História Pokémon - The Path of the Challenge - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pokémon
Visualizações 23
Palavras 4.145
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Famí­lia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Saga, Shounen, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - O Primeiro Rival


Fanfic / Fanfiction Pokémon - The Path of the Challenge - Capítulo 4 - O Primeiro Rival

20 de Fevereiro de 2018, Oldale Town, Hoenn

A situação em Oldale Town certamente não estava boa, estando tão ruim ao ponto de Brendan e May não terem conseguido dormir na noite do seu primeiro dia em uma jornada Pokémon, pelo menos não é claro, naquela cidade. O ataque da Equipe Sky em Oldale Town tinha sido simplesmente devastador, e tinha sido uma sorte para Brendan e May terem chegado bem no finalzinho da mesma.

Os dois jovens treinadores novatos desconfiavam muito que demoraria um pouco para aquela cidade voltar a ser o que era, pois depois que todos os membros da Equipe Sky fugiram (todos voando em cima de algum Pokémon voador) decidiram entrar ainda mais na cidade, até porque eles almejavam ir para Petalburg City, e por isso teriam que passar pela Route 102, que ficava à esquerda de Oldale.

Foi naquela caminhada que eles perceberam o quão devastada estava a cidade. Várias casas estavam completamente desoladas, pelo menos mais da metade de toda a quantia daquela cidade. Algumas outras construções como escolas e lojas estavam danificadas também, mas não tanto quanto as casas. O Centro Pokémon era um dos poucos estabelecimentos que ainda estava de pé, pois por algum motivo a Equipe Sky tinha decidido não atacar aquele local.

— O que nós fazemos agora? — Brendan logo perguntou curioso para May, já que ela conhecia mais a região que ele — Vamos dormir no Centro Pokémon daqui e depois seguimos pra a Route 102?

— Parece uma boa ideia — Respondeu May — Até porque realmente não quero dormir no meio de uma rota, não depois desse ataque da Equipe Sky. Eles podem tentar atacar a cidade de novo ou atacar a rota mesmo, e seríamos um alvo fácil, estando dormindo lá e teudo mais.

— Então vamos entrar no Centro Pokémon e reservar um quarto pra a gente logo, antes que ele lote, isso se já não estiver lotado — Disse Brendan, então se dirigindo até o Centro Pokémon, seguido por May.

Infelizmente Brendan e May tinham chegado muito tarde até o Centro Pokémon, pois todos os quartos do local estavam completamente lotados graças ao recente ataque a Oldale Town. De acordo com a Enfermeira Joy muitas pessoas tinham ficado sem casas depois do ataque, e teriam que se arranjar no Centro Pokémon, pelo menos por enquanto.

— Ah, sério isso?! — Perguntou Brendan, surpreso, assim que a Enfermeira Joy deu a ele e May a notícia. Foi inevitável para ele parecer irritado, pelo menos um pouco.

— Parece que vamos ter que ir para a Route 102 mesmo... — Observou May, acabando por dar de ombros no fim.

— De qualquer forma, obrigado pela informação, Enfermeira Joy, mas agora estamos indo — Brendan agradeceu e a Enfermeira Joy balançou a cabeça positivamente, e assim ele e May deram as costas a mulher e saíram andando em direção a entrada e saída do Centro Pokémon — Essa Equipe Sky é simplesmente nojenta! — O garoto acabou por explodir assim que saiu do Centro Pokémon.

— Concordo com você — May não precisou pensar duas vezes antes de concordar de imediato com o seu amigo.

— Quando foi que eles surgiram? — Indagou Brendan — Quer dizer, você nasceu aqui em Hoenn, então deve saber sobre o surgimento da Equipe Sky, não é?

— Claro que eu sei — Respondeu May, um pouco grossa — Pra falar a verdade nem faz muito tempo que eles surgiram, faz mais ou menos um ano. Em um dia eles atacaram Slateport City, mas foram detidos facilmente, e alguns foram presos, enquanto outros fugiram. E aí de repente um mês depois eles hackearam o sistema de televisão da região e colocaram o terror dizendo que iam voltar a ativa e transformar Hoenn em um inferno, usando os mesmos metódos das Equipes Aqua e Magma.

— Mas que equipes são essas? — Perguntou Brendan, curioso — Se bem que eu me lembro de meus pais terem contado dela quando eu ainda era pequeno, mas como eu disse, eu ainda era pequeno, então realmente não dava pra me lembrar.

