História PokéTrainers (Reescrita) - Capítulo 8


Escrita por: ~ e ~Matheus_Xavier

Postado
Categorias Pokémon
Tags Luta, Pokémon, Pokétrainers, Tortura
Exibições 63
Palavras 4.576
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Harem, Luta, Magia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Shounen, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá treinadores, tudo bem? ^^

Trazendo para vocês mais um episódio. Bem, este ep eu resolvi dividir, por que só com isso, já tem 16 páginas (quase 17), se eu escrevesse tudo e postasse, acho que teria mais de 25 páginas. Bem, chega de explicação, espero que gostem da 1ª parte ^^

Capítulo 8 - Rota 4 - Parte 1


 

??? - Makin

 

— Droga… Aquele maldito do Myke me derrotou outra vez… – Murmurava Syra furiosa, andando de um lado para o outro.

 

— Então, você foi fraca outra vez… Que decepção… – Uma voz súbita e intimidadora ecoou no local.

 

    Syra olhou para a direção da voz surpresa, a garota achava que estava sozinha. Assim que avistou o dono da voz, ficou apavorada, se afastando dando pequenos passos para trás.

 

— O-o-o… q-que você faz aqui?! – Perguntou, tremendo de medo. — Esse é meu trabalho!

 

— Seu? Acabei de ouvir que perdeu para o Líder de Ginásio outra vez, acho que você não consegue dar conta de seu trabalho. – Falou a voz, gelando Syra mais ainda. — Eu vim para continuar de onde você parou, a pedido “dele”.

 

— E-e-ele… s-s-sabe que e-eu perdi…? – Perguntou, tremendo mais ainda, com uma feição de pavor e medo, lágrimas foram formando-se em seus olhos negros.

 

— Ainda não, então, não precisa ficar apavorada. – Respondeu calmamente, Syra se ajoelhou aliviada, secando suas lágrimas. — Soube que tinha um garoto no meio…

 

— Sim, estava prestes a matá-lo, quando Myke chegou. – Afirmou Syra, cerrando um olhar furioso apenas de lembrar do Matheus.

 

— Então, tenho uma nova missão para você. – Falou a voz, virando-se de costas para Syra, fitando o céu claro com poucas nuvens. — Arranque a cabeça desse moleque!

 

— O que? É uma missão vinda “dele”? Ou, de você? – Perguntou Syra.

 

— Não interessa de quem tenha vindo ela! Mate aquele moleque, agora! – Gritou, fazendo Syra gelar.

 

— O-o… ok! – Afirmou Syra, saindo do local correndo.

 

Base Secreta de Matheus - Makin

 

    Era 09:00, e Alice estava acordando pouco a pouco, olhando aos arredores procurando Matheus, que havia sumido. A azulada se levantou, e notou que o rapaz não estava na Base, nem os Rattata’s e Raticate.

 

— Onde ele está? – Questionou-se, confusa. — Será que ele foi embora sem mim?

 

    Treecko, Starly e Eevee se aproximaram alegremente da enfermeira, acompanhados por Solosis, Ralts e Inkay. Pareciam estar brincando até que a azulada acordou.

 

“Treecko e Starly estão aqui, então… Onde ele foi?” Pensou ela, mais confusa ainda.

 

— Ei pessoal, onde o Matheus foi? – Perguntou, e todos os pokémon deram os ombros, respondendo que não sabiam. — Estranho… Bem, vou trocar de roupa, caso ele volte, já estarei pronta pra irmos.

 

    Assim, Alice foi para perto de sua bolsa, e pegou uma peça de roupas, indo para trás das caixas se trocar.

 

(...)

 

    Haviam-se passado dez minutos, e nada do garoto voltar. Alice estava sentada em um banco de madeira que achou. A enfermeira estava vestida com um moletom amarelo um pouco, a peça era poucos números maiores do que ela vestia. Uma saia xadrez curta – marrom e amarela – e botas pretas de couro que alcançava seus joelhos.

 

    A azulada mantinha-se de pernas cruzadas, esperando impacientemente o garoto retornar de onde foi. Os pequenos pokémon mexiam e remexiam nas caixas, procurando algo de interessante para passar o tempo.

 

— Se vocês bagunçarem tudo outra vez, vão ficar sem comer. – Brincou a azulada.

 

“Onde esse moleque foi?” Pensou ela, um pouco preocupada.

