História Pokémon - O Destino Final - Capítulo 29


Escrita por: ~ e ~MiyazonoGardner

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Agatha, Blue, Brock, Charizard, Gold, Leaf (Green), Mew, Misty, Pikachu, Professor Carvalho, Red, Yellow
Tags Anime, Aventura, Blue, Continuação, Green, Mangá, Pikachu, Pokémon, Pokémon Adventures, Pokemon Special, Pokeshipping, Red, Yellow
Visualizações 17
Palavras 1.369
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Suspense, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Finalmente Red está no ponto destinado para saber se Gold, Silver, Crystal e os outros viventes de Johto estão vivos, no qual esse capítulo apresentará a possibilidade, ai vai! E na capa temos a cidade de Ecruteak, o destino dos nossos mistérios!

Capítulo 29 - A esperança final, a Torre Sino!


Fanfic / Fanfiction Pokémon - O Destino Final - Capítulo 29 - A esperança final, a Torre Sino!

Continuação: A esperança final, a Torre Sino!

O céu estava cinza e nublado, coberto e repleto por ventos fortes que sopravam ate a mais fina grama do solo. Seria mais rápido irmos pelo céu, mas aquele tempo me dizia que não séria bom seguir por lá, então sem me questionar mais e com determinação e fé, segui pelas rotas ate chegar em Ecruteak.

- Temos que ir depressa Pika, mas é melhor que você volte para a pokébola por enquanto... - Conversei um pouco com Pika, antes de coloca-lo de volta em sua pokébola, mesmo que ele não gostasse muito de ficar na mesma, poderia ser um caminho perigoso, e eu não queria bota-lo em risco atoa. - Agora tenho que ir. - Adiante, eu fui determinado dizendo, começando a passar então pela Rota 29.

O caminho não era muito longo, e pelos Pokémons selvagens daquele lugar estarem mais isolados e escondidos, não houve nenhuma interferência, podendo então chegar ate uma árvore que se encontrava no meu caminho, que eu deveria fazer algo, pois assim eu chegaria mais rápido usando aqueles atalhos tampados. 

- Parece que precisarei de sua ajuda um pouco, venha Vee!! - Coloquei o meu pé para frente e arremessei diretamente a pokébola um pouco para trás da árvore, e quando o meu pokémon mostrou-se, o meu Espeon estava pronto para receber o comando - Use o Cortar! - Espeon logo se colocou a frente da árvore e com suas garras, cortou o mesmo, assim deixando a passagem livre para nós. - Muito obrigado, agora volte. - Seguindo para frente, fiz o meu amigo voltar de volta a pokébola, e então diante dois caminhos e rumos eu parei para pensar qual eu seguiria. - Devo ir por aquele ou esse? - Me perguntei olhando o mapa e as direções, verificando por qual eu teria que passar por mais trajetos. 

- Acho que irei pela Cidade de Cherrygrove, assim eu posso verificar se há mais sobreviventes e também passar por somente uma caverna depois da Rota 30. Pois na Rota 46, eu teria que passar por duas, e isso me custaria muito tempo. - Ao ver o que a estrada tinha para me oferecer, segui ate o lugar decidido, guardando o meu mapa e continuamente andando ate chegar na cidade sem nenhum problema imposto. 

Quando eu tinha estado á frente da entrada da Cidade, ela estava igualmente e similarmente a primeira Cidade de Johto que eu tinha pisado. Deserta, sombria, vazia, sem nenhuma pessoa ou pokémon, o máximo que você podia ouvir era o som do vento batendo-se nas construções quebradas e velhas que ali jaziam. Então, sem esperanças naquele lugar, apenas segui reto ate chegar ao fim da cidade, com a cabeça um pouco cabisbaixa, mas eu ainda tinha esperanças apesar daquilo eu não iria desistir de meus amigos.

- Lá vamos nos de novo! - Eu gritei determinado, acelerando os meus passos, como se eu estivesse quase correndo, mas não queria me cansar apesar de minha energia gritar para logo alcançar o meu destino. 

A Rota 30, era mais longa que a anterior, tinha muitos arbustos de pokémon, e mesmo assim encontrei poucos e em pequenas quantidades, tendo alguns Pidgeys em bando de três escondidos em cima de uma árvore, enquanto outras ainda se encontravam caídas e quebradas, e um pouco mais a frente tinha-se um Bellsprout que caminhava um pouco assustado. Quando tentei me aproximar para conferi-lo mais de perto, ele saiu correndo, como se estivesse morrendo de medo de eu machuca-lo. Eu não me importei muito, e resolvi seguir mais a frente, chegando finalmente frente a frente da primeira caverna que eu teria que passar.

