História Police Files - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jikook, Namjin, Taegi, Taeyoonseok, Vhope, Vmin, Yoonseok
Exibições 126
Palavras 3.607
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Então... Parabéns, meu querido Jiminie...💙🌹
Leiam as notas finais por favor...

Capítulo 3 - Empty Life


Fanfic / Fanfiction Police Files - Capítulo 3 - Empty Life

Capítulo 3

11 anos atrás - Daegu/Coreia do Sul

- Jimin querido, desça aqui, temos visita. - Escuto minha mãe dizer e rapidamente desço as escadas pra ver quem é.

Me deparo com a imagem de um menino, ele parecia ter minha idade e a minha altura. Tinha os cabelos castanho escuro, ele era bem bonito.

- Olá! - Ele se aproxima de mim e estende a mão. - Me chamo Kim Taehyung. - Porque ele estava sendo tão informal? Estendo a mão e aperto a dele.

- Park Jimin. - Digo e ele abre um sorriso.

- Prazer em conhecê-lo. - Ele solta minha mão.

- Parece que já estão se dando bem, Jimin, ele vai ficar conosco por algum tempo, a família dele teve que viajar a negócios e eu me ofereci para cuidar dele. Pode apresentar o quarto de hóspedes para ele? - Pergunta e eu balanço a cabeça assentindo.

- Vamos. - Pego na sua mão e então começamos a subir as escadas, o levo até seu quarto abrindo a porta para o mesmo. Após ele entrar ele solta sua mochila no chão e observa atentamente o local.

- Uau! É enorme... Sua família é bem rica não é? - Olha para mim sorrindo.

- Bem... Eu acho que sim. - Digo coçando minha nuca. - Então, que tal você arrumar suas coisas e depois irmos lá pra fora brincar? - Pergunto e o mesmo assente, começando a desfazer as malas.

Após isso vamos para o jardim da minha casa, brincamos de várias coisas, e quando cansamos, nos deitamos a sombra de uma árvore.

- Sabe, Jimin, há muito tempo que eu não me divirto tanto... - Fala e encosta sua cabeça em meu ombro.

- Você não tem amigos perto da sua casa? - Pergunto olhando para o céu que tinha poucas núvens.

- Não, eu não costumo brincar muito com as crianças da minha rua, é como se eu fosse um completo estranho pra eles, acho que é porque minha família é pobre, mas o estranho é que eles agem como se nós tivéssemos pedido por isso. - Eu o olho de relance.

E eu me sentia exatamente assim, sempre fui excluído das rodas de amigos, sempre me olhavam torto, mas, diferente dele, era pelo fato da minha família ser bem sucedida, eles achavam que eu era um riquinho mimado, mas eu nunca dei valor aos bens materiais que eu tinha.

- Mas você é diferente dos outros, ChimChim, posso te chamar assim? - Pergunta olhando pra mim, eu apenas sorrio assentindo.

- Olha, Tae, posso te chamar assim? - Ele assente. - Não ligue pro que os outros pensam, eu tenho certeza de que você ainda vai vencer na vida e todos eles vão ficar com inveja de você. - Digo e bagunço seus cabelos de leve.

- Você acha? - Eu consigo ver a esperança em seus olhos.

- Acho não, tenho certeza, você vai ser conhecido como V, por causa das vitórias que você teve na vida, as pessoas vão saudar você com reverência: "Ó grande V, que honra termos sua presença". E você vai ser muito popular. - Ele da risada do meu jeito de falar.

- Eu espero que você esteja comigo nesse dia, nós poderíamos ser parceiros de negócio. - O sorriso dele era de certa forma contagiante.

- Com certeza, que tal nós simbolizarmos nossa parceiria? - Pergunto e o mesmo me olha confuso. Tiro do meu bolso um canivete.

- Onde você arranjou isso? Sabe que é perigoso andar com um desses não é? - Olha o objeto com os olhos arregalados.

- Eu sei - Digo rindo da sua expressão. - Isso foi um presente do meu pai, é a maior lembrança que eu tenho dele. - Olho para o chão lembrando de como era ter ele comigo antes do mesmo ir para o exército.

- Sinto muito... - Tae diz em um tom de arrependimento.

- Sem problemas. - Falo e vou em direção ao tronco da árvore, onde começo a rabiscar com o canivete, Tae se aproxima e fica me olhando atentamente. Termino de rabiscar a árvore. - Pronto, isso vai ser como uma lembrança de que nós não iremos nos separar, ok? - Pergunto e o mesmo assente olhando para o que eu escrevi na árvore.