 

(...)

 

    Matheus haviam acordado e saído às 08:50 da Base Secreta, procurando berry’s para o café da manhã. Os Rattata’s seguiram o rapaz, junto com Raticate, também a procura de alimento.

 

— Será que pegamos berry’s suficientes para todos? – Perguntou o rapaz, olhando para três cestas cheias de berry’s, que ele e os Rattata’s haviam colhidos.

 

— Rattata! – Grunhiu um dos Rattata’s, alegremente.

 

— Acho que você tem razão, eles devem estar com fome. – Disse Matheus, fitando o roedor. — Pelos menos, acho que foi isso que você disse… – Ele soltou leves risadas, enquanto acariciava o roedor negro. — Que tal voltarmos?

 

    Os Rattata’s assentiram, Raticate apenas observava, como se estivesse atento para qualquer perigo. O rapaz chamou a atenção do roedor de pelos negros, e todos voltaram para a Base Secreta.

 

    Chegando na Base, os pequenos roedores correram animados para perto das caixas, Raticate voltou a ficar sentado em sua pedra, fitando o local, protegendo todos do perigo. Matheus foi direto para o centro da Base, esticou um pano e espalhou as berry’s no mesmo.

 

— O café da manhã está servido! – Gritou, chamando a atenção de todos.

 

    Todos os pokémon – selvagens e não – se aproximaram ao ouvir o grito do rapaz, os Litwick’s, Chandelure e Crobat desceram do teto para comer. Alice se aproximou também, com uma cara aliviada e um pouco preocupada.

 

— Você voltou! – Disse ela. — Onde você foi?

 

— Fui buscar umas berry’s pra comermos. – Respondeu o moreno, coçando a nuca enquanto sorria. — Vocês estavam dormindo, então fui sozinho, mas os Rattata’s me seguiram, e acabaram me ajudando. Na verdade, foram eles que escolheram a maioria, eles são ótimos farejadores…

 

— São roedores, não me admiro. – Falou Alice, pegando uma berry e dando uma mordida. — Ah, eu posso te fazer uma pergunta?

 

— Umm… Pode… o que é? – Perguntou Matheus, ficando um pouco confuso.

 

— O que tem dentro daquela caixa? Aquela de ontem? – Perguntou a azulada, curiosa.

 

— Ah, são só lembranças de Sinnoh. – Respondeu Matheus. — Desculpe se fui grosseiro ontem, mas é que eu não gosto que mexem nela.

 

— Não, sem problemas. – Retrucou Alice, sorrindo.

 

— Quer… dar uma espiada e ver o que tem lá? – Perguntou Matheus. — Tem mais alguns posters autografados lá, acho que você vai gostar.

 

— Sério?! O que estamos esperando?! – Perguntou a azulada animada, e Matheus ficou com uma gota.

 

(...)

 

— Aqui está! – Afirmou o garoto, colocando a caixa no chão, no meio dele e Alice.

 

    Enquanto os pokémon comiam, Matheus e Alice começaram a revirar a caixa de Sinnoh, lá encontraram vários Cd’s de bandas da região, clássicas e velhas revistas de “Como se tornar um verdadeiro Mestre Pokémon!”, onde ensinava ataques, habilidades e seus efeitos, e vários posters de Campeões, Líderes de Ginásios, entre outras celebridades.

 

— Wow! Onde você conseguiu todos estes posters autografados?! – Perguntou Alice, impressionada fitando um poster do Campeão de Hoenn: Steven Stone, autografado pelo mesmo. — Estão todos em ótimos estados!

 

— Bem… Meu irmão viajava pelas regiões, e me levava na maioria de suas visitas, ele tinha contato com os Campeões, e eu passava o dia com eles. – Explicou o garoto, se lembrando de sua infância com um sorriso. — Achava eles bem legais, muitas vezes, me levavam para passear, e encontrávamos uns Líderes de Ginásios no caminho.

 

— Mas eu não entendo… Você conheceu os Campeões pessoalmente, por que não deseja superá-los? – Questionou Alice.

 

— Não gostava muito de desafiar Ginásios. – Respondeu Matheus. — Eu assistia várias batalhas deles, e eu nunca senti aquele calor de uma batalha…

 

— Ainda acho um pouco estranho… – Comentou Alice, a azulada notou um papel caindo no chão, e o pega, vendo uma foto com três homens e uma mulher, no meio deles, estava Matheus. — Quem são esses?

