História Pokémon Chronicles - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pokémon
Tags Dawn, May, Misty, Pokémon, Porno, Serena, Sexo
Visualizações 59
Palavras 1.746
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - O diário de Brock parte 3


Fanfic / Fanfiction Pokémon Chronicles - Capítulo 8 - O diário de Brock parte 3

A cidade de Blackthorn:

Acompanhar o Ash em sua jornada para ser um mestre Pokémon vinha se provando algo cansativo. Já estava indo para sua última insígnia da Liga Johto, mas ainda tropeçava em alguns ginásios. Tomou duas surras do Milktank da Withney antes de derrotá-la e quase desistiu no Morty em Encruteak. Mas as coisas pareciam estar melhorando para ele e estávamos indo para o último ginásio na cidade de Blackthorn.

Eu não conhecia os treinadores da Liga Johto, portanto tudo vinha sendo uma novidade. Especialmente as garotas. Cada treinadora gostosa que encontrávamos. Withney e seus peitões, Jasmine e seu charme, não sabia o que mais podíamos encontrar, mas eu estava bastante animado! Infelizmente minhas cantadas não haviam funcionado com nenhuma delas, mas quem sabe o que me aguardava? Chegamos na cidade, mas estávamos exaustos, portanto fomos todos para a estalagem mais barata passar a noite. Cada um de nós ficou com um quarto, uma pena, pois gostaria de me divertir com a Misty hoje, fazia tempos que não fodíamos, desde aquela vez com o Ash ela começou a ser mais recatada conosco. Mas só conosco, soube que tinha dado para o rival do Ash, Gary, mas isso é outra história.

Não conseguia dormir à noite então resolvi dar uma volta. Caminhando à noite pela cidade, tive a ideia de dar uma sondada no ginásio para ter alguma dica para Ash. Segui pela rua principal até a porta do ginásio que mais parecia uma mansão. Estava fechado, infelizmente, mas quando eu estava dando meia volta, ouvi um som vindo lá de dentro e percebi uma luz acesa. Resolvi espiar, vai que era alguma batalha? Poderia dar vantagem para o Ash. Pulei o muro e me dirigi até a janela silenciosamente.

Qual não foi minha surpresa ao ver duas garotas fodendo. Uma delas, jovem como a Misty, mas de cabelos castanhos que eu logo reconheci como uma garota que havíamos conhecido há uns meses, Lyra. Ela estava nua, apenas com sua boina e estava de quatro, sendo penetrada por uma outra garota com um cintaralho. Lyra havia dito que estava juntando as insígnias, logo, a outra garota devia ser a líder de ginásio. Ela era uma garota tetuda e gostosa, mais velha que a Lyra e de cabelos azuis. Penetrava a Lyra com tudo, sem parar, até que a mesma gozou. Eu estava olhando aquilo incrédulo. A líder do ginásio apenas usava um biquíni azul e o cintaralho que logo foi retirado uma vez que a Lyra havia gozado.

- Agora me diga, quem é a mestre? - disse a líder de ginásio.

- Você, Clair! - disse Lyra olhando para ela, acabada.

- Isso mesmo! Por ter me desafiado, pagou a penitência da derrota, espero que treine mais antes de voltar. – disse Clair, a líder do ginásio. - Agora vá!

- Certo! - disse Lyra se vestindo e saindo da mansão.

Clair parecia ameaçadoramente gostosa e eu fiquei ali alguns minutos fitando-a enquanto ela limpava seu cintaralho. Foi então que ela disse:

- Vai ficar aí fora só olhando ou vai entrar?

Eu estava incrédulo, ela tinha me visto? Droga! Entrei pela janela e fiquei olhando para Clair que estava sentada numa poltrona me olhando apenas com seu biquíni. Tinha um corpo escultural, peitões, quadril largo, coxas largas, bunda gostosa, tudo o que eu gostava.

- Veio aqui me desafiar? - ela perguntou.

- N-não... - eu respondi sem saber o que dizer, não queria comprometer o Ash.

- Então veio me espionar? - ela perguntou curiosa.

- T-também não – eu disse quase perdendo as palavras.

- Bom, não importa. Você me viu e agora pagará a penitência – ela disse seriamente. Eu realmente não queria ser enrabado por aquele cintaralho, portanto, me adiantei.

- Sim, eu te vi e contarei a todos o que vi aqui – eu falei firmemente. - Inclusive para a Elite dos 4, que te expulsarão da Liga.

- Há, há, há, ha! Eu sou prima do Lance, todos da elite já conhecem meus métodos e não se importam – ela disse rindo.

- Droga... Então eu te desafio para uma batalha! - eu disse com firmeza. - Se eu ganhar, não haverá penitência para mim.

- Hum... ousado, hein. Certo, eu aceito – Clair se levantou e pegou uma pokébola da mesa de centro. - Um pokémon. Vamos!

Começamos uma intensa batalha dentro daquela sala que parecia uma sala de estar. Meu Ônix tomou uma surra do Kingdra dela e quando ele caiu, eu não podia acreditar no que havia acontecido. Eu estava perdido. Retornei meu Ônix e fiquei fitando o chão. Clair veio até mim, pegou meu queixo e me fez olhar para os olhos dela.

- Agora você é meu! - ela disse sorrindo maliciosamente.

Achei que ia me ferrar, mas pelo visto não era o objetivo principal dela. Ela me jogou no sofá e me mandou deitar de barriga para cima, em seguida, sentou-se na minha cara com aquele rabão cobrindo meu rosto. Em seguida começou a subir e descer, batendo com a bunda na minha cara.

