História Pokémon Chronicles - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pokémon
Tags Dawn, May, Misty, Pokémon, Porno, Serena, Sexo
Visualizações 323
Palavras 3.596
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - Ajudando Ampharos


Fanfic / Fanfiction Pokémon Chronicles - Capítulo 7 - Ajudando Ampharos

Eu já havia coletado 5 insígnias da região Johto. Desde a noite com a Jessie eu venho querendo foder mais e mais, eu não sei o que vem acontecendo comigo. Não consigo me concentrar nas batalhas e para todos os lados que eu olho eu só penso em como levar aquela garota para a cama. Quando enfrentei Whitney na cidade de Goldenrod eu quase pirei nela, ela era muito gata e gostosa. Eu não tinha a menor habilidade em levar garotas para a cama na conversa, a única com quem havia funcionado fora a Lorelei e eu arrisco dizer que foi um golpe de sorte. Me masturbei algumas vezes pensando na Whitney desde então e havia virado rotina espionar a Misty em toda a oportunidade que eu tinha de vê-la nua.

Misty adorava foder, eu sei que em cada cidade que parávamos ela dava para um líder de ginásio ou cara que ela achasse gato. Eu mesmo havia tentado uma ou outra coisa e por mais que ela sorrisse e dissesse que adoraria cavalgar no meu pau novamente ela dizia “Estamos juntos há muito tempo, eu, você e o Brock. Se começarmos com essa rotina de sexo podemos ter complicações igual quase tivemos em Kanto quando eu dei para vocês dois.”

Brock, ao contrário de mim, tinha bastante lábia e sabia como fazer as coisas acontecerem. Ele me contou da loucura sexual dele com a Sabrina e eu fiquei com inveja, ainda mais quando ele me contou que eles ainda mantinham contato. Eu tinha vergonha de pedir para participar um dia e confesso que um pouco de medo da Sabrina depois que ela me transformou em um boneco.

Chegando à cidade de Olivine conhecemos a líder de ginásio, Jasmine. Ela era uma garota bem bonita. Magrinha, mas me despertou bastante interesse. Como de praxe, tentei falar algo interessante, mas não consegui nada. Tudo foi agravado pelo fato de seu pokémon favorito estar doente. Me candidatei para ajuda-la e fui atrás da cura. Foi uma jornada dura e a Misty ficou puta quando soube que eu só estava fazendo isso para ter uma chance com a Jasmine. Brock me cumprimentou.

Voltando à cidade de Olivine, fui entregar a cura do Ampharos à noite. Ao chegar, ela estava com seu vestidinho de sempre e ao me ver seus olhos preocupados deram lugar à felicidade. Pegou a medicina e tratou do Ampharos que ficaria bom em poucos dias.

- Nossa, Ash! Muito obrigada! Nem sei como te agradecer! – ela disse sorridente. 

- Nada! Não precisa, foi um prazer – eu menti rindo.

- Nada disso, quero te compensar de alguma forma! Que tal isso – Jasmine foi até uma mesinha que ficava no escritório dela do ginásio, onde vinha cuidando do Ampharos, e tirou de lá uma insígnia. – Esta é a Insígnia Mineral, você me ajudou tanto que não poderia pedir que batalhasse comigo!

- Olha, Jasmine. Sou um treinador sério e quero essa insígnia ganhada em uma batalha oficial – eu disse obviamente com segundas intenções.

- Mas então o que posso fazer para recompensa-lo? – ela perguntou pensativa.

- Bom... – eu disse gaguejando. – V-você p-podia me mostrar sua... sua... calcinha...

- Que? – Jasmine ficou tão surpresa que eu fiquei com medo dela me atacar com todos os pokémons que ela tivesse disponíveis.

- Que-quer dizer... A-acho que não precisa... Já vou indo! – eu falei me amaldiçoando pela minha covardia.

- Espera! – disse Jasmine me chamando quando eu já estava passando pela porta do escritório. – Se isso te fará feliz. Nada que eu faça será o bastante para agradecer o que você fez pelo Ampharos!

Jasmine então levantou seu vestido até acima da barriguinha e revelou sua calcinha branquinha com rendas. Na hora eu estremeci de tesão. Há meses que eu não ficava tão perto de uma bela garota e tinha uma oportunidade dessas.

- Somente isso? Pode olhar o quanto quiser! Você é meu herói – ela disse sorrindo ainda segurando o vestido bem alto. Me aproximei e me ajoelhei inspecionando a calcinha.

- Posso tocar? – eu perguntei já com meu dedo indicador alisando as bordas da calcinha dela.

- P-pode... – disse Jasmine claramente encabulada.

