita experiência em batalhas para eles. Vou treina-los hoje na caverna, talvez eu só volte amanhã, mas desejo a você uma boa luta. — Ele diz sorrindo e seguindo para a trilha da caverna.

 

— Nossa, melhor despedida do mundo! — Ela reclama chateada. — Ling, você vai para o ginásio?


            — Ainda não, eu estou em total desvantagem por aqui.

 

— Mas você pode ir ao ginásio comigo? — Ela segura as mãos do maior e faz carinha de abandono.


            —  E-Er... Tudo bem, não custa nada assistir. — Ele responde envergonhado.


             — Ótimo, então vamos lá. — Ela entrelaça seu braço ao dele e o puxa.

— Calma Kimi não precisa me puxar!!  — Ele suspira e sussurra para se próprio mentalmente. “— Hisei porque você fez isso comigo?”



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...