— São duas equipes malignas que estavam atuando em Hoenn cinco anos atrás, quando a minha irmã e o Ruby tinham acabado de iniciar sua jornada. A Equipe Magma queria transformar Hoenn em uma grande porção de terra, enquanto a Equipe Aqua queria encher o continente de água. E agora a Equipe Sky quer transformar o continente em um caos usando esse método pra depois criarem seu próprio continente por cima das ruínas desse — Explicou May.

— E como eles planejam fazer isso? — Perguntou Brendan, que ficava mais confuso e curioso a cada resposta que May dava.

— Do mesmo jeito que as Equipes Aqua e Magma, eu acho, como não faço parte da Equipe Sky não tem como eu saber disso — Brendan franziu o cenho para May ao ouvir isso — E antes que me pergunte, a Equipe Aqua queria usar Kyogre, o protetor das águas, para encher o continente de água, enquanto a Equipe Magma queria usar Groudon, o protetor dos vulcões, para secar o continente. Quem sabe a Equipe Sky quer usar os dois pra controlar a seca e as enchentes, aí eles destroem tudo, matam todos e criam novas cidades por cima das antigas.

— Eles são realmente insanos — Comentou Brendan, e May concordou com a cabeça — Mas por que a polícia não faz nada contra a Equipe Sky? Pra falar a verdade, por que ninguém faz?

— É claro que as pessoas fazem, Brendan — Respondeu May — A polícia está sempre contendo os ataques da Equipe Sky, e os membros da Associação Pokémon,  ou seja, campeão, membros da Elite dos Quatro e líderes de ginásio, estão ajudando a polícia sempre que podem.

— É, então eles realmente ajudaram quando a Equipe Sky atacou essa cidade... — Murmurou Brendan, e May acabou escutando ele.

— É mais difícil uma cidade ser protegida quando não tem um líder de ginásio por aqui, entende? — Retrucou May.

— Então você entende que Littleroot Town pode estar em perigo? — Perguntou Brendan — Não tem nenhum líder de ginásio lá também, e se a Equipe Sy atacar Littleroot igual fez com Oldale? Nossos pais estão lá, sabia?!

— É claro que eu sei! — Retrucou May — E eu duvido muito que a Equipe Sky queira fazer qualquer ataque com Ruby e Sapphire lá, porque também não sei se você sabe mas eles tem fama no continente. 

— Mas Ruby e Sapphire não vão morar em Littleroot Town agora, não é? — Indagou Brendan, e May assentiu positivamente — E quando eles forem embora, a cidade ainda estará protegida?

— Não, mas ninguém garante que a Equipe Sky vai atacar lá — Retrucou May, mais uma vez — Fique calmo, tá, Brendan? Ninguém sabe se eles vão querer atacar Littleroot, e principalmente, ninguém sabe nem o motivo deles terem atacado Oldale.

— Não ficou claro pra você ainda que eles são loucos da cabeça? — Perguntou Brendan, erguendo as sobrancelhas.

— Olha, eles podem até parecer insanos, mas eu tenho certeza que não são — Respondeu May — Com certeza eles devem ter tido um motivo específico pra ter atacado essa cidade, mas não sei qual...

— Espera aí, eu desconfio de algo! — Exclamou Brendan, então deixando May subitamente alarmada.

— Fala logo, então! — Pediu May, agora parecendo um pouco nervosa.

— Não percebeu que aquele homem que passou por a gente voando em um Swellow segurava um pacote com o nome "informação confidencial", algo assim? — Brendan perguntou e daquela vez May negou com a cabeça — Eles podem ter atacado a cidade apenas por causa disso!

— Bom, pelo menos isso significa que eles não vão atacar a cidade agora que já tem o que querem — Comentou May — E isso também significa que eles não irão atacar outra cidade contanto que a cidade tenha algo que eles queiram.

— E o que será que eles querem, no fim de tudo? — Perguntou Brendan.

— Isso aí eu não vou saber responder — Respondeu May — Mas ao invés de ficarmos conversando na frente do Centro Pokémon acho melhor irmos pra Route 102 logo e dormir na entrada de lá. Amanhã de manhã nós seguimos pra Petalburg City. É melhor que ficar nessa cidade.

— Primeiro dia de jornada e já estamos fudidos ao ponto de termos que dormir na selva. Realmente, sair em uma jornada a pé pelo continente vai ser tudo de bom — Brincou Brendan, e apesar do que ele estava dizendo acabou rindo, e foi inevitável para May rir também.

