História Pokémon - The Last Cubone - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Cubone
Tags Cubone, Depressão, Mãe, Pichu, Pokémon, Vingança
Visualizações 13
Palavras 1.123
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Tive que mudar o prologo para poder funcionar com o que eu escrevi aqui, mas de qualquer forma...
Espero que goste :3

Capítulo 9 - Instalação de ossos


- Então Luck, pode me contar sobre aquela vez onde vocês estavam na floresta?

- Pera que historia é essa?

- Ah, você não se lembra? Aquela onde você teve seu um desejo incontrolável por sangue e matou Patrick.

-....Do que você tá falando?

- Não tente mentir, pare de se enganar. Você é um assassino, esse tipo de pessoa não ajuda e sim mata. E mata ainda mais.

*Luck acorda no meio de uma floresta*

- On-Onde eu tó?

-...Lu..c...k.

*Luck olha e vé Patrick caído com um buraco no lugar que deveria ser o coração*

- PATRICK?!

*Luck corre em direção a Patrick que parece estar se afastando mesmo que o mesmo estivesse deitado*

- V-Você esperava outro resultado? Eu tentei ajudar um assassino, este resultado já era esperado. Afinal de contas, você é um Cubone, o pokémon que representa a solidão.

*Após isso, Luck acorda em um lago vermelho e vários crânios começam a sair debaixo da “água” *

- Não. NÃO, EU NÃO SOU UM ASSASSINO.

*Várias mãos saem da água e começam a puxar Luck para dentro*

- NÃO, ME SOLTEM. POR FAVOR, NÃO!

*Luck acorda em seu quarto de hotel e percebe que estava chorando*

- De novo aquele sonho. Saco, tenho que me focar.

*Luck se arruma, pega sua garrafinha com água e vai para a agencia, ao chegar*

- Olá senhor Luck.

- Oi

- O investigador ainda não chegou, se quiser pode ficar na sala dele esperando.

- Ok

*Luck vai para a sala do investigador e fica esperando enquanto bebe sua água, após alguns minutos ele fica sem água*

- Uau, oq será que ele está fazendo? Melhor pegar mais água.

*Ao sair da sala Luck vê outro Cubone perto do bebedor*

- Poderia dar licença, eu gostaria de pegar um pouco de água.

- Oh, claro.

*O outro Cubone dá licença e sai sem mostrar o seu rosto e então Luck pergunta*

- Me desculpe, mas poderia me dizer o seu nome? Eu sei que...

- Meu nome é Jack.

- A muito obrigado e... Pera, oq?!

*ao olhar para trás, Jack havia desaparecido. Luck fica preocupado, mas pega sua água e volta para a sala do investigador que o estava esperando*

- Ah, oi. Me desculpe te deixar esperando senhor Luck

- Não, não. Tá tudo bem, podemos continuar?

- Claro, claro. Deixe me pegar o meu bloco de notas e pode começar.

Bem, após aquele dia viajamos por mais alguns dias até chegarmos a cidade onde ficava a prisão de Luvios. Pegamos um quarto de hotel, ativamos o Sound e começamos a nós preparar.

- Como vocês conseguiriam entrar nela?

Depois de tanto tempo lendo sobre programação, Patrick aprendeu a hackear e criar vírus. Ele passou o resto do dia criando o código para um vírus atacar na hora certa, ele iria nos colocar no sistema e depois de dois dias nos tirar dele.

- Uau, teve alguma coisa que ele não aprendeu?

Ele não estava totalmente expecializado na medicina, mas me pediu por um favor que foi umas das tarefas mais difíceis que pude fazer na minha vida.

- Oq era?

- Se lembra da arma que eu ficava falando que ele estava criando?

- Sim.

Bem ela, funcionado instalando a máquina na coluna vertebral e cérebro da pessoa. Além de apenas funcionar com pokémons do tipo elétrico, ela tem poderes que deixam lendários no chinelo.

- Uma maquina que funciona dentro de seu usuário. Por isso que ele estava olhando medicina?

- Exato.

O problema é que já que isso era uma cirurgia na coluna e no cérebro, e como ninguém poderia ficar sabendo disso. Eu era obrigado a ter que fazer essa cirurgia, fazendo a gente ter que passar mais um mês lá comigo treinando até o fim do mundo. Quando eu consegui fazer cirurgias cerebrais em vários pokémons diferentes...

- Pera, como você conseguiu esses pokémons?

- Patrick me colocou no sistema de um hospital como cirurgião cerebral e de coluna. Demorou, mas acabei pegando o jeito das coisas e finalmente chegou o dia.

Nos conversamos um pouco antes de começar, ele me perguntou:

*Começando a conversa dentro da historia*

- Então, tá nervoso?

- Claro que sim, sua vida tá na linha.

- Sabe por que eu não estou com medo?

- Eu sei que é retorica, mas ok. Pq?

- Eu confio em você.

*Terminando a conversa dentro da historia*

Após isso eu apliquei a anestesia e comecei o procedimento, o problema é que eu estava sozinho com uma máquina que o meu paciente tinha criado, ou seja, sem um procedimento padrão para isso.

- Basicamente, foi um saco para arrumar aquela máquina.

- Exato.

Pois bem, após algumas horas consegui conectar corretamente toda a máquina e tive que checar umas quinhentas vezes. Usando um liquido especial que Patrick havia criado, terminei o procedimento e fechei suas costas, dois dias depois ele acordou e após isso usamos outro creme para aumentar a velocidade de regeneração da sua pele.

- Basicamente, cicatrizou super-rápido. Mas agora, a pergunta que eu quero muito saber. O...que...ela...faz?

- Mano, talvez no próximo capítulo.

- Pelo amor, você fica falando dela desde 2 capítulos atrás e eu...

*Luck bebe um pouco de água*

- Ahhh, como eu adoro água.

*O investigador fica um pouco puto 35%*

- Olha, eu entendo que você está criando tenção e talz. Porém essa informação pode nos ajudar com as investigações e eu preciso...

*Luck bebe ainda mais água e fica chupando bem alto para atrapalhar a fala dele*

- Ummm, está ótimo está água.

*Nível de puto: MAIS DE 8000*

- Ok, acabamos por hoje.

- Pera, pq?

- Se você vai ficar sem me contar, então volte amanhã que eu vou estar mais calmo.

- Mas...

- Te dou três segundos para sair que minha paciência tá no limite.

*Luck sai da sala e começa a andar em direção ao hotel*

Putz, acho que peguei muito pesado. Espero que ele me desculpe e apareça amanhã.

- Luck, como você vai? Se lembra de mim? O seu melhor amigo... JACK.

- Hmmm, outra vez? Por quê não me deixa em paz?

- Por que eu te deixaria em paz? Eu to com vontade de matar!

- E eu não, me deixa Jack. Depois daquilo, você não pode mas me tocar e eu posso te silenciar quando eu quiser.

- Então por que não fez isso ainda?

- Quero saber, por que está falando comigo?

- Indo para o sério, sinto que vai demorar ainda para vermos Patrick.

- Demore o tempo que for, eu vou encontra-lo.

*Após isso, Luck silencia Jack e volta para o hotel para talvez ter uma boa noite de sono*


Notas Finais


Uau, você terminou. Aqui está um parabéns como prémio.

* Você recebeu um PARABÉNS, o item foi jogado no chão pois seu inventário está cheio*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...