- Ai vamos nós! - Eu gritei junto com Pika, ao corrermos para dentro da mesma, um local escuro e repleto de silêncio, com buracos bem ocos e rochas no caminho - Pika, use o Flash para iluminar! - Ao darmos meio passo para dentro, logo pedi ao Pikachu que me desse iluminação, para então vermos melhor o caminho, para seguirmos rápido para fora da caverna. 

Meia hora tinha-se passado, e estávamos quase no fim, pois agora eu conseguia ver claramente uma luz no fim do túnel que estava a nossa frente, e sem mais esperar, eu segui ao fim do mesmo para então finalmente depois de andarmos sobre o terreno rochoso da caverna, e empurrar algumas pedras do caminho com o meu Snorlax, chegamos na Rota 31 logo depois de sairmos da caverna escura, mas a contrário da luz que vimos com clareza, o céu estava alaranjado, com o sol expoente que deixava a noite vir, não tínhamos escolha a não ser ficar e acampar, para então descansar.

Ao andarmos um pouco mais sobre a Rota 31, encontramos um lugar meio tranquilo que tinha duas árvores de pé uma a frente da outra, seria por lá que dormiríamos e montaríamos o meu saco de dormir. Sem perder muito tempo eu já tinha arrumado quase tudo, faltava apenas jantarmos após eu criar uma fogueira com duas pedras secas, raspando-as uma sobre a outra para criar faíscas que conduzissem e incendiassem uma pequena fagulha que acenderia uma chama em nossa fogueira recém criada.

- Pika! Pegue o machimelos na bolsa. - Eu pedi a Pika que pegasse a comida que enganaria o nosso estomago por enquanto, enquanto eu fazia o fogo da fogueira se propagar e aumentar.

- Pikachu! - Ele respondeu saltando e correndo em direção de minha bolsa que estava apoiada na árvore, pegando a sacola do tal alimento com sua boca e depois me entregando.

- Obrigado, toma pode pegar um. - Eu peguei um graveto e furei um dos machimelos, entregando o palito para Pika e pegando o outro para mim, para colocarmos sobre em cima da fogueira, deixando-os assar e esquentar. 

Após comermos metade da sacola, afinal nos encontrávamos famintos antes, fomos dormir, eu em meu saco de dormir, e o meu amigo amarelo do meu lado, com um pedaço do meu cobertor sobre a sua barriga. 

No outro dia: 

Na manhã, tínhamos levantado sedo e arrumado a nossa bagunça para continuar a partida sem mais delongas, indo a caminho da próxima cidade finalmente para buscar vidas ou resistentes da tempestade de furacões que Johto tinha sido vitima, mas enquanto eu me encontrasse andando, algo me cheirava estranho, o fator da tempestade ter ocorrido não foi algo comum, poderia ter sido mesmo uma catástrofe ocasionada pelo Homem ou um Pokémon.

A cidade era meio pequena, possuía apenas um grande prédio, ou mais conhecido como torre, a Torre Broto, que antes era a moradinha de vários Sages, que treinam os Pokémon , enquanto ensinam às pessoas que todos os seres vivos coexistem através da cooperação. 

- Sera que existe alguém por lá..? - Mas antes que eu chegasse mais perto da Torre e disse aquilo, eu havia visto apenas destroços da mesma. Dividida, a torre tinha derrubado diversos pedaços para o resto da cidade, tendo alguns no lago, e outros em algumas das casas e o Centro Pokémon. - Com certeza não tem... - Cabisbaixo, eu recuei e disse, indo então para a estrada adiante, pois a Cidade Violet, não tinha esperanças assim como New Bark, aquilo tinha-se realmente alastrado por toda região. 

- Vamos Pika... - Um pouco desanimado e preocupado eu me distancie da mesma, e prolonguei a minha jornada ate o ponto que eu queria inicialmente pisar, Ecruteak, a minha última esperança, que para antes que eu chegasse, eu teria que passar pela Rota 36 e 37.

O caminho ainda possuía muito destroços e lixos, tinha ate mesmo um ursinho de pelúcia perdido no chão, com um desenho rosa e um coração, sendo provavelmente de uma garotinha, que talvez teria perdido a sua vida assim como os outros. Mas eu ainda não tinha encontrado nenhum cadáver, então ainda poderiam estar vivos? Eu não sei, só sei que teria que chegar ao local, mas quando eu finalmente cheguei, foi com aquilo em meu caminho que me deparei, uma enorme parede resistente, que parecia como um vidro negro e escuro, coberto e sujo de névoa negra, algo que não era natural, mas estava no meu caminho e eu reconhecia o que era aquilo.

Continua...


Notas Finais


Desculpe pessoal pela demora do capítulo, eu estava dando um tempo e descanso para mim, além de que eu estou repleto de atividades, por isso talvez eu demore um pouquinho as vezes, mas continuarei postando sim, não vou desistir fácil! E mais, os projetos e criação da história ainda continuam, por isso relaxem, tudo virá ainda


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...