— É, parece que acordamos com o pé esquerdo hoje — Reclamou May — Mas acho que em breve a situação melhora, né? 

— Sinceramente, espero que sim — Respondeu Brendan — Mas chega de pessimismo, só vamos seguir com a nossa jornada logo! — E após falar isso, Brendan saiu correndo para a frente.

— É meio difícil parar de pessimismo quando você está em uma cidade que foi completamente desolada por uma equipe maligna, mas bem, vamos lá, né? — May murmurou para si mesma antes de sair correndo atrás de Brendan — Qual é, Brendan, você esqueceu que não sabe como chegar na Route 102?!

21 de Fevereiro de 2018, Route 102, Hoenn

May sinceramente não sabia se estava gostando ou odiando a sua jornada Pokémon até então. Se não fosse por ter dois Pokémon até o momento, ela com certeza diria que estava odiando a sua jornada. Primeiro que ela realmente não estava acostumada a andar tanto, principalmente no calor, então o caminho de Littleroot Town até Oldale Town tinha sido uma tortura. Segundo que ela também não estava acostumada a dormir no meio de uma rota, então mal conseguiu pregar os olhos na entrada da Route 102, pois mesmo com Treecko, Poochyena, Torchic e Wurmple de vigia ela não se considerava segura.

E terceiro, May não estava nada acostumada a acordar com o nascer do sol, mas foi isso que ela e Brendan fizeram, até porque era meio difícil não acordar cedo estando em meio a uma rota e com o sol batendo diretamente na sua cara. May foi a primeira a acordar. Ela tinha pesadas olheiras por não ter dormido direito, e assim que viu Brendan acordar ao seu lado, viu que o garoto parecia tão ruim quanto ela.

— Que horas são? — Murmurou Brendan, enquanto se levantava do seu colchão inflável e coçava os olhos.

— De acordo com o meu celular são... — May então tirou o seu celular de sua mochila e ergueu as sobrancelhas, surpresa ao ver a hora — Ah, cê tá brincando, né? São 05:02 da manhã, francamente.

— Vamos voltar a dormir ou não? — Perguntou Brendan, voltando a se deitar do seu colchão inflável.

— Olha pra mim e vê se eu vou conseguir voltar a dormir — Retrucou May — Eu mal consegui pregar os olhos hoje, é a primeira vez que eu durmo em uma rota e eu admito que estava com medo.

— Ah, eu também estava — Admitiu Brendan — Se bem que eu duvido que qualquer coisa atacasse a gente com Treecko, Poochyena, Torchic e Wurmple perto. Principalmente porque Poochyena e Wurmple são selvagens, já devem conhecer bem tudo.

— Bom, isso é verdade — Concordou May, bocejando em seguida — Mas enfim, vamos aproveitar que já estamos acordados e seguir pra Petalburg City logo. Quanto mais rápido você conseguir a sua insígnia é melhor pra você, não é?

— Isso mesmo! — Respondeu Brendan, animado apesar do horário — Será que conseguimos chegar em Petalburg City ainda hoje?

— Aquela placa ali diz que são 32,1 km, ou seja, umas 6 horas e 33 minutos, por aí — Respondeu May.

— Aí, sim, com sorte conseguimos chegar lá antes da hora do almoço! — Comemorou Brendan.

— É, vai ser bem animador atravessar outra rota planejando chegar em uma cidade só pra almoçar — Brincou May, por fim se levantando de seu colchão inflável. Torchic e Wurmple, que ainda estavam de guarda junto de Treecko e Poochyena, correram em direção a garota — Bom dia pra vocês também.

— Vamos tomar café logo? — Indagou Brendan.

— Eu duvido muito que vá conseguir comer agora, não tenho estômago pra comer cedo — Respondeu May.

— Bom, eu também não, então deixamos pra comer umas nove, dez horas por aí — Decidiu-se Brendan, no fim, enquanto Treecko e Poochyena agora corriam em sua direção.

O começo do caminho de Brendan e May foi bem estranho, isso porque eles estavam tão sonolentos ao ponto de cambalearem. Felizmente todos seus Pokémon estavam em suas Pokébolas, suas Pokédex estavam guardadas e tudo estava arrumado em suas respectivas mochilas. Não era legal para eles estar andando tão cedo pela Route 102, mas como acabaram acordando cedo, não tinham o que fazer. A maioria dos Pokémon da rota estavam dormindo, e menos de vinte se atreviam a dar as caras aquele horário. Brendan e May realmente não queriam estar acordado aquela hora.

