História Pokemon Indigo League - Volume I - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pokémon
Tags Amourshipping
Visualizações 157
Palavras 3.879
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Atualização:
reescrito -19/05/2017
~~~~~~~~~~~~~~~~~~
Alola pessoal!
Está tarde, eu sei...
Meu computador deu um problema e eu perdi o sétimo capítulo :( conclusão, eu tive que refazer ele correndo, então pessoa que me perdoem se não ficou muito bom.

Boa leitura!

Capítulo 7 - Aura Cut!


No momento em que a floresta começou a se fechar em volta deles, Greninja percebeu que eles estavam sendo seguidos.

- O que foi? – Geleca, que estava em cima de seu ombro, perguntou.

- Tem alguém atrás de nós. – Greninja respondeu calmamente – Estão manipulando a floresta para nos guiar para algum lugar.

- Manipulando a floresta? Você quer dizer desse jeito? – Zygarde, que andava em sua forma dez por cento, parou de andar e olhou fixamente para uma árvore à esquerda deles.

A árvore começou a tremer, suas raízes saíram da terra e voltaram a penetrá-la um pouco mais para o lado, mas para que elas se enterrassem por completas elas precisariam que a árvore estivesse mais perto, então o tronco se moveu até que estivesse diretamente acima de suas raízes mais uma vez. Agora havia um buraco na floresta que dava para uma nova trilha.

- Sim. – Greninja respondeu – Devem estar usando uma célula de vocês. Talvez em um aparelho amplificador de poder. A Equipe Rocket já usou um contra nós.

- Acha que podem ser eles? – Geleca perguntou.

- Não. Eles são atrapalhados, já teríamos visto eles a essa altura. Talvez alguém que tenha achado o projeto e aprimorado ele.

- Seja quem for, não é muito inteligente. – Zygarde disse – Dois lendários e você. E ainda sim ele quer nos seguir e nos guiar para uma armadilha.

Greninja riu.

- Realmente, não são muito inteligentes. Vamos ver para onde eles querem nos levar, qualquer coisa eu os paro. – Greninja lembrou de suas batalhas contra a Equipe Rocket e a Equipe Flare – Não acredito que essa pessoa será um problema, mas vamos seguir por aqui para não deixar nosso amigo desconfiado de que o descobrimos.

Eles mudaram de direção e seguiram pela trilha que Zygarde havia aberto.

Greninja abriu os olhos com dificuldade. Ele não conseguia enxergar nada ao seu redor e muito menos se mover. Só sabia que estava ali há um bom tempo e que estava preso.

No fim a trilha os levou para a Caverna Terminus, Greninja entrou com Zygarde na sua frente e Geleca em seu ombro.

- O que eles estão fazendo? – Greninja se perguntou.

Durante o caminho ele conseguiu identificar duas sombras bem atrás deles, o que os deixou avisados de que eram mais de um, porém não sabiam exatamente quantos eram.

Três sombras inundaram a caverna. Greninja olhou para trás e viu Jessie, James e Meowth.

- Vocês só podem estar brincando comigo... - ele balançou a cabeça rindo.

- Vamos acabar com vocês! - Meowth gritou.

- Vamos lá Inkay! – James jogou sua Poke Ball.

- Gourgeist saia! – Jessie chamou sua Pokemon.

- Haja paciência! – Greninja murmurou.

- Você está desdenhando de nós? – Meowth pareceu ofendido.

- Desdenhando? – a dupla perguntou.

Greninja balançou a cabeça entediado e puxou de suas costas uma grande WATER SHURIKEN e a lançou contra os adversários mais rápido do que eles puderam piscar. Ela atingiu o chão e explodiu fazendo a Equipe Rocket decolar de novo.

Greninja percebeu que aquilo tinha acontecido já fazia um dia. Ele se debateu inutilmente tentando se libertar do que quer que fosse aquilo que o estava segurando.

- Pare com isso. – Geleca falou ao seu lado.

- O que houve? – Greninja não parou.

- Você não lembra? – o outro Pokemon se divertiu com aquilo – Zygarde nos prendeu no fundo do lago e subiu uma barreira para que eu não pudesse chamar minhas células e você, o Ash.

