História Pokémon: Boundaries Crossed - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pokémon
Personagens Blaine, Brock, Daisy, Erika, Gary Carvalho, Koga, Lt. Surge, Misty, Professor Carvalho, Sabrina (Natsume)
Tags Pokémon, Vulpix
Exibições 3
Palavras 1.702
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Romance e Novela, Saga, Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


PERSONAGENS
Jack
Megan
Profº Aide
Cientista
Pink
Gray
Psyduck
Kabutops
Omastar
Pikachu
Vulpix

Capítulo 9 - Uma Noite No Museu


Deixando finalmente a imensa floresta para trás, a cidade de Pewter brilhou diante dos olhos de Jack e Megan.

Jack– Enfim... dessa vez eu consigo a minha insígnia! Vamos até o ginásio?

Megan– Mas você já quer ir?

Jack– O que mais tem para se fazer em Pewter?

Megan– Como coordenadora, eu adoro admirar a beleza das coisas. Seja de pokemons ou de cidades. Sei que há muita beleza aqui em Pewter, conhecida como uma pacata cidade situada entre montanhas e vales...

Jack– Você é obcecada pela beleza, isso sim...

Megan– Gostar de coisas bonitas não é nenhum defeito, sabia?

Jack– Vamos para o ginásio!

Megan– Na verdade, eu estava pensando no museu de Pewter.

Jack– Ginásio!

Megan– Museu!

Jack– Ginásio!!

Megan– Museu!!

Jack– GINÁSIO!!!

Apesar do berro que ecoou pela cidade inteira, Jack acabou sendo arrastada para o museu.

Megan(em tom de vitória) – Museu!

O lugar era bastante amplo e antigo e haviam ossos de pokemon para todo o lado. Os garotos se juntaram logo à uma excursão que passou por ali. Ela era conduzida por um homem cujo crachá informava – Profº Aide.

Aide– Bem vindos ao museu de Pewter. Aqui temos fosseis de diferentes épocas. Preparem-se para conhecer os pokemons que viveram em Kanto na época pré-histórica. À sua esquerda, você podem ver os fosseis de Omanyte, juntamente com o de sua forma evoluída, Omastar.

Jack encarou tudo com bastante surpresa. Sempre odiara passeios turísticos ,mas dessa vez, Megan o acertara em cheio. Era muito interessante ver os fosseis dos pokemons e ficar imaginando como eles seriam se ainda estivessem vivos. Por exemplo, Omanyte e Omastar pareciam possuir tentáculos ao invés de mãos.

Aide– Edo lado esquerdo, temos os fosseis de Kabuto e sua forma evoluída, Kabutops.

Jack imaginou Kabutops como uma criatura intimidadora com potentes laminas no lugar das mãos. Mas assim que os minutos foram se estendendo, Jack começou a ficar cada vez mais entediado até que decidiu fazer o que sempre fazia quando estava em passeios turísticos: torná-los divertidos de alguma forma.

O garoto agarrou Megan pelo braço e arrancou-a da excursão. Os dois entraram na primeira por que viram.

Megan(desvencilhando-se) – Que idéia é essa? Não podemos ir entrando e qualquer lugar sabia?

Jack– Não sabia que você era tão medrosa.

Megan– Você é um idiota. Eu vou voltar para a excursão agora...

Porém, ela não mexeu um músculo. Ela travou, encarando alguma coisa que estava atrás de Jack. Assim que o garoto se virou, ele se deparou com um imenso laboratório. Haviam cientistas correndo apressados de um lado para o outro. Alguns estavam limpando fosseis que futuramente seriam expostos e outros operavam grandes maquinas cilíndricas, colocando os fosseis dentro delas. A verdade é que eles estavam tão ocupados que nem sequer notaram a presença das duas crianças.

Megan– Que tal nós sairmos antes que nos notem?

Jack– Você ao está nenhum pouco curiosa em saber porque tem um laboratório dentro de um museu.

Megan– Sinceramente, não!

Jack adentrou o laboratório, para horror da garota que só teve por opção, seguir o amigo. Ele subiu um lance de escadas e se dirigiu até dois cientistas que operavam uma das estranhas maquinas.

Jack– Para que servem estas coisas?

