História Police Love - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias The 100
Personagens Bellamy Blake, Clarke Griffin, Jasper Jordan, John Murphy, Lexa, Marcus Kane, Octavia Blake, Raven Reyes
Tags Clarke, Clexa, Lexa
Visualizações 212
Palavras 1.463
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa tarde...
NÃO ME MATEM EU AMO VCS!!
Olha eu sei que prometi ação no próximo cap. Mas eu precisava muito desse capitulo antes da ação, ele é MUITO IMPORTANTE PARA O ENREDO, tanto que eu já tava escrevendo o outro quando lembrei desse detalhe e tive que escrever esse.

Outra coisa:
Essa conta tem 2 pessoas que usa :
Savana : eu que escrevo as fic e respondo seus comentarios
Clork: que é minha amiga qe emprestou a conta

Eu sempre deixo meu nome no final dos comentarios e ela tbm...só queria esclarecer

Capítulo 20 - United States Postal Service (USPS)


Clarke PVO

 

Mais um dia de trabalho que terminou, eu não via a hora de chegar em casa. Pedi a Lexa que me acompanhasse mais ela tinha que arrumar seu novo apartamento e eu tinha que esperar Noah chegar.

Abro a porta e me jogo no sofá estava exausta, olho para o teto do meu apartamento e começo a pensar no caso dos roubos...que por sinal não tem nada a ver com roubo. Tudo tem haver com Lexa, isso é um tanto curioso, alguém a odeia tanto que a quer destruir, ou...ou pode ser alguém que a ama. Ela nunca disse nada sobre relacionamentos para mim, tenho que me lembrar de perguntar isso amanhã, temos que saber tudo que envolve ela para conseguir desatar todos esses nós. Sou tirada dos pensamentos com Noah tocando a campanhia e me gritando ao mesmo tempo, abro a porta para que ele entre me despedindo de Troy e fecho a porta.

 

- Como vai Noah? – pergunto ao garoto que esta sentando no sofá com semblante triste.

- Eles vão me mandar embora Clarke! – ele diz com voz chorosa e eu me sento perto dele confusa pela sua confissão.

- Como assim? – pergunto enquanto o trago para meu colo o abraçando. Ele começa a chorar e me aperta.

- Ouvi o Sr. Kane dizer que vou ser mandado para um orfanato já que não sei nada sobre quem matou meu padrasto. – ele diz soluçando. Faz sentido, só mantido em proteção quando a testemunha sabe algo, e Noah não sabia, ele não viu nada.

- Ei, olha pra mim! – digo pegando seu rostinho. –Você não vai para lugar nenhum, ok!? Nós vamos dar um jeito nisso! – digo sorrindo de formar confortante e ele enxuga as lagrimas.

- Eu não posso ir para um orfanato Clarke, agora eu sou um filho CLEXA! – ela afirma e eu franzi o cenho em confusão.

- Filho o que?? – pergunto e ele da sua risada fofa com a língua entre os dentes.

- Filho de Clarke e Lexa! – ele diz em tom orgulhoso e eu fico incrédula com sua afirmação.

- De onde tirou isso Noah? – pergunto.

- Ontem Troy e Raven almoçaram juntos, e quando Raven me viu disse: “como vai filho Clexa?” , ela disse que eu tenho os olhos de Lexa, e os cabelos loiros igual ao seu. Troy concordou com ela. – diz mais orgulhoso ainda. Tudo que eu faço é gargalhar e puxa o garoto para um abraço. Eu não sabia que Raven e Troy estavam se encontrando, obrigado por me contar isso Noah, penso.

Somos tirados do nosso momento pela campainha, me levanto e vou em direção a porta. Quando abro a mesma vejo uma pessoa inesperada.

- Luna!? O que faz aqui? – digo confusa e ela me dá um sorriso fraco.

- É a LEXA? – escuto o  garoto vindo gritando em direção a porta sorrindo, mais fica sério ao ver que não era quem ele esperava.

- Lexa vem aqui Clarke? – Luna me pergunta com cenho franzido. Eu balanço a cabeça em negação e digo para ela entrar. Ela se acomoda no sofá e eu me sento perto dela, Noah nos olha com cara de poucos amigos.

- Então Luna... como vai? – falo um pouco sem graça, não entendi o motivo dela vir até meu apartamento.

- Eu vim conversar pessoalmente Clarke. – diz segurando minha mão. – Desculpa eu não sabia que você estava esperando Lexa. – ela diz com certo rancor na voz. Ninguém pode saber sobre mim e Lexa por enquanto.

- Oh não! Noah gosta muito de Lexa, e tem esperanças que ela venha vê-lo. – digo tentando disfarçar torcendo para que ela acredite. Ela me olha com dúvida, e eu não entendo sua ação, parecia estar com ciúmes.

 

- É... mas Lexa não gosta de mim...é tão triste isso! – Noah diz. Sério que esse garoto sabe mentir tão bem assim!?. – Eu vou dormir Clarke, achei que Lexa me achava importante. – ele termina fazendo cara de magoado e se eu não soubesse que estava fingindo teria acreditado.