Os dois amigos andaram mais ou menos umas quatro horas, até que as suas pernas já não pareciam mais aguentar o peso de seus corpos, e por fim eles decidiram parar tanto para tomar café como para descansar. Foi só então que Brendan notou que desde que tinha partido em sua jornada (coisa que não fazia muito tempo) ele ainda não tinha ligado para seus pais, e justamente por isso acabou pegando seu celular. Ainda eram 9:07 da manhã, e normalmente quando ele ainda morava em Johto, estaria dormindo aquele horário. De qualquer forma, Brendan logo ligou para seu pai, que atendeu.

— Filho, você está bem?! — Perguntou Wally, parecendo super preocupado — Soubemos do ataque em Oldale Town, porque pra falar a verdade, o mundo todo deve estar sabendo. Você está bem?! Onde você e a May estão?!

— Relaxa, pai, nós já estamos na Route 102, no caminho de Petalburg City — Respondeu Brendan — Estamos completamente bem e não fomos atacados pela Equipe Sky quando chegamos em Oldale Town. Quer dizer, fomos, mas foram três Grunts com Zigzagoon, fala sério...

— Vocês conseguiram derrotar eles?! — Perguntou Wally, preocupado.

— Eu desistiria da minha jornada se fosse derrotado por três Zigzagoon — Brincou Brendan, e ele pôde ouvir seu pai rir do outro lado da linha.

— E como está o seu time até agora? E o da May? — Indagou o policial Pokémon.

— Eu capturei um Poochyena e a May capturou um Wurmple, diga isso pro Professor Birch se puder — Respondeu Brendan.

— Eu direi, sim — Avisou Wally.

— Bom, mas agora eu tenho que desligar, porque temos que fazer o nosso café da manhã da manhã e tudo mais. Quando chegarmos em Petalburg City eu ligo pra o senhor, e avisa pra o Professor Birch que a May vai ligar pra ele quando chegamos lá — Foi a última coisa que Brendan disse antes de desligar a ligação e então colocar o seu celular de volto ao bolso de seu short.

E então, Brendan e May se levantaram da grama e juntos começaram a preparar o café da manhã. Os dois podiam até não saber cozinhar muito, mas juntos trabalhariam melhor que sozinhos, então logo eles começaram a trabalhar e acabaram fazendo dois mistos quentes para cada um. Já seus Pokémon iriam comer ração de Pokémon, pelo menos Treecko e Torchic. Wurmple era vegetariano e foi comer plantas, enquanto Poochyena era carnívoro e foi atrás da sua comida, o que foi meio estranho para Brendan e May.

Estranho mesmo aconteceu quando os dois amigos tinham acabado de começar a comer e de repente um Gligar apareceu voando rapidamente e segurou com suas pinças alguns pedaços da comida Pokémon de Treecko e Torchic, que olharam chocados para Gligar, assim como Brendan e May.

— Ei, o que tá acontecendo aqui?! — Perguntou Brendan, surpreso — Treecko, use o Absorb nesse ladrão safado!

Treecko, porém, não obedeceu seu treinador por algum motivo, e ao invés de usar o Absorb acabou abrindo a boca e cuspindo de lá um enorme turbilhão de sementes. Gligar, porém, conseguiu desviar com certa facilidade, não sendo atingido por nem sequer uma das sementes de Treecko. Foi aí que um garoto de repente apareceu correndo e se juntou a Gligar. Parecia que estava correndo a muito tempo, pois suava e ofegava. Aquele garoto parecia ser mais ou menos da idade de Brendan e May. Ele tinha cabelos ruivos bem espessos. Era também um pouco gordo e vestia um kimono alaranjado e calças vermelhas.

— Ei, Gligar, eu já disse pra você parar de ficar pegando as coisas dos outros! — Exclamou o ruivo — Desculpem o meu Gligar, ele  tem uma fixação em roubar. Eu sou Morrison, prazer.

— Ah, sem problemas... — Comentou Brendan, mesmo que parecesse ver problemas naquilo — Eu sou o Brendan e essa é a minha amiga, a May.

— Vocês são treinadores Pokémon? Estou seguindo para Petalburg City em busca da minha primeira insígnia, mas quero enfrentar o máximo de treinadores que puder até lá — Perguntou o tal de Morrison, enquanto Gligar pousou em seu ombro.