Greninja parou de se mexer.

- Como eu deixei isso acontecer?

- Não deixou, foi tudo muito rápido, as raízes quebraram o chão e agarraram seus braços e pernas. Elas te suspenderam no ar e ele te acertou um DRAGON PULSE.

- E você? Onde estava?

- Preso também.

- Mas eu deveria ver as raízes. Ele não poderia me pegar de surpresa usando elas. - ele falou furioso.

- Não foi esse tipo de raíz. Foi vegetação comum, por isso você não conseguiu escapar.

Greninja não acreditava como havia conseguido ser tão estupido.

- Me perdoe... – ele disse para Geleca.

- Não peça desculpa. Ainda tem uma maneira!

- Mesmo?

-Sim. Feche os olhos e se concentre.

Greninja obedeceu. Então abriu os olhos de novo.

- Concentrar em que?

- Na sua Aura. Nós Pokemon somos feitos de Aura e só isso, é dela que nosso poder vem. Concentre-se em sua Aura e tente se unir a ela.

Greninja tentou durante alguns segundos.

- Não consigo! Essas raízes que ficam me apertando tiram toda a minha atenção.... Argh!

- Pelo amor de Arceus! Você foi treinado pelo Ash, ele já se concentrou em situações muito piores que essa! - Geleca gritou irritado.

- Certo... - o Pokemon respondeu envergonhado - Vou tentar de novo.

Greninja fechou os olhos mais uma vez. Ele pensou em Ash, nos seus amigos e em todos que, mesmo sem saber, dependiam dele naquele momento.

Ele sentiu seu corpo esquentar. Mesmo com os olhos fechados ele pode perceber a luz que invadia o espaço extremamente limitado no qual eles se encontravam.

- Agora pense no que quer fazer. – Geleca disse – Você quer sair de seu corpo!

- Sair de meu corpo... espera aí o que? – Greninja se sentiu mais leve.

A água o empurrou para cima e ele saiu do lago. Ele olhou para o fundo e viu um casulo feito por raízes negras que emanavam uma espécie de energia vermelha.

“Agora ache-o! ” – Geleca disse em sua cabeça.

- O que? – Greninja se assustou – Cadê você?

“Ainda dentro do lago. Eu preciso que você encontre o Greninja.”

- Como assim?

“O primeiro Greninja a usar a Synchro. O Herói da Vila Ninja.”

O Pokemon entendeu o que deveria fazer.

- Volto logo! – Greninja disse para o lendário e então se pôs a andar.

Andar...

- O que? Meu... meu corpo... o que houve com ele? – Greninja não tinha mais um.

Ele era uma massa azul-translúcida flutuante sem uma forma definida.

“Isso é a forma mais primitiva de um Pokemon, porém é também a mais forte! – Geleca explicou – A partir dela você pode desenvolver novas habilidades, é só você saber como.”

- Certo, preciso me acostumar com isso... – Greninja tentou avançar um pouco, mas começou a girar no ar.

“É como voar! ” - Geleca falou.

- Por acaso você já me viu voando? - Greninja perguntou irritado.

Ele conseguiu se equilibrar e começou a flutuar para fora da caverna.

- Eu volto logo! - ele prometeu e saiu.

 

Ele entrou no vale, mas ninguém percebeu. Ele era, para todos os efeitos, nada.

Greninja avançou calmamente até uma gruta que antes ele não sabia que existia. Era como se um estranho poder simplesmente o puxasse para lá.

O lugar era igual a Caverna Terminus, só que milhares de vezes menor.

- Então você chegou? – uma figura que se encontrava agachada perto de um pequeno lago lhe perguntou.

- Quem é você? – Greninja perguntou.

- Quem você está procurando? – a figura perguntou ao invés de responder.

Greninja sentiu medo. Medo do tamanho do poder que aquele ser exalava. Medo de que pudesse viver mais alguém com a mesma habilidade que a dele.

- Não estou vivo. – o outro respondeu mesmo que Greninja nem se quer tivesse dito algo – Não estou a muito tempo. Você quer minha ajuda, não é?