 

    O garoto fitou a foto na mão da enfermeira, e disse:

 

— São antigos amigos. Eles são de uma banda, e também me ensinaram a tocar guitarra… Falando nisso, foram eles junto com meu irmão que me deram minha guitarra, ela deve estar aqui em algum lugar…

 

    O rapaz se levantou, e começou a procurar sua guitarra nas caixas. Alice continuava revirando as lembranças do garoto, encontrando algumas fotos velhas, cartas, alguns gibis e jogos de fitas.

 

“Ele realmente gostava de RPG… Quantos jogos…” Pensou Alice.

 

    Alice estava entretida nas lembrança de Matheus, um alto slide foi ecoado na Base inteira do nada, fazendo a azulada alcançar o teto.

 

— ACHEI! – Gritou Matheus, animado.

 

— Não faz mais isso! Eu quase morri! – Gritou Alice furiosa.

 

— Ué, não queria ver minha guitarra? – Perguntou Matheus, mostrando sua guitarra.

 

    Alice fitou a guitarra, era um modelo Gibson vermelha, com um pouco de poeira, e as cordas um pouco gastas.

 

— Como vocês conseguem deixar as coisas em tão bem estado, mesmo deixando elas abandonadas? – Perguntou Alice, impressionada.

 

— Sei lá, só sei que elas não estragam aqui. – Respondeu Matheus, dando os ombros com um sorriso. — Afinal, vi que você gosta desses posters… Se você quiser, pode ficar com eles.

 

— Sério?! Posso ficar com eles?! – Perguntou a azulada, seus olhos brilharam ao ouvir as palavras do moreno.

 

— Sim, pode ficar. – Respondeu Matheus, sorrindo. — Acho que é até melhor, senão, podem acabar mofando, e você disse que tem um alto valor…

 

— Obrigada mesmo! – Falou Alice animada, abraçando o moreno.

 

— Só vou ficar com um, que tem um valor sentimental alto, ok? – Sugeriu Matheus, e Alice assentiu.

 

    O moreno foi até a caixa, e procurou algo entre os posters, tirando uma pequena foto. Alice se aproximou, e viu a foto, nela estava Cynthia e Matheus.

 

— Você conheceu a Cynthia? – Perguntou Alice, e Matheus afirmou balançando a cabeça.

 

— Se eu quiser superar alguém, será ela. – Disse Matheus. — Passava muito tempo com ela, e via suas lutas… Ela era muito forte. Bem, vamos indo.

 

— Vamos. – Disse Alice, retornando seus pokémon, Gothitelle aparece com a bolsa da azulada em suas mãos, e a entrega. — Meu quarto ganhou mais posters! – Comemorou, guardando seus novos presentes.

 

    Matheus abriu um sorriso ao ver a animação de Alice, o garoto pega uma Dive Ball em uma caixa bem velha, e chama Empoleon para dentro da mesma por um feixe vermelho.

 

— Vai levá-lo? – Indagou Alice, pronta para partir.

 

— Vou, a Imperatriz gosta muito de mim, levarei ela para não ficar triste comigo indo embora. – Respondeu Matheus, colocando sua guitarra em suas costas. — Vamos indo. – Ele chamou seus outros pokémon de volta para suas pokébolas, e Eevee pulou em seu ombro.

 

    Os dois saíram da Base Secreta, se despedindo dos outros pokémon, acenando para os mesmos até os perderem de vista. Matheus guiou caminho de volta a trilha, e os dois se depararam com uma placa de madeira, perto de uma árvore um pouco torta, na placa era lida: Rota 4.

 

— Minha Base é como um atalho para passar da Rota 3 e 4 sem andar muito. – Brincou Matheus. — Acho que não foi muito tempo perdido ir pra ela.

 

    Rota 4 não era tão diferente do que a Rota 3, a única diferença visível, era o lago, que não possuía mais. Também havia várias árvores tortas, como se tivessem sido empurradas por algo enorme. Matheus e Alice estranhava aquilo, com medo do que poderia ter sido o responsável daqueles estragos.

 

— O que houve aqui? – Questionou-se Alice, um pouco assustada.

 

— O que quer que seja… Era enorme… – Respondeu Matheus, atento a cada barulho da rota.