— Eu sou um treinador! — Exclamou Brendan — Eu também gostaria de ter alguma batalha antes de chegar a Petalburg City.

— Então, vamos batalhar. Que tal uma batalha de dois contra dois? Se bem que parece que você só tem esse Treecko — Desafiou Morrison.

— Claro que eu tenho dois Pokémon! — Retrucou Brendan — POOCHYENA, VEM CÁ, É HORA DA GENTE BATALHAR! — Gritou, alto o suficiente para que Poochyena escutasse ele mesmo longe.

Inicialmente, Brendan imaginou que Poochyena acabaria por não escutar ele, mas logo o Pokémon Mordida apareceu correndo, com Wurmple em suas costas. Brendan ergueu as sobrancelhas ao ver que Poochyena realmente tinha se alimentado, pois seus lábios ainda estavam um pouco sujos de sangue. Wurmple logo pulou das costas de Poochyena e se dirigiu até May e Torchic, enquanto Treecko e Poochyena ficaram na frente de seu treinador.

— Que tal uma batalha em dupla? — Sugeriu Brendan — Devo dizer que é mais divertido e vai ocupar menos tempo, e eu estou meio apressado pra chegar em Petalburg City pra desafiar o ginásio.

— Ah, eu também estou, então acho que aceito a sua ideia — Decidiu-se Morrison, pegando uma Pokébola — Mas assim as minhas chances de vencer vão aumentar. Beldum, eu estou contando com você!

E após exclamar isso, Morrison jogou a sua Pokébola para cima. No ar ela se abriu, liberando um clarão branco que acabou por se transformar em um Beldum. Brendan não sabia bem descrever o Pokémon, mas Beldum era basicamente um braço biônico que voava e ainda por cima tinha um olho vermelho.

— Você me desafiou para a batalha, você começa ela — Permitiu Brendan.

— Melhor pra mim — Retrucou o jovem Morrison — Beldum, use o Take Down no Treecko! Gligar, use o Poison Sting no Poochyena! 

— Treecko, esquive e use o Bullet Seed, acho que foi esse ataque que você usou hoje. Poochyena, esquive também e use o Bite! — Comandou Brendan.

Beldum logo avançou em direção a Treecko com uma aura branca dominando todo o seu corpo e a sua velocidade crescendo, mesmo que pouco. Quando Beldum se aproximou o suficiente, Treecko acabou esquivando ao saltar para a esquerda, e ao mesmo tempo ele abriu a boca, de onde cuspiu diversas sementes verde-brilhantes e bem fortes, que atingiram Beldum e fizeram ele cambalear.

Enquanto isso, Gligar apontou a sua cauda para Poochyena e subitamente começou a balançar a mesma. Da ponta de seu ferrão Gligar lançou vários espinhos impregnados de veneno, e todos dirigiram-se até Poochyena. O Pokémon Mordida logo se deitou no chão e rolou para a direita, esquivando, mas logo se levantou e saiu correndo até Gligar, abrindo a boca e revelando as suas presas brilhando e estando bem maiores.

— Beldum, use o Iron Head no Treecko! Gligar, use o Quick Attack no Poochyena! — Comandou Morrison.

— Treecko, salte e use o Absorb no Beldum! Poochyena, use o Scratch e em seguida o Bite no Gligar! — Comandou Brendan.

Beldum então disparou em direção a Treecko, com a sua estranha cabeça ficando completamente acinzentada e parecendo ficar mais forte. Já Gligar saiu voando até Poochyena, tão rápido que um rastro branco seguia ele. Quando Beldum se aproximou, Treecko saltou e esquivou, fazendo Beldum atingir o chão. Uma aura verde dominou Treecko e ele lançou um raio em direção a Beldum, então atingindo o mesmo. 

A velocidade de Gligar era realmente muito grande, e ele logo se aproximou de Poochyena, que por sua vez corria até ele. Mesmo assim o mais novo Pokémon de Brendan parou de correr e quando Gligar tentou atingir ele, o fez um poderoso arranhão no rosto usando as suas duas patas da frente. Gligar cambaleou para trás e Poochyena mordeu com força a sua cabeça.

— Beldum, use o Headbutt no Treecko agora! Gligar, use o Fury Cutter no Poochyena! — Comandou Morrison.