Greninja soube na hora que ele estava conversando com o Herói da Vila Ninja.

- Si... sim senhor. – Greninja respondeu.

- Não me chame de senhor. Me chame de irmão!

- Irmão?

- Não... chame-me do jeito que quiser – o Herói cruzou os braços e suspirou – Vai ser muito difícil te explicar o que nós somos um para o outro...

Greninja não entendeu nada.

- Nesse momento você está no fundo do Lago Terminus, não é?

- Sim, Zygarde mandou que eu viesse pedir sua ajuda.

- Zygarde...

- Algum problema? – Greninja perguntou.

- Não, só estou me lembrando de algo. – o Herói parecia perdido em algum ponto da sua antiga vida – Muito bem! Você quer ter o seu poder maximizado e é isso que você terá!

- Você vai me treinar?

- Vou! - ele respondeu – É tudo muito chato por aqui mesmo, estou precisando de algo para me destrair!

 

Greninja voltou a sentir seu corpo. Ele estava sem fôlego nenhum.

- Quanto tempo eu fiquei fora? - ele perguntou depois de puxar a maior quantidade de ar que ele conseguiu tirar da água para dentro de seus pulmões.

- Uma semana e meia. - Geleca respondeu calmamente – Na verdade foi menos de vinte e quatro horas, mas eu acho que você percebeu que o tempo aqui e lá é muito diferente!

- Sim... - Greninja respondeu lembrando de seu treinamento – Que dia é hoje?

- Dezesseis de novembro, por quê? - Geleca o encarou na penumbra de sua prisão.

- Tem algo me incomodando, como se eu tivesse deixado algo muito importante passar dispercebido... - ele se contorceu.

- Descobrimos o que é depois. - Geleca disse – Me diz que você conseguiu dominar a técnica para nos tirar daqui...

- Tanto para fazer isso quanto parar parar Zygarde! – Greninja disse.

Ele se concentrou e seu corpo começou a brilhar.

Seu corpo desabou no chão. Ele e o Herói estavam em um campo aberto onde a grama era muito verde e viva. O outro Greninja havia dito que aquele lugar se chamava Alpha World e que era para lá que os heróis iam quando morriam. Que era lá que Arceus morava.

- Vamos Greninja, você tem que dominar ao menos uma das duas técnicas antes de sair daqui! - o Herói brigou com ele.

Greninja se levantou ofegante. Naquele lugar ele tinha um corpo e o treinamento de seu mestre estava fazendo ele começar a sentir falta de ser uma massa disforme de luz.

- Eu estou cansado! Parece impossivel fazer isso! - ele disse.

- Mas não é! - o outro Greninja fez surgir sua arma e desferiu um golpe no ar, fazendo surgir uma linha no ar, como se ele tivesse cortado através da dimensão.

Greninja já sabia como seu mestre fazia aquilo. A dimensão era de fato, pura Aura, então aquele técnica tinha dez vezes do seu poder original lá dentro, o que fazia muito mais fácil treiná-la lá e também demonstrar como ela funciona. Exatamente da maneira como o Herói havia feito.

- Já chega de ficar tentando! - ele brigou com Greninja – Faça de uma vez ou então desista disso!

- Desistir nunca! – a bronca pareceu ter feito ele ter ainda mais determinação para conseguir projetar o ataque.

Ele levou a mão direita às costas e a WATER SHURIKEN se transformou novamente em uma katana, ele a empunhou e a brandiu contra o outro

- Vou dominar as duas técnicas antes de sair daqui! Nunca mais serei derrotado!

O Herói sorriu.

- A Aura é o que une você ao seu treinador, assim permitindo a Synchro, acredito que já tenha entendido isso. Mas ela também é o que possibilita a Mega Evolução. Pokemon normais, que não tem o mesmo poder que o seu e não compartilham da mesma ligação que você tem com o seu treinador acabam precisando de artefatos para atingirem esse nível de poder. A Key Stone vai criar uma aura idêntica à do Pokemon para o treinador enquanto a Mega Pedra cria poder para ele liberar sua forma mais poderosa.

