História Ponte Para Floresta Encantada - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Emma Swan, Once Upon A Time, Ouat, Regina Mills, Swan Queen, Swanqueen
Visualizações 173
Palavras 1.641
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, FemmeSlash, Magia, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Demorei, mas aqui estou!

Como havia explicado, estava sem tempo por conta da faculdade e trabalho, fui atualizando aos poucos e aqui estou com a última atualização do ano :D

Presente de ano novo para vocês <3

Espero que gostem e obrigado por terem aguentado pacientemente <3

Boa leitura!

Capítulo 3 - Capítulo 3


Depois da longa semana de aulas, Regina estava sentada na cama com o seu caderno de desenhos em mão, fazia alguns rabiscos dos personagens do livro no qual Emma havia lhe emprestado. Já havia desenhado Snow White e Prince Charming, agora fazia a Evil Queen e, sem motivo algum, a fazia como se imaginava mais velha e que por coincidência, ou não, na descrição da Evil Queen no livro, ela tinha uma cicatriz no lábio igual a sua.

Estava concentrada desenhando quando escuta alguém bater na porta do quarto e manda entrar. Ela coloca as coisas sob a escrivaninha e coloca os desenhos finalizados junto aos outros na parede. Lentamente, Emma entra no quarto e sorri ao ver o local iluminado por pisca-pisca, alguns tecidos longos e claros pendurados no teto próximo à cama como se formassem uma cabana. As paredes decoradas com desenhos, imagens espaciais e personagens dos livros que a garota lia e idealizava completavam a decoração junto com a estante abarrotada de livros dos mais diversos gêneros, mas o que chama mesmos a atenção de Emma ao local é a escrivaninha repleta de papéis, lápis e desenhos e para um instante para olhar o que a morena havia feito, sem dar tempo de ela tomar de suas mãos e guardar.

 

— Você desenha maravilhosamente bem. – Emma comenta sorrindo.

— Não muito. – Regina dá de ombros, olhando a loira.

— Você tem talento nisso, deveria mostrar ao mundo isso. – Diz colocando os desenhos no lugar de origem.

— Gosto de mantê-los só para mim. – Resume. — No que posso lhe ajudar?

— Vim te chamar para dar uma volta. – Diz enquanto andava pelo quarto e logo vê o livro que havia emprestado a ela aberto na página em que a Evil Queen invadia o casamento de Snow e Charming. — Está gostando? – Aponta para o livro.

— Até que achei bem interessante a forma com a que o autor mostra como pode ter sido a vida dos personagens dos clássicos. – Regina diz puxando a garota para fora do seu quarto.

 

Não queria sair, mas também não queria que Emma ficasse ali em seu pequeno espaço pessoal perguntando e mexendo em suas coisas, sabia muito bem que a garota era extremamente curiosa e odiava isso.

 

— Para onde você quer me levar? – Pergunta sem demonstrar muito interesse.

— Para o meu lugar favorito. – A garota sorri travessa, puxando Regina pela mão.

— Não voltem tarde meninas. – Henry pede ao vê-las saírem

— Pode deixar Sr. Mills, não iremos demorar. – Emma promete antes de sair com a garota.

 

O caminho qual Swan fazia era uma pequena trilha que dava diretamente para o bosque ao fundo de suas casas. Emma caminhava como quem já fizera aquele caminho milhares e milhares de vezes e Regina apenas a acompanhava, querendo saber o que fariam ali no meio daquela mata, desejava apenas dar meia volta, mas tinha medo de se perder pelo caminho até sua casa.

Ao chegarem no final da trilha, Regina vê um pequeno rio correr alguns metrôs abaixo, era raso, mas mesmo assim não havia como descer e atravessar para o outro lado. Ela olha para Emma e vê a garota desamarrando uma corda do tronco da árvore.

 

— Okay, acho que isso já é o suficiente Swan, quero voltar para casa.

— Calma Gina, só precisamos atravessar...

— Eu não vou atravessar. – A olha determinada.

— Bom, ou você atravessa ou fica aqui porque tenho certeza de que você não sabe o caminho de volta. – Responde tranquila.

 

Regina vira os olhos, irritada, sabia que Emma tinha razão.

 

— Para alguém que tem apenas 14 anos, você é bem estressadinha.... – O sorriso debochado brota nos lábios de Swan, deixando Regina ainda mais irritada.

— Tá, e como iremos atravessar? Não tem ponte aqui.

— Com isso. – Exibe a corda.

— E como vou atravessar nisso? – A olha arqueando a sobrancelha.

— Você vai enrolar a mão no alto – demonstra —  segura com a outra, vai para trás e corre até a beira, balançando até o outro lado, onde você vai dar um saltinho para aterrizar.

— Alguma chance de me machucar? – A olha apavorada. — E como vamos voltar?

— Poucas, mas é só não pensar nisso... Tem uma corda no outro lado. – Explica. — Quer que eu vá primeiro?

— Por favor...

 

Emma sorri e se afasta um pouco, caminhando para trás e volta correndo, saltando sobre o rio pendurada na corda e pousando no outro lado num salto quase perfeito. A corda volta e Regina faz o que Emma havia instruído e salta, agarrada a corda e ao se soltar para pousar no outro lado, ela cai em cima da loira. Estirada no chão, Swan a olha sorrindo, Regina a olhava totalmente corada e sem graça pela queda desastrosa, mas logo a morena se levanta apresada e ajuda a outra a se levantar.

