História Pokémon Chronicles - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pokémon
Tags Dawn, May, Misty, Pokémon, Porno, Serena, Sexo
Visualizações 384
Palavras 3.616
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 6 - O roubo de pikachu


Fanfic / Fanfiction Pokémon Chronicles - Capítulo 6 - O roubo de pikachu

Após perder a liga Pokémon da região de Kanto, parti com Brock e Misty para a liga Johto! Estávamos todos animados com uma nova região e novos Pokémons. Eu vinha de uma derrota terrível para o Bruno na Liga Pokémon e andava um tanto quanto cabisbaixo. Pikachu tentava me animar, Brock sempre fazia o melhor que podia quanto a comida e Misty tentava me animar com palavras e sorrisos, mas confesso que realmente queria ela nua e gemendo enquanto levava minha pica na xota.

Infelizmente ela andava sob um código de não foder mais com os acompanhantes de viagem, estávamos juntos há um ano e ela dizia que isso podia atrapalhar as coisas. Não conseguia ver como. Até então eu só havia fodido com 3 garotas, Misty, a líder de ginásio Érika e a mestre da Elite dos 4, Lorelei. Mas eu tinha que me manter focado no meu sonho de me tornar um mestre, o sexo viria com o tempo. Isso foi antes de eu me tornar o maior pervertido de todos, claro. Estas histórias que contarei foram a transição do garoto inocente para o safado pervertido que eu iria me tornar. No fim eu teria fodido com quase todas as garotas gostosas que eu tivesse encontrado.

Estávamos há duas semanas em Johto e eu já tinha duas insígnias. Nos aproximávamos de Goldenrod, cidade onde eu conseguiria outra insígnia, e chegaríamos lá em menos de três dias. 

Certa noite acampando ao lado da estrada tranquilamente ouvi um som de galho quebrando vindo de perto de onde eu estava dormindo. Abri os olhos lentamente imaginando que fosse um rattata ou algum pokémon do tipo. Qual não foi minha surpresa ao ver alguém se aproximando do Pikachu. Brock havia ido conseguir ingredientes para o almoço em alguma vila próxima e não estava por perto. Misty também não estava no acampamento, não soube dizer o porquê. Então sobrou para mim impedir quem quer que fosse de se aproximar mais.

- Ei, você! – eu disse com firmeza, assustando a pessoa. 

- Droga, o moleque acordou! – disse uma voz por mim muito conhecida. Não havia reconhecido no escuro, mas era Jessie em seus trajes clássicos da Equipe Rocket. Por onde andava o James e o Meowth eu não fazia ideia. 

- Afaste-se do Pikachu! – eu disse firmemente já pegando a pokébola do Totodile.

- Tudo bem, acho que dá tempo de te derrotar antes de pega-lo. Coloquei-o para dormir com um dardo e não acordará tão cedo – ela disse confiante e sacando uma pokébola.

Jessie lançou Arbok e eu lancei meu Totodile. A batalha não durou muito, mas o Totodile ficou bem enfraquecido, se ela quisesse lançar outro pokemon, certamente o derrotaria pelo cansaço. Já estava esperando isso quando em vez disso ela caiu de joelhos no chão.

- Não agüento mais perder para você! – disse ela enfurecida e olhando fixamente para a grama.

- Olha, se você treinasse de verdade seus pokémons ao invés de utiliza-los para o mal, quem sabe não se saísse melhor em uma batalha? – eu disse tentando ser solidário.

- Não preciso da sua piedade, preciso do seu Pikachu e farei de tudo para te-lo! – disse Jessie determinada e se levantando. Por um instante achei que ela fosse me bater de verdade.

- Não se aproxime mais! Não entregarei o Pikachu, não importa o que você vá querer fazer! – eu disse me pondo em defesa e já pensando em lançar o Noctowl para me defender.

- Acredite, garoto. Quando eu acabar com você, você me entregará tudo o que eu quiser! – disse Jessie seriamente.

Antes que eu pudesse reagir, ela avançou contra mim e me abraçou, pressionando minha cara contra seus grandes peitos por cima do top da Equipe Rocket. No início achei que ela estivesse tentando me sufocar, mas depois percebi que ela começara a acariciar minha nuca. Tirei meu rosto do meio daquelas tetas gostosas e olhei nos olhos dela que estavam cheios de tesão. Meu pau já estava ficando duro só de pensar em fodê-la.

- Deixe que eu vou cuidar bem de você – disse Jessie sorrindo e começou a afofar meu pau por cima da calça.