- Então quer dizer que a Mega Evolução é para Pokemon fracos?

- Quase isso. – o Herói respondeu – A primeira técnica, como eu expliquei, vai te ensinar a entrar em Synchro comigo. A segunda foi algo utilizado por mim quando vivo, algo criado por mim!

- Eu ainda não entendi qual é o objetivo dela... eu já aprendi a modelar a água e até a controlar um pouco da Aura, mas ainda não entendi o objetivo disso! Me explique senão eu não vou conseguir fazer!

O outro revirou os olhos.

- Ela se chama AURA CUT, ela distrói um tipo específico de Aura, a corrompida, que é o problema do Zygarde, ele está cheio de Aura Corrompida por causa da máquina de Lysandre. E se você dominar por completo essa habilidade poderá até anular uma Mega Evolução!

Greninja de repente sentiu uma determinação ainda maior em aprender aquele movimento.

- Você deve tomar cuidado ao usá-la, lembre-se, ela destrói Aura Corrompida, mas pode machucar muito um adversário sem uma Mega Evolução. Se usá-la com muito poder pode até matá-lo.

- Matar? – Greninja balançou a cabeça – Não vou matar ninguém, mas eu preciso disso para parar o Zygarde.

O herói se viu naquele Pokemon inexperiente. Greninja podia falar o que fosse, ele era inexperiente. Ainda tinha muita coisa para aprender.

- Tente usá-la em mim. Feche os olhos e concentre sua Aura na katana. Faça com que ela, sua Aura, seja maior do que a minha!

Greninja obedeceu. Ele fechou os olhos e se concentrou. Mesmo de olhos fechado ele podia ver tudo a sua volta, o outro estava parado em postura de combate. Ele canalizou toda a sua energia na katana, abriu os olhos e disparou contra o outro.

Ao chegar em cima dele, o herói pulou para trás fazendo com que Greninja acertasse o chão.

- Droga!

Greninja avançou de novo e o outro pulou para a esquerda.

“Tenho que enganar ele! ”

Ele avançou contra o outro uma terceira vez, mas agora de olhos fechados. O que ele via por fora de seu corpo se passava em câmera lenta. O herói fez um movimento para a esquerda e Greninja o seguiu, mas então o outro pulou para a direita.

“Dessa vez não! ” - ele gritou internamente.

Ele parou o braço em pleno movimento, girou a cintura, pôs a perna direita como base e então desferiu o golpe para a direita fazendo um arco com a espada e acertando o outro direto no estômago.

- Uf! – o Herói caiu no chão.

Seu corpo tornou-se translúcido e então ele voltou ao normal, perdendo sua forma de Synchro da qual ele havia tomado quando começou o treinamento.

Ele se pôs de joelhos e olhou para o aprendiz. Ambos estampavam um orgulho gigante no rosto.

- Você está quase pronto! – ele disse – Eu queria ter mais tempo para poder te ensinar a fazer a Synchro comigo, mas isso não vai ser possível, vai ter que ir sozinho!

- Mas eu só lhe acertei uma vez! - Greninja disse - Não me sinto pronto ainda!

- Mas você está! Confie em si mesmo! - o Herói falou de uma maneira que fez Greninja se lembrar de seu treinador - Eu também sinto falta dele... - ele completou lendo o pensamento do outro.

Poderia ser coisa da cabeça de Greninja, mas ele teve certeza que o outro Pokemon estava falando de Ash e não do próprio treinador.

- Onde está seu treinador? - ele perguntou.

- Bem perto! - o Herói respondeu tornando-se translúcido e começando a desaparecer – Lembre-se dele quando for usar sua nova técnica! Vai te ajudar a projeta-la com mais facilidade!

E então ele desapareceu deixando Greninja encarando uma planice vazia e sem vida nenhuma a não ser a dele. Aos poucos ele também começou a desaparecer. Ele fechou os olhos quando voltou a sentir seu verdadeiro corpo.

O corpo de Greninja continuava brilhaando. Já fazia meia-hora que Greninja havia retornado ao seu corpo e ele não havia parado de tentar invocar a katana em nenhum momento.

- Eu vou conseguir! – ele fechou os olhos e se concentrou mais uma vez.

Ele sentiu a katana aparecer em suas costas mais uma vez. Dessa ela parecia mais consistente e perigosa.

- Eu só preciso... relaxar...

As raízes pareceram afrouxar no corpo dele, ele sabia que um único corte seria o suficiente. Ele tentou levar o braço até o ombro por cima do peito mas viu que isso não seria possível. Então adaptou seu plano à situação. Ele tentou mexer sua língua e pegar a arma com ela.

“Funcionou! ” – ele pensou com satisfação – “Agora eu preciso que você fique menor...”

Ele se concentrou na katana e ela diminuiu até ficar do tamanho de um punhal.

“Vamos lá, tem que funcionar... ”

Sua língua deslizou pelo seu pescoço com o punhal preso nela, ela passou por uma raiz um pouco mais fina e essa arrebentou quando entrou em contato com a arma. A água invadiu o casulo e tanto Greninja quanto Geleca se sentiram renovados.

- Não chame o Ash, não vai adiantar de nada.

- Eu não ia. Eu vou trazer Zygarde de volta de uma vez por todas por conta própria! Estou cansado de ele ficar tendo esses ataques!

- Certo... e me desculpe por isso!

Geleca brilhou e se expandiu assumindo sua forma cinquenta por cento. As raízes explodiram e libertaram os dois. Greninja foi arremessado para fora do lago, mas se agarrou a uma estalactite com sua língua e conseguiu cair no chão dando uma cambalhota, sem maiores danos.

- Vamos logo! – Geleca libertou algumas células e assumiu a forma dez por cento.

- Estou logo atrás de você! – Greninja respondeu.

Uma WATER SHURIKEN apareceu em suas costas e então ela tomou a forma de uma katana, ele a empunhou e então se pôs a correr atrás de Geleca que já estava fora da caverna.

 

Zygarde, em sua forma cinquenta por cento, estava parado na entrada do santuário de Xarneas. Ele já estava a mais de um dia tentando abrir as portas, mas elas simplesmente se recusavam e isso o estava irritando muito.

- Então esse é seu novo plano? Matar a própria vida? – Greninja parou atrás do lendário com a katana em punho.

- A última ordem de meu mestre foi destruir os humanos. Eu vou cumpri-la não importa como!

- Você não tem mestre nenhum! – Geleca disse – Não tem que obedecer as ordens de Lysandre! Ele está morto! Nós o matamos!

As palavras de Geleca pareceram ecoar nos ouvidos do outro Zygarde.

- Ele... está... nós... morto... – Zygarde se curvou para frente dando um grunhido assustador, como se sentisse dor.

- Agora Greninja! – Geleca gritou.

Greninja deu um passo à frente e então pulou para cima de Zygarde com a katana erguida acima da cabeça, mas antes que ele pudesse acertá-lo o lendário se ergueu e lhe acertou um DRAGONPULSE.

Greninja voo acertando as costas em uma árvore. Ele caiu no chão muito enfraquecido e quando tentou se levantar recebeu outro ataque de Zygarde. Dessa vez ele não tentou se levantar. Geleca assistiu a cena horrizado sem poder fazer nada.

- Você deveria ter se juntado a nós irmão, nós íamos refazer esse mundo do zero... acabar com essa praga humana!

- Humanos não são uma praga, Lysandre era! E nós o destruímos! Nem todos os humanos são maus, lembre-se do Ash, da Bonnie e dos outros que lutaram ao nosso lado! Você acha que se eles fossem maus eles teriam dado a vida para parar o Megalith? Você acha que eles teriam dado a vida para salvar aquele Chespin?

Os dois Zygarde se encaravam. O que estava sob o controle do Lysandre começou a aparentar fraqueza como se estivesse cansado.

- Sempre vão ter pessoas ruins, – Greninja falou se levantando com muita dificuldade – assim como vão ter Pokemon ruins. Nós não podemos perder a fé na humanidade por causa de uma pessoa ou outra. Lembre-se que elas sempre são derrotadas por pessoas boas!