  "JM + V = Yeong-Wonhan Ujeong*"

~·~

8 anos depois - Daegu/Coreia do Sul

- Jimin, amor, a gente vai acabar se atrasando pra escola. - Tae me chamava, já me apressando.

Eu tinha 16 anos agora, Tae realmente tinha a mesma idade que eu, desde o dia em que nos conhecemos nossa relação foi ficando muito mais forte, fazíamos tudo juntos, mas começamos a sentir algo um pelo outro, algo que ia além de amizade, até que um dia resolvemos namorar. Hoje estávamos fazendo 1 ano de namoro, foi um pouco difícil pra minha mãe aceitar, mas ela viu que realmente éramos felizes juntos.

- Já estou indo amor. - Falo terminando de me arrumar e descendo, nos despedimos da minha mãe e fomos para a escola.

Eu tinha preparado uma surpresa pra ele hoje, com a ajuda de alguns amigos de sala, nós compusemos uma música, ela é especial porque descreve como era minha vida antes dele, e como ele me salvou...

Chegando na escola, Tae foi falar com uns amigos enquanto eu fui pegar o buquê de rosas que eu havia comprado pra ele.

- Amor, vamos pra sala, eu tenho algo pra você. - Falo e ele me olha curioso, se despede de seus amigos e me acompanha, ao chegarmos na sala eu peço para ele entrar primeiro, a sala estava escura.

Ele entra devagar e logo as luzes se acendem, a sala está coberta de pétalas de rosa, enquanto Namjoon, meu amigo, está com um violão, pronto para tocar a música. Eu entro logo atrás de Tae, com o buquê de rosas em mãos, a sala inteira me observa, Tae olha pra mim e Namjoon então começa a tocar.

- Nan sumswigo sipeo, I bami silheo

Eu quero respirar, não gosto dessa noite

- Ijen kkaego sipeo, kkumsogi silheo

Eu quero acordar, não gosto desse sonho

- Nae ane gathyeoseo, nan jugeoisseo

Eu estou preso em minha mente, então estou morrendo

- Don't wanna be lonely, just wanna be yours

Não quero ficar sozinho, só quero ser seu.

Eu via seus olhos se encherem de lágrimas enquanto eu cantava, após terminar a música, ele me abraça forte e sinto meus ombros ficarem um pouco molhados, ele estava chorando.

- Eu te amo tanto... - Ele sussurra no meu ouvido enquanto deposita vários beijos em minha bochecha e no canto dos meus lábios.

- Eu também te amo Tae... - A sala inteira aplaude e depois de muitas parabenizações, nós finalmente voltamos a rotina normal, mas dificilmente nos concentramos na aula, eu olhava pra ele a cada minuto e o mesmo retribuia, e ficamos assim o resto do dia.

Chegamos em casa e minha mãe não estava, vi um bilhete na geladeira dizendo: "Fui na casa da sua tia resolver um problema, não se preocupe, estarei de volta amanhã".

- Amor, estou subindo. - Escuto o barulho de Taehyung subindo as escadas.

- Não vou demorar. - Falo enquanto amasso o papel e jogo no cesto de lixo, abro a geladeira para tomar um copo d'água.

Após o término vou até meu quarto, a porta do banheiro está aberta, Tae deve estar lá, vou até minha cama mas sinto algo me segurar, olho pra trás e encontro ele segurando um colar de prata.

- Tae... É lindo... - Digo e sinto minhas bochechas ruborizarem, eu não esperava um presente dele, principalmente um que parecia ser tão caro.

- Eu venho juntando para comprar, faz um tempo, agora vire-se. - Eu obedeço e sinto suas mãos em meu pescoço, pondo o colar. Vou até o espelho e me encaro, o colar tinha a forma de uma metade de um coração. - A outra metade está comigo, eu quero que você coloque... - Pede e se vira de costas pra mim, agora que eu percebo que ele estava apenas de blusa e roupa íntima. Eu ruboriso, eu já havia visto Taehyung nu, mas nunca cheguei a ter esse contato íntimo com ele, na verdade, eu não cheguei a ter esse contato com ninguém, então estou bastante nervoso.

Passo meus braços em volta de seu pescoço, colocando o colar, e logo depois deposito um beijo no local. Ele se vira de frente pra mim e envolve meu pescoço com seus braços, e então, damos início a um beijo, um beijo calmo, um explorando cada centímetro da boca do outro, começo a andar devagar pra frente, enquando o deito na cama, ficando por cima dele sem desfazer o beijo, continuamos nos beijando por um tempo. Ele começa a desabotoar minha blusa, mas eu me afasto.