 

— Agora pode me explicar? – Regina pede.

— Claro. – O inseparável sorriso já estava ali no rosto de Emma novamente. — Você acabou de entrar na Floresta Encantada, a terra dos contos de fada do livro que emprestei para você. – Emma mal conseguia conter sua felicidade por estar ali e Regina a olhava sem entender. — Mas venha, a parte onde estamos é a região do trolls, eles vivem na margem do rio e não queremos encontrar com eles agora... Venha, vou te mostrar o meu esconderijo.

 

Regina a olhava como se a garota tivesse perdido totalmente a cabeça, mas logo sente algo estranho atrás de si e apenas a acompanha em silêncio até chegarem no que parecia ser uma estrada.

 

— Essa é a Estrada Real, se você a seguir para o oeste chegará ao castelo da Evil Queen, se você foi para o leste, ela te levará para a terra de Oz, onde vive o Grande Mago de Oz e atravessando Oz e o grande mar de Netuno, você chega ao Oriente... Mas nunca tive a oportunidade de ir até Oz ou até o Oriente... Um dia quem sabe eu viaja até lá.

— Mas então não deveria ter os tijolos de ouro? – Regina a olhava totalmente confusa.

— A estrada se torna tijolos de ouro quando a Floresta Encantada acaba e Oz começa. – Explana. — Oz é um outro reino, a Floresta faz limite com ela.

 

O barulho do trotar dos cavalos e da carroça se aproximando deixa Emma alerta e as duas correm para o outro lado, se escondendo em meio os arbustos e observam quem vinha. Era um pequeno grupo de cavaleiros do Rei Midas que se aproximavam escoltando uma carruagem, mas eles param devido a árvore tombada na estrada, a qual havia passado despercebido pelas garotas. A porta da carruagem se abre e o Prince Charming sai dela. Regina assistia a cena um pouco chocada, pois ele era igualzinho ao pai de Emma e ao olhar para a garota ao lado, ela apenas sorria, assistindo a cena. O Príncipe vai até a árvore e a olha, falando alguma coisa no mesmo instante. Logo Regina percebe o que estava acontecendo, ela havia lido no começo do livro. Era o primeiro encontro de Prince Charming e Snow White.

Emma a chama silenciosamente balançando seu braço e indica para ela olhar para a carruagem, onde Snow estava sobre, já pronta para roubar o que havia lá dentro e o faz rapidamente e foge, mas Charming a vê e tenta captura-la sem sucesso. A Princesa Abigail grita, o chama e pede para continuarem a viagem, que depois eles resolveriam o problema.

 

— Eu vou te encontrar. – Charming diz mais para si mesmo antes de entrar na carruagem. Os cavaleiros já haviam retirado o tronco do caminho e a viagem prossegue.

 

Assim que eles saem de vista, as duas garotas saem dos arbustos e Regina olhava Emma com os olhos arregalados com a cena que havia presenciado.

 

— Como? Como isso foi possível? – A olhava sem conseguir acreditar ainda.

— Aqui é uma terra mágica. Todos aqueles que não acreditam ou que não possuem conhecimento daqui ou aqueles que já morreram tem uma contraparte aqui e se atravessam para cá, eles não veem o que vimos. – Começa a explicar. — O meu pai, por exemplo, é o Prince Charming, ou seja, sou filha dele com a Snow White. – Sorri orgulhosa. — Mas por ter conhecimento disto, eu não tenho uma contraparte aqui e agora nem você tem.

— E você não pode viver aqui por causa da sua vida real...

— Exato. – O olhar de Emma se torna triste por um instante e elas continuam a caminhada até o esconderijo de Emma à poucos quilômetros dali.

 

O esconderijo era um grande tronco oco tombado no meio da mata, Emma abre um pedaço da rede com plantas e musgo na frente e elas entram no lugar. Era bem organizado, algumas aberturas no teto permitiam a entrada de luz e Emma começa a acender as velas para melhorar a iluminação e elas se sentam um pouco, em silêncio apenas observando o lugar.

 

— Ainda não acredito no que vi... – Regina finalmente quebra o silêncio.

— Bom, se você de fato não acreditasse, não teria visto o primeiro encontro do Prince Charming e Snow White.

 

Regina a olha reflexiva e pensa um pouco no que a garota havia falado, e de fato em algum lugar dentro dela acreditava um pouco no que aquela garota estranha, sempre sorridente e meio louca estava falando. Será que ela estava começando a ficar igual Emma? Não, nem um pouco, mas algo começava a mudar devagar dentro dela, causando um estranhamento em si mesma.

Elas ficam pouco tempo, apenas o suficiente para Emma pegar algo que havia guardado lá e saem do esconderijo, voltando pelo caminho que haviam feito até ali, chegando no rio dos Trolls e o atravessando com o auxílio da corda. Dessa vez Regina havia rolado no chão na hora do pouso, sem se machucar. Emma a leva até em casa e ao se despedirem na porta, ela dá um beijo no rosto de Regina e a espera entrar antes de voltar para sua casa.


Notas Finais


Bom, é isso ai pessoal, espero que tenham gostado <3

Vejo vocês nos comentários :D

Feliz Ano Novo a todos!

Até o próximo capítulo, @vincemills_


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...