 

    Os dois olhavam para os arredores, não prestando muita atenção a sua frente, e sim aos lados. Matheus estava tão entretido, que acabou tropeçando em uma pegada…. Enorme.

 

— De… quem é essa pegada…? – Perguntou Matheus, afastando-se assustado.

 

— Não sei… mas, acabou de passar por aqui… – Respondeu Alice, da mesma maneira.

 

    A enorme pegada no chão havia no mínimo cinco metros de largura, e meio metro de profundidade. Se algo tivesse embaixo daquilo na hora que foi formado, com certeza viraria uma panqueca.

 

    Matheus e Alice deram a volta da enorme pegada no chão, os dois conseguiram avistar a Divisão de Rotas, e a entrada para Steel Down Town.

 

— Finalmente! – Comemorou Alice.

 

— O último a chegar, paga o almoço sozinho! – Gritou Matheus, saindo em disparada logo em seguida.

 

— Assim não vale! – Gritou Alice, correndo logo atrás.

 

    Os dois corriam alegremente a caminho de Steel Down Town, Matheus estava na frente, e provavelmente iria vencer a aposta dos dois. Uma coluna de chamas acompanhada por estrelas de água atingiram o solo à frente do garoto, gerando uma enorme explosão, Matheus conseguiu jogar seu corpo para trás no último segundo.

 

“Tava demorando…” Pensou o rapaz ironicamente.

 

    Um Greninja, acompanhado por dois pokémon estranhos apareceram na frente do garoto, prontos para aniquilá-lo.

 

    O pokémon à direita de Greninja era bípede, com traços de uma galinha, pernas vermelhas e amarelas longas, dois fortes braços vermelhos com garras cinzas, cabelos bege caídos em suas costas, e um colete da mesma cor. O pokémon desferiu um forte rugido ao ver o garoto, entrando em pose de luta.

 

    O da esquerda, havia traços de um cavalheiro, com pernas longas brancas, peito verde escuro com um espinho o perfurando, duas foices verdes afiadas em seus cotovelos, e uma crina parecida com um capacete. O pokémon suspirou ao ver o garoto, como sinal de deboche, entrando em pose de luta logo em seguida. Matheus analisou os dois pokémon:

 

Blaziken - O pokémon Chamas - Forma evoluída de Combusken

Ele consegue pular um edifício de trinta andares em um único salto. Seus golpes flamejantes podem destruir facilmente uma enorme rocha a sua frente.

 

Gallade - O pokémon Espada - Forma evoluída de Kirlia macho

Um mestre de cortesia e esgrima, ele luta com espadas que se estendem sobre os seus cotovelos.

 

— Olá novamente, seu moleque maldito. – Uma voz familiar foi ecoada, o rapaz olhou para todos os lados, avistando Syra em cima de uma árvore torta, ao lado de dois homens de roupas vermelhas.

 

— Ah, é só a ninja de araque… – Ironizou Matheus. — Então, como vai seu dia?

 

— Vai indo perfeito, agora que te encontrei. – Respondeu Syra, pulando da árvore, aterrissando em pé atrás dos pokémon. Os homens fizeram a mesma coisa, aterrissando ao lado da garota.

 

— Aff… Meu dia estava indo bem, até encontrar você… – Disse Matheus. — Escuta, será que dá pra sair da frente? Está me atrapalhando de chegar em Steel Down Town.

 

— Claro, você chegará lá. – Comentou a ninja, com um tom debochado. — Será um prazer arrancar sua cabeça e pendurá-la em minha parede.

 

— Ok… Então… Pra eu passar, vou ter que lutar? – Perguntou Matheus retoricamente. — Meu dia só fica cada vez melhor… Agora, eu tenho aqui um pokémon extremamente forte, ele dará uma surra em todos vocês! – O garoto sacou sua Dive Ball, e lançou para o campo. — Imperatriz, mostre que você não está aqui para brincadeiras!

 

    A esfera azul clara se abre, e um feixe azulado começa a materializar a enorme Empoleon, uma pinguim gigante coberta por uma armadura metálica, com um bico dourado contornando seu rosto, em formato de coroa. Empoleon surge com as mãos em sua cintura, de forma elegante e debochada, fitando seus oponentes com um olhar superior.

 

— Imperatriz, Hydro Pump! – Ordenou o garoto, animado.