 

- Não fique assim garoto, Woods não gosta nem dela mesma! – escuto Luna dizer e olha para ela que está com uma expressão fria. Noah se retira da sala e eu suspiro aliviada por ela ter acreditado.

 

- Você quer alguma coisa Luna, algo para tomar? – pergunto tirando minha mão da sua. Ela nega com a cabeça e pega minha mão novamente.

 

- Clarke... eu sei que foi errado o que fiz na sua sala, mas quero que entenda que eu realmente gosto de você! – diz tocando meu rosto. Estou sem reação, ela parece mesmo gostar de mim.

 

- Eu sinto muito não poder retribuir esse sentimento Luna! – digo baixo soando o mais compreensiva o possível. Ela respira fundo, parece impaciente.

 

- Porque mão me dá uma chance Clarke!?  - ela diz segurando o meu rosto com as suas mãos me fitando. Eu seguro em suas mãos a tirando do meu rosto e me levanto.

 

- Luna...não faz isso por f..- não termino, ela se levanta ficando de frente para mim segurando minhas mãos.

 

- Uma chance Clarke...você está livre e desimpedida, podemos nós conhecer e...- eu não deixo ela terminar, ela parecia desesperada.

- Não posso...me desculpe. – digo sussurrando. Ela trinca o maxilar e eu a olho confusa.

 

- Você não pode fazer isso comigo Clarke! – ela diz e começa passar a mão nos cabelos. – Eu esperei a hora certa para dizer isso, esperei por você Clarke, todos os dias...você deveria considerar. – ela diz e vejo magoa em sua voz.

 

- Luna, e-eu não sei, você é uma ótima pessoa, eu achei que você tinha entendido que minha intenções com você era amizade. – digo e ela me olha com...raiva? Eu nunca a tinha visto desse jeito.

 

- Não quero sua amizade Clarke! – ela diz e sai em direção a porta e vai embora.

 

Não sei o que pensar, estava tudo em paz entre nós e ela parecia tão pacífica quando chegou aqui, esse lado dela eu não conhecia.

 

***

Me levanto e faço minha higiene matinal, me visto com o uniforme do FBI porém toda de preto, eu amava ir assim: calça preta apertada, blusa preta com as siglas em amarelo e meu coturno preto.

 

Liguei para Lexa e ela me disse que iria chegar mais tarde, decidiu ir ao consultório de Anya sua pscicóloga. Chega no sede e vou em direção a minha sala, e como sempre Raven já está a minha espera.

 

- Bom dia Raven! – digo dando um sorriso divertido e me sentando na minha mesa.

 

- Bom dia Clarke...só vim dizer que não vou contar a ninguém sobre seu lance com a Woods! – ela diz divertida e eu concordo com a cabeça.

 

- Ótimo! Também não vou contar a ninguém seu lance com Troy! - respondo a encarando divertida e ela revira os olhos.

 

- Aquele filho Clexa não sabe guardar segredos mesmo...- ela diz e eu taco minha caneta nela. Vou questionar sobre isso mais alguém bate na porta

Ao pedir para que entre vejo um rapaz com uniforme do United States Postal Service (USPS), ele era alto e usava boné. Seu boné está bem abaixado quase tampado seus olhos.

 

- Sr. Griffin? – ele pergunta sério e eu concordo. – Encomenda pra você. – diz e me entrega uma caixa pequena e se retira da sala.

 

Abro a caixa rapidamente e tiro um pacote preto da mesma, ao abrir vejo algo que não me surpreende tanto e Raven pula para trás.

 

“Sr. Griffin, considere isso como o ínicio dos nossos jogos”

 

Era a porra de uma língua e uma foto do Brad morto. Estava cheia de sangue, foi recente, como ele matou Brad se estava preso, como ele conseguiu enviar isso por postal a tempo de chegar com sangue fresco?

 

- PORRA, isso é uma língua Clarke!?- ela diz assustada.

 

- Sim...- nem termino de falar, me lembro que toda encomenda deve ser assinado pelo recebedor e aquele cara não me deu nada. –DROGA! – digo e saio correndo em direção ao elevador, ele não era da USPS, era um dos que trabalhavam para a pessoa do nosso caso

 

Corro em direção ao estacionamento e vejo o mesmo entrar em furgão branco. Droga mil vezes droga... quando vou voltar para pegar a chave do meu carro vejo uma moto passando ao lado do automóvel que eu iria perseguir em sentindo contrário. A moto encosta e vejo uma  Lexa estupidamente sexy, fodátiscamente gostosa tirar o capacete, corro até ela tirando o capacete extra que estava na garupa. Ela me olha confusa e eu somente digo:

 

- Siga aquele furgão branco, agora! - falo apontando na direção e ela sorri de lado entendendo minha intenção, dá partida na moto saindo em disparada atrás do automóvel que estava saindo da sede. 


Notas Finais


É importante que vcs me digam o que estão achando para que eu saiba se estão entendendo o contexto!
Até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...