História PokéTrainers (Reescrita) - Capítulo 15


Escrita por: ~ e ~Matheus_Xavier

Postado
Categorias Pokémon
Tags Luta, Pokémon, Pokétrainers, Tortura
Exibições 36
Palavras 5.990
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Harem, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Shounen, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Fala trainers, beleza com vocês?

Por essa intro bosta, já deu pra perceber que não ser a Maria que tá postando, e sim o irmão/co-autor/escravo dela, Matheus (uhuu :v)

Bem... Ela deixou o ep pronto, e pediu pra eu postar hoje cedo, já que no tive nada pra fazer de manhã... E aqui estamos :v chega de enrolar, bora ler tretas!

Capítulo 15 - Batalha dos irmãos!


 

— O próximo duelo será entre… Pierre contra Rodrigo! – Afirmou Sul, enquanto fitava o papel em suas mãos.

 

— Espera… Pierre?! – Perguntou Matheus.

 

— Pelo menos, não sou o único que erram o meu nome. – Brincou Jin.

 

— Já sei o que houve. Acho que a Enfermeira Martha entendeu errado meu nome, e em vez de anotar “Pietro”, deve ter anotado “Pierre”. – Teorizou Pietro, com o dedo indicador apoiado no queixo. — Bem, não é importante, o que importa é lutarmos. – O homem fixou seu olhar em Rodrigo, com um sorriso vitorioso. — Está pronto?

 

— É claro! – Respondeu, cerrando os punhos confiante. — Espero que esteja pronto para perder!

 

— Isso nós só saberemos no campo de batalha. – Brincou o homem. — Vamos, eles estão esperando.

 

    Rodrigo assentiu, e se levantou de seu assento. Ele e Pietro se posicionaram no campo de batalha, Rodrigo no lado direito, enquanto Pietro ficou do lado esquerdo, ficando de costas para Sul.

 

    A mulher estranhou ao ver “Pierre”, ela sentia que já o conheceu em algum lugar, porém não deu atenção.

 

— Que comece o combate! – Gritou Maria, animada.

 

— Munchlax, vamos! – Gritou Rodrigo, lançando sua pokébola, dela Munchlax surge animado, porém um pouco sonolento, dando também um breve bocejo.

 

— Então você tem um Munchlax… – Analisou Pietro. — Eevee, é com você.

 

    A pequena raposa branca assentiu, e pulou do ombro de seu treinador ao campo de batalha, os dois pokémon estavam determinados para vencer.

 

— Vamos começar com nosso novo golpe! – Avisou Rodrigo, animado. — Munchlax, Metronome!

 

    O pokémon Comilão levantou seus dois braços, e apontou seus dedos para o céu, os mesmos começaram a brilhar. Após isso, Munchlax começou a balançá-los de um lado para o outro.

 

    Uma pequena esfera branca foi se criando na frente de Munchlax, o mesmo parou de balançar seus dedos, e desferiu um soco na esfera recém-criada, jogando contra Eevee.

 

— Um Wheater Ball? Ok, revide com Shadow Ball! – Ordenou Pietro.

 

    Uma esfera negra se formou na boca da pequena Eevee branca, sem hesitar, a disparou, colidindo com o ataque de Munchlax, neutralizando-o, levantando também uma densa fumaça.

 

Iron Tail! – Ordenou o homem.

 

    Eevee metalizou sua cauda, transformando-a em puro aço, e disparou para dentro da fumaça.

 

Metronome outra vez! – Gritou Rodrigo, Munchlax repetiu os mesmos movimentos de antes, e seu punho se incendiou.

 

    Com um soco, Munchlax neutralizou o ataque de Eevee, causando uma onda de energia, cessando a densa fumaça no mesmo instante.

 

— Agora foi um Fire Punch? – Perguntou Pietro, surpreso.

 

— Na verdade, eu não faço a menor ideia dos golpes que estão vindo, só estou usando esse ataque porque ele é bem legal. – Respondeu Rodrigo, e Pietro caiu para trás.

 

— Não me diga que você não sabe o que o Metronome faz…? – Murmurou o homem.

 

— Então tá, eu não falo… – Respondeu Rodrigo coçando a nuca, com um sorriso forçado.

 

— Como posso explicar… Metronome é um ataque que faz o usuário usar qualquer outro ataque aleatório que ele conheça ou já ouviu falar… Independentemente se ele pode aprendê-lo ou não. – Explicou o homem. — Bem… Seu Munchlax só tem esse golpe? Ou, tem outros?

 

— Ele tem mais dois, e eu acho que você não aguenta eles. – Respondeu, com um tom confiante. — Munchlax, Belly Drum!

 

    O pokémon Comilão começou a bater freneticamente em sua barriga. Uma forte aura vermelha o rodeou, causando-lhe bastante dano, porém aumentando seu ataque ao máximo.

 

Belly Drum é um ótimo golpe… Aumenta seu ataque ao máximo, porém o causa um bom prejuízo… Diria que é usado em último caso. – Analisou o homem.

 

— Eu também tenho esse, Munchlax, Last Resort! – Gritou.

 

    A aura vermelha em torno de Munchlax mudou para um forte brilho branco, cegando Pietro e sua Eevee por uns instantes. Estrelas começaram a se juntar na boca do pokémon Comilão, e uma forte esfera branca foi disparada, rachando o solo que percorria.