- Tae... Tem certeza de que está pronto? Eu só quero quando tiver completa certeza disso. - Ele me olha e da um leve sorriso, aproxima seu rosto do meu e me dá um selinho, após isso ele se afasta e me olha intensamente.

- Eu sempre estive pronto. - E então eu o beijo, mas dessa vez um beijo feroz e cheio de desejo, estávamos ajoelhados na cama, um de frente pro outro, nos beijando apaixonadamente. Ele continua a desabotoar minha blusa, quando ele termina eu a jogo para longe, ele me deita na cama e fica por cima de mim, sinto sua bunda roçando contra meu membro que já estava rígido, marcando minha calça, gemo baixinho, ele volta a me beijar, tiro a blusa dele e então ele começa a depositar beijos em meu pescoço, vai descendo até chegar em meu mamilo, onde começa a fazer movimentos circulares com a língua, eu entrelaço meus dedos em seus cabelos gemendo, seus lábios eram tão doces, tão delicados. Ele morde de leve o local e eu gemo um pouco mais alto.

- T-Tae... - Falo manhoso, ele afasta sua cabeça e pega na barra da minha calça, removendo meu cinto e em seguida desabotoando minha calça, ele a abaixa deixando na altura das minhas coxas, expondo minha cueca. Meu membro estava marcado violentamente e eu já não estava mais aguentando aquele peso. Ele abaixa a peça expondo meu membro e olha em meus olhos.

Ele tinha um olhar feroz e cheio de desejo, o que me deixava mais excitado ainda, ele desce a cabeça para beijar a glande do meu pênis, estendendo os beijos até a base, logo seguida ele sobe lambendo da base até a cabeça, o que me deixa levemente arrepiado. Ao chegar em minha glande ele começa a fazer movimentos circulares com a língua enquanto chupa.

- Nossa... Tae... Você é bom nisso. - Falo enquanto afundo minha cabeça no travesseiro. Ele continua com os movimentos de sobe e desce por um tempo, deixando meu membro bastante molhado. O olho com desaprovação quando ele para de me chupar.

- Jimin, agora é sua vez. - Pede com a voz arrastada e eu balanço a cabeça em confirmação. Jogo ele para o lado invertendo nossas posições, ficando por cima. Me desfaço do resto de minhas roupas ficando totalmente despido em cima dele, desabotoo sua calça e a tiro com a ajuda do mesmo. Vejo seu membro rígido em baixo do pano de sua roupa íntima, não demoro para me desfazer dela. Pego seu membro em minha mão e começo a movimentá-la devagar.

Seu membro não era grande igual ao meu, sem querer me gabar, era médio, então facilitaria meu trabalho, abocanho seu membro e escuto seu gemido ao sentir o contato da minha boca, começo a fazer movimentos circulares com minha língua, assim como ele fez, pelo fato de eu ser inexperiente nesse quesito. Mas o que me surpreendia era que Tae também era virgem, será que ele praticou?

Após alguns minutos fazendo movimentos de sobe e desce, retiro seu membro da minha boca. Me posiciono entre sua pernas e... Droga! As camisinhas... Eu esqueci completamente.

- Tem camisinhas na gaveta da direita. - Fala e eu o olho desconfiado.

- Kim Taehyung, você por acaso sabia que iríamos transar? - Pergunto com um leve sorriso.

- Eu tinha minhas desconfianças. - Ele morde o lábio com um sorriso saliente.

Pego uma camisinha na gaveta e rasgo a embalagem com meus dentes, o gosto daquilo era horrível, coloco rapidamente no meu pênis, eu deveria ter alguma dificuldade com isso, mas eu admito que já tinha assistido alguns pornôs. Eu não precisaria lubrificar sua entrada, pois o preservativo já fazia isso por si só.

- Está pronto? - Pergunto e ele assente. Começo então a penetrá-lo devagar, ele geme por causa da dor que está sentindo.

- Está tudo bem? - Pergunto. Oh céus, ele é muito apertado.

- S-sim, só espere um pouco até eu me acostumar. - Fico então imóvel, meu membro quase todo dentro dele, consigo sentir suas paredes internas apertando meu membro, tentando empurrá-lo para fora, não sei por quanto tempo vou aguentar. Após alguns minutos ele aperta meu braço, olhando pra mim e assentindo, então eu começo com os movimentos.