 

    Empoleon cruzou suas asas metálicas de frente a seu corpo, seu bico começou a transbordar de água. Em um rápido movimento, levou suas asas para trás de seu corpo metálico, e cuspiu um forte jato de água.

 

— Desviem! – Gritaram os três.

 

    Os três pokémon inimigos desviaram do ataque facilmente pulando para os lados. Blaziken carregou e disparou uma forte coluna de chamas, acertando diretamente Empoleon, não causando muitos danos, porém levantando uma densa fumaça branca entorno da mesma. Os três pokémon aterrissaram, sorrindo por seu oponente não conseguir vê-los.

 

Water Shuriken! – Gritou Syra, Greninja pegou impulso se agachando, e desferiu um salto, levando suas mãos até suas coxas, o pokémon Ninja moldou e atirou inúmeras estrelas aquáticas na densa fumaça, atingindo Empoleon sem que a mesma visse os golpes.

 

Ice Beam! – Um forte raio congelante foi disparado da fumaça, pegando Greninja de surpresa.

 

Blaze Kick! – Ordenou o primeiro homem.

 

    Blaziken pulou na frente de Greninja com sua perna tomada por chamas, em um forte chute giratório, o pokémon Chamas rebateu o raio congelante, devolvendo para Empoleon uma bola de chamas azuis, causando uma enorme explosão ao atingi-la.

 

— Acha mesmo que apenas um Empoleon vai conseguir nos parar? – Perguntou Syra ironicamente, vendo Empoleon ofegante. — Que pena… Será muito fácil matá-lo.

 

— Gallade, Psycho Cut! – Ordenou o segundo homem.

 

— Blaziken, Brick Break! – Ordenou o primeiro.

 

    As espadas nos cotovelos de Gallade cresceram, e tomaram uma tonalidade rosada. A mão direita de Blaziken começou a brilhar com uma cor amarelada. Os dois pokémon investiram contra Empoleon, prontos para acabar com ela.

 

    Várias pedras azuis começaram a cair do céu, antes mesmo dos pokémon atingirem Empoleon, foram acertados pelas mesmas. Empoleon também foi atingida, porém não surtiu tanto efeito. Os pokémon lutadores recuaram, pondo-se de joelhos por conta do golpe. Os seis viraram seus olhares confusos, e Matheus apenas abriu um sorriso.

 

— Mulher, você demorou demais… Onde você estava? arrumando o cabelo? – Ironizou Matheus.

 

— Não… enche o saco… Se você não tivesse saído correndo… não teria acontecido… – Respondeu Alice, apoiando-se em seus joelhos, com Gothitelle ao seu lado.

 

— Ok então… Precisarei pedir que você me ajude? – Perguntou Matheus, sorrindo.

 

— Você sabe que não. – Respondeu Alice, pondo-se ao lado do garoto, e sua Gothitelle se aproximou de Empoleon. — Heal Pulse!

 

    Gothitelle apoiou a palma de sua mão nas costas de Empoleon, o corpo das duas começaram a brilhar em verde, e os ferimentos de Empoleon foram se curando rapidamente.

 

— Imperatriz, Ice Beam! Eevee, Swift! – Ordenou Matheus, estendendo seu braço direito em direção à seus oponentes.

 

    Empoleon se sentia revigorada graças a Gothitelle, sobre sua boca, foi criada uma pequena esfera azul clara – quase branca – disparando um forte feixe congelante. Eevee correu pelo braço estendido de Matheus, e deu um salto, sua cauda se tornou dourada, e girou em torno de si, atirando inúmeras estrelas.

 

    Os dois golpes atingiram seus alvos, causando uma vasta explosão. Quando cessa, os três pokémon estavam intactos, sendo protegidos por um escudo de energia de Gallade.

 

— Gothitelle, Psybeam! – Gritou a azulada.

 

    Gothitelle apontou seus dois braços em direção a seus inimigos, e começaram a brilhar e piscar de uma cor multicolorida. Um forte feixe foi lançado, acertando diretamente o escudo de Gallade, que se desmanchou logo em seguida.

 

Double Kick! – Comandou o primeiro homem.

 

    Blaziken disparou em direção a Empoleon, desferindo um forte chute na lateral direita de sua cabeça, a deixando desorientada.

 

— Eevee! Swift! – Gritou Matheus, sem pensar direito.