 

— Rápido Eevee, desvie! – Ordenou o homem, suando frio.

 

    Eevee assentiu, e jogou seu corpo para a direita, desviando facilmente do ataque de Munchlax. A esfera branca atingiu o chão, uma enorme explosão foi criada, e uma profunda cratera surgiu no campo, deixando todos presentes boquiabertos.

 

— Graças a Arceus conseguimos desviar… – Murmurou Pietro, suspirando aliviado.

 

— Caramba! O que foi que ouve ai?! – Perguntou Rodrigo, também boquiaberto com tamanha força do golpe de seu pokémon.

 

Last Resort é um dos mais fortes golpes Normal Type, porém, só pode ser usado quando o usuário já usou todos seus ataques. Como se fosse uma carta secreta para finalizar seu oponente. – Explicou o homem, chamando a atenção de todos. — Como você disse, Munchlax tem apenas três golpes, então ele já pode usar.

 

— Então é por isso que ele só funcionava depois do Belly Drum… – Murmurou o garoto, rindo dele mesmo. — Bem, agora que eu sei disso, é melhor tomar cuidado com o Munchlax! Last Resort outra vez!

 

    Outra esfera branca foi se criando na boca de Munchlax, após alguns segundos, foi disparada, voando em direção à pequena raposa branca.

 

    Eevee pulou para a esquerda, conseguindo desviar outra vez do ataque. Outra explosão se formou, e outra profunda cratera surgiu no campo. Munchlax começou a carregar e disparar várias esferas em Eevee, a pequena raposa conseguiu desviar de todas, porém com bastante dificuldades.

 

— Desviar não vai adiantar… Eevee, aproxime-se e use o Iron Tail! – Ordenou Pietro, estendendo seu braço em direção à Munchlax.

 

    Eevee disparou, aproximando-se de Munchlax velozmente, o pokémon Comilão continuava atirando esferas brancas, e a pequena raposa desviava de todas, até que estava próxima suficiente de seu oponente.

 

— Salte, agora! – Gritou o homem.

 

— No ar você não terá tanto equilíbrio como no solo! Munchlax, Last Resort outra vez, força máxima! – Gritou Rodrigo.

 

    Eevee saltou, e metalizou sua cauda outra vez. Munchlax fixou seu olhar em sua oponente, e começou a carregar outra esfera branca em sua boca, pronto para finalizá-la.

 

    Com um veloz giro em vertical, a raposa branca acertou uma forte rabada na testa de Munchlax, forçando-o a fechar sua boca e a engolir seu próprio golpe. Uma forte explosão tomou conta do campo inteiro.

 

    Eevee foi jogada contra o chão com uma força absurda por conta da explosão, caindo ao lado de seu treinador, porém conseguiu se levantar, com poucos ferimentos em seu corpo. Já Munchlax, foi nocauteado por conta da explosão interna, fumaça branca era exalada do fundo de sua boca, seu corpo estava totalmente queimado, e uma marca vermelha era vista em sua testa – onde Eevee acertou seu golpe.

 

    O corpo da raposa começou a emitir um fraco brilho azulado, que começou a se espalhar por todo seu corpo. Porém, a mesma fez uma expressão de força, cessando o brilho em si. Ninguém havia notado aquilo, estavam todos com o olhar fixados no Munchlax nocauteado.

 

— M...Mas já?! – Perguntou todos, surpresos, eles ainda estavam computando a batalha que acabara de presenciar.

 

“Pietro ficou tão forte assim desde a última vez?” – Pensou Matheus, assustado com tamanha força do irmão.

 

— B-bem… Munchlax, retorne! – Rodrigo retornou seu pokémon, tremendo um pouco, ele também estava computando o resultado final. — Onix, é sua vez!

 

    O garoto lançou uma Heavy Ball no campo, ao se abrir, um feixe cinzento materializou uma enorme cobra feita de pedras – de aproximadamente sete metros de comprimento – em sua cabeça mantinha-se uma crina, também feita de pedras. Matheus se impressionou com o pokémon de seu amigo, sem hesitar, apontou P.A.N para o mesmo, e ela o analisou:

 

Onix - O pokémon Serpente de Pedra

Onix tem um ímã em sua crina. Ela atua como uma bússola para que este Pokémon não perca a direção enquanto cava seus túneis. Se for danificada, o pokémon pode ficar atordoado por dias. À medida que envelhece, seu corpo torna-se cada vez mais redondo e suave.

 

— Esse vai ser um duelo difícil… Olha o tamanho dessa coisa! – Afirmou Nícolas, surpreso ao fitar o pokémon de pedra.

 

— Tamanho não é documento, só pra te avisar. – Brincou Pietro, abrindo um sorriso no rosto. — Avance Eevee!

 

    Ao ouvir o comando de seu treinador, Eevee disparou em alta velocidade em direção a enorme cobra de pedra.

 

— Use Screech! – Ordenou Rodrigo, Onix começou a gritar agudamente, todos presentes taparam seus ouvidos por conta do barulho, até mesmo Rodrigo. Porém, Eevee não conseguiu parar a tempo, e ficou desorientada por uns instantes. — Perfeito... Sandstorm!

 

    As pedras que eram o corpo de Onix começaram a girar, um forte tornado de areia se formou em volta do pokémon, se espalhando pelo campo inteiro. Não demorou muito, e uma densa tempestade de areia tomou conta do campo de visão de todos.