- Ah, J-Jimin... - Observo sua expressão mudar de dor para prazer, então começo a acelerar um pouco mais as estocadas. - Isso, Jimin, está ótimo. - Coloco minhas mãos nos lados da sua cabeça e aperto forte os travesseiro, acelerando um pouco mais.

- Você quer trocar de posição? - Pergunto com a voz arrastada devido ao cansaço, ele assente. Então me deito na cama e assisto Tae se posicionar em cima de mim, deixando suas pernas dos lados e posicionando sua entrada em meu membro, ele logo começa a sentar e eu apenas contemplo a cena. Ele ruboriza com meu olhar, pego em sua cintura auxiliando seus movimentos, coloco uma mão em seu membro e começo a masturbá-lo, ele inclina sua cabeça pra trás e geme devido ao prazer.

- Jimin... Eu estou quase lá. - Sussurra em meu ouvido e eu começo a acelerar os movimentos com a minha mão, não demora muito para ele chegar ao ápice e se derramar em cima do meu peito.

- Eu quero que você fique deitado de costas pra mim. - Selo nossos lábios e então ele sai de cima de mim, ficando na posição que pedi, afasto suas pernas e me posiciono em sua entrada, deito em cima de suas costas e aproximo meu rosto do seu ouvido.

- Agora é minha vez - Sussuro e sinto os pelos da sua nuca se eriçarem. Passo meus braços por debaixo dos seus, segurando-o de uma forma dominadora enquanto começo a estocá-lo. Essa é a posição que mais me agradava nos vídeos que eu assistia, sempre quis testá-la com alguém, pois facilitava o ativo fazer seu parceiro submisso, ao mesmo tempo em que o acesso ao pescoço do passivo fica mais fácil, e eu abuso disso, começo a chupar seu pescoço em diferentes lugares enquanto o penetro, e escuto o mesmo gemer alto com isso. Depois de algum tempo sinto que estou chegando a meu ápice, retiro meu membro de dentro dele, removo o preservativo e começo a me masturbar, me desfazendo em suas costas e gemendo alto.

- Tae... Você é maravilhoso. - Me permito cair ao seu lado devido ao cansaço, e ficamos nos encarando por um tempo, fazendo carícias um no outro, até que resolvemos tomar banho juntos, sem malícia alguma, depois vestimos roupas leves e fomos dormir.

~·~

1 ano depois - Busan/Coreia do Sul

Chego no departamento de Polícia, local onde comecei a trabalhar depois que terminei meus estudos, estou com 17 anos, e todos dizem que sou jovem demais para esse cargo, mas eu não acho. Eu sempre sonhei em ser policial, não queria ser do exército da Coreia, então fui encaminhado para a área policial. Hoje era o dia em que receberemos o resultado do teste que eu e outros policiais fizemos. Era um teste para argentes especiais miríns, onde só eram aprovados os que tinham verdadeira capacidade investigativa e certo grau de furtividade, os que fossem aprovados seriam agentes especializados da Polícia sul-coreana.

Esses agentes eram especializados em combate ao tráfico e investigações furtivas, eram responsáveis por investigar os bandidos mais perigosos do país. Eles eram designados para diferentes locais para se infiltrarem como cidadãos normais enquanto colhem informações.

Chegando no escritório o chefe de Polícia pediu para que fizéssemos uma fila na horizontal e todos obedeceram.

- Os que eu chamar o nome, dêem um passo a frente. - Todos assentiram e então ele começou a fazer a seleção. Ele estava chamando vários nomes e eu aguardava ansioso.

- Park Jimin. - Arregalo os olhos e dou um passo a frente.

-Kim Taehyung. - Fala e eu olho Tae dar um passo a frente, o mesmo me encara cheio de felicidade e eu sorrio orgulhoso para ele. Fiquei surpreso quando ele disse que também gostaria de entrar para a Polícia. E por incrível que pareça, fomos aprovados para o mesmo departamento juntos.

- Aos que foram citados aqui: parabéns, vocês foram qualificados para o serviço de agentes miríns da policia sul coreana. - Todos nos aplaudem e nós fazemos reverência. - Em breve vocês receberão detalhes de qual será o destino e a missão de vocês. Podem se retirar. - Todos se dirigem a saída do escritório, vou direto falar com Tae, que me recebe com um abraço.

- Conseguimos, amor, eu nunca fiquei tão feliz. - Fala ainda me abraçando.

- Eu estou igualmente feliz com isso, agora eu espero que nós dois sejamos designados para o mesmo local juntos. - Falo me aproximando para um beijo, mas o mesmo me para.