 

    Eevee disparou em direção a Blaziken e Empoleon, pulando no meio dos dois com sua cauda dourada, Blaziken desferiu um segundo chute, acertando em cheio o peito de Eevee, jogando ela contra uma árvore, derrubando-a.

 

— Greninja, Night Slash! – Gritou Syra.

 

    Greninja levou sua mão até sua cintura, e puxou uma lâmina de energia obscura, desferindo um forte corte em Gothitelle, jogando-a para trás extremamente ferida.

 

— Imperatriz! Mostre para eles o seu melhor! – Gritou Matheus desesperado, Empoleon assentiu, e estufou seu peito.

 

— Não irá adiantar! Greninja, Water Pulse! – Gritou Syra, arregalando seus olhos.

 

— Blaziken, Flare Blitz! – Comandou o primeiro homem.

 

— Gallade, Close Combat! – Comandou o segundo.

 

    Greninja pôs sua mão direita de rente a sua cintura, e começou a rodeá-la, criando uma esfera aquática na mesma. O pokémon Ninja pegou impulso, ajoelhando-se.

 

    Blaziken rugiu, seus pulsos começaram a se incendiarem descontroladamente, seu corpo inteiro começou a ser rodeado por chamas ardentes, o pokémon pegou impulso, ajoelhando-se e recuando um pouco.

 

    Gallade se pôs em posição de luta, cerrando seus punhos, uma pequena poeira começou a rodeá-lo. Gallade também recuou um pouco, pegando impulso.

 

— Droga, Gothitelle! Proteja a Imperatriz com Reflect! – Gritou Alice, Gothitelle tentou se levantar, porém não conseguiu, por conta do ataque de Greninja.

 

    Os três dispararam ferozmente em direção a Empoleon, que permanecia de peito estufado. Greninja a acertou com uma forte esfera d’água, fazendo a enorme pinguim de armadura recuar um pouco. Blaziken deu uma poderosa investida flamejante, fazendo-a recuar ainda mais. E Gallade desferiu inúmeros golpes – sendo variados entre socos e chutes – no corpo metálico de Empoleon. A pinguim mantinha-se de pé, de peito estufado, porém com seu corpo cheio de feridas.

 

— Vamos, ataque eles com Hydro Pump! – Ordenou Matheus, porém Empoleon não o deu atenção, continuando parada de peito estufado. — Mas… Imperatriz! Acerte eles logo, antes que comecem a atacar novamente! – Gritou, mas Empoleon continuava parada. — Droga… Eevee! Levante-se e use o Take Down!

 

    Eevee assentiu, se levantando com dificuldades. A pequena raposa se contornou por uma aura branca, e investiu em direção a Greninja.

 

— Continua de pé? – Perguntou Syra sarcasticamente, fitando a pequena se aproximando.

 

High Jump Kick! – Gritou o primeiro homem.

 

    Blaziken pulou na frente de Eevee, surpreendendo-a. O joelho do pokémon Chamas começou a brilhar de uma cor marrom, desferindo uma forte e potente joelhada no queixo de Eevee, dando-a um enorme dano.

 

    Eevee atingiu fortemente outra árvore, essa não apenas caiu, como também foi brutalmente arrastada metros para trás. Matheus correu desesperado em direção a raposa, estava gravemente ferida, respirando pesadamente.

 

— Droga… Imperatriz! – Gritou o rapaz, fitando seu pokémon, Empoleon continuava parada. — A-Alice! – Ele virou seu olhar para a azulada, ela estava ajudando sua Gothitelle a se levantar, a pokémon psíquica estava extremamente ferida.

 

“Então, é isso…?” Pensou o rapaz, chocado. “Vamos… perder? Vamos… vamos todos morrer? Não… por que… a Imperatriz não quer me obedecer?” Lágrimas começaram a escorrer pelo seu rosto, caindo em cima do corpo de Eevee. “Que… droga, Imperatriz!”

 

Water Shuriken! – Ordenou Syra, e Greninja atirou novamente suas estrelas ninjas, acertando diretamente Empoleon.

 

Flamethrower! – Comandou o primeiro homem, e Blaziken disparou uma forte coluna de chamas, acertando diretamente Empoleon.

 

“Não… quero perder novamente…” Pensava o garoto, chorando em cima do corpo ferido de Eevee. “Eu… eu sou forte… E quero mostrar isso pra eles… Mas… mas por que eu não consigo?”