- Quer me foder, é pervertido? - ela perguntou. Eu nada respondi, apenas era sufocado pelas sentadas dela na minha cara. - Não estou te ouvindo.

- S-sim! - eu disse enfim, já com meu pau duro por baixo da calça.

- Assim que eu gosto. Mas antes, sua penitência – ela disse rindo e sentando com mais força na minha cara.

Eu já estava todo descabelado quando ela sentou uma última vez e me mandou chupá-la por cima do biquíni mesmo, enquanto isso, abriu o zíper da minha calça e tirou meu pau duro de lá. Comecei a chupá-la o melhor que eu pude por cima do biquíni e ela começou a me masturbar para me deixar mais duro. Com uma das mãos ela chegou o biquíni para o lado para que eu pudesse provar sua bocetinha raspada e molhada. Fui beijando-a lá e seu sumo molhava toda a minha boca, enquanto suas mãos masturbavam meu pau com força.

Com a minha cara afundada na bunda da Clair, eu ia chupando aquela boceta molhada enquanto meu pau era o brinquedo dela. Já estava tão duro que ele mal se movia quando ela dava alguns tapas dele. Enfim ela se levantou da minha cara e me colocou sentado no sofá. Tentei dizer alguma coisa, mas ela calou a minha boca com uma das mãos.

- Você está proibido de falar – ela disse com um sorriso malicioso.

Eu só concordei com a cabeça e ela destapou minha boca. Depois, subiu em cima de mim e colocou meu pau na boceta com força. Até estremeci de tesão, ainda que tenha entrado rápido e facilmente por conta da lubrificação. Eu tinha o corpo todo da Clair na minha frente, seus peitos ainda com o biquíni, seu belo rosto, sua barriguinha, suas coxas, mas toda vez que eu tentava tocá-la, ela tirava minha mão.

- Guarde suas mãos bobas! - ela disse e então, começou a quicar no meu pau e gemer feito uma puta.

Eu me segurava com força no sofá enquanto ela sentava com vontade no meu pau. Suas tetas balançavam presas pela parte de cima do biquíni e seu rabo de cavalo azul sacudia a cada quicada gostosa dela. Seu rosto era de puro tesão, a boca aberta gemendo e seus olhos fechados. Seu largo quadril sentava com força em mim e sua boceta lubrificada e suada engolia meu pau ferozmente.

- Quem é a mestre? - ela perguntou me batendo com força no rosto.

- V-você! - eu respondi cheio de tesão com meu pau fodendo aquela boceta raspada e deliciosa.

- Isso mesmooo! - ela gemeu alto.

Ela seguiu quicando gostoso e segurando com força nos meus ombros. A parte debaixo de seu biquíni escorregava ao redor do meu pau que entrava e saía dela conforme suas quicadas deliciosas. Seu corpo estalava contra o meu com força e eu sabia que não aguentaria tanto tempo de tanto tesão. Entretanto, Clair se antecipou e tirou meu pau de dentro dela, começando a se masturbar intensamente com uma mão enquanto a outra segurava firme no meu membro duro. Ela foi gemendo e gemendo até gozar gostoso. Ela estava toda suada e com os cabelos molhados, seus biquinhos dos seios duros aparecendo por baixo do biquíni e sua boceta pingando de lubrificação e gozo. 

- Você tem direito a um pedido para sua generosa Mestre – ela disse bem perto do meu rosto, quase me beijando.

- S-seus peitos... - eu estava de olho neles desde que começamos a foda.

Clair sorriu e puxou meus cabelos, levando minha cabeça contra seus próprios peitos, quase que me sufocando. Em seguida, se ajoelhou na minha frente e colocou meu pau rijo dentro da parte de cima do biquíni, no meio dos peitões e começou uma espanhola maravilhosa.

- Geralmente não gosto de dar espanholas, mas sou uma Mestre tão boa que vou abrir uma exceção para meu novo súdito – ela disse sorrindo para mim enquanto aqueles peitos iam e vinham no meu pau, me masturbando deliciosamente.

- O-obrigado, mestra! - eu disse cheio de tesão.

Clair então cuspiu no meio dos peitos para melhorar a lubrificação e assim foi com a espanhola. Pressionava com força seus peitos contra o meu pau e subia e descia. Os peitos dela eram grandes, cobrindo metade do meu pau que pulsava no meio deles. Ela gemia e me olhava soberana enquanto eu fechava os olhos e relaxava. Há tanto tempo que não recebia uma espanhola, estava delicioso. Os biquinhos dos seios dela estavam perfeitamente visíveis por cima do biquíni preto, seus cabelos amarrados estavam já bagunçados e seu quadril largo, coberto de suor só me davam mais tesão. 

- E-eu vou gozar!! - eu disse no último instante.

Clair pressionou a cabeça do meu pau com os peitos, contendo o jato e fazendo com que minha porra apenas melasse seus peitos. Ela usava minha porra como lubrificação para brincar mais um pouco com o meu pau enquanto ele amolecia, até que ela finalmente o tirou de dentro do biquíni.

- Muito bom, meu súdito! Descanse, amanhã terá mais trabalho! - ela disse sorrindo.

Nos apresentamos propriamente depois disso e ficamos uns meses brincando disso, até que ela arrumou outro cara mais disposto a fazer certas coisas do que eu. Foi bem divertido, apesar de ter perdido meu esquema com a Sabrina. Mas outras coisas viriam e minha melhor foda ainda estava por vir.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...