- O-o que v-você está fazeeendo? – eu perguntei já meio que gemendo, pois ela segurara com bastante firmeza minha pica já dura.

- Usando o que eu tenho de melhor, meu corpo – disse ela abrindo lentamente minha calça e revelando meu pau já duro. – Humm... maior do que eu imagina, confesso. Agora vamos tirar leitinho dele?

- M-mas você é a vilã! – eu disse ingenuamente excitado.

- E daí? Vai dizer que não está louco de tesão? Talvez isso te ajude – disse Jessie levantando seu top e revelando seus enormes seios com biquinhos rosados. – Aproveite eles.

Não consegui resistir. Abracei o corpo delicioso da Jessie e comecei a chupar aquelas tetas gostosas. Minha língua ia contornando as auréolas daqueles biquinhos duros e babando-os todinhos. Enquanto isso ela segurou firme no meu pau com sua mão enluvada e começou a me masturbar de levinho enquanto gemia aos estímulos que eu provocava nos seus mamilos.

- Ohh... ohh... – ia gemendo Jessie com uma mão segurando o top levantado e com a outra acariciando e masturbando minha pica dura.

Eu ia chupando-a e abraçando suas belas costas com uma mão enquanto a outra apertava cada seio com intensidade e toques diferentes. Toquei o botão de um seio dela e segurei-o entre o indicador e o polegar, brincando com ele, puxando delicadamente para cima e para baixo, depois de um lado para o outro, fazendo-a gemer ainda mais alto enquanto me masturbava.

Olhei nos olhos dela e segurei em sua nuca, por baixo dos cabelos vermelhos, puxando-a contra mim e nos beijamos. Ela era mais alta que eu, mas não importava, ela se abaixou um pouco e começamos a nos beijar de língua deliciosamente. No meio do beijo me sentei no chão e Jessie montou em mim enquanto brincava com meus lábios e língua. Meu pau se encontrava entre as coxas dela, pressionado entre a bocetinha dela dentro da saia e calcinha e entre minha barriga coberta pela minha blusa.

- Vou te fazer gozar feito um cavalo – disse Jessie entre nossos beijos.

Tirei minha blusa enquanto ela se levantava e começava a tirar sua saia de forma sexy. Sua calcinha era preta e semi-transparente, permitindo-me ver sua bocetinha e pelos pubianos por baixo dela. Comecei a me masturbar com ela rebolando para mim enquanto tirava a calcinha, ficando apenas com as botas, as luvas e o top levantado acima dos seios. Ela se aproximou de mim e eu puxei-a pela grande bunda gostosa contra meu rosto para que eu pudesse beija-la na virilha coberta de curtos pelos vermelhos.

- E-eu quero beber mel em todo o seu corpo – eu disse cheio de tesão olhando-a de cima a baixo.

- Seu pervertido delicioso. Farei o que quiser – ela disse sorrindo para mim com tesão. 

Jessie se sentou no colchão de dormir que eu usava e ficou se tocando sutilmente enquanto me via pegar o pote de mel dentro da mochila da Misty. Ela ia ficar uma fera, mas eu estava com tanto tesão que não podia resistir. 

- Deita de barriga para cima, gostosa – eu disse totalmente nu, com meu pau duro e um pote de mel na mão.

- Como ordenar – disse Jessie sorrindo maliciosamente e se deitando sobre meu colchão com seu corpo todinho pra mim.

Avancei sobre ela com o pote de mel e molhei dois dedos, levando à boquinha dela. Jessie começou a lamber meus dedos sensualmente e coloca-los todinhos na boca. Nesse instante eu estremeci de tesão. Depois despejei um pouco do mel sobre a barriguinha dela, deixando-o escorrer para dentro do seu umbigo. Me ajoelhei e comecei a lambe-lo lá dentro, fazendo-a delirar de tesão. Lambi ao redor da entradinha, depois dei lambidas fundas limpando todo o mel dali.

Beijei sua barriga subindo para seus seios suculentos e despejei mel sobre e entre eles. Comecei a lamber todo aquele doce da forma mais obscena que eu podia imaginar. Minha língua ia melando e babando os peitões da Jessie me enchendo de tesão. Nesse momento eu estava sobre ela e com meu pau rijo roçando na entradinha da xota dela e em seus pelos da virilha.

Depois de lamber todo o mel de seus seios que agora brilhavam com o melado, mandei que ela se virasse. Peguei um pouco do mel e passei em suas nádegas volumosas, logo comecei a lambe-las enquanto ela me olhava por cima dos ombros com os olhos semi-cerrados de tesão. Comecei a dar pequenos chupões na polpa da bunda dela, fazendo Jessie dar gritinhos de tesão. 