 

— Isso até que é bom… Uma tempestade de areia deixa o Onix com vantagem… – Comentou Leo, forçando ao máximo sua visão para conseguir ver os pokémon. — Pokémon que não for Steel, Rock ou Ground Type tomam danos a partir dela…

 

Rock Polish! – O corpo de Onix começou a brilhar, como se tivesse sido polido, sua velocidade aumentou drasticamente no processo. — Prenda ele com Bind!

 

    O pokémon de pedra disparou, sua velocidade era incrível, os garotos ficaram boquiabertos ao ver algo daquele tamanho se movendo tão rápido. Em um único movimento, Onix enrolou seu corpo em Eevee, a pequena raposa branca não pôde fazer nada, já que ainda estava um pouco confusa, e não conseguia enxergar direito por parte da tempestade.

 

    Onix apertava a pequena Eevee fortemente, a raposa estava desesperada, com uma expressão de dor e angústia, começando a ter falta de ar. Um grito dela foi ecoado por todo o campo, gelando a plateia inteira.

 

    Todos estavam assustados com a brutalidade de Onix, o pokémon de pedra literalmente esmagava sua oponente, alguns começaram a rezar pra Arceus, na esperança que Eevee saísse viva após isso.

 

    Eevee se debatia sem parar, tentando se libertar e lutando para continuar respirando, porém, era tudo em vão. Com a tempestade de areia, seu fôlego acabava rapidamente. Não demoraria muito para a pequena desmaiasse.

 

— Vamos Eevee, não desista! – Gritou Pietro, chamando a atenção de sua pokémon, a pequena virou seu olhar para seu treinador, e o mesmo viu sua expressão de desespero. O olhar de Eevee conseguiria gelar qualquer um apenas de vê-lo, porém Pietro não se importou. — Você já passou por coisa pior, lembra?! Eu sei que você consegue se livrar disso!

 

    O homem começou a fitar o seu oponente de cima abaixo, até que avistou sua brilhante crina. Ao vê-la, Pietro teve uma ideia.

 

— Eevee, escute-me! Carregue o mais forte Shadow Ball que conseguir! – Ordenou, sua pokémon assentiu, e reuniu toda energia que conseguia em uma esfera negra em sua boca.

 

— Acabe com ela, Flash Cannon! – Ordenou Rodrigo.

 

    Onix abriu sua enorme boca, e o fundo dela começou a brilhar de um tom cinza escuro. Rapidamente, Eevee disparou seu ataque dentro da boca de Onix, causando uma explosão dentro da cobra de pedra. Onix recuou por conta da dor, e largou Eevee, a pequena respirou pesadamente após ser libertada, recuperando seu ar perdido.

 

— Avance com Quick Attack! – Gritou Pietro.

 

    Uma aura branca contornou o corpo de Eevee, sem hesitar, disparou em direção ao enorme Onix, deixando um rastro branco por onde corria. A raposa branca subiu na cauda da serpente de pedra, e começou a correr pelo seu enorme e longo corpo.

 

— Ali Onix! Bind! – Gritou Rodrigo, porém seu pokémon não conseguia se mexer, ainda estava sentindo a dor da explosão em sua boca.

 

— Acerte um Iron Tail em sua crina! – Ordenou o homem.

 

    Ainda correndo, Eevee metalizou sua cauda, e se aproximou velozmente até a cabeça de Onix. Com um salto em espiral, a raposa branca acertou uma forte rabada na crina de Onix, causando-lhe um dano absurdo.

 

    Eevee aterrissou no chão, o urro de dor de Onix era ecoado por todo o campo de batalha, seu rugido era tão forte, que acabou cessando sua própria tempestade de areia. Onix deitou no chão, nocauteado, sua queda fez o lugar inteiro tremer um pouco, porém nada com que se preocupar seriamente.

 

    Todos presentes ainda não acreditavam que Eevee conseguiu vencer um pokémon daquele tamanho, a plateia estava em um total silêncio. Rodrigo estava boquiaberto, assim como Sul e Maria. A pequena pokémon shiny correu em direção à seu treinador, e subiu em seu ombro. Após isso, Pietro se aproximou de Rodrigo, com um sorriso no rosto.

 

— Foi uma luta difícil. – Comentou o homem. — Você é um bom treinador, só lhe falta conhecimento dos golpes de seus pokémon. Foi um bom combo usar o Screech seguido pelo Sandstorm, Rock Polish e Bind.

 

— Bem… Esse Onix é do meu pai, então eu apenas repeti os ataques que ele sempre fazia. – Retrucou Rodrigo, coçando a nuca um pouco sem graça.

 

— Então, seu pai era um ótimo treinador, deve ter orgulho do que o filho está se tornando enquanto segue seus passos. – Disse o homem. — Vamos, ainda tem a luta do meu maninho.

 

— Ok. Quero ver como o Matheus vai se virar lutando contra alguém que não conhece. – Brincou o garoto.

 

— Eu também… Não imagina o quão ansioso estou… – Murmurou o homem, abrindo um sorriso.

 

    Rodrigo retornou seu pokémon nocauteado, assim, ele e Pietro voltaram para seus assentos. Todos ainda estavam boquiabertos pelo resultado final, tentando acreditar no que viram.