- Aqui não, Jimin, se nos virem fazendo isso corremos o risco de perder nossos empregos. - Me repreende.

- Ah, eu esqueci disso. - A Coreia é muito rigorosa e preconceituosa em relação a casais homoafetivos, e muitas vezes eu acabava me esquecendo desse pequeno detalhe.

- Vamos voltar ao trabalho, em casa nós comemoramos. - Pisca pra mim com um sorriso safado, e se dirige a sua mesa.

E após um longo dia de trabalho, tivemos uma noite merecida de beijos, carinhos e é claro, sexo.

~·~

8 meses depois - Seul/Coreia do Sul

Fazia um tempo que eu e Tae não nos víamos. Após 1 mês depois que fomos aprovados no teste, ele foi designado para Incheon e eu para Seul, mas sempre mantivemos contato, por celular, mensagens de texto e vídeo chamadas, nós nos encontrávamos duas vezes por mês, devido a distância. Mas já fazia cerca de uma semana que ele não dava notícias, seu celular caia em caixa postal e ele não recebia mensagens. Hoje era dia de nos encontrarmos, mas parece que isso não iria acontecer, eu estava já pensando em ir até lá ver como ele estava e tirar satisfações com ele.

Estou caminhando pelas ruas, tinha acabado de sair de uma lanchonete, escuto meu celular tocar e aparece um número que eu nunca tinha visto na vida.

- Alô? - Atendo.

- Park Jimin? - Escuto um homem falando do outro lado da linha com uma voz séria.

- Quem gostaria? - Pergunto sentando em um banco de uma praça daqui da cidade.

- Aqui é o chefe da instalação policial de Incheon, precisamos falar sobre Kim Taehyung. - Arregalo os olhos e aperto o Telefone com força.

- O que foi? O que aconteceu? Tem notícias dele? - Pergunto quase desesperadamente.

- Sim senhor, e não são boas... - Meu coração aperta, sinto minha testa soar frio.

- O-o que houve? - Pergunto preocupado.

- O senhor Taehyung foi enviado a uma missão essa semana, junto com outros 4 soldados, para combater uma quadrilha que estava contrabandeando drogas, e nessa operação houve troca de tiros e uma forte explosão... - Ele pausa nessa parte esperando alguma resposta da minha parte.

- O que quer dizer com isso? - Sinto meus olhos marejarem tentando não acreditar na informação que estava recebendo.

- Foram encontrados vários corpos carbonizados, estavam irreconhecíveis, não conseguimos fazer a autópsia da identidade de cada um, mas um deles ultilizava um pingente de prata em forma de coração... Acreditamos ser Kim Taehyung, senhor... - Eu sinto as lágrimas rolarem pelo meu rosto, misturadas com alguns pingos de chuva que estavam começando a cair.

- É mentira... Você está mentindo não é? Pois se estiver eu juro por tudo o que é mais sagrado que eu vou acabar com a sua raça. - Falo furioso ao telefone e algumas pessoas que passavam pelo local na hora ficaram até assustadas, mas isso já não importava mais...

- Sinto muito senhor, solicitamos que venha receber o atestado de óbito dele, e  venha recolher suas coisas do apartamento onde ele estava instalado. Lamentamos sua perda... - Ele desliga na minha cara e eu estava soluçando igual uma criança de 3 anos.

Eu não consigo acreditar nisso... Não consigo... Tae... Por favor... Assim não...

Enterro meu rosto em minhas mãos enquanto sinto a chuva engrossar e molhar os meus cabelos, a dor que eu estava sentindo era tanta que eu seria capaz de socar qualquer um que viesse a minha frente.

Não posso aceitar que você se foi tão cedo... Sem dizer 'Adeus'... Minha vida fica tão vazia sem você...

Continuo chorando no banco da praça até criar forças para ir pra casa e ir correndo até Incheon confirmar se isso tudo era verdade, e se fosse... Eu não saberia o que fazer depois...

~·~


Notas Finais


*Yeong-Wonhan Ujeong = Amizade eterna.
As tags da fanfic foram atualizadas, foram acrescentadas as tags: TaeGi e TaeYoonSeok.
Então... Nosso Jimin fazendo 22 anos né 💙💙
Espero que tenham gostado desse capítulo, ele contou um pouco sobre o passado do Jimin.
Desculpem o atraso, mas eu fiz o possível.
Me sigam no twitter: @BlueWritter_98
Comentem se gostaram, favoritem, e aos leitores fantasma: Eu não mordo, ao menos que você peça...
Divulg- quer dizer, vocês já sabem né 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...