História Police Operation: Fanfiction Park Jimin - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Operações Especiais, Park Ji-min (Jamie Park)
Personagens Canhoto, Jimin, Jungkook, Park Ji-min (Jamie Park), Paulo Froes, Personagens Originais, Toscano, V
Tags Chimchim, Jeon Jungkook, Jimin, Jiminie, Jungkook, Kim Taehyung, Kook, Park Jimin, Tae, Taehyung
Visualizações 471
Palavras 1.182
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Policial, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Culpa minha


Fanfic / Fanfiction Police Operation: Fanfiction Park Jimin - Capítulo 7 - Culpa minha

(Dia seguinte) Delegacia

— Muito bem, senhores. Quem fez a denúncia foi uma moradora local com nome Maria da Penha, igualmente conhecida pelo originalíssimo apelido de Penha. Essa dona afirmou que os dois elementos que assaltaram o posto, circulam sempre em dupla, como Jararaca e Zoio. É um pessoal fugido de morros do Rio. Gente do crime organizado, varrido pelas UPPs. Malandro cascudo. No vídeo do posto eles usavam uma AK, uma Glock, as mesmas armas que mataram as crianças. Portanto encontrar as armas é prioridade. Boa sorte e cuidado. — Dr. Fróes disse e eu coloquei meu colete, peguei minha arma e coloquei na cintura. Eu estava tremendo inteira, nós iriamos na favela atrás desses dois caras. Jimin, Tae, Carrasco e Jungkook iriam na mesma viatura que eu.

 Segura pra mim, eu vou dirigir — Jungkook me estendeu a AK. E eu Assenti pegando a arma totalmente pesada e grande.

 Dar arma na mão dessa menina é um perigo. — Park falou debochado abrindo a porta do banco de trás e entrando na viatura, eu entrei em seguida e Taehyung entrou por último me fazendo ficar no meio deles. Jungkook e Carrasco ficaram nos bancos da frente.

Eles pareciam normais, como se fosse comum pra eles ir trocar tiro com bandido na favela, mas eu não estava calma, eu não tinha treinamento como eles, eu devia ter escutado minha mãe quando disse pra eu não entrar na polícia mas agora é tarde demais pra me arrepender, vou ter que ir até o fim nem que eu tenha que morrer.

 (S/n) você está bem? — Tae me olhou preocupado enquanto estávamos a caminho da Comunidade.

 E-estou — Ofeguei

 É porque você está ofegante, pálida e suando frio. — Ele disse calmo, como ele consegue ficar tão calmo, sabendo que daqui algumas horas ele pode morrer por bala?

 Está tudo bem. — Menti.

🕘

🕛

Estávamos em fila pra entrar na casa que tínhamos recebido a denúncia. 

Carrasco estava em primeiro na fila, em segundo estava o Taehyung, em terceiro estava o agente Roni, em quarto estava o Jungkook, em quinto eu e por último estava Jimin pra encher o saco. Todos estavam com armamento de porte grande e eu só com um simples revólver.

Todos aparentavam sérios e calmos e eu estava ofegante, meu coração parecia que ia saltar pela boca, as palmas das minhas mãos estavam geladas e eu estava suando de tanto medo de morrer de tiro, mas eu sabia que tinha que ir até o fim.

 Vai garota!! — Jimin sussurrou impaciente e quando eu vi pessoal já tinha começado a andar pra entrar na casa, tínhamos que subir uma escada pra poder arrombar a porta da casa. Comecei a apertar o passo assim que eu percebi que tinha ficado "pra trás".

Subimos a escada que tinha pra entrar na casa.

Assim que chegamos na frente da porta. Começamos a nos preparar pra arrombar, Jimin que estava atrás de mim caminhou até ao lado de Carrasco, pra poderem a arrombar a porta e pagar os bandidos de surpresa. O pessoal decidiu que já que eu era novata eu iria fechar a saída pra não deixar nenhum bandido fugir, pensando bem eu adorei essa ideia, assim não teria que trocar tiro com ninguém.

Estava esperando o Carrasco ou o Jimin arrombarem a porta

 Fica calma. — Jungkook sussurrou — Relaxa você só precisa fechar a saída.