Então fui para a parte que eu estava querendo provar novamente desde Lorelei, despejei o mel por entre as nádegas dela deixando-o escorrer para aquele cuzinho. Jessie estremeceu e eu meti minha cara no meio daquele rabo delicioso. Com minhas mãos eu afastava as grandes nádegas da Jessie me permitindo lamber o mel daquele buraquinho delicioso que era o cuzinho dela. Podia sentir as ranhuras com a ponta da minha língua enquanto passeava com ela pela entradinha.

- O-ooohhh... Vo-você é tãão dedicado... N-nunca me lamberam assiiiiim – gemeu Jessie quando eu comecei a enfiar minha língua dentro do cuzinho dela melado de mel. 

Sua bocetinha logo abaixo estava encharcada de lubrificação, chegando a escorrer para o meu colchão enquanto minha língua entrava e saía daquele ânus gostoso. Jessie ia gemendo mais alto conforme eu aumentava o ritmo das lambidas. Meu pau já explodia de tesão quando eu decidi que era hora de começar a coloca-lo em ação.

- Hora de eu te foder gostoso, Jessie – eu disse dando umas últimas linguadas no cuzinho agora molhado dela.

- Oohhh... D-deixa eu fazer algo por você antes! – disse Jessie se levantando e metendo a bunda na minha cara novamente. – Isso é tãão bom! James nunca tinha feito!

Jessie me deitou no colchão de barriga para cima, pegou o mel e despejou muito entre a própria bunda, espalhou-o com as mãos e quando estava devidamente melado, sentou nele colocando-o entre as nádegas e começando uma excelente espanhola com a bunda. Meu pau encaixara direitinho no espaço apertado no meio da bunda da Jessie e ela começou a rebolar e me masturbar com a bunda da forma mais deliciosa que eu podia imaginar.

Eu só conseguia gemer e segurar no colchão com toda a minha força enquanto meu pau era ordenhado pela bunda daquela vaca gostosa. Jessie gemia feito uma puta enquanto fazia movimentos habilidosos e me fazia ter mais tesão ainda. Ela então deu um tapa na própria bunda e disse:

- Minha bunda é um parque de diversões, não acha? 

- S-sim... ohh... deus... vou g-g-gozar assim... – eu gaguejei com meu pau já explodindo de tesão e eu sentindo que a porra não tardaria em jorrar.

Nesse instante Jessie sentara em cima dele, prendendo-o com a bunda entre seu rabo e minha barriga. Bem nessa hora eu comecei a gozar, acabei gozando em cima de mim mesmo, mas foi tão delicioso que não me importei de ficar melado. Ela se levantou de cima de mim, pegou o mel novamente e se ajoelhou.

- Levante-se, mestre pokémon – disse Jessie com um sorriso que misturava tesão e triunfo.

Não discuti e assim o fiz. Meu pau não tinha amolecido por completo, só a imagem dela nua já fazia ele não querer parar. Então Jessie pegou o mel e começou a passar por todo o meu pau que de meio mole voltou a bem duro. Antes que ela o colocasse na boca eu já estava com a potência total novamente.

- Vamos chupar essa delícia meladinha – disse Jessie começando a lamber meu pau com uma cara de devassa que me tirava do sério.

Segurei-a pelos cabelos vermelhos enquanto ela lambia das bolas à cabecinha da minha pica, deixando o mel e sua baba pingar sobre seu top embolado acima dos seios e nos seus próprios seios. Com as duas mãos ela brincava com eles enquanto sua língua percorria toda a extensão do meu pênis e seus olhos fitavam os meus olhos semi-cerrados. O suor escorria por cima do meu corpo quente de tesão enquanto eu via aquela bela mulher, minha inimiga, de joelhos chupando a minha rola como se fosse a coisa mais deliciosa do mundo.

- S-sabe o que eu quero? – eu perguntei para a Jessie.

- O quê? – ela me perguntou de volta apertando seus peitos melados.

- Meter esse pau todo dentro de você – eu falei com firmeza para ela.

Jessie sorriu para mim e engatinhou até o meio do colchão, ficando de quatro para mim com aquela bunda arrebitada na minha direção. Não perdi tempo e fui até ela. Agarrei aquele quadril largo e estremeci novamente só de encostar a ponta do meu pau na entrada daquela xota encharcada.

- Se você me der o Pikachu... Eu deixo você colocar onde quiser – disse Jessie cheia de tesão me olhando por cima dos ombros.