Comecei a acariciar o lacinho bem no centro da calcinha enquanto aproximava meu rosto e começava a beijar sutilmente suas coxas e roupa íntima. Minha mão livre começou a acariciar sua bundinha e a brincar por baixo da calcinha dela, acariciando as nádegas e a entrada do cuzinho da Jasmine. Esta começou a gemer baixinho enquanto recebia minhas carícias e corava de vergonha e tesão.

Meus beijos foram se aproximando de sua bocetinha por cima das rendas brancas e eu pude notar o quão molhadinha ela estava, aquilo só me deixou mais louco de tesão ainda. Segurei com as duas mãos na calcinha dela e puxei até os joelhos, surpreendendo-a. 

- Ash... o que está... ahhh... – ela foi interrompida pela minha língua brincando no clitóris dela. Meu nariz roçava em sua virilha depiladinha em quanto minha língua brincava com tudo o que eu havia aprendido até hoje. – Ohhh... ohh...

Eu ia chupando ela gostoso. Meu pau super duro querendo sair da minha calça enquanto eu a segurava pela bundinha. Minha língua passeava pelos grandes lábios, bocetinha, tudo o que mais dava prazer a ela eu lambia e chupava deliciosamente e ela respondia com gemidos sexys e um rosto corado de vergonha e tesão.

Me levantei então e comecei a beija-la na boca com tesão enquanto roçava meu pau por dentro da calça nas coxas dela. Coloquei minhas mãos por baixo de seu vestido suspenso e comecei a acariciar seus pequenos seios totalmente livres de sutiã. Eram mais ou menos do mesmo tamanho dos da Misty, umas delícias. Brincava com os biquinhos duros enquanto minha língua e a dela trocavam experiências. A lubrificação escorria por entre suas coxas enquanto minha calça já me incomodava por conta do meu pau estar tentando chegar ao limite da ereção.

- Jasmine? Cheguei! Tá aí? – veio uma voz da entrada do ginásio.

- Droga! – disse Jasmine se afastando de mim e deixando seu vestido cobri-la de novo. – É a Whitney! Me esqueci que ela viria hoje para discutir assuntos da liga Johto! Rápido, se esconde atrás da mesa!

Corri para trás da mesa e me escondi embaixo dela, por sorte a parte da frente era coberta, portanto era impossível ver se havia alguém embaixo dela. Jasmine tentou correr, mas quase caiu quando tropeçou na própria calcinha embolada no meio das canelas. Quando enfim sentou-se atrás da mesa ainda tinha a calcinha embolada no meio das pernas.

- Estou aqui, Whitney! – gritou Jasmine. Eu estava embaixo da mesa e com uma visão privilegiada da xotinha dela por baixo do vestido.

- Oi, Jasmine! – disse Whitney entrando no escritório. – Achei que não estava, demorou para responder! Então, vamos aos assuntos sérios?

Ambas começaram a conversar, mas com menos de dois minutos de conversa eu já estava com minha cabeça no meio das pernas da Jasmine, por baixo do vestido dela. Ela certamente se assustou, mas tentou disfarçar quando sentiu minha língua brincando com o sexo dela novamente. Sua fala começou a ficar arrastada e seu rosto corou novamente.

- Está tudo bem com você? – perguntou Whitney notando a diferença. Eu não me importava, aquela brincadeira estava me dando muito tesão.

- S-sim... ohh... – ela dizia e gemia bem baixinho.

- Você está doente? Será que foi o que aconteceu com o Ampharos e passou para você? – perguntou Whitney. 

- N-não é isso... Olha... hmmm... não é uma boa hora... aa... v-volte amnhã... – ela disse tentando disfarçar. Obviamente Whitney não engoliu e deu a volta na mesa para falar com ela.

- Olha, você claramente não está bem. Vem, vamos ao médico – disse Whitney dando a mão para ela se levantar. Jasmine tentou resistir, mas nesse instante chegara ao orgasmo. Eu havia achado o ponto em que ela mais sentia tesão e segui ali até que ela gozasse.

Ela gritou de tesão e estremeceu se segurando firme na mesa enquanto seu gozo espirrava por todo o chão embaixo da mesa. Nesse instante Whitney olhou para baixo da mesa e me viu com a cabeça agora fora do vestido dela e com meu pau duro na mão.

- Ash?! – exclamou Whitney. – Sua pervertida! Porque não me disse que estava acompanhada?

- E-eu não quis que pensasse mal de mim... – disse Jasmine encabulada.

- Pensar mal? Eu estou é chateada por você não ter me avisado! Eu podia ter vindo com minha lingerie sexy e estaríamos brincando todos juntos! – ela disse sorrindo.