Nesse momento, não sei se foi o Jimin ou o Carrasco que arrombaram a porta, só sei que depois que arrombaram, começou uma gritaria e eu ouvi um choro de criança.

 Perdeu! Polícia, Polícia! — Todos entraram na casa e eu entrei por último ficando parada na porta.

 Parado aqui, porra! — Jimin gritou apontando a arma pra um cara, todos os policiais estavam algemando e gritando com algum homem. 

 Tá faltando um, Jimin. Cadê o outro? — Tae perguntou confuso.

Quando eu vi tinha um cara gordo, correndo na minha direção pra fugir, o cara passou por mim que nem um trator, não deu tempo de fazer nada, ele veio com tanta força que eu acabei caindo no chão e ele fugindo.

 A PORTA PORRA!!!! PUTA QUE PARIU (S/N)!— Jimin berrou

 PARADO AI!! PARADO AI!! — Jungkook saiu pela porta passando por cima de mim e correndo atrás do bandido, em seguida vários policiais passaram correndo pela porta pra ir atrás do bandido. Os policiais quase me pisotearam. Foi uma experiência horrível.

🕘

Depois que Jungkook conseguiu pegar o cara e Algemá-lo, os policiais levaram os bandidos pra viatura e colocaram os dois no porta malas da viatura.

Por minha culpa o cara quase fugiu.

Entramos na viatura, dessa vez quem estava dirigindo era Jimin. Eu estava no banco de trás perto da janela, Taehyung estava do meu lado, Jungkook do lado de Taehyung e o Carrasco estava no banco de passageiro.

 Próxima vez não pode deixar mulher fechar a saída. Tem que ser homem, ISSO É COISA DE HOMEM! CARALHO! — Jimin esbravejou irritado sem tirar a atenção do caminho

 Caramba! O cara também saiu voando pela saída, passou que nem um trator por cima da coitada. — Tae me defendeu.

 Ah, mas até um cadeirante passava naquela merda, Taehyung. — Jimin retrucou em seguida bufou irritado

 Desculpa. — Murmurei baixinho, porque realmente a culpa era minha.

 Meu irmão, se aquele vagabundo escapa, o Fróes ia ficar puto, tudo ia cair pra cima da gente! A imprensa ia vir pra cima da gente, e ele ainda pensou em atirar, só que ele vacilou. Se não fosse por você, Jungkook. Se não fosse por você vagabundo tinha atirado! — Jimin esbravejou. Ele estava mesmo irritado.

 Desculpa. — Falei pra ver se ele calava a boca. Mas não, ele não calou.

 Agora eu não entendo, vagabundo tem fuzil, tem granada, tem pistola, tem droga pra caralho, aí eu vou lá e dou um tiro nele. Dou um tiro nele e a culpa é minha... — Jimin continuou tagarelando e eu parei de prestar atenção e apoiei minha cabeça no vidro da janela do carro. O que eu não podia era chorar, apesar da vontade, não podia me mostrar fraca pra eles. Só pelo fato de eu ser mulher eles já acham que eu sou fraca só por causa disso, imagina se eu começar a chorar?

🕘

🕛

Depois de chegarmos na delegacia. Dr. Fróes recebeu a imprensa na delegacia e eu aproveitei que a atenção estava toda voltada pro Dr. Fróes, pra ir pra um cantinho reservado daquela delegacia onde eu podia respirar um pouco. Aproveitei pra me livrar daquele colete pesado pra poder respirar melhor.

 Toma. — Jungkook chegou com um copo de água — Eu sai na encolha e ninguém viu. — Peguei o copo de sua mão e tomei a água apressada. — Fica calma e segura sua bronca. Se foi despencar, deixa pra chorar no seu quarto, hein? Ouviu? — Assenti depois de beber toda a água e ele ia saindo

 Jungkook — O chamei e ele voltou  Obrigada. — Agradeci e ele assentiu e saiu.

Continua


Notas Finais


Fala o que acharam da operação, vocês acham que a culpa foi mesmo da (S/n)?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...