Os cientistas o encaram. Jack podia não reconhece-los por causa da mascara e da touca que eles estavam usando, mas Pink e Gray que estavam por baixo daqueles disfarces podiam vê-lo muito bem e lamentaram a presença dele ali.

Gray– Err... por que está aqui, mocinho?

Jack– Bem... fiquei curioso sobre como essas maquinas funcionam. Foi só!

Pink– Pois fique sabendo que elas... bem... são maquinas que limpam os fosseis.

Megan– Mesmo?

A verdade é que Pink e Gray não faziam idéia do pra quê as maquinas serviam.

Jack– Mostrem como funciona.

Pink(contendo a raiva) – Claro!

Os dois lunáticos pegaram dois grandes fosseis e jogaram eles dentro da maquina de uma vez só.

Gray– Agora é só puxar a alavanca e eles serão lavados.

Jack– Deixa eu tentar!

Jack puxou uma alavanca. Imediatamente, uma grande corrente eletrica começou a correr pelos fios que estavam ligados à maquina. O metal começou a ranger e um ruído incomodo começou a aumentar cada vez mais. Vários cientistas que estavam por perto saíram correndo e outros se jogaram no chão. Jack, Megan, Gray e Pink decidiram fazer o mesmo e foi bem em cima da hora, pois a maquina explodiu, erguendo uma grande nuvem de fumaça.

Cientista– Mas o que está havendo aqui? Quem assionou a maquina.

Pink e Gray(apontando para Jack) – FOI ELE!

Jack–Mas eu não sabia que isso ia acontecer. Foram esses dois que disseram que a maquina servia para lavar os fosseis.

Cientista– Lavar fosseis? Que coisa ridi... espere um pouco... eu não conheço vocês dois...

Pink e Gray se encararam e retiraram os disfarces ao mesmo tempo.

Pink– Um turbilhão de maldade vindo do passado!

Gray– Como os Espinhos Venenosos, os deixaremos derrotados!

Pink– No céu...

Gray– E na terra...

Pink e Gray– Em todo lugar!

Pink– Na velocidade da luz, destruindo a justiça!

Gray– Acabando com os bonzinhos sem ter preguiça!

Pink– Veja as manchetes de todos os jornais!

Gray– A nossa Equipe Lunar é sempre demais!

Pink– PINK!

Gray– GRAY!

Pink– Com a gente os perdedores não tem vez!

Gray– A Equipe Lunar somos nós...

Pink e Gray– ...e não vocês!

Psyduck– Psy aye aye...

Jack e Megan– Equipe Lunar... de novo!

Pink– Nós entramos escondidos aqui a mando da central da Equipe Lunar.

Gray– Correm boatos de que esse museu sustenta pesquisas revolucionarias sobre os fosseis pokemon e queríamos saber se isso é verdade!

Cientista– Não é da conta de vocês!

Enfim, a nuvem de fumaça ocasionada pela explosão da maquina começou a baixar, revelando dois estranhos vultos parados ali.

Megan– São pokémons?

Cientista(com os olhos brilhando) – A maquina... funciona!

Jack– Ela deveria explodir?

Cientista– Não. Ela deveria fazer os fosseis renascerem!

De fato, dois pokemons estavam parados em meio à fumaça que diminuía cada vez mais. Jack nem precisou olhar na pokedex para perceber quem eram. Reconheceu apenas pela estética de seus corpos.

Jack– Kabutops e Omastar!

Pink e Gray– Estão vivos!

Kabutopssaltou sobre eles furiosamente e brandiu suas laminas rapidamente. Todos se jogaram no chão para se esquivar. Em seguida, foi a vez deOmastarque disparou um turbilhão de água que atingiu os lunáticos em cheio. Eles foram jogados para trás, contra a parede que explodiu com o impacto. A água continuou a afastar os bandidos até o céu.

Pink e Gray– EQUIPE LUNAR DECOLANDO EM DIREÇÃO À LUA!

O pânico espalhou-se pelo laboratório e os cientistas correram porta a fora. Kabutops e Omastar também se precipitaram para fora, assustando funcionários e visitantes do museu, que começaram a correr e gritar como se não ouvesse amanha. Jack e Megan também tentaram fugir, mas foram bloqueados pela multidão. O Profº Aide parou bem ao lado deles, completamente confuso.