- Não precisa da sua lingerie sexy para entrar na brincadeira – eu disse me levantando e me aproximando da Whitney. Ela usava suas roupas usuais: Uma blusinha branca com bordas vermelhas de botão, por baixo uma blusa preta e um shortinho bem curto colado no corpo.

- Ora, ora. Se não temos um treinador pervertido! – disse Whitney sorrindo e me olhando. Jasmine estava encabulada e ainda se recuperando do orgasmo. – Mas eu só brinco se a Jasmine brincar mais!

- E então? – eu perguntei para a Jasmine que nos olhava com tesão e surpresa.

- Bom, faz tempo desde que terminei com o Volkner. Acho que eu posso me divertir um pouco – ela disse sorrindo.

- Assim que se fala! – disse Whitney abrindo um sorriso e desabotoando a blusa. – Te falar, eu sempre tive um tesão em você, amiga. Deita na mesa e deixa a gente explorar seu corpinho!

- N-nossa, não sabia, Whitney – disse Jasmine com um sorriso encabulado. Ela se levantou e se deitou na mesa com o vestido suspenso acima da linha dos seus seios para que pudéssemos ver todo o seu corpo. – E então?

- Você é linda – disse Whitney beijando seu corpo de um lado da mesa. Eu logo a acompanhei fazendo o mesmo do outro lado da mesa.

Nós dois começamos a chupar seus pequenos peitos cheios de tesão enquanto ela gemia gostoso. Whitney levara sua mão à boceta dela e começou a masturba-la enquanto nos divertíamos com aqueles seios. Eu ia me masturbando também enquanto lambia o corpo da Jasmine. Quando Whitney viu, logo disse:

- Ok, Jasmine. Você até hoje só chupou o pau do Volkner, correto?

- Sim – ela respondeu encabulada.

- Hora de experimentar outro. Vem cá, Ash!

Me aproximei da Whitney e ela indicou para que Jasmine se ajoelhasse do seu lado. Ambas estavam de joelhos no chão bem na minha frente. O vestido de Jasmine voltou a cobrir-lhe o corpo. Whitney segurou na minha pica dura e indicou para que Jasmine colocasse a boca nele.

Estremeci e me segurei na mesa quando ela colocou meu pau todo na boca até onde a mão da Whitney segurava. Ela começou a me chupar enquanto colocava os cabelos castanhos claros para trás das orelhas e ia usando sua boca da forma mais deliciosa que eu podia querer. Whitney então entrara na brincadeira e as duas foram chupando minha pica deliciosamente e se beijando indecentemente quando seus lábios se encontravam.

- Oh... isso... é incrível... – eu dizia. Nunca havia recebido um boquete duplo e aquilo era simplesmente maravilhoso.

Whitney levantara sua blusinha preta por baixo da blusa de botão já aberta revelando seus enormes seios. Eram tão grandes quanto os da Jessie ou Lorelei, talvez maiores, não sabia dizer ao certo, mas eram incríveis. Ela começou a brincar com eles enquanto seguia me chupando deliciosamente.

Com o pau todo babado, decidi que era hora de passarmos para as penetrações. Puxei Jasmine e a coloquei de costas para mim apoiada na mesa, levantei seu vestido até acima da linha da cintura para ter uma visão completa da sua bundinha. Whitney veio até mim e começou a me beijar enquanto guiava meu pau para a entradinha da boceta da Jasmine.

- Ohhh... – gemeu Jasmine quando a cabeça do meu pau encontrou a entrada da vagina dela. – É aí... – ela disse encabulada, mas tomada pelo tesão.

Penetrei-a com tudo e ela gritou de tesão e prazer com meu pau preenchendo-a quase que por completo. Com minha pica dentro da bocetinha dela, comecei o vai e vem gostoso. Whitney agora tirava seu shortinho colado revelando sua calcinha roxa que logo depois também fora removida dando vez a sua bocetinha com alguns poucos pelinhos cor de rosa a coroando.

Fui metendo gostoso na Jasmine, mas controlando a velocidade, queria fazer aquilo durar o máximo que eu pudesse. Ela foi gemendo e gemendo em resposta às minhas penetrações. Whitney que agora estava apenas com sua blusinha aberta e a debaixo suspensa acima dos peitões começara a beijar Jasmine e a falar putarias no ouvidinho dela.

Segurei firme na cinturinha da Jasmine por baixo do vestido suspenso dela e comecei agora a dar estocadas mais fortes e mais rápidas. Seus gemidos aumentavam conforme minhas metidas foram ficando mais constantes.

- AHHH AHHH AHH – ia gritando Jasmine enquanto sua bocetinha era preenchida pelo meu pau duro.