 

    Eevee abriu seus olhos com dificuldades, e viu Matheus chorando. A pequena raposa se pôs de pé, cambaleando, começando a caminhar lentamente em direção aos adversários, que continuavam atacando furiosamente Empoleon.

 

— E-Eevee! N-não vai pra lá, v-você irá morrer! – Falou Matheus, tentando enxugar suas lágrimas, porém sem sucesso.

 

    Eevee calou o rapaz com um fraco grunhido, olhando para ele com um olhar destemido. Matheus estava visivelmente confuso com a raposa, a mesma continuou a caminhada, esbarrando em algumas pedras no caminho.

 

Leaf Blade! – Gallade afiou suas lâminas, tomando um brilho esverdeado e desferindo inúmeros cortes no peito de Empoleon.

 

    Empoleon já estava gravemente ferida, com inúmeros cortes, arranhões e queimaduras pelo seu corpo metálico, porém ela continuava de peito estufado, aguentando os movimentos.

 

    Eevee chamou a atenção de todos com um alto – porém fraco – grunhido, todos viraram seus olhares para a mesma. Estrelas douradas começaram a serem criadas em torno de seu corpo.

 

Swift? – Questionou-se Alice, com Gothitelle apoiada em seu ombro. — Não irá adiantar, já tentamos isso!

 

— Está desesperada, pelo visto. – Comentou Syra, com um tom debochado. — Que pena… Vocês, acabem com a vidinha miserável dela.

 

— Blaziken, Flamethrower! – Gritou o primeiro homem.

 

    Blaziken disparou uma forte coluna de chamas em direção a Eevee. Com um alto grunhido, as estrelas douradas de Eevee foram mudando de cor, para um tom mais sombrio e negro, todas as estrelas se uniram frente a boca da raposa, e ela disparou um forte ataque, anulando a coluna de chamas.

 

— O… que foi isso? – Perguntou Matheus, enxugando suas lágrimas.

 

— Foi o Shadow Ball! – Respondeu Alice. — A Eevee aprendeu o Shadow Ball!

 

— Pena que isso não irá salvá-la! – Gritou Syra, a ninja levantou seu braço direito, e estalou seus dedos.

 

MEGA SHINKA!!! – Gritou os dois homens simultaneamente, tocando em uma Key Stone em seus braceletes.

 

    Raios ofuscaram das pedras nos braceletes, uma Blazikenite na perna direita de Blaziken e uma Galladite no braço esquerdo de Gallade começaram a reagir da mesma forma, até que os raios se atingem, e os dois pokémon lutadores começaram a brilhar, evoluindo mais uma vez.

 

    Os cabelos de Blaziken se levantaram, seus braços ficaram um pouco mais longos, e dois fios de chamas saíram de seus dois pulsos, seu colete ficou um pouco mais justo, e suas pernas um pouco mais fortes.

 

    O capacete de Gallade ficou mais pontudo, suas duas lâminas em seus cotovelos ficaram maiores, agora elas eram os próprios braços, o espinho em seu peito ficou menor, e uma capa dividida em duas se formou em suas costas.

 

    Os dois pokémon cessaram o brilho com um poderoso rugido, seguido por um desenho de DNA colorido à sua frente, causando uma forte ventania, amedrontando a todos, menos Empoleon, que se mantinha firme.

 

— Droga… – Murmurou Alice furiosa.

 

— Eevee, Shadow Ball! – Ordenou Matheus.

 

    Eevee começou a carregar outra esfera sombria em sua boca, porém antes mesmo de lançar, Mega-Gallade se aproxima com uma velocidade avassaladora, sua lâmina começou a brilhar com um tom rosado, e o Mega pokémon desfere um forte corte no ataque de Eevee, explodindo-o na cara da mesma.

 

— Ela é minha! – Pronunciou-se Syra. — Greninja, Night Slash!

 

    Greninja puxou outra lâmina negra de sua cintura, e desferiu um forte corte na cabeça de Eevee, jogando-a com força no colo de Matheus, nocauteada.

 

— Ee… vee? – Murmurou ele.

 

— Acabe com ele, Greninja! – Gritou Syra, e Greninja começou a caminhar lentamente em direção a Matheus, o garoto se desesperou ao ver o pokémon Ninja se aproximando, arregalando seus olhos.