- O Pikachu... é seu – eu disse sem me controlar e enfiando toda a minha pica na boceta dela, arrancando um grito de tesão, vitória e surpresa.

Segurei firme no quadril dela enquanto eu metia gostoso naquela xota aos sons dos gritos de tesão que ela deixava escapar. Seus peitos balançavam desordenadamente entre seus braços que se apoiavam no chão e sua bunda vibrava a cada encontrão do meu abdômen com suas nádegas. 

- Ohh, meu deeeus... MEU DEEEUSS – gritou Jessie pouco antes de gozar feito louca. Ela estava tão excitada e a vitória sobre mim havia despertado os mais secretos dos seus fetiches, ganhar por meio de seu corpo.

Suas curvas estremeciam enquanto ela atingia o orgasmo e espirrava seu gozo por todo o meu colchão. Não parei de meter um segundo, aquela cena só me dava mais tesão, então não dei descanso para ela. Fui estocando e estocando naquela xota que havia acabado de atingir seu ápice de prazer. O suor tomou conta de sua pele e seu cabelo armado foi aos poucos ficando molhado e caindo por sobre as suas costas cobertas apenas por seu top da Equipe Rocket.

Jessie gemia agora enfraquecida e com os olhos fechados enquanto tinha sua boceta fodida com tudo por mim. Eu revezava entre metidas mais fortes e mais lentas para tentar manter um bom ritmo e para descansar. Sentia a pele de toda a minha pica abrir caminho por dentro daquela vagina deliciosamente molhada. Até minhas bolas estavam molhadas por conta da lubrificação que escorria por toda a minha virilha e por entre as nossas coxas.

- Jessie... nunca pensei que você fosse tão gostosa... puta que pariu... – eu disse fodendo-a com gosto.

- Me fode gostosooo... – disse a enfraquecida Jessie, abaixando seu tronco e empinando ainda mais sua bunda para mim.

Neste momento ela tinha a cabeça deitada de lado no colchão, seus seios estavam também apoiados da cama e apenas seu quadril estava suspenso tomando vara. Ela estava com os olhos fechados, cheia de tesão e exaustão aproveitando a minha tara que a fazia experimentar vários picos de prazer durante o sexo. 

Abaixei a freqüência das metidas para curtir cada momento da ida e vinda do meu pau, tive então a idéia de meter meu dedo naquele cu delicioso dela enquanto isso. Coloquei um dedo e ela estremeceu e gemeu de tesão. No segundo ela gritou de dor e tesão, voltando a me olhar com o rosto coberto de suor e mechas vermelhas do seu cabelo caindo sobre os olhos.

Fui metendo nela com minha pica gostoso enquanto meus dedos iam masturbando seu cuzinho deliciosamente. Neste momento eu tive pela primeira vez a idéia de fazer um dia uma DP em alguma garota. Já tinha tido a idéia de ménage ou suruba com várias garotas, mas fora a primeira vez que me interessei em foder uma garota com algum amigo. Talvez fosse uma experiência interessante.

- Se prepare, pois agora meterei para valer e gozarei dentro de você todinha – eu disse tirando meus dedos de dentro do cuzinho dela.
- Ohh... – foi tudo o que Jessie disse enquanto me olhava cheia de tesão e prazer.

Montei nela como um animal para que meu pau pudesse penetra-la mais fundo e comecei a meter nela gostoso. Jessie começou a gritar bem alto e freqüentemente enquanto meu pau entrava e saía até o talo da xota dela. Eu estava montado por cima dela comendo-a com tudo o que eu tinha. As metidas eram tão fortes e profundas que a lubrificação dela espirrava por cima do colchão enquanto ela ia sendo fodida.

- OHH OHH AIII AIII AHHHH – ela ia gritando.

Eu mesmo ia gemendo enquanto ia fodendo-a daquela maneira deliciosa. Foi então que percebi o ápice das metidas vindo e sabia que gozaria muito em breve. Aumentei a pressão e fui metendo nela alucinadamente, fazendo-a gritar de tesão. Não parei de meter mesmo quando do meu pau o sêmen começou a espirrar bem fundo na vagina dela. Aquilo era delicioso e eu fui metendo até meu pau ficar completamente mole dentro dela.

Tirei minha pica lá de dentro toda melada, dolorida e mole. Da vagina dela eu pude ver escorrer um pouco da porra que eu havia acabado de gozar. Eu estava acabado, exausto e me sentei na grama completamente nu enquanto gotas de suor escorriam pelo meu peito. Meu coração batia acelerado e eu ainda estava tentando assimilar aquela foda deliciosa.