 

— Fechem a boca, senão entra mosquito. – Brincou Pietro. — Agora, será você contra essa tal de Luna, não?

 

— Pelo visto, sim… – Respondeu Matheus, com um pouco de receio em seu tom. — Será que eu consigo vencê-la?

 

— Como assim? – Perguntou o homem, assim como todos, estava curioso.

 

— Eu sei que nossa mãe me mandou aqui por causa desse torneio, mas também, sei que esse pacote que ela me deu é importante para ela e a amiga dela… Queria fazer bonito e deixar ela impressionada. – Explicou o garoto, seu tom estava ao mesmo tempo preocupado, e assustado.

 

— Não bote pressão em você mesmo. Ganhar, perder, não importa, o que importa é se você tem um duelo ótimo que agrade todos. – Argumentou Pietro, cruzando os braços com um tom superior.

 

— Mas também é legal vencer… – Completou Gonçalo, tirando risadas de todos.

 

— Bem, não importa, vá lá e dê o seu melhor, vencendo ou perdendo. – O homem estimulou seu irmão mais novo, dando um leve cascudo em sua cabeça.

 

— O-ok… – Assim, o garoto se levantou, e se dirigiu para o campo de batalha, ficando na direita.

 

— Bem, já temos um dos participantes… A próxima e última luta será entre Matheus e Luna! – Afirmou Maria animada, a plateia recuperou sua voz, e começou a aplaudir.

 

Petallet Village - Makin

 

    Elize saiu de sua sala por um minuto para ir ao banheiro, porém, ao retornar, já tinha acabado a luta entre Pietro e Rodrigo.

 

— O-O QUE?! – Gritou a mulher. — Não posso nem mais usar o banheiro por um minuto, que a luta já termina sem eu ver?!

 

— Emo, Emo… – A pokémon voador e elétrico escondia uma risada com sua mão ao ver a cara de sua dona.

 

— Você não vale nada… Só porque eu perdi a luta do Rodrigo… – Murmurou Elize, com uma gota. — Poderia me dizer, pelo menos, quem lutou contra ele?

 

    Emolga balançou a cabeça positivamente, e apontou para um quadro pendurado na parede, lá havia uma foto de Elize, Matheus e Pietro, com Emolga em sua cabeça. A foto em si parecia um pouco velha e gasta, porém era possível reconhecer as pessoas que estavam nela.

 

— Quem? O Pietro lutou?! Espera… O Pietro está participando do torneio?! – Perguntou a mulher surpresa, Emolga apenas afirmou com a cabeça. — E quem venceu? O Pietro? – Emolga afirmou novamente.

 

“O que ele está fazendo lá?” – Questionou-se mentalmente, com uma expressão um tanto quanto preocupada. “Isso é uma coisa boa… Ou uma coisa ruim? Bem… Agora, estou dividida para quem torcer.”

 

— Emo! Emolga! – O esquilo-voador elétrico tirou a mulher de seus pensamentos com um alto grunhido, ela apontava animada para a televisão. Elize a fitou, e percebeu que seu filho iria lutar agora.

 

— Isso! Pelo menos, vamos vê-lo lutar! – Afirmou ela, animada. — Será que nosso plano vai funcionar?

 

— Emo, Emolga! – Emolga estufou o peito confiante, e fez um joinha com a mão, Elize apenas riu de sua pokémon, após isso, as duas vidraram seus olharem para a tela plana.

 

Steel Down Town - Parte Central - Makin

 

    Matheus esperava impacientemente por sua adversária chegar no campo de batalha, o garoto batia o pé no chão enquanto fitava P.A.N – como se fosse um relógio. A Eevee em seu ombro bocejava um pouco entediada enquanto esperava.

 

— Então… Cadê ela? – Perguntou Maria, virando seu olhar para Sul.

 

— Não sei, já era pra ela estar aqui… – Respondeu, apoiando o punho em seu queixo de maneira pensativa. Seu Mega-Lucario fitava o campo de braços cruzados, como se fosse um guarda das duas.

 

“Será que o treinamento adiantará?” – Questionou Matheus mentalmente para si mesmo, enquanto fitava a pokébola de Treecko em suas mão. “Pietro me ajudou a ensiná-lo um movimento bem forte, espero conseguirmos fazer bom uso dele.”

 

***

 

    Após lutar contra Courtney, Matheus pediu para seu irmão que o ensinasse um novo ataque para seu Treecko, não importasse qual, ele só queria um novo e potente golpe. Pietro não havia entendido nada, porém resolveu treinar seu irmão.

 

    Era 00:42, e as ruas da cidade estavam completamente desertas – algo difícil de acreditar graças ao tamanho da mesma – por conta do toque de recolher.

 

    Era visível apenas Matheus e Pietro, os dois estavam desobedecendo o toque de recolher para treinarem um pouco no campo de batalha do Centro Pokémon.

 

    O céu de Steel Down Town inteiro era enfeitado pelas belas e brilhantes estrelas, acompanhados pela Lua em seu estágio de Lua Nova. O moreno fitava o céu com os olhos brilhando, seus cabelos castanhos eram balançados pela brisa.

 

    Em seu ombro esquerdo, permanecia seu Treecko, o garoto havia resolvido deixar Eevee em seu quarto dormindo, pois amanhã seria um dia cheio para a pequena.