 

    O Ninja puxou mais uma lâmina de sua cintura, cruzando as duas em seu peito em forma de deboche, Matheus cerrou um olhar furioso ao ver aquilo, porém não conseguiria continuar. Um forte pisão na frente do garoto foi desferido, chamando a atenção de todos, era Empoleon, defendendo seu treinador.

 

— Imperatriz? – Questionou-se, Empoleon olhou de canto para seu treinador por uns instantes, logo em seguida cerrou um olhar furioso em Greninja, Mega-Gallade e Mega-Blaziken.

 

    Empoleon desferiu um forte rugido, afastando Greninja de si e cessando suas lâminas negras. Uma poderosa e descontrolada aura vermelha surgiu em torno de Empoleon, fazendo a rota inteira tremer, Alice se desesperou um pouco ao ver aquilo, e Matheus ficou impressionado e surpreso.

 

— Droga… Ataquem! Finalize isso de uma vez com Night Slash! – Gritou Syra furiosa, e Greninja cria outras duas lâminas.

 

Flare Blitz! – Mega-Blaziken ficou em torno de chamas descontroladas e ardentes.

 

Psycho Cut! – A lâmina de Mega-Gallade começou a brilhar, e uma forte aura rosa a rodeou.

 

— Agora! – Gritou Matheus, sem saber o que estava por vir.

 

    Os três pokémon investiram em direção a Empoleon com uma velocidade monstruosa, a pinguim metálica levou toda sua aura vermelha para sua boca, criando uma pequena esfera branca. Com os três oponentes próximos de si, Empoleon disparou um devastador e enorme raio branco, engolindo os três, os céus foram tomados por um clarão branco, o poderoso raio pode ser visto até da região mais distante.

 

    Uma enorme explosão engoliu todos presentes, graças ao enorme corpo metálico de Empoleon, Matheus conseguiu se defender, a Gothitelle de Alice voltou a consciência, e se defendeu junto com sua dona com uma bolha rosa. O brilho foi cessando lentamente, Empoleon estava exausta, cansada e ofegante, de joelhos a frente da enorme cratera que seu ataque causou, uma densa fumaça negra era exalada dela.

 

— Então… era isso que você estava fazendo? – Perguntou Matheus, e Empoleon assentiu. — Mas… O que foi isso?

 

— Isso foi um Bide. – Respondeu Alice, chamando a atenção do garoto. — Ele acumula os danos causados pelo seu oponente, e devolve com o dobro de poder. Quanto mais dano acumular, mais forte fica, porém mais exausto ficará após isso.

 

— Então… Seu plano era derrotá-los com um único golpe? – Perguntou Matheus, e Empoleon assente novamente. — Se eu soubesse, não teria gritado com você, Imperatriz… – Empoleon balançou a cabeça negativamente, dizendo que não importava.

 

— O que houve com eles? – Perguntou Alice, aproximando-se do garoto.

 

— Não quero nem saber… – Respondeu Matheus. — Agora, quero ir direto para o Centro Pokémon…

 

— Vamos lá, então. – Falou Alice, ajudando o garoto a se levantar.

 

— Então… Era isso? tenho que admitir, foi surpreendente. – Ecoou uma voz, calmamente.

 

“N-não…” Pensou Matheus, desesperado. “C-como eles…”

 

— Onde vocês pensam que vão? Eu ainda irei pegar sua cabeça, lembra? – Syra saiu da densa fumaça, com os homens e seus pokémon, todos intactos.

 

— Por que… você está em meu caminho?! – Perguntou Matheus, furioso.

 

— Não estou no seu caminho. Você que está no meu. Agora, não passa mais de uma missão, eu QUERO sua cabeça na minha coleção! – Falou Syra, dizendo a palavra “quero” bem alto. — E eu quero ela agora! Greninja, Night Slash!

 

    O pokémon Ninja puxou suas lâminas negras, e investiu na direção do garoto, pronto para finalizá-lo. Empoleon estava cansada demais para defender o golpe, não conseguindo nem se mexer direito. Era óbvio o fim de Matheus e Alice!

 

Continua…


Notas Finais


E esse foi o episódio, quinta, ou sexta feira, eu posto a parte dois.

Desculpem por qualquer erro ^^'

Vejo vocês em breve, treinadores! ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...