- Ninguém te comia assim desde o Volkner, né? – disse Whitney cheia de tesão, provocando Jasmine.

Eu fui metendo e metendo, minhas bolas iam batendo na entradinha da xota dela e resvalando nas coxas. Meu pau pulsava dentro daquela bocetinha completamente encharcada e eu podia sentir o suor escorrendo pelo meu corpo todo. Os gemidos da Jasmine me davam combustível para não parar de fodê-la com tudo o que eu tinha. 

- Toma isso, Jasmine... Puta que pariu... que delícia – eu dizia enquanto a penetrava com vontade.

- Quanto vigor, Ash. Será que eu vou ser merecedora disso também? – perguntou Whitney vindo até mim e vendo eu comer a Jasmine com tudo.

- Quando eu te foder, vai ser nesses seus peitões que eu vou gozar – eu disse sem me controlar, tomado pelo tesão.

Whitney riu e abriu a bundinha da Jasmine para que eu visualizasse bem minha pica penetrando e saindo da xota raspada dela. A vontade de gozar começou a vir, assim como o cansaço e eu decidi parar de fodê-la um pouco. Tirei meu pau pulsante de dentro dela e me sentei na cadeira. Jasmine e Whitney começaram a se beijar enquanto eu descansava um pouco. Mal parei para respirar e Whitney subiu em cima de mim.

- Agora é minha vez de me divertir um pouco, nada de gozar ainda, ein garotão! – disse Whitney no meu ouvido com seus peitões roçando no meu corpo.

Ela segurou firme no meu pau e sentou com tudo na minha piroca, metendo-a inteira dentro da boceta carnuda e deliciosa. Um grito se seguiu e logo ela começou a quicar no meu pau intensamente. Sua barriga gostosa ia se dobrando conforme ela ia sentando e seus peitos balançavam na minha frente, atraindo meu olhar. Eu somente segurava na cadeira, tentando não cair enquanto meu pau era feito de brinquedo pela Whitney.

Jasmine foi até atrás da Whitney e começou a acariciar a bundona dela, explorando o corpo feminino da amiga que quicava no pau que há pouco lhe fodia. A sensação do meu pau preencher sua bocetinha quente era deliciosa e me fazia ir à loucura.

- Ohh... Ash... S-seu pau ta tão duro... – gemia Whitney enquanto quicava apoiada nos meus ombros.

- Você é maravilhosa... – eu disse para ela pouco antes de começarmos a nos beijar.

Jasmine veio até nós e começamos um beijo triplo. Agarrei a Whitney pela bunda gostosa enquanto ela subia e descia no meu pau. Meu membro ia até o fim naquela xota gostosa e encharcada. Aquelas tetas batiam contra meu peitoral e todo o ambiente se enchia com os gemidos da Whitney abafados pelos beijos meus e da Jasmine.

Minhas mãos agora seguravam nas largas coxas da Whitney pressionando-as para baixo cada vez que ela sentava no meu colo, fazendo com que meu pau fosse ainda mais fundo e com mais força.

- AHH AHHH AHH – ia gritando Whitney me abraçando.

O ritmo foi diminuindo conforme ela foi ficando cansada e eu estava conseguindo surpreendentemente segurar meu tesão para não gozar logo. Foi uma das poucas vezes que consegui segurar tanto tempo, mas não que gozar cedo me impedisse de continuar fodendo quando eu estivesse com tesão à flor da pele. Enfim Whitney ficou apenas em cima de mim com meu pau duro dentro dela enquanto nos abraçávamos e curtíamos o momento. Foi então que Jasmine me chamou, ela estava deitada em cima da mesa de barriguinha para cima e com as pernas bem abertas. Havia tirado o vestido, ficando completamente nua.

Whitney saiu de cima de mim e eu fui para cima da Jasmine subindo em cima da mesa e beijando-a intensamente enquanto apenas roçava a cabeça do meu pau na entrada raspada da bocetinha dela. 

- Toma isso, gatinha – eu disse no ouvidinho dela um segundo antes de penetra-la com tudo.

- AHHH – gritou Jasmine fechando os olhos de prazer e surpresa.

Comecei a fodê-la com tudo o que eu tinha. Segurei-a pelo quadril e o levantei suavemente de forma que minhas metidas fossem ainda mais fundo e com muita força. Whitney se masturbava com a cena de eu comendo com tudo a sua melhor amiga. Jasmine estava encabulada, exausta e suada, mas estava com tanto tesão que tudo o que podia fazer era se segurar na mesa para não escorregar e sentir ser fodida como jamais antes.