- Isso foi tão gostoooso – disse Jessie tocando sua bocetinha e vendo a minha porra por entre seus dedos. – Se tem uma coisa que eu gosto é de gozar assim.

Eu fiquei parado e respirando ofegante enquanto Jessie se levantava, se vestia e levava o Pikachu embora. “Valeu a pena” eu pensei sem me arrepender. Você deve estar pensando como eu fiz para manter meu Pikachu comigo até hoje, bom, alguns minutos depois a Misty apareceu no acampamento com ninguém menos que o Pikachu dormindo.

*Dez minutos antes*

POV James

- AHH AHHH AHH – a Misty gemia enquanto eu enfiava meu caralho duro naquela bocetinha rosada e raspada com tudo.

- Se não quiser que roubemos o Pikachu, terá que me fazer gozar de novo, gatinha – eu falei segurando-a pelos curtos cabelos laranja já soltos da maria chiquinha.

Eu já havia gozado na boca dela depois de um boquete sensacional, depois tinha gozado na bunda dela após ela me masturbar deliciosamente e agora queria gozar naquele rostinho safado dela depois de acabar com a xotinha dela.

Misty era magrinha, mas era gatíssima, estava completamente nua enquanto tomava na boceta. Tinha seios pequenos, uma barriguinha lisa e uma bundinha atraente. Eu já tinha dado tantos tapas naquela bundinha que minha mão marcara sua nádega direita. Misty também já havia gozado duas vezes em nossa negociação pelo Pikachu.

- Você vai para o céu, James, com a forma que farei você gozar agora! – ela disse com firmeza.

Misty me empurrou para o chão e montou no meu pau, colocando-o na xotinha molhada e começou a cavalgar. Segurei com uma mão naquela bunda dela melada e com a outra agarrei em um seio dela enquanto ela quicava no meu pau cheia de tesão. Seus gemidos tiravam todo o silêncio da floresta naquela noite e novamente estapeei sua bunda gostosinha.

Ela começou a quicar numa freqüência que me deixou louco de tesão, eu sabia que não agüentaria mais nem um minuto daquela maneira. Ela havia ganhado, havia me feito gozar 3 vezes conforme prometera e eu teria que fazer a Jessie desistir do Pikachu, ainda que isso significasse arrumar uma baita de uma briga.

A xotinha dela engolia meu pau e subia até ele ficar totalmente de fora e assim ia. Então começara a rebolar deliciosamente e eu sabia que não agüentaria. Beijei novamente a boca da Misty em um beijo ardente. Sentia seu corpo suado e quente contra o meu igualmente molhado e enfervecido. Meu pau pulsava dentro dela, eu podia sentir e ela também. Enquanto nos beijávamos eu acariciei suas costas, sua nuca, sua barriga e seus seios. Brinquei uma última vez com seus biquinhos logo antes de tira-la de cima de mim.

- De joelhos, Misty! – eu ordenei e ela prontamente obedeceu. – Toma isso!

Apenas percorri meu pau com a mão uma vez e fora o suficiente para a porra jorrar pela terceira vez esta noite no rostinho safado e inocente da Misty. A cara dela estava cheia de porra que pingava em seus belos seios e seu belo e magro corpo. Eu caí para trás com meu pau latejando enquanto Misty sorria para mim com seu olhar triunfante.

- Agora pega aquela vadia que anda com você e vai embora! – disse Misty. – Ou melhor, manda só ela embora e fica mais um pouco.
Misty sorriu para mim e lambeu a porra ao redor dos lábios sensualmente. Na hora eu pensei em fodê-la de novo, mas estava exausto. 

- Certamente nos encontraremos de novo, gatinha – eu falei acariciando seus cabelos embaraçados e bagunçados. – Mas agora nós dois temos trabalho a fazer. O seu é ajudar seus amigos e o meu é parar a Jessie.

Misty vestiu aquela roupa sexy que ela usava e partiu após se limpar. Me lembro de já ter me masturbado algumas vezes pensando nela quando a Jessie não estava olhando. Ao encontrar Jessie com o Pikachu, tomei-o dela e entreguei à Misty que estava escondida atrás de uma árvore. Depois expliquei a situação para Jessie e esta havia me explicado a sua situação. Eu não acreditei quando ela contou que havia convencido o Ash a dar o Pikachu para ela. Quando voltamos para o acampamento deles para reclamar o Pikachu de volta, eles já haviam partido.

MALDIÇÃO!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...