 

— Está pronto para começarmos? – Perguntou Pietro, diferente de seu irmão, sua Eevee branca permanecia em seu ombro esquerdo, a pequena parecia um pouco sonolenta, dando um breve bocejo.

 

— Sim. – Respondeu, com confiança em seu tom. — Qual ataque você vai nos ensinar?

 

— Vejamos… Tenho um golpe forte, que é um dos meus favoritos. – Exclamou o homem. — O Iron Tail, um golpe Steel Type bem forte, que possui uma chance mínima de abaixar a defesa de seu adversário. Acho que seria uma boa ensinar ele para o Treecko, já que Mega-Sceptile’s ganham o Dragon Type, e se torna um perigo lutar contra Ice e Fairy Types.

 

— Ok então, e como funciona? – Perguntou o rapaz de mecha azul, ele e seu Treecko não conseguiam esconder ansiedade.

 

— Bem… – O homem coçou a nuca, tentando achar uma maneira de explicar o golpe. — Por que não mostra para eles, Eevee? Use o Iron Tail naquela árvore.

 

    Eevee assentiu, e pulou do ombro de seu treinador para o chão. A pequena raposa branca começou a reunir energia em sua cauda, deixando-a rodeada por um brilho branco, após cessar, ela havia se transformado em puro aço. Com um leve impulso, Eevee correu e acertou a árvore indicada com uma forte rabada, um grande pedaço da mesma foi arrancada por conta do impacto.

 

— Wow… – O garoto, assim como Treecko, ficou boquiaberto com o golpe.

 

— Bem, tente você agora. – Comentou Pietro, sua Eevee caminhou calmamente até seu dono, e pulou de volta para seu ombro.

 

— Ok Treecko, use o Iron Tail. – Comentou Matheus, colocando seu Treecko no chão. — Tente repetir os mesmos movimentos que a Eevee.

 

    Treecko assentiu, o lagarto de grama começou a reunir uma grande quantia de energia em sua cauda, pouco a pouco, a mesma começou a se metalizar.

 

— Vai lá, falta pouco… – Murmurou o garoto, incentivando seu pokémon inicial. A cauda de Treecko se tornou finalmente em puro aço, com isso, os dois ficaram impressionados. — Isso garoto, agora, acerte a árvore.

 

    Treecko assentiu, recuando um pouco para pegar impulso, disparou em direção a árvore, e a acertou uma forte rabada. A árvore caiu no processo, causando um alto estrondo.

 

— Até que foi fácil, vocês aprenderam a parte mais difícil que é metalizar a cauda do pokémon… Agora, só falta aperfeiçoá-lo. – Comentou Pietro, cruzando os braços com um singelo sorriso no rosto. — Está pronto? Eu não me importo de passar a noite em claro até vocês dominarem o Iron Tail.

 

— Nós também não nos importamos! – Respondeu o rapaz, e seu Treecko assentiu.

 

— Perfeito, vamos começ… – Pietro foi interrompido por um clarão nos seus olhos, cegando o homem por uns instantes.

 

    Matheus virou seu olhar em direção à luz, e avistou Martha, vestida com um fofo pijama azul-marinho, com uma lanterna em suas mão.

 

— O que os dois estão fazendo aqui? São 00:47, é perigoso ficar nas ruas à essa hora. – Avisou a enfermeira.

 

— Ah, desculpa Enfermeira Martha, mas nós viemos treinar um pouco para o torneio de amanhã. – Comentou Pietro, já com sua visão de volta.

 

— Vocês não podem treinar agora, a cidade é imensa, podem ter ladrões em qualquer lugar. – Afirmou ela. — Assim que ouvi a árvore caindo, vim pra cá correndo, vocês me assustaram, jurava que era alguma pessoa ruim, ou um drogado.

 

— É… Desculpe? – Desculpou-se o moreno, mesmo não sabendo se devia fazer isso. — Tá bem… Vamos voltar para nossos quartos, amanhã bem cedo, aperfeiçoaremos o Iron Tail.

 

— Ok, estarei esperando você aqui às 06:00 – Afirmou o homem, voltando para dentro do Centro Pokémon.

 

— Treinadores… Eu mereço… – Brincou Martha, dando leves risadas sozinha.

 

***

 

“Antes de virmos para o torneio, aperfeiçoamos nosso novo golpe, e, consequentemente, aprendemos mais um.” – Listou em sua mente. “Isso já deve ser o suficiente para vencermos. Pietro conseguiu vencer dois pokémon apenas com a Eevee dele, e eram dois bem fortes.”

 

— Cadê ela…? Não tenho o dia todo… – Murmurou o garoto. — Na verdade tenho, mas não quero esperar mais…

 

— Vee… – Bocejou Eevee.

 

— Ela não vai vir… – Comentou Maria, cruzando os braços impaciente.

 

— Então, teremos que continuar o torneio. – Retrucou Sul. — A participante Luna não apareceu no prazo dado, então ela será elimin…

 

— Calma! Cheguei! – Um grito foi ecoado, vindo da mesma direção que o Ginásio de Treinos.

 

    Todos da plateia viraram seus olhares, e avistaram uma bela garota correndo desesperadamente. A garota possuía lindos olhos azul-claros, e um longo cabelo castanho preso por um rabo de cavalo. Vestida com uma regata branca por baixo de um colete preto aberto, um short jeans curtos – na altura de suas coxas – e um All Star de cano médio preto.