- V-vai devagar... – ela gemeu para mim, mas eu não iria baixar o ritmo, não agora.

Agarrei os peitinhos dela e comecei a brincar com os mamilos dela, fazendo-a gemer intensamente e contrair-se cada vez mais até atingir o orgasmo pela segunda vez. Seu corpo to se estremeceu com o ápice e seus cabelos castanhos claros, já completamente desarrumados, estavam encharcados de suor. Sua pele estava quente e avermelhada quando eu enfim parei de meter naquela bocetinha maravilhosa.

- Garotas... – eu disse ofegante. – Não vou agüentar muito mais tempo... Vou meter em você Whitney e te comer para finalizar...

- Então vem com tudo, Ash – disse Whitney parando de se masturbar e ficando de quatro no chão. – Acaba comigo!

Ela só estava com a blusinha de botões aberta e a blusa preta suspensa acima das tetonas quando eu fui para trás dela e comecei a acariciar sua bela bunda. Então, sem avisar, penetrei aquela xota maravilhosa com tudo. Agarrei os peitões da Whitney enquanto ela gemia e comecei a come-la gostoso. 

SLAP SLAP SLAP

Sua barriga balançava conforme minhas estocadas estalavam no seu belo corpo. Eu segurava com bastante firmeza nos peitos dela enquanto metia com tudo. Sentia que não aguentaria muito mais tempo, mas meteria com tudo antes de pensar onde gozaria. Whitney gritava e gemia muito, sabia que em breve gozaria se eu continuasse nesse ritmo. Sua boceta de tão lubrificada chegava a espirrar líquido em algumas estocadas mais fortes. 

- AHH AHHH AII AII AHH ACABA COMIGO! – gritava Whitney conforme eu ia e vinha dentro dela com tudo.

Minhas bolas iam e vinham batendo contra a entrada da bocetinha dela coberta por uma pequena penugem rosada. Seu rosto pingava suor no chão, suas largas coxas estavam ensopadas de suor e lubrificação e sua bunda reverberava a cada metida minha. Eu sentia cada vez mais a vontade de gozar chegando e chegando. Então Whitney deu um grito mais alto:

- AHHH... hmm... hmm... hm… - tinha acabado de chegar ao orgasmo e estava exausta.

- Estou para gozar, garotas! Onde vocês querem que eu esporre? – eu perguntei com meu pau paradinho dentro da Whitney.

- Jasmine... escolhe... – disse Whitney exausta, se recuperando.

- Tem uma coisa... – disse Jasmine encabulada se ajoelhando do lado da Whitney e me olhando. – Eu adorava quando estava com o Volkner... Goza na minha boquinha...

Sorri para ela e confirmei com a cabeça. Larguei os seios da Whitney e segurei-a no largo quadril. Voltei então a foder aquela boceta gostosa com tudo. Whitney gemia baixinho agora enquanto me olhava com tesão por cima dos ombros. Sua Maria-chiquinha no cabelo já estava quase desfeita e sua blusa branca de botões, ensopada de suor, estava quase transparente.

Meu pau ia e vinha de dentro dela com tudo. Eu não me segurava mais. Nosso suor se misturava na bunda e coxas dela a cada contato com meu corpo. Enfim percebi que gozaria e tirei meu pau na hora. Jasmine foi bem rápida e o colocou na boca, chupando-o gostoso. Gozei como poucas vezes na minha vida, enchendo a boquinha dela de porra. Quando esperei que ela cuspisse, ela engoliu tudo e lambeu os beiços. Tive que me sentar no chão para respirar, meu coração estava a mil. Poucas vezes na minha vida eu gozei dessa maneira. 

- Faz tempo que não engolia um pouco de porra... mas você tem que melhorar sua alimentação, está um pouco ácida demais – disse Jasmine limpando os cantos da boca.

Ficamos ali um tempo descansando e enfim fomos nos vestir. Depois disso, Jasmine me deu a insígnia e não reclamei. Obviamente Brock sabia o que tinha havido e me deu um baita high-five por isso. 

O resto da região de Johto foi mais monótono. Brock me contou que estava fodendo com a líder gostosa chamada Clair. Infelizmente não tive oportunidade com ela. Devo admitir que Johto havia me mudado um pouco, eu agora queria saber cada vez menos de pokémon e mais de foder as treinadoras gostosas. Após eu ganhar a liga Johto, Misty e Brock tiveram que me deixar para voltarem a seus ginásios. Mas logo me juntei a uma nova treinadora chamada May e seu irmão Max. Ela tinha 20 anos enquanto eu tinha apenas 19, mas ela era muito linda e queria aprender os segredos do treinamento Pokémon com um campeão como eu.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...