— Treecko, se defenda com o Pound! Poochyena, use o Shadow Ball no Gligar! — Comandou Brendan.

Treecko acabou voltando ao chão, caindo na frente de Beldum, que se virou em sua direção enquanto uma pressão branca dominava a sua cabeça. Já Gligar saiu voando novamente em direção a Poochyena, com as suas duas mãos ficando completamente verdes e as suas pinças crescendo. Quando Beldum se aproximou, Treecko atingiu a cabeça do mesmo usando a sua cauda, com a maior força que podia. Beldum foi jogado para trás. 

Quando Gligar chegou perto o suficiente de Poochyena, o Pokémon Mordida acabou saltando, fazendo Gligar atingir o chão com tudo. Poochyena então abriu a boca, aonde logo formou uma pequena esfera negra que ele acabou lançando em direção a Gligar. O Pokémon Escorpião Voador estava acabando de se levantar quando foi atingido pelo ataque, o que levantou um pouco de fumaça.

— Beldum, use o Zen Headbutt no Treecko! Gligar, use o Feint Attack no Poochyena! — Comandou Morrison.

— Treecko, se defenda com o Bullet Seed! Poochyena, apenas esquive! — Comandou Brendan.

Treecko logo se virou para Beldum, que continuava virado para ele. Logo o Pokémon de Morrison disparou em sua direção com uma aura completamente rosada dominando-o. Já Gligar foi dominado por uma aura completamente negra e disparou em direção a Poochyena. Treecko abriu a boca e disparou diversas sementes verde-brilhantes em direção a Beldum, que foi atingido na cabeça, mas acabou não levando dano nenhum e ainda atingiu Treecko, o jogando com tudo no chão.

Pelo menos daquela vez, Morrison ficou com a vantagem, pois Treecko não foi o único a ser atingido por um ataque de seu oponente. Quando Poochyena saltou para desviar do ataque de Gligar, acabou sendo atingido por um soco bem no queixo, pois Gligar obviamente voou para atingir ele. Assim Poochyena foi lançado em direção ao chão e caiu com tudo lá, criando um pequeno buraco.

— Beldum, use o Headbutt no Treecko! Gligar, use o Quick Attack no Poochyena! — Comandou Morrison.

— Treecko, use o Absorb no Beldum! Poochyena, use o Bite no Gligar! — Comandou Brendan.

Beldum parecia super cansado após ter usado o Zen Headbutt, mesmo que um braço biônico não parecesse ter muitas expressões. Mesmo assim o Pokémon saiu levitando em direção a Treecko, com uma velocidade abaixo do normal. Diferente do parceiro, Gligar saiu voando até Poochyena em uma velocidade quase que surreal. Treecko logo foi dominado por uma aura verde e lançou um raio verde em direção a Beldum, que acabou sendo atingido, e dessa vez não aguentou, acabou caindo já nocauteado no chão.

Poochyena também se deu bem naquela rodada. Mesmo com a incrível velocidade de Gligar, que já estava bem perto dele, Poochyena abriu a boca e revelou as suas presas brilhando e em um tamanho anormal. Quando Gligar chegou perto o suficiente, Poochyena acabou mordendo com força a cabeça dele e logo o jogando até Morrison. Gligar caiu nocauteado aos pés de seu treinador.

— EU VENCI! — Comemorou Brendan, sem conseguir evitar saltitar com animação.

— Realmente você é um treinador bem forte, Brendan, parabéns — Parabenizou Morrison, logo pegando as Pokébolas de Beldum e Gligar e retornando os dois para as suas Pokébolas — Vou adorar batalhar com vocês dois em breve, mas agora, acho que vou voltar para Oldale Town curar Beldum e Gligar antes de seguir para Petalburg City, até a próxima! — E após exclamar isso, Morrison deu as costas a Brendan e May e saiu correndo em direção a cidade que tinha sido desolada na noite anterior.


Notas Finais


Título do Próximo Capítulo: Antigas Amigas
Número: 5
Data de Lançamento: 15 de Outubro de 2017
Temporada: Primeira
Arco: Primeiro - Um Retorno Implacável
Sinopse: Depois da batalha de Brendan e Morrison a dupla já está bem perto de chegar a Petalburg City, mas logo outra pessoa acaba atrapalhando o caminho deles. Dessa vez ela é uma antiga amiga de May, cujo nome é Beth. Logo as duas começam a recuperar a antiga amizade e no fim Beth desafia May em uma batalha.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...