História Pools - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Jeon Wonwoo, Kim Mingyu
Tags Fluff, Jeon Wonwoo, Kim Mingyu, Meanie, Meanie Couple, Mingyu, Seventeen, Songfic, Wonwoo
Exibições 47
Palavras 737
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Drabs, Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Um absurdo que não se pode colocar títulos mt "grandes".
Queria não dever nada a ninguém, mas é difícil.
Vou me enterrar depois, pq apesar de uma falha enorme, as intenções foram claras, lol.
Acabou em fluff pq quero dar um tempo em angsty Meanie, yo.

Capítulo 1 - Capítulo único - I smile before I want to


“We sip the wind through lips of lust. And out it comes, warm wisps of love”
“Tragamos o vento através de lábios de luxúria. E ele sai, cálidos punhados de amor”
Pools, do Glass Animals

Seu corpo parecia febril, mais quente do que seria considerado normal, mas Wonwoo sabia que isso tinha mais haver com os toques do outro garoto do que qualquer febre que pudesse o acometer, ou mesmo com a lareira que crepitava do outro lado do quarto.

Estava escuro, com apenas a luminosidade débil e corada que provinha das chamas altas que lambiam a madeira que já esfarelava, e ela se refletia na pele de Mingyu, brilhante e dourada. Impecável.

Wonwoo sorriu, e por um momento o mundo pareceu girar ao seu redor quando seus pés foram tirados do chão com facilidade surpreendente, e suas pernas, quase como um instinto, mas é assim que as coisas sempre foram de qualquer forma, se enroscaram na cintura do outro, parecendo fazer um nó às costas fortes do Kim, tentando a todo custo se prender a alguma coisa.

E não demorou para que fosse então mergulhado em uma piscina de lençóis macios e limpos, ainda frívolos, mas ele não se preocupou muito com isso. Puros? Wonwoo sentiu vontade de gargalhar com a noção de fazer amor em lençóis brancos e imaculados.

O barulho que escapou sua garganta, no entanto, irrompendo do fundo do peito assim que fez contato com o colchão confortável, foi estrangulado, e ele fez Mingyu parar por um momento e ele gargalhar, alto e deleitosamente. Wonwoo não deixou de se juntar a ele, o silenciando depois com um beijo, nada delicado e um pouco desesperado demais.

Apenas quando Mingyu o deixou ir, as mãos cálidas afrouxando-se ao seu redor, ele se esgueirou pela cama, parando para lançar ao outro um olhar ferino, e um levantar dos cantos dos lábios avermelhados, que Mingyu não soube bem se poderia chamar de sorriso, ao vê-lo se arrepiar, os pelos do corpo se eriçando visivelmente.

E Mingyu encarou os lábios delicados e mordidos até a cor de maçãs bem vermelhas, e demasiada suculentas, e das bochechas coradas em meio a tez alva, enquanto o seguiu, as mãos gulosas alcançando o cós das calças do garoto mais velho de imediato.

O contraste era admirável, na verdade, porque quando Mingyu teve trabalho demais com a tarefa de se livrar de seu cinto em meio aos beijos, o olhos de Wonwoo se iluminaram, de forma que parecia arrancar à força o ar de seus pulmões, e ele só fez rir, como prova de tudo o que já haviam feito até ali, tudo muito inocente, e achou que o amor deveria ser exatamente assim.

Mas, no momento seguinte, Wonwoo estava passando os dedos esguios pelo vão aberto de sua camisa, e abrindo os botões que restavam para que ela não fosse mais um problema, e Mingyu provou das maçãs, o gosto doce acompanhado do suave toque do vinho que haviam tomado.

Não demorou para que todos os problemas tivessem sidos resolvidos, em certo ponto um pouco apressadamente demais, e então o Jeon tinha as mãos presas aos cabelos de Mingyu, enquanto ele fazia a pele pálida ganhar alguma cor, com tons de violeta e anil.

A respiração, ruidosa e entremeada de gemidos quase silenciosos de tão baixos, atingia suas bochechas como uma leve brisa, e os olhos de Wonwoo já não se mantinham mais abertos conforme suas mãos iam mais longe, explorando mais, até que não tivesse mais curiosidades. Mas Mingyu era curioso demais.

Em dado momento seus lábios se juntaram às pontas de seus dedos, porque elas não pareciam mais o bastante, e então ele ouviu sons que não consideraria nada menos que encantadores. Se viu faminto por mais deles, enquanto o próprio Jeon sussurrava “mais”, repetidas vezes, tantas que não conseguiria contá-las se tivesse ao menos tentado.

Ele cedeu a cada uma delas, até o ponto em que ele mesmo tivesse que ganhar algo de volta e Wonwoo não lhe negou isso, não poderia quando ele também estava tão faminto, que só se satisfaria quando não se soubesse onde começava um e terminava o outro.

E eles não sabiam, nunca, mas no fim não queriam estar cientes do comprimento daquela existência única. Queriam permanecer assim, sem limites aos quais obedecer, sussurrando palavras de amor, em qualquer língua que lhes tivesse parecido melhor aos ouvidos, por sobre a pele nua um do outro e rindo como crianças, nos momentos mais inapropriados.

Porque o amor era assim para eles.


Notas Finais


Não sei escrever porn, como vcs perceberam, shame.
Percebi que isso não tem plot algum.
Sigh.
Culpem Glass Animals pela tentiva.
E desculpem qualquer erro. Sabe como é, né?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...