Aide– Mas o que é isso?

Megan– Kabutops e Omastar estão vivos!

Aide– Meu Deus! As pesquisas... deu certo!

O professor correu até um canto e abriu um compartimento escondido na parede. Ele apertou o botão vermelho e logo o alarme do museu soou. Placas de metal começaram a bloquear portas e janelas, mergulhando todos numa prisão sem escapatória.

Jack– O que está fazendo?

Aide– Isso é uma emergência! Não podemos deixar esses pokemons fugirem, então eu bloqueie todas as saídas para que ele fiquem trancados aqui.

Megan– E o que pretende fazer?

Aide– É preciso capturar essas criaturas antes que causem algum mal.

Jack– Eu e Megan somos treinadores de pokémon. Podemos ajudar.

Megan– Ficou maluco? Nem morta eu chego perto daquelas laminas do Kabutops de novo!

Aide(sem ouvir o comentário da garota) – Façam isso! Eu ficarei extremamente grato.

Com isso, os dois se separaram e seguiram cada um para o seu corredor. Megan liberou seuPikachupara ajudá-la e Jack fez o mesmo com seuVulpix.

Megan foi a primeira a achar alguma coisa. Seguindo pelo corredor um pouco iluminado, ela avistou uma sombra que pareciam ser de tentáculos.

Megan– Deve ser o Omastar!

Porém, a sombra pertencia na verdade à cauda e espinhos de Kabutops, que começou a perseguir a garota histérica assim que a avistou.

Por sua vez, Jack perseguia o verdadeiro Omastar, que pulava por sobre os armários do museus, tentando fugir do ataque de brasas do Vulpix que o seguia pelo chão.

Jack– Continue assim! Vamos pega-lo!

Distraído com a perseguição, Jack nem percebeu que Megan vinha em sua direção e colidiu com ela. O mesmo aconteceu com Vulpix e Pikachu. Assim que todos se recuperaram, eles perceberam que Kabutops e Omastar avançavam para eles lentamente.

Megan– E agora?

Jack– Mova-se lentamente...

Os dois iam recuando a passos lentos mas seus inimigos não tiravam os olhos deles, atentos a seus movimentos.

Jack– ATACAR! VULPIX, VAI!

Megan– PIKACHU...!

Vulpix e Pikachu avançaram com a velocidade de um raio contra seus inimigos e golpearam-nos, derrubando-os. Os dois ainda saltaram e dispararam o Choque do Trovão e as Brasas contra os adversários caídos. Houve uma poderosa explosão e logo os dois garotos notaram a incapacidade de seus adversários em continuar uma batalha.

Jack e Megan– VAI POKÉBOLA!

As esferas atraíram as criaturas para dentro com um raio vermelho. Elas balançaram por alguns instantes, mas logo pararam, disparando uma chuva de fagulhas.

Jack– Conseguimos!

Megan– Graças à Vulpix e Pikachu!

Com o trabalho feito, eles entregaram as pokebolas para o profº Aide, que também liberou as saídas do museu.

Aide– Obrigado, você dois. Não teria conseguido sem vocês.

Jack– Não foi nada. Alias, é o mínimo que eu podia fazer depois de ressuscitar essas coisas...

Aide– O que disse? Foi você que os ressuscitou?

Jack ficoumudo diante da expressão furiosa que foi se espalhando pelo rosto do cientista. Logo, Megan precisou puxar o amigo pelo braço até a saída do museu.

Megan– E você ainda achou que não seria divertido...

Jack– Eu me enganei. Espere... você quer dizer que achou tudo isso divertido? Você estava se borrando de medo do Kabutops.

Megan– Claro que não... eu só estava... err... atuando!

Jack– Oh, sim. Acredito.

Megan– Vamos mudar de assunto, por favor? Que tal está para a sua batalha de ginásio?

Jack– Completamente preparado. Ginásio de Pewter, aqui vou eu!

 


Notas Finais


NO PRÓXIMO CAPÍTULO - O PRIMEIRO DESAFIO DE TYLER
Jack chega ao ginasio de Pewter. Ele está realmente pronto para o desafio, mas terá ele uma estrategia para derrotar o gigante Onix do lider do ginasio, Brock?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...