Greninja sabia que era como falar com a parede, mas ainda assim ele tentou. Zygarde balançou a cabeça irritado.

- Morram! – ele gritou disparando um raio vermelho contra Geleca.

“Por favor, não falhe comigo! ” – Greninja rezou e se pôs entre os dois lendários com a katana na frente do corpo em forma defensiva.

Sua mão direita estava ao lado da cintura e a lâmina estava virada na vertical terminando na frente de seu ombro esquerdo. O ataque atingiu ela e refletiu para os lados acertando árvores e pedras.

Greninja deu um passo para a frente, e então outro, e mais outro, ignorando o ataque que tentava matá-lo. Ele parou na frente do lendário e esticou o braço para que a arma o tocasse e o raio cessou como se uma válvula tivesse sido fechada.

“Faça agora! ” – uma voz disse ao seu lado – “Eu te ajudarei! ”

- O que está fazendo aqui?

"Eu não poderia deixar vocÊ sozinho nessa! " - o Herói respondeu e Greninja sentiu sua presença se tornar cada vez mais poderosa ao seu lado - “Vamos juntos! ”

Greninja puxou o braço para junto do corpo de novo, se concentrou em sua Aura e sentiu ela sendo dirigida para a katana, ele estava sendo ajudado, ele sabia disso, mas não se importava, ele teria tempo para treinar depois.

- Greninja! – Geleca gritou assumindo a posição de treinador – Use AURA CUT!

Greninja pulou para cima de Zygarde, que havia sido paralisado pelo poder do Herói, enterrou a katana em sua cabeça e desceu o cortando ao meio, fazendo ele se desfazer, voltando a ser um simples Core.

 

Greninja desabou no chão da caverna muito cansado.

- Eu quero que isso pare. – Zygarde falou – É aterrorizante pensar que a qualquer momento eu posso fazer isso de novo e que talvez eu mate um de vocês.

Greninja olhou para ele.

- Isso não vai acontecer! Eu vou treinar o AURA CUT e quando você tiver outro surto eu vou te acertar e destruir toda a sua Aura Corrompida... eu fui fraco dessa vez, fui ajudado pelo Greninja Original, não fui forte o suficiente para conseguir ajudá-lo.

- Não foi forte? Você me parou! – Zygarde discordou.

- Mas eu ainda não atingi meu máximo... eu preciso fazer isso logo...

Geleca, em sua forma mais simples, se aproximou dele.

- Você usou na entrada do santuário uma habilidade que só pode ser usada se ambos, treinador e Pokemon estão em sincronia perfeita. Você alcançou o seu máximo no momento em que nos libertou do fundo do lago. Agora tem que expandir seu limite!

- Greninja, nós somos lendários, não pode esperar nos derrotar facilmente sem o Ash. O que você fez lá foi mais do que qualquer outro já nos fez. Até o Alan, que já me enfrentou com seu Charizard, precisou Mega Evoluir ele para que pudesse me parar. Você continuou normal e me derrotou. Na próxima vez que isso acontecer não irá precisar da ajuda do Greninja Original, eu tenho certeza.

- Obrigado para vocês dois! – Greninja disse finalmente se conformando – Vou descansar um pouco e depois eu vou treinar.

Os três ficaram quietos durante algum tempo e quando a noite caiu, Greninja saiu da caverna para treinar sua nova habilidade.

 

- Eu estou vendo eles! – James anunciou triunfante – Dessa vez nosso plano vai funcionar! Meowth cadê a caixa?

Meowth se aproximou com uma caixa da Equipe Flare. A mesma usada para levar Zygarde para a base deles.

- Você tem certeza que isso é seguro? – Jessie perguntou.

- Absoluta! O plano da Equipe Flare quase funcionou, só não deu certo por causa dos pirralhos! – James defendeu sua ideia.

- Certo, vamos logo com isso então. Eu quero ir para casa... – Jessie falou cansada e ainda dolorida do tombo que tinha levado alguns dias antes.

 

 

E a jornada continua...

 


Notas Finais


É isso. Peço que deixem a opinião de vocês nos comentários e nós nos vemos quarta que vem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...