 

    Matheus fitava a garota com uma expressão confusa, a mesma também possuía uma mecha azul na lateral de seu belo rosto, não era pintada, pois fazia uma bela transição do castanho para o azul. O garoto estranhou aquilo, escondendo a sua com a mão um pouco sem graça.

 

“Ela… Também tem uma…? Achei que era o único que tinha uma dessas…” – Pensou o rapaz.

 

— Me desculpe por me atrasar… Estava pegando um pokémon com a Professora Juniper pelo PC do Centro Pokémon. – A garota, chamada Luna, se explicou para Sul enquanto se desculpava.

 

— Não tem problema… Mas tente não se atrasar novamente. – Retrucou a morena, cruzando os braços enquanto sorria. — Agora vá lá e nos dê um excelente show por ter nos feito esperar.

 

— Ok. – Assim, Luna se posicionou à esquerda, com uma Great Ball nas mãos. A garota estava animada para começar o combate, deixando visivelmente sua ansiedade. — Então, você será meu oponente? Espero que seja forte, boa sorte.

 

— Hmff… Demorou demais… – Comentou Matheus, apontando sua pokébola para o campo. — Estava fazendo o que? Sua chapinha? Vamos logo com isso, você já me fez esperar muito…

 

(...)

 

    Um pouco afastado do torneio, Courtney se permanecia no terraço do Ginásio de Treinos, fitando o torneio e vigiando Sul, à pedido do homem que a treinou. A ex-membra da Team Magma batia o pé no chão enquanto visualizava os novatos, sua expressão não era a das mais contentes.

 

“Eu mereço… Vou ter que ver um bando de fracotes lutando…” – Pensou a jovem de cabelos roxos.

 

    Courtney começou a fitar Sul, com um pouco de medo, a mulher estava sorridente ao ver os novatos lutarem. Sem entender nada, ela virou seu olhar para o campo de batalha, e avistou o garoto que ela havia derrotado no dia passado; Matheus.

 

“Ora, então você vai lutar… Me mostre mais uma vez o poder que ‘vocês’ possuem…” – Comentou mentalmente, enquanto abria um sorriso psicótico no rosto.

 

(...)

 

— Treecko, vamos nessa! – Matheus lançou sua pokébola, dela seu lagarto de grama surge, pronto para a batalha.

 

— Então eu vou com ela! Servine! – Luna sacou uma pokébola normal de sua cintura, e a jogou no campo, dela uma cobra verde se materializou, havia braços e pernas curtas, e uma folha afiada na ponta de sua cauda e costas. Matheus apontou P.A.N em direção ao pokémon, e a mesma o analisou:

 

Servine - O pokémon Serpente de Grama - Forma evoluída de Snivy

Quando fica suja, suas folhas não podem ser usadas na fotossíntese, por isso sempre se mantém limpa.

 

“Um pokémon originário de Unova! Eu só havia visto poucos de lá…” – Pensou Matheus, impressionado.

 

— Treecko, avance e use o Bullet Seed! – Ordenou, seu Treecko disparou em direção à Servine, cuspindo inúmeras sementes na inicial de Unova, causando-a um pouco de incômodo.

 

Leaf Tornado! – Servine começou a girar em torno de si mesma, várias folhas foram rodeando seu corpo, e a deixando dentro de um forte tornado de folhas, defendendo-se dos ataques de Treecko. — Lance!

 

    Com um belo movimento, a serpente de grama jogou seu tornado em Treecko. O lagarto se defendeu com seus braços, botando-os frente à seu corpo, recuando um pouco.

 

— Aproveite que ele está distraído! Leaf Blade! – Ordenou a garota, sua Servine investiu velozmente, como se estivesse rastejando pelo solo, a folha em sua cauda afiou-se ainda mais, e tomou uma tonalidade verde-clara.

 

    Com um salto seguido por um giro em vertical, Servine acertou um forte corte na barriga de Treecko, empurrando-o para trás um pouco ferido. Uma marca de corte vermelho-sangue estava no local em que a serpente de grama atingiu seu feroz corte.

 

Leer! Abaixe a defesa dela! – Gritou o rapaz, seu pokémon cerrou um olhar de fúria em Servine, porém a mesma nem se abalou, pelo contrário, ela revidou o olhar com um mais pavoroso. Sua guarda havia aumentado, ao invés de abaixar. — Mas o que…!

 

— Heh, Slam! – Servine começou a rastejar outra vez, se aproximando velozmente à Treecko, com um único movimento, enrolou seu corpo no lagarto de grama, e o jogou com força contra o chão.

 

— Treecko, levante-se! – Gritou Matheus, o mesmo estava começando a suar frio, e o desespero estava tomando conta de si. — Ataque ela com Thunder Punch!

 

    Treecko conseguiu se levantar com dificuldades, o lagarto de grama ergueu seu punho direito, e o rodeou de eletricidade. Rapidamente, se aproximou se sua oponente, e a acertou com um potente soco, porém não parecia ter surtido tanto efeito.

 

— Deixe ele imóvel. Attract! – Ordenou Luna.

 

    Com um sorriso de canto, Servine deu uma piscadinha para Treecko, corações rosas começaram a rodeá-la, e a voar até o lagarto. Todos explodiram em pequenas faíscas rosadas, porém não havia surtido efeito nele… Ou melhor, nela.

 

— Ué, o que houve? – Perguntou o rapaz, confuso. — Ei P.A.N, o que o Attract faz?

 

Attract é um movimento que deixa o adversário do sexo oposto louco de amor pelo usuário.” – Respondeu.

 

— E por que não funcionou no Treecko? – Perguntou novamente.

 

“Porque não é ele, e sim ela, seu animal acéfalo!” – Respondeu P.A.N, se enfurecendo.

 

— Treecko é fêmea?! – Gritou o rapaz, surpreso, ele fitou melhor seu inicial, e ela havia mesmo características mais femininas, seu corpo era mais magro e mais rústico. — Nossa… Eu nunca percebi isso… Desculpe, garota.

 

“Arceus… Eu não mereço ficar com um moleque burro desse jeito…” – Murmurou o aparelho de pulso.

 

— Agora que eu sei disso… Estou salvo do Attract dela… – Comentou o rapaz, abrindo um sorriso no rosto. — Treecko, mostre seus novos golpes! Iron Tail!

 

    A cauda da pokémon de grama começou a reunir energia, transformando-se em puro aço. Assim que Servine avistou isso, se afastou de sua oponente.

 

Leaf Blade! – A folha da serpente de grama afiou-se novamente, tomando outra vez uma tonalidade verde-clara, sem hesitar disparou em direção à Treecko.

 

— Vá! Força máxima! – Gritou o rapaz.

 

    Sua Treecko pegou impulso, e disparou em direção à sua oponente, os dois pokémon de grama colidiram seus golpes, fazendo uma onda de energia correr pelo campo.

 

Thunder Punch! – Treecko aproximou seu corpo até Servine com o punho esquerdo erguido, rodeado por eletricidade. Após isso, desferiu um gancho de esquerda no queixo de sua adversária, jogando-a para perto de sua treinadora.

 

— Servine, está bem? – Perguntou Luna, um pouco preocupada, sua pokémon afirmou com a cabeça, levantando-se logo em seguida.

 

Aerial Ace! – Ordenou Matheus, as mãos e pés de sua Treecko brilharam com uma tonalidade branca, sem hesitar, se aproximou velozmente em direção à Servine.

 

— Agora, Solar Beam! – Gritou Luna, as folhas nas costas de Servine começaram a reunir energia solar, e uma esfera verde-clara brilhante se formou em sua boca.

 

    Não demorou muito, e Servine disparou um potente feixe verde em Treecko, engolindo a pequena lagarta. O golpe foi a queima roupa, Treecko foi jogada nocauteada contra seu treinador, derrubando os dois no chão, o corpo da pokémon não possuía nenhum ferimento grave, apenas poucos arranhões e queimaduras. Porém aquilo foi o suficiente para preocupar seu dono.

 

— Treecko! Você está bem, garota? – Perguntou o rapaz, chacoalhando seu pokémon de leve, na esperança que ela acordasse. Treecko abriu seus olhos amarelos com um pouco de dificuldades, e o respondeu com um joinha. — Ainda bem… Retorne, você merece um descanso.

 

    Um feixe vermelho desmaterializou Treecko, e a retornou de volta para sua pokébola, Matheus se pôs de pé, batendo a poeira em seu corpo. O rapaz estava ficando nervoso, seu olhar era de mais puro ódio.

 

— Eevee, termine com isso! – Gritou, estendendo seu braço direito até o campo, sua pequena Eevee correu pelo mesmo, e saltou, aterrissando no campo de batalha pronta para o combate. — Ataque-a com Shadow Ball!

 

    A pequena raposa marrom criou uma esfera de energia sombria em sua boca, e a atirou contra Servine, atingindo a pokémon em cheio.

 

— Não fique para trás, Leaf Tornado! – Ordenou Luna, a garota se divertia com o combate.

 

    A serpente de grama começou a girar em torno de si mesma novamente, várias folhas começaram a rodeá-la e a voar até Eevee.

 

— Desvie com Take Down! – Eevee começou a correr em direção ao forte tornado, contornando-se por uma forte aura branca. A pequena raposa desviava das folhas que voavam em sua direção, e acertou uma cabeçada no peito de Servine, obrigando-a a recuar. — Swift!

 

    A cauda da pokémon de tipo normal se tornou dourada, com um giro em vertical, atirou várias estrelas em sua oponente.

 

— Corte todas com Leaf Blade!

 

    Servine recompôs seu equilíbrio, e afiou sua cauda mais uma vez. A pokémon de grama começou a desferir cortes furiosos em todas as estrelas que iam em sua direção, transformando-as em fogos de artifícios.

 

    A plateia inteira se permanecia em silêncio – assim como Sul e Maria – todos estavam impressionados e concentrados com a batalha que estavam presenciando, não queriam perder nem um segundo dela!

 

Grass Whistle! – Servine começou a assoviar uma doce e bela melodia, algumas pessoas da plateia começaram a bocejar de sono ao ouvi-la.

 

— Faça o máximo de barulho possível! Shadow Ball no chão! – Ordenou o rapaz, apertando seu punho firmemente.

 

    A raposa branca começou a carregar uma esfera negra em sua boca, e a mirou no solo abaixo de si. Sem pensar duas vezes, a disparou, causando um alto estrondo seguido por uma cortina de poeira, que durou tempo suficiente até Servine parar de assobiar.

 

— Avance com Double Team! – Gritou o rapaz, a mecha azul na lateral de seu rosto começou a emanar um fraco brilho azul-claro.

 

    Um flash de luz foi visto da cortina de poeira, dela inúmeras Eevee’s saíram correndo em direção à Servine. A pokémon de grama ficou espantada com aquilo, não sabendo qual era a verdadeira.

 

L-Leaf Tornado! – Ordenou Luna, assim como sua pokémon, ela estava espantada.

 

    Um forte tornado de folhas rodeou Servine, protegendo-a de qualquer coisa. A serpente de grama apontou seus braços em direção às Eevee’s, e as folhas voaram em direção às mesmas, um por um, todos os clones foram destruídos, sobrando apenas a verdadeira que permanecia em sua corrida.

 

— Salte! – Gritou Matheus, o brilho de sua mecha ficava apenas mais forte a cada comando do rapaz.

 

    Como ordenado, sua pokémon saltou o mais alto que pode. A pequena raposa mergulhou nos céus, caindo em queda livre em direção à sua adversária.

 

Double Team outra vez! – O corpo da raposa emitiu um fraco flash de luz, e mais Eevee’s surgiram caindo do céu, totalizando vinte e uma Eevee’s.

 

— Não sei o que está planejando, mas não dará certo! Solar Beam, carga máxima! – Gritou Luna, sua pokémon começou a reunir energia solar mais uma vez, e outra esfera brilhante surgiu em sua boca, apontada para as Eevee’s em queda livre.

 

— Então segure ISSO! Helping Hand e Shadow Ball! – Gritou Matheus arregalando os olhos.

 

    A Eevee no centro criou uma esfera negra em sua boca, todas as outras se transformaram em uma espécie de energia esverdeada, e se uniram no ataque da verdadeira, o deixando maior e mais potente. O ataque da pequena raposa havia três vezes o tamanho da própria pokémon, dificultando um pouco para ela o manter.

 

    Todos da plateia ficaram boquiabertos ao verem o movimento, inclusive Courtney no terraço do Ginásio de Treinos. Eevee conseguiu atirar seu golpe com dificuldades, e Servine atirou seu feixe verde-claro, a colisão de golpes foi tão forte, que uma enorme explosão engoliu o campo inteiro.

 

    A plateia inteira colocou seus braços frente à seus rostos, defendendo-se da fumaça que a explosão gerou, alguns minutos se passaram, e ela foi se dissipando lentamente.

 

    Quando a fumaça se dissipou por completo, pode-se ver Eevee e Servine deitadas no campo, as duas completamente nocauteadas e esgotadas.

 

    A plateia computou o resultado por uns instantes, logo em seguida, uma saraivada de aplausos tomou conta do local, com direito a assobios e gritos animados.

 

    O garoto ficou pasmo com o resultado, sem pensar duas vezes correu em direção à sua Eevee, e a pegou no colo gentilmente, tentando deixá-la confortável ao máximo. Luna retornou sua pokémon nocauteada de volta para a pokébola, e se aproximou alegremente até o rapaz.

 

— Foi uma luta incrível, eu ainda estou um pouco tonta com a troca intensa de golpes. – Brincou ela, com um sorriso radiante no rosto, a garota estendeu sua mão em direção ao rapaz, cumprimentando-o. — Espero batalhar contra você novamente, foi realmente incrível aquele combo no final.

 

    O garoto se levantou em silêncio, e ignorou os cumprimentos de Luna, passando reto por ela. A jovem de olhos azuis estranhou o ato do rapaz, e o fitou.

 

— Parabéns por vencer… Torcerei para que você ganhe… – Comentou o garoto, caminhando lentamente para longe, seu tom era fraco e tristonho, falhando um pouco.

 

— Ok… – Luna não entendeu nada, porém se retirou da arena, ela respeitou o rapaz, e resolveu não perguntar nada. O grupo de jovens fitou a garota indo em direção ao Centro Pokémon, até perdê-la de vista.

 

— E com isso… Encerramos a primeira etapa do nosso torneio! Tivemos batalhas calorosas, algumas bem rápidas, outras intensas, mas todas foram igualmente excelentes. – Comentou Sul, com seu tom animado. — Iremos fazer uma pausa até a segunda etapa, nos vemos daqui à três horas, aqui mesmo.

 

    Dito isto, Sul e Maria se levantaram de suas cadeiras, e começaram a conversar sobre algum assunto. Todos da plateia começaram a se retirar aos poucos, não demorou muito, e a mesma estava praticamente vazia, com poucas pessoas conversando.

 

    Pietro começou a virar seu olhar, procurando seu irmão mais novo, ele não havia voltado a se reunir com o grupo após sua batalha, e o homem estava começando a se preocupar.

 

    Não demorou muito para seus olhos negros encontrarem seu irmão, o garoto caminhava até o Centro Pokémon, abraçado com sua Eevee nocauteada. Era visível a pequena respirando pesadamente por conta do desgaste que sentia.

 

“Droga… Por que você faz isso?” – O homem se questionou mentalmente.

 

— Vamos indo, pessoal. – Pronunciou Pietro, chamando a atenção de todos.

 

Continua…


Notas Finais


E esse foi o ep de hoje, Matheus é um azarado mesmo... Não passou nem da primeira fase :v (prometam-me que não vão abandonar a fic por culpa desse co-autor podre, ok